Personal Audio está de volta, com novo processo contra a Apple por causa de playlists no iOS 5

A Personal Audio tentou ordenhar a Apple usando uma patente que trata de playlists, mas não conseguiu. O que fazer? Tentar usar outra patente, uma que foi recusada para produtos passados, com produtos novos! No caso, a Personal Audio está com o iPhone 4S, o iOS 5 e, por incrível que pareça, o “novo” iPod touch — como se a mudança de cor fosse fazer tudo novo de novo.

Playlists no iTunes

Eu me pergunto se há algo de novo no iOS 5 que possa fazer um invento já recusado passar a valer. É praticamente a definição de insanidade (ficar fazendo a mesma coisa, mas esperar um resultado diferente), mas quem disse que precisa haver alguma lógica no mundo dos patent trolls?

Caso você esteja curioso, o o Patently Apple explorou vários detalhes deste caso e do processo em que a Personal Audio saiu vitoriosa.

Se houver algum erro no post acima, selecione-o e pressione Shift + Enter ou clique aqui para nos notificar. Obrigado!

Sobre o Autor

Formado em Ciências Biológicas e estudante de Direito pela UFC, Helton Alexandre "Halex" Pereira mora em Fortaleza (CE) e, aos 30 anos, conserva o gosto excêntrico de lutar pela integridade emocional de gadgets indefesos. Adora absorver informação e aprender coisas novas. Ele também gosta de desenhar e escrever nas horas vagas, além de curtir sua pequena família de gadgets — um iPod shuffle G3, um MacBook (Early 2008), um MacBook Air (Mid 2013) e um Kindle Paperwhite.

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.