Vídeo: veja um comparativo entre o iPhone 4S e o Samsung Galaxy S II

Existem pessoas que ficam presas a especificações e características do hardware de um aparelho, formando uma opinião final sobre algo sem ao menos testar o produto. Vejo muita gente por aí dizendo “Ah, o iPhone só tem 512MB de memória, a placa de vídeo do MacBook Air é fraquíssima, o clock do processador do iPhone 4S é baixo”, entre outras coisas. Mas essas mesmas pessoas esquecem que, no final, o que importa é a experiência, é a sinergia entre hardware e software que acaba ditando o bom desempenho do produto: não adianta ter um hardware espetacular se o software só trava, por exemplo.

Veja este comparativo entre o iPhone 4S (com um chip A5 dual-core de 800MHz, rodando iOS 5) e o Samsung Galaxy S II (equipado com processador Qualcomm dual-core de 1,5GHz, rodando Android 2.3.5). Mesmo com um poder de processamento inferior, o smartphone da Apple ganha no desempenho:

Avance para 4’30”, caso queira ver somente o comparativo entre iPhone 4S e Samsung Galaxy S II.

Interessante a análise de Cory Gunther, do Android Community: um dos processadores mais rápidos do mercado (Qualcomm dual-core de 1,5GHz) tem um desempenho muito bom, perdendo apenas por um fio de cabelo para o A5, da Apple. E, para ele, é melhor ter esse desempenho e ainda ter a opção de rodar o Flash Player (que estava desabilitado no teste comparativo, para deixar as coisas mais justas). Ainda segundo Gunther, o iOS é muito eficiente, sendo também responsável por esse tipo de ganho, sem mencionar que muitos sites são projetados com o sistema operacional móvel da Apple em mente.

Para Gunther, isso prova que não precisamos de processadores quad-core e telas de 4,7 polegadas para termos uma experiência boa — mas dá uma alfinetada na tela do iPhone, dizendo que não se imagina navegando em uma coisa tão pequena. O iPhone 4S, hoje, ganha dos aparelhos Androids, mas ele recomenda aos usuários do robô verde que aguardem os aparelhos equipados com quad-core, pois aí sim a história vai mudar! Apesar de achar que ninguém precisa de um telefone com um processador tão potente, todos vão amar ter um.

Um outro ponto usado para justificar o desempenho do iPhone 4S perante o Samsung Galaxy S II é que o iOS 5 acabou de sair do forno, enquanto o Android 2.3 (de codinome Gingerbread), já tem cerca de um ano de vida — a comparação mais correta seria com o Android 4.0 (de codinome Ice Cream Sandwich), que deverá ser lançado em breve. Assim que o Nexus Prime sair, eles farão testes para comprovar quem é o melhor. Mesmo assim, Gunther diz que a Apple fez um trabalho muito bom com o iPhone 4S.

Agora, meus dois pitacos: mesmo tendo especificações técnicas superiores, o Samsung Galaxy S II não conseguiu bater o iPhone 4S. Sabe o que é isso? Ecossistema consistente. Gunther está certo ao dizer que o iOS 5 também é responsável pelo desempenho geral do aparelho, afinal, como um dual-core de 800MHz pode bater outro, de 1,5GHz?! E é por isso que vou bater nessa tecla novamente: esqueça especificações técnicas! É exatamente por isso que a Apple não diz, na apresentação de seus iGadgets, que eles têm tanto de memória, tanto de clock, etc. O que importa é que o iPhone 4S é muito mais rápido que o iPhone 4 e que a performance gráfica do aparelho melhorou (e muito); o que conta é a experiênia final, e não que ele possui 512MB, CPU de 800MHz, etc.

Quem se prende a números e especificações não enxerga o todo (né, Gunther?), afinal, quem diria que 800MHz batem 1,5GHz do “melhor processador do mercado”? Agora veremos se um quad-core contra um dual-core é uma comparação mais justa. :-P

[via 9to5Mac]

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.