Sim, é possível adaptar um Micro-SIM para o novo formato de chip do iPhone 5, o Nano-SIM

Quando a Apple lançou o iPhone 4, ela iniciou uma “chata” transição com consumidores e operadoras de telefonia celular: o abandono do antigo chip convencional por um novo, mais compacto, chamado Micro-SIM. Com o iPhone 5, a história se repete: agora estamos indo para o Nano-SIM.

Comparação entre chips SIM (Mini-SIM, Nano-SIM e Micro-SIM)

Como mostram bem a imagem acima, o Nano-SIM praticamente consiste agora somente da parte magnética que reúne as informações sobre o seu funcionamento. Antes, toda aquela borda só ocupava espaço desnecessário dentro do smartphone, o qual poderia estar sendo usado por outros componentes ou até para aumentar o tamanho da sua bateria, por exemplo. Em dispositivos tão compactos, qualquer milímetro quadrado vale ouro.

A Vivo foi a primeira telecom nacional a anunciar a disponibilidade de Nano-SIMs para brasileiros, porém os estoques ainda são escassos e eles não podem ser encontrados em qualquer loja. Enquanto isso, continuamos aguardando o início das vendas do novo chip pelas concorrentes Claro, TIM e Oi. Mas será que brasileiros não têm o que fazer, senão esperá-las?

Neste final de semana, lá em Nova York, nós comprovamos que, assim como foi possível na época do lançamento do Micro-SIM, também é possível fazer uma adaptação “caseira” para o novo formato do Nano-SIM. Ela é um pouco mais delicada/complicada, mas garantimos que *nenhum* de nossos chips foi perdido.

Transformando Micro-SIM em Nano-SIM - by MacMagazine

Em nosso primeiro unboxing e teste realizados com um iPhone 5 da Verizon Wireless, dentro da Apple Store Fifth Avenue, usamos um Nano-SIM adquirido na Vivo. Depois, no hotel, com mais calma, eu e o Breno Masi (ninja!) seguimos guias como este que já havíamos publicado e conseguimos fazer a adaptação sem problema nenhum.

Transformando Micro-SIM em Nano-SIM - by MacMagazine

No processo, é importante tomar cuidado com o alinhamento do chip na hora do corte. Se você tiver um Nano-SIM para usar como base (normalmente os iPhones comprados lá fora já vêm com um chip em sua bandeja), não alinhe-o com o Micro-SIM pela base, visto que a parte magnética precisa ficar o mais centralizada possível. É capaz que você tenha que cortar uma pequeníssima parte do conector, nos lados, mas isso não prejudica o seu funcionamento já que o núcleo dele (dá até para sentir, apertando com os dedos) fica bem no meio.

Transformando Micro-SIM em Nano-SIM - by MacMagazine

Uma das preocupações nossas era de que o Nano-SIM não só é menor em largura/altura, mas também é ligeiramente mais fino. De fato: foi preciso que lixássemos um pouco o lado oposto à parte magnética do chip para que ele coubesse com perfeição na bandejinha do iPhone 5. Até sentimos que dava para “espremê-lo” um pouco sem lixar, mas corríamos o risco de depois ele acabar ficando preso lá dentro.

Transformando Micro-SIM em Nano-SIM - by MacMagazine

Na pior das hipóteses, caso você danifique o seu chip, não é preciso aguardar o Nano-SIM. Você pode ir à sua operadora e comprar um novo Micro-SIM (custam em média R$10, atualmente), e aí refazer o processo de adaptação. Mas, como dissemos, as nossas experiências foram muito mais tranquilas do que imaginávamos.

Aos que forem se aventurar nessa, boa sorte! ;-)


O MacMagazine viajou a Nova York a convite do iai? – Instituto de Artes Interativas.

Logo - iai? Instituto de Artes Interativas O iai? – Instituto de Artes Interativas é a escola pioneira em desenvolvimento para mobile, produtora de aplicativos e espaço cultural que promove a criatividade e inovação através do ensino e produção de projetos de mobile. Com milhares de alunos formados em seus cursos práticos e dinâmicos de iOS, oferece agora também cursos online e presenciais nas plataformas Android, Windows 8 Metro, cursos de Lógica de Programação, design para aplicativos, iOS Games e introdutórios como Game Design for Kids e meu primeiro Apple.

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.