A grave relação entre Apple, China e as péssimas condições de trabalho; quando que isso vai mudar?

Dando continuidade a uma matéria que saiu no início da semana, explicando os motivos pelos quais Apple e outras gigantes norte-americanas (e mundiais) optam por produzir seus produtos na China, o NYTimes publicou uma reportagem a respeito da segurança e das condições de trabalho no país mais populoso do mundo — bastante focado na Maçã, inclusive com depoimentos de ex-executivos.

Em meados de janeiro, a Apple publicou um relatório divulgando todos os seus atuais fornecedores, anunciando que realizou 80% mais auditorias em 2011 do que em 2010. Além disso, ela firmou uma parceria com a Fair Labor Association a fim de melhor monitorar as condições de trabalho em todas essas empresas.

Contudo, nem todas as informações foram divulgadas — pelo menos foi a conclusão que podemos chegar após a declaração de um ex-empregado (anônimo) da Maçã:

Há quatro anos sabemos de abusos de trabalho em algumas fábricas, e tudo continua “normal”. Por quê? O sistema funciona para nós. Fornecedores mudariam tudo amanhã, se a Apple dissesse-lhes que não tinham outra escolha.

Na teoria, a empresa exige que todo e qualquer problema com fornecedores seja resolvido em, no máximo, 90 dias, evitando que ele se repita, já que isso poderia afetar terminantemente a parceira. Porém, de acordo com os relatos, não é isso que acontece. “Quando você vê o mesmo problema acontecendo várias vezes, ano após ano, isso quer dizer que a empresa está ignorando-o em vez de resolvê-lo. O descumprimento é tolerado, desde que os fornecedores prometam se esforçar mais da próxima vez. Se fosse algo sério, as violações desapareceriam”, disse um executivo com conhecimento da cadeia de suprimentos da empresa.

Outro depoimento — de Li Mingqi, ex-gerente de fabricação da Foxconn que inclusive está processando a fabricante — afirma que a Apple não presta qualquer atenção às condições dos trabalhadores depois que a parceria foi arranjada. Obviamente a Foxconn nega, dizendo que ambas as empresas consideram seriamente o bem-estar dos trabalhadores. Mingqi chegou a trabalhar na fábrica da Foxconn que pegou fogo e resultou na morte de duas três pessoas, em maio passado. Não coincidentemente, uma firma de advocacia teria avisado a Apple, pouco antes do incidente, sobre os perigos da fábrica.

Bandeira da China num iPad

Pouco tempo depois ocorreu outra explosão, dessa vez em uma fábrica da Pegatron — ao todo cerca de 60 trabalhadores ficaram machucados. Apesar de a Apple negar em seu relatório, o motivo teria sido o mesmo: poeira de alumínio (que entraria facilmente em combustão); na teoria, as medidas de segurança para contornar a situação já foram tomadas.

A cultura de segredo da Apple facilitaria a manutenção das condições (ruins) de trabalhos em fornecedoras, já que pouca gente sabe o que de fato acontece nas empresas. Apesar dos esforços ambientais no país e até mesmo da questão do relatório, abrindo pela primeira vez a lista de parceiras da Maçã, uma fonte afirmou: “A maioria das pessoas ficariam perturbadas se vissem de onde seus iPhones vieram.”

Em 2010, durante uma entrevista para Walt Mossberg e Kara Swisher, na conferência D8 (All Things Digital), Steve Jobs comentou os suicídios na Foxconn:

Estamos cuidando disso. Olhamos tudo nessas companhias. […] A Foxconn não é um açougue: é uma fábrica… nossa, eles têm cinemas e restaurantes… mas é uma fábrica. […] A taxa [de suicídios] é menor que a dos EUA, mas ainda assim é preocupante. Já tivemos disso na minha cidade natal, em Palo Alto: suicidas imitadores. Estamos tentando entender isso. É uma situação difícil.

Os suicídios parecem ter diminuído, mas os problemas não. Recentemente, destacamos aqui no site um vídeo de Jon Stewart no qual o apresentador critica (da sua forma) as condições de trabalho na gigante chinesa.

Tim Cook, passou da hora de usar parte dessa montanha de dinheiro para tentar fazer algo concreto. Que tal usar a inovação e a criatividade, dois dos pontos mais fortes da empresa, para focar nesse problema real, que aflige a vida de milhares de pessoas? Seria ótimo se a Apple fizesse mais uma revolução: a das condições de trabalho.

[via AppleInsider]

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.