Net Applications: iOS superou o market share do Linux de julho para agosto

Com base em dados de visitação de mais de 160 milhões de usuários em 40 mil sites do mundo todo, a Net Applications compila todo mês gráficos de market share de sistemas operacionais e navegadores, os quais destacamos no MacMagazine.

Hoje, a empresa liberou estatísticas referentes a agosto de 2010 [veja as de julho: 1, 2], revelando que o iOS já superou o Linux em número de usuários.

Net Applications de agosto de 2010

O pulo do gato é que a Net Applications agora agrupa iPads, iPhones e iPods touch num só item “iOS” em suas pesquisas, coisa que não fazia antes. Com isso, eles fecharam o mês passado com 1,13% de market share global, contra 0,85% do Linux.

· · ·

Em sistemas operacionais, a situação está da seguinte forma, agora:

Net Applications de agosto de 2010

O Windows subiu ligeiramente, de 91,32% para 91,34%, enquanto o Mac caiu de 5,06% para 5%. O iOS desponta na terceira colocação com 1,13%, seguido do JavaME, que foi de 0,78% para 0,86%. O Linux só aparece depois, caindo de 0,93% para 0,85%. Fecha a lista o Symbian OS, com 0,27%.

Somadas, as plataformas da Maçã têm agora 6,13%.

· · ·

no mundo dos browsers, eis a situação atual:

Net Applications de agosto de 2010

O Internet Explorer voltou a cair, de 60,74% para 60,4%. O Firefox permaneceu praticamente estável, indo de 22,91% para 22,93%, enquanto o Chrome subiu de 7,16% para 7,52%. O Safari registrou um bom crescimento, pulando de 5,09% para 5,16%. Finalmente, o Opera caiu um pouco, de 2,45% para 2,37%; seu irmão menor, o Opera Mini, está agora com 0,88%.

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.