Patente da Apple descreve edição de imagens à la Photo Booth feita com acelerômetro

Você quer tirar uma foto divertida, com um efeito especial inusitado? No Mac OS X, sempre podemos recorrer ao Photo Booth, mas no iOS até agora só mesmo apps de terceiros podem prover alguma experiência comparável. Rumores à parte, a Apple parece ter em mente algo realmente mágico (essa palavra de novo) para colocar em seus gadgets: efeitos especiais que usam e abusam de recursos como acelerômetro, microfone e afins.

Patente de efeitos especiais em imagens no iOS

Basicamente, a patente descreve um sistema de edição de imagens que usa eventos relacionados com captação de áudio, movimento, geolocalização e propriedades da foto em que se está trabalhando. Possíveis aplicações desta patente envolvem a adição de água virtual a imagens, deformações feitas movendo o gadget em sentido circular, alterações geradas com base em uma trilha sonora e até a simulação de “pinceladas” com movimentos num plano.

Patente de efeitos especiais em imagens no iOS

· · ·

Agora, mudando um pouquinho de assunto, alguém abriu um processo coletivo contra a Apple e várias outras empresas de tecnologia nesta semana. As informações sobre isso ainda são extremamente escassas, mas parece que até o New York Times está entre os proponentes da ação. Pelas outras companhias no banco dos réus (Flurry, Quattro Wireless, Groupon, Medialets, etc.), dá pra sentir uma vibe de “privacidade de usuários em publicidade móvel”, mas isso não passa de um palpite meu.

Ficaremos ligados! ;-)

[via Patently Apple]

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.