Reunido com empregados, Tim Cook falou sobre ações, descontos em produtos, fornecedores, varejo, Android e mais


Assim como fez no ano passado após a divulgação dos resultados financeiros do primeiro trimestre fiscal de 2012, Tim Cook se reuniu novamente com empregados da Apple no campus da empresa, em Cupertino (Califórnia), para falar sobre diversos assuntos.

Super Cook

Montagem: Ars Technica.

A primeira coisa que Cook fez foi parabenizar a todos pelo resultado do último trimestre, o qual bateu o recorde da empresa e foi o melhor da história entre empresas do setor tecnológico. Na verdade, a única empresa que já ganhou mais dinheiro que a Apple num período de três meses foi a Exxon Mobil. O executivo então deu uma espetada na gigante petrolífera, dizendo “eu não sei quanto a vocês, mas eu não quero trabalhar para essas empresas”. 😛

Mais uma vez, apesar de demonstrar insatisfação com os preços das ações da Maçã, Cook reforçou a ideia de que isso não é prioridade para a Apple e nunca será. O que move a empresa é fazer os melhores produtos do mundo, e os lucros são apenas consequência disso. Ele disse ainda que, independentemente do que eles façam, existem pessoas que nunca compreenderão a empresa e que continuarão criticando, mesmo ela obtendo o sucesso de acordo com seus próprios padrões.

Cook anunciou também que o programa de descontos para empregados (Employee Purchase Plan, ou EPP) ganhou um belo reforço: além de Macs e iPads, trabalhadores podem agora adquirir iPhones desbloqueados com preços reduzidos. Produtos novos como iMacs e iPads mini em breve também poderão ser adquiridos através do programa.

Falando sobre a cadeia de abastecimento e parceiras da empresa, Cook cobrará de todos a mesma postura ética e transparente que a Maçã tem. Já sobre o recente anúncio de que levará parte da produção de Macs para os Estados Unidos, Cook afirmou não se tratar de um movimento de marketing e sim algo para melhorar/aumentar a produção de Macs. E se engana quem acha que os Macs estão em declínio. Cook deixou claro que os números foram abaixo do esperado apenas porque a Apple não conseguiu produzir Macs suficientes. Para completar, Cook deu a notícia de que todos os data centers da empresa serão alimentados por energia renovável até o fim de 2013.

Rapidamente, Cook falou sobre as lojas da empresa e reconheceu que a satisfação caiu um pouco durante o comando de John Browett (ex-vice-presidente de varejo que saiu da empresa em dezembro passado) — o foco agora é melhorar o ambiente e deixar os empregados felizes novamente. Cook comentou que a busca por um novo chefão continua e muitos empregados (de lojas) estão torcendo para que Steve Cano assuma a posição.

A guerra contra o Android — no campo, não no tapetão (tribunais) — também foi tema do encontro. Cook discutiu sobre integração, experiência de uso e fragmentação, e constatou que o Android pode ganhar em número de aparelhos vendidos — algo normal levando em conta a infinidade de aparelhos que saem de fábrica com o sistema operacional móvel do Google —, mas que o iOS ganha de lavada quando o assunto é navegação na web, comprovando que usuários de iPads e iPhones/iPods touch utilizam muito mais seus aparelhos.

Para o CEO da Apple, tudo que o Android quer é market share e, para fazer isso, tem uma ecossistema com aparelhos de baixíssismo custo, enquanto os produtos da Apple se focam em hardware, em experiência superior e em qualidade de software. Provando o seu ponto, Cook novamente comparou a divisão do iPhone (sozinho, como se fosse uma companhia) com gigantes do setor como Microsoft. A China também esteve no bate-papo com empregados — Cook falou que os chineses simplesmente amam os produtos da Apple —, mostrando mais uma vez a importância do país para Cook e para a empresa.

Pelo visto esse encontro de Cook com seus subordinados vai virar tradição.

[via 9to5Mac]

Posts recomendados

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: