O preço do “iPhone 5C”


Por
05/09/2013 às 17:06

Você provavelmente já tem muitas informações sobre o “iPhone 5C”, o iDevice low-end da Maçã. Que é (será?) de plástico. Que é colorido.

iPhone 5C verde

Mas, além dessas novidades “cosméticas”, o próximo dia 10 de setembro deve ser o dia em que o mundo vai conhecer a estreia da Apple num novo mercado. Um mercado que, em toda história da companhia, sempre foi evitado. A Apple finalmente vai lançar um produto popular.

Apesar de sabermos bastante sobre o “5C”, ninguém sabe o mais importante: o preço.

Pensando nisso, Benedict Evans fez um artigo no Seeking Alpha, um site de investimentos, que vale a pena ser lido com atenção. Nele, Evans faz um exercício para entender o impacto que supostas quatro faixas de preço podem ter no mercado. Um exercício de “what if” que pode ser muito importante para prever a reação do mercado nos dias que se sucederem ao lançamento.

Ajuda também a entender o que a Apple chama de low-end e se podemos esperar que ela entre realmente apostando pesado num segmento que não conhece e que representa um enorme potencial de lucratividade.

As quatro faixas de Evans e suas características são:

  1. US$100-150: esta é a faixa em que marcas chinesas baratas estão investido em lançamentos de fones Android dual-core.
  2. US$150-200: este é o limite máximo para pré-pagos sem subsídio das operadoras; ou seja, metade dos usuários do planeta.
  3. US$200-400: aqui o “5C” sem subsídio seria praticamente inviável; é a faixa de preço dos smartphones middle-end.
  4. Acima de US$400: esta faixa de preço é similar ao modelo tradicional do iPhone, com um contrato de dois anos. Na verdade, se a Apple apostar nela a margem de lucro será mais alta, mas o “5C” não será um produto popular. Apenas uma nova opção para o usuário de iPhone 3G[S] ou 4 trocarem seus aparelhos.

Estas faixas de preço vão ajudar a entender onde a Apple pretende se posicionar e se realmente o “5C” será um produto popular, ou apenas um produto mais barato. Por exemplo, qualquer preço acima de US$200 vai excluir o mercado de pré-pagos.

Outro ponto a se levar em conta é a crescente tensão entre Estados Unidos e China.

Os dois países, ambos de grande importância para a Apple, possuem estruturas de preço (das operadoras) muito diferentes. Enquanto nos EUA os aparelhos na faixa dos US$400 muitas vezes são subsidiados e custam pouco ou nada em troca de contratos de dois anos; na China os preços são muito mais baixos e sem contratos.

O resumo é: no dia 10, além de ficar de olho nos lançamentos, observe a faixa de preço do “5C”. Apenas um número, mas vai falar muito sobre o posicionamento da Apple.

Posts relacionados

Carregar mais posts recentes