Reuniões orquestradas pela Casa Branca envolvendo representantes de empresas não são algo incomum. Já noticiamos aqui, por exemplo, que Steve Jobs participou de uma dessas. Em 2015, Tim Cook marcou presença tanto na cúpula cibernética quanto num jantar com o presidente chinês.

Pois agora alguém da Apple — junto de representantes de outras empresas como Facebook, Twitter e Google — participará de mais um encontro desses, desta vez com foco nos recentes ataques terroristas que aconteceram em Paris (França) e em San Bernardino (na Califórnia, EUA).

Diferentemente do imaginado, o tema central da reunião não tem a ver com privacidade e a utilização de criptografia em serviços de mensagens ou algo do gênero, e sim em conteúdo nas mídias sociais. A ideia, segundo noticiou a Reuters, é discutir formas de tornar mais difícil para os militantes/terroristas recrutar e mobilizar seguidores em mídias sociais, bem como ajudar usuários comuns a criar, publicar e amplificar conteúdos que podem minar grupos como o Estado Islâmico.

A reunião também falará sobre como a tecnologia pode ser usada para acabar com possíveis indícios de radicalização violenta, identificar padrões de recrutamento e facilitar a vida de governos e agências de inteligência na identificação desses agentes militantes.

Depois do encontro, espera-se que a Casa Branca faça algum tipo de comunicado.

[via MacRumors]

  • Hades666

    Esperamos que não seja como as outras “baixando as calças” para o governo americano. Sabemos muito bem o que eles querem, bem longe do discurso de proteger o povo…

  • Guilherme

    Com toda certeza será uma bela desculpa pra expor ainda mais os dados dos usuários.

  • Oi backdoor. Apple <3 gov EUA, um lindo caso de amor e colaboração fiscal.

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.

O MacMagazine faz parte do grupo iMasters, mantido pelas seguintes empresas: