Ações da Apple despencam desde o início da semana; “vilão” seria o iPhone 5c

Os dias após lançamentos de produtos da Apple costumam ser bastante movimentados em Wall Street, e não foi diferente desta vez. As ações da Maçã [AAPL] registraram ontem uma queda de quase 6% em relação ao seu valor de abertura. A principal razão, segundo investidores, foi o iPhone 5c.

AAPL - 11 de setembro de 2013

A esperança era de que o 5c fosse a resposta da Apple para o crescimento do Android nos países emergentes, mas analistas não ficaram contentes com o seu preço inicial de US$550, uma diferença de apenas US$100 para o iPhone 5s. Wall Street esperava valores em torno de US$400.

ValueWalk, JPMorgan Chase & Co, Credit Suisse Group AG, Bank of America e UBS AG rebaixaram suas recomendações ontem. Para a Credit Suisse, a AAPL é agora considerada “neutra”, antes era “outperform” (ações mais baratas do que o potencial de crescimento).

Analistas que permanecem positivos em relação aos anúncios, no entanto, dizem que plano de lançamento agressivo da empresa e a provável estabilização da margem vão aumentar os seus lucros. Como a Canaccord Genuity, que elevou o preço-alvo de US$530 a US$550 por ação, apoiada nos pontos fortes do iPhone. “Acreditamos que os novos recursos do iOS 7, disponível em 18 de setembro, juntamente aos recursos e as novas cores do 5s e do 5c, devem impulsionar as vendas fortes”, disseram os analistas da Canaccord em relatório divulgado para a imprensa.

Outra pessoa que apareceu para defender seu patrimônio foi Carl Icahn, o qual recentemente se encontrou com Tim Cook para discutir o futuro da Apple. O investidor, chamado de “imbecil” por aqueles que recomendavam a venda das ações, revelou que estava comprando ainda mais papéis da Apple, por acreditar numa subvalorização atual da empresa.

Apple money (maçã em cima de dinheiro)Para Icahn, se os caixas da Apple fossem descontados, a Apple teria uma capitalização de US$300 bilhões no mercado. A empresa, segundo ele, prepara-se para uma nova compra de ações e espera um EBITDA (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) no valor de US$50 milhões, gerando um retorno de 16% por ação.

“Eu realmente acho que a Apple é uma das minhas melhores agora”, disse Icahn.

Embora o preço do iPhone 5c deva manter a margem de lucro da Apple alta, ele representa um obstáculo em mercados como China e Índia. O 5c pode custar tanto ou mais do que o salário de uma pessoa nesses países, tornando os aparelhos com Android mais baratos altamente atraentes.

Muitas pessoas confundem “baixo custo” com “baixo preço”. O iPhone 5c é, sim, um aparelho de baixo custo por utilizar materiais mais baratos (policarbonato) em sua fabricação — além de componentes internos com um ano de vida, já que muitos deles são exatamente iguais aos do iPhone 5. Ele vem para aumentar a margem de lucro da Apple — diferentemente do iPad mini que, apesar de ser mais barato que seu irmão maior, acaba diminuindo as margens de lucro da empresa.

Resta esperar para ver como serão as vendas dos iPhones novos e qual será o possível posicionamento da Apple caso elas fiquem abaixo do esperado (o que eu duvido :-P).

[via ValueWalk, CNBC]

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.