Magic Trackpad faz sentido para donos de notebooks comprarem desktops, mas não representa o fim do mouse

Trazer um componente fundamental da experiência de uso dos notebooks para os desktops aparenta ser uma jogada interessante da Apple, com o Magic Trackpad. Embora não tenha sentido a falta de algo assim na vida até a hora em que acordei hoje cedo, suspeito que muita gente vai gostar de usar seu Mac com um brinquedinho desses. Mas ao lançá-lo, a Apple voltou a ser supervalorizada pela imprensa (vide “Antennagate”) e já é considerada como a criadora de uma nova polêmica: seria o seu novo acessório um vetor para a morte do mouse?

Bom, o mundo pode pensar o que quiser, mas obviamente não é assim que a Apple caminha. Em entrevista para o TechCrunch, um representante da empresa disse que a intenção dela com o acessório é oferecer uma facilidade para donos de notebooks comprarem desktops sem perder o costume com a forma de controle do seu computador que muitos já conhecem e adoram. A maioria dos compradores de Macs vai direto nos notebooks e, hoje em dia, grande parte deles não sente falta de um mouse. Com o Magic Trackpad, esse cenário de uso não é perdido na migração para um desktop como o iMac, ou para o uso conjunto deste com um laptop.

“As pessoas amam o trackpad e suas características. Queremos levar este design para nossos usuários de desktops”, diz a Apple, sem referir-se ao Magic Trackpad como o assassino do mouse. Para ela, um acessório não será posicionado como rival do outro, mas os usuários obviamente determinarão isso com base nas suas decisões individuais. “Queremos oferecer a eles o benefício da escolha e nada mais”, disse o representante da empresa.

De acordo com ele, a experiência de funcionários da Apple com um trackpad associado ao desktop comprova que ele é melhor para determinadas operações, mas não necessariamente para tudo que os usuários farão na prática. E isso é verdade: não há como imaginar um designer capaz de operar o Photoshop perfeitamente apenas com um trackpad, logo após tirá-lo da caixa. Além disso, diversos jogos para computador continuarão a exigir maior precisão de movimentos e posições específicas para interagir com ambientes tridimensionais, algo que, no momento, não pode ser proporcionado por nada além de um mouse.

Não há por que nos preocuparmos com a chegada de um trackpad para desktops: ele não matará o mouse enquanto a maioria das pessoas ainda precisar determinar se ele pode atender melhor às suas necessidades ou não. Isso é tão evidente que a Apple nem permite a configuração de uma máquina nova apenas com o Magic Trackpad — ou seja, quem quiser conhecê-lo nesses casos ainda terá que adquiri-lo com um mouse, ao menos por enquanto.

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.