A Apple acaba de divulgar seus resultados financeiros referentes ao primeiro trimestre fiscal de 2016, cujo período foi finalizado em 26 de dezembro de 2015.

A companhia previa uma receita entre US$75,5 e US$77,5 bilhões, e fechou dentro: US$75,9 bilhões. O lucro líquido no trimestre foi recorde (para qualquer empresa), de US$18,4 bilhões, ou de US$3,28 por ação diluída. No primeiro trimestre fiscal de 2015, os números foram de respectivamente US$74,6 bilhões, US$18 bilhões e US$3,06.

A margem bruta no período foi de 40,1%, ligeiramente acima dos 39-40% previstos e contra 39,9% do primeiro trimestre fiscal de 2015. Vendas internacionais compreenderam 66% de todo o faturamento trimestral.

Eis os números de vendas por linhas de produtos:

  • iPhones: 74,8 milhões (contra 74,5 milhões há um ano)
  • iPads: 16,1 milhões (contra 21,4 milhões)
  • Macs: 5,3 milhões (contra 5,5 milhões)

De acordo com a Apple, a sua atual base instalada é de 1 bilhão de usuários — compreendendo iPhones, iPads, Macs, iPods touch, Apple TVs e Apple Watches utilizados em seus serviços nos últimos 90 dias.

Declaração do CEO (diretor executivo) Tim Cook:

Nosso time entregou o maior trimestre da história da Apple, graças aos produtos mais inovadores do mundo e a recordes históricos de vendas de iPhones, Apple Watches e Apple TVs. O crescimento do nosso negócio de Serviços acelerou-se durante o trimestre até produzir resultados recorde, e a nossa base instalada cruzou recentemente a grande marca de 1 bilhão de dispositivos ativos.

E a do CFO (diretor de finanças) Luca Maestri:

Nossas vendas recorde e fortes margens levaram a recordes históricos de lucro líquido e ganhos por ação diluída, mesmo com um ambiente macroeconômico bem difícil. Nós geramos um fluxo de caixa operacional de US$27,5 bilhões durante o trimestre, e devolvemos mais de US$9 bilhões a investidores através de recompras de ações e dividendos. Nós chegamos a US$153 bilhões dos nossos US$200 bilhões em programa de retorno de capital.

Olhando à frente para o segundo trimestre fiscal de 2016, a Apple prevê uma receita entre US$50 e US$53 bilhões, margem bruta entre 39% e 39,5%, gastos operacionais entre US$6 e US$6,1 bilhões, outras receitas/(despesas) de US$325 milhões, e uma taxa de impostos de 25,5%. Ou seja, a Apple está estimando uma queda em relação ao segundo trimestre fiscal de 2015 — quando ela faturou US$58 bilhões.

O conselho da Apple declarou um dividendo em dinheiro de US$0,52 por ação comum da companhia, pagável em 11 de fevereiro a todos os acionistas registrados no fechamento de negócios em 8 de fevereiro.

Às 20 horas (pelo horário de verão de Brasília), a Apple fará uma transmissão ao vivo — em áudio, pelo QuickTime — para tratar desses resultados e outros detalhes operacionais. Posteriormente, publicaremos todos os destaques aqui no MacMagazine.

Atualização · 26/01/2016 às 20:00

Alguns gráficos, compilados por Horace Dediu (@asymco):

Atualização II · 26/01/2016 às 20:09

A primeira reação de alguns analistas foi de que as vendas de iPhones “desapontaram” pois este foi o menor crescimento da história do smartphone. Mas ainda assim foi um crescimento, de 0,4%, e muitos esquecem estamos falando de quase 75 milhões de aparelhos num único trimestre. Trata-se de uma média de 34.000 aparelhos vendidos por hora, sem parar, durante 13 semanas consecutivas! E o preço médio por aparelho também chegou a um recorde de US$690,50.

Os números de iPads continuam preocupando, pois estão em queda constante. E desta vez tivemos a entrada do iPad Pro, porém ele só começou a ser vendido mais para o fim do trimestre fiscal e ainda com estoques bastante apertados. Veremos o que acontece com os números do tablet no segundo trimestre fiscal de 2016.

A Apple também publicou um documento complementar [PDF] indicando que, não fosse uma recente valorização do dólar frente a outras moedas, ela teria fechado o trimestre com um faturamento de US$80,8 bilhões — ou 8% a mais que no primeiro trimestre fiscal de 2015.

  • Vinícius Rocha

    18,4 bilhões de lucro… também… estão ferrando com os iPhones, para gerar um ciclo de compras…

  • Marcel

    Boa parte desses lucros é graças aos produtos da Apple vendidos no Brasil kkk

  • Fabio Santos

    Qualquer empresa vive de lucro, sua mente de consumidor nada interessa a eles

  • Fabio Santos

    Eu fanboy acorda rapaz, algum momento disse algo em nome da Apple bem minha família é dona de uma das maiores distribuidoras do Brasil e temos a visão que cliente bom é cliente comprando se precisar mudar a estratégia pra contaminar sua mente fazemos pra isto tem o marketing, então cliente bom é aquele comprando

  • Qual a distribuidora? Gostaria muito de saber para acompanhar suas peças publicitárias.

  • Cleverson

    A Apple tem os shareholders mais cuzões do mundo… É impressionante… Os caras batem recordes atrás de recordes e sempre as ações caem kkkk (E por favor, sem aquele papinho de ‘os caras estão preocupados com o futuro da companhia’)… Do Google por exemplo, os caras volta e meia não batem as estimativas dos especialistas e as ações disparam, vai entender kkkk

  • Ajustes

    Impressionante, mas se o iPhone cair em desuso, a Apple “fica pobre”. É bom que ela tome cuidado nas inovações, pra manter o interesse do usuário no nível que está.

  • Franco

    iPhone praticamente estagnado e Macs com leve queda, é realmente efeito do dólar.
    iPad caindo é tendência de um device que não está sofrendo as atualizações necessárias.

  • Cássio Teixeira

    Rapaz, lendo alguns comentários da ate pra pensar que um crescimento de 0,4% é uma coisa ruim kkk
    Sério, uma empresa do tamanho, complexividade e alcance da Apple, vender o mesmo tanto que o seu ultimo trimestre ja estaria bom. Claro que ela visa o lucro e crescimento, mas num ambiente onde cada vez mais as empresas estao em queda (Moto e Windows que o diga) o,4% com apenas 1 smartphone é ser MUITO phoda.

  • Luiz Fernando

    Já ta na hora de um IOS for iPad com uma equipe toda trabalhando nele, atualizações desvinculadas do IOS for iPhone…iPad ta precisando de uma independência se a Apple quer que suas vendas cresçam

  • Luiz Fernando

    O iPhone ta sustentando a Apple

  • Matheus Augusto

    Pq a Apple n colocou o resultado de venda do Watch?

  • Ricardo Tavares

    Também gostaria de saber. Li no início que as vendas estavam em queda, depois em novembro li que as vendas haviam aumentado. Ninguém tem esses números?

  • Victor Hugo

    Metade desse lucro vem do Brasil KKKKKKKKKKKK, joinha aqui pro comentário aparecer em destaque.

  • Bruno Sousa

    kkkkkkkkkk

  • Zé Júnior

    Tim Cook says: TA TRANQUILO TA FAVORAVEL

  • MVP_Baboo

    O “papinho” que “os caras estão preocupados com o futuro da companhia” é o que mais importa, pois os investidores só mantêm seu dinheiro aonde acham que terão lucro. Nos últimos 12 meses as ações da Apple (vermelho) despencaram, enquanto as do Google (Azul) e Microsoft (preto) subiram. Para piorar, tudo indica que em alguns meses o Google tomará da Apple a posição de empresa de TI mais valiosa do planeta.

    Recorde de vendas não é parâmetro, pois Blockbuster, Kodak e Atari também batiam recordes de venda, mas isso não garantiu a sua sobrevivência muitos anos depois.

  • Gustavo Jaccottet

    Vi há pouco comentário sobre isto na CNN. Desde cedo o NYT, na edição impressa, já noticiava que o lucro seria recorde, mas que grande parte do mesmo é devido ao frenesi do mercado chinês. A questão é: como será o comportamento da Apple com a retração do mercado chinês?

  • Zé Júnior

    ok; vamos dissecar o valor do produto X impostos e analisar novamente…

    Em vez de tributar a propriedade imóvel (até 25% na alemanha, 4% no BR), a transmissão de herança (47% nos EUA e 4 + 4% no BR), a renda (até 57% na frança, ate´27,5% no BR, mesmo que ganhe 1mi por mês), NÃO, nós tributamos o consumo, engessando a economia, mantendo as fortunas nas mãos das mesmas pessoas e proibindo produtos não essenciais de atingirem as mãos dos pobres (todos os países citados têm baixos tributos no consumo)

  • Bruno Sousa

    “Para piorar, tudo indica que em alguns meses o Google tomará da Apple a posição de empresa de TI mais valiosa do planeta.”

    E vamos combinar, não tem coisa pior do que ser a segunda empresa mais valiosa do planeta.

  • João Pedro

    Eu dei que as vendas do iPhone são muito altas, mas vendas de Macs não são baixas. Eu acho que é quando se coloca assim, lado a lado, no gráfico que dá essa impressão.

  • João Pedro

    *A Alphabet, um conglomerado de empresas, não o Google. A diferença entre o Google e a Apple ainda é enorme.

  • hecnpo

    zzzzzzzz

  • hecnpo

    Já foi o tempo que era um só, agora são no mínimo 3 (5s, 6 e 6+). Não importa que todos se chamam iPhone, são produtos com características e preços diferentes, sendo portanto modelos diferentes.

  • MVP_Baboo

    SIM, mas o que eles vêem é a tendência para o futuro.

  • MVP_Baboo

    Sim, você tem razão 😉 É hábito e o nome continua GOOG e GOOGL na Nasdaq.

  • Bruno Sousa

    E ainda tem essa. Um conglomerado de empresas tá chegando perto de uma empresa.

  • Desde antes do lançamento dele, ela avisou que não destrincharia o número de vendas por questões estratégicas. Veja que ela também não divulga números de iPods, da Apple TV e de outros produtos menores.

  • MeninoDanilo

    Eles anunciaram desde o começo que a venda do Watch estaria compreendida em “outros” por algum tempo pra não gerar especulação nesse mercado novo, o que pdoeria significar uma morte prematura dele.

  • MVP_Baboo

    Isso é até bom para a Apple, pois o Google é a única empresa deles que dá lucro, pois todas as demais dão prejuízo para a Alphabet. Além disso o Google representa 97,2% do valor de mercado desta..

  • Bruno Sousa

    “sendo portanto modelos diferentes”

    Exatamente, são modelos e gerações diferentes… de um único smartphone.

    A diferença, por exemplo, para a Motorola:

    Moto G – 1ª geração, 2ª geração, 3ª geração. Gerações diferentes de um único smartphone.
    Moto X…
    Moto Maxx…
    Moto E…

    Samsung? Milhões de smartphones diferentes…

    Não que isso signifique nada, mas é realmente só um 1 smartphone.

  • Bruno Sousa

    Interessante. Você tem alguns links sobre isso?

  • OverlordBR

    A questão é: como será o comportamento da Apple com a retração do mercado chinês?

    Ótima pergunta.

    Ainda mais importante fica tua pergunta se observarmos que a idolatria chinesa é mais focada no iPhone que, pelos números, é o quê está mantendo o fôlego da Apple.

  • OverlordBR

    A diferença é que o Google lida com duas coisas que dificilmente saem de moda: informação e… marketing.

    Já a Apple…

  • OverlordBR

    Se seu argumento fosse válido, empresas do porte da própria Apple não
    alterariam seus produtos baseado em seus mercados consumidores…

    Até pouco tempo atrás, a Apple não alterava seus produtos baseado no que os consumidores desejavam… daí o Jobs morreu, o mercado competidor apertou e começou a mudança.

  • hecnpo

    Se vc considera assim, são dois smartphones (6s e 6s+).

  • Guilherme

    Tem que aproveitar pra comprar a concorrência, realidade virtual e drones ela já está ultrapassada.

  • Guilherme

    Se você fizer uma curva ABC de produtos vai ver que foi perto de um desastre.

    Apesar do enorme investimento e pesquisa. Só tem utilidade pra quem gosta de atividade física ou quer controlar a saúde. Fora isso é dispositivo geek.

    Toda essa diversificação me preocupa, pois a Apple está seguindo o caminho da General Eletric. E todos sabem como acabou. Cortando diversas linhas inúteis pra enxugar a empresa.

    E o pior, não se encontra a venda nem nas IPLACE do Brasil. Eu gostaria de poder olhar, testar o relógio. É uma vergonha colocar no site do Brasil se o produto não tem em lugar nenhum, uma prova concreta da falta de demanda e importância do relógio para empresa.

  • Bruno Sousa

    É como eu disse… Modelos e gerações diferentes de um único smartphone.

    O 5S e o 6S, por exemplo, são gerações diferentes de um único smartphone.

    Nesse caso -> 6S e 6S+, são modelos diferentes de um único smartphone. (Afinal, a única coisa que muda é o tamanho). Do mesmo jeito que cada cor e espaço interno representa um modelo diferente, e não um smartphone diferente.

    Por essa razão, acho errado a Apple utilizar nomenclaturas distintas, só serve para confundir os consumidores.

    Deveria ser assim: Temos o iPhone 6S. Eles vêm de vários tamanhos (4″, 4.7″, 5.5″), cores (Gold, Rosé Gold, Space Grey, Silver) e espaço interno (16GB, 64GB, 128GB). Só escolher o modelo que mais lhe agrada.

  • willha

    Guilherme das matérias que eu li, o mercado projeta que a venda esta dentro do esperado pela Apple, mas o que se tem certeza é que líder disparado. Outra inferência do mercado é que venda quase o dobro do segundo lugar.
    Sobre o uso: uso o meu para controle de segurança e automação residencial, além dos que você comentou. O mercado vai achando os usos

  • JOSE HAROLDO SENA DE O. FILHO

    Neste artigo do The New York Times fala da desaceleração de vendas do iPhone: http://www.nytimes.com/2016/01/27/technology/apple-earnings-iphone-sales.html
    Fica confuso entender um lucro record com uma baixa nas vendas.

  • As vendas não diminuíram, o crescimento anual que desacelerou. Só os loucos de Wall Street acham que a Apple conseguiria manter um crescimento anual de dois dígitos eternamente.

  • Rodrigo Gomes da Silva

    É ruim, quando vc ve q o responsavel pelo crescimento foi a china que é um mercado relativamente novo pra apple, e que na america em si teve diminuição do lucro.
    E que mostra q o boon do iphone 6 pode ter sido algo unico causado pelo aumento do tamanho da tela, q pode não se repetir nos próximos anos, que mostra uma tendencia que a apple já chegou no limite do seu crescimento.
    As outras estão em queda, mas o mercado de smartphones em si ainda esta crescendo. O motivo é que tem mais participantes diluindo a participação do mercado e a apple em si se não aumentou as vendas , mesmo tendo um sistema exclusivo, esta perdendo % dessa participação.

  • Guilherme

    O que adianta ser um peixe grande num lago pequeno.

    O Apple Watch nada mais é do que um produto de nicho, um segmento específico pra geeks e simpatizantes de atletas (ainda não virou febre entre esportistas).

    Tem potencial pra crescer, mas até agora não ocorreu. Como não tem o produto na maioria das lojas do Brasil, vai continuar desse jeito.

    Precisa focar mais na saúde, aí sim pode ser útil.
    Será que vale a pena usar essa tela micro pra consumir conteúdo, e ver cameras e usar como controle? Fora Apple Watch!

  • Cara, o produto está na primeira geração e não completou nem um ano de vida ainda. Você acha que em 2008 o iPhone já era o que é hoje?

  • Guilherme

    Felizmente comprei um Iphone 3G em viagem a Europa nesse período, e te garanto que era uma febre mundial já na época, todos queriam ter.

    Hoje se você pedir quem quer um Apple Watch, tenho certeza que a enquete não vai ser unanimidade.

    Que revolução o Apple Watch trouxe comparada a evolução do Iphone?

  • willha

    Então imagina a Apple sem representante neste mercado??
    O mercado de nicho é que algumas centenas de milhões de dólares.
    Deixa eu te explicar um pouco melhor:
    Utilizo pra ver as câmeras da minha residência (sistema de segurança)
    Controle de automação, controlar as luzes, fechaduras, alertas de sistema de movimentação internas, controle de temp interna, etc.
    Fora Apple Watch!! Já demonstra sua posição tendenciosa com o líder do segmento, somando o fato que você não ter o produto, esta opinião se torna irrelevante

  • Guilherme

    Puxa, então você tem que me dar umas dicas de onde automatizou sua casa. Estou curioso. Sobre a câmera também.
    Você mora no Brasil?

  • willha

    Sem problemas, eu uso o VERA como hub de uma rede Zwave + IP. Como client uso o VERAMATE, que tem app para Apple Watch.
    Uso o HomeBridge para fazer a integração com o HomeKit e posso usar a Siri para acionar por voz pelo AppleWatch qualquer dispositivo, só falar:
    E ai Siri, desligar …

    Estou no Brasil e tudo em português
    A integração é bem simples.

    Segue um exemplo da imagem no Apple Watch:
    Na porta você consegue ver a fechadura Zwave

  • hecnpo

    O 6s e o 6s+ não são o mesmo smartphone (por mais que a Apple tente te convencer disso). Possuem tamanho de tela distintos, autonomia de bateria distintas, um tem estabilização óptica o outro não… enfim… são smartphones diferentes.

  • Bruno Sousa

    Kkkk são modelos diferentes de um mesmo smartphone, cara.
    Então o iPhone 6S de 16GB e o iPhone 6S de 64GB são dois smartphones diferentes? Porque afinal, eles possuem armazenamento interno diferente?! Então o iPhone 6S dourado e o iPhone 6S rosa são dois smartphones diferentes? Porque afinal, eles possuem cores diferentes.

    Seguindo essa lógica, a Apple vende 100 smartphones diferentes. E a Samsung vende 100.000 smartphones diferentes.

  • hecnpo

    Apenas 1 característica diferente (capacidade de armazenamento) não configura que sejam 2 smartphones diferentes. Mas quando há uma série de características diferentes como existe entre o 6s e o 6s+ aí podemos dizer que se tratam de 2 smartphones diferentes de uma mesma empresa (“Possuem tamanho de tela distintos, autonomia de bateria distintas, um tem estabilização óptica o outro não”).

  • Bruno Sousa

    “Apenas 1 característica diferente (capacidade de armazenamento) não configura que sejam 2 smartphones diferentes. Mas quando há uma série de características diferentes”

    Então o iPhone 6S dourado de 128GB é um smartphone diferente se comparado com o iPhone 6S rosa de 16GB?

  • Guilherme

    Que massa, qual teu email?

  • hecnpo

    Bruno, entenda uma coisa. Desde o iPhone 4 sempre houve capacidades e cores diferentes para o iPhone. Só que agora não há mais um iPhone, há 2 iPhones (6s e 6s+), cada qual com suas cores e capacidades.

  • Bruno Sousa

    Bom, como temos visões diferentes sobre o assunto, vamos concordar em discordar.

  • Gustavo Jaccottet

    Com toda a certeza. A Apple errou feio ao apostar no mercado chinês com tanta intensidade quando empresas do porte da Louis Vuitton, cujo grupo detentor da marca abrira mais de 60 lojas, fechou pelo menos 30% das filiais da marca. A Angela Ahrendts expandiu a Burberry para a China, talvez isto justifique a sua função na empresa. Agora, o mercado chinês vai crescer abaixo da curva keynesiana, o que impede que se tenha certeza dos resultados dos próximos trimestres.

  • Viny Azevedo

    “Fora Apple Watch”, afinal eu não tenho idéia do que ele faz, mas ACHO que não serve de nada!!
    Na verdade, não sabe de nada, inocente!!!

  • frederico

    Não concordo

  • frederico

    comprei recentemente um Applewach e não consigo tirar do pulso. Acho bonito para usar no dia dia, tem variedade de pulseiras. Estou usando há dois meses e evolui minha atividade física antes de caminhada, para corridas diariamente (hoje corri seis quilômetros . com a medição do sono ( aplicativo que baixei) já detectei alteração na frequência cardíaca a noite e já estou programando um holter.

  • Guilherme

    show

  • Guilherme

    Que revolução o Apple Watch trouxe comparada a evolução do Iphone?

    Viny, em vez de me atacar porquê você não utiliza argumentos como eu fiz? Fica com sua ignorância.

    “Especialista em produtos Apple” ou “Geek ignorante”? Ta claro quem é você.

  • Viny Azevedo

    Prefiro ficar com minha ignorância, e não me importo com sua opinião a meu respeito.

  • Guilherme

    Desculpa amigo, mas queria uma discussão com argumentos e não ofenças, veja que em todos meus posts procurei argumentar.

    Uma coisa é certa. A Apple de 2016 será um tiquinho menor que a de 2015 – algo que não acontecia desde 2003. E os números do Watch são divulgados junto com “Outros produtos”.

    Felizmente a empresa tem produtos para todos os gostos.

  • A Apple de 2016 não, a Apple do segundo trimestre fiscal de 2016.

  • Não existe uma crise mundial. O que temos é uma contração na China e uma recessão no Brasil, na Rússia e em alguns outros países. Mas isso está longe de ser uma crise mundial.

    O Brasil não representa tanto assim para a Apple quanto você pensa e o Windows Phone é simplesmente insignificante no mundo — as vendas de aparelhos da Microsoft *caíram* 57% no último trimestre: http://www.theverge.com/2016/1/28/10864034/windows-phone-is-dead

    Resumindo: não tire a situação da Apple no Brasil como regra para o resto do mundo.

  • MFS

    Eduardo, independente se é uma crise, recessão ou contração nos Brics (Brasil, Russia, China, India, etc), junto a Europa, Japão e outros países, esta situação pode sim ser considerada de ordem mundial, devido a proporção econômica de todos os países envolvidos. Sobre as vendas do Windows Phone, tem razão, realmente caíram em boa parte do mundo, mas o sistema esta em fase de transição, logo veremos o novo Windows 10 em outros aparelhos, além dos recém lançados 950 e 950 XL, sem esquecer dos novos Tops da Microsoft, os smartphones Surface. Provavelmente o sistema da Microsoft tende a crescer e ganhar mercado, coisa que no Brasil já acontece. No mundo Android nem precisa comentar, sua participação só cresce e as inovações são superiores as encontradas na Apple dos últimos anos, esperamos que o novo iPhone 7 surpreenda. Como na Apple temos excelentes estrategistas econômicos, a mesma tende a lançar um novo aparelho, mais “barato” e com “melhor custo benefício” para o mercado mundial, neste período de crise e saturado de aparelhos. Creio que 2016 e 2017 serão anos chaves para várias empresas da mobile, qualquer erro neste período pode ser fatal, ao menos para a maioria.

  • Bruno Sousa

    E aí Baboo! Vai me bloquear aqui também?

    Vamos combinar que de arrogância basta a sua, não?

    Você apagou todos os meus comentários, dos quais não continham nenhuma ofensa, palavrão ou qualquer outra palavra de baixo calão, me bloqueou do seu site simplesmente por discordar de um único ponto (e não de todas as postagens) e ainda por cima continou mandando mensagens direcionados a mim sem dar pelo menos o direito de resposta.

    Pra completar com chave de ouro me chamou de arrogante. Sim, eu que sou o arrogante nessa história. Eu e todo “o mundo Apple que também é arrogante”, como ele disse.

  • MVP_Baboo

    Outros internautas usuários de Apple participam ali sem problema algum, mas você foi lá achando que pode definir o que postamos ali ou não! Infelizmente isso não cabe a você, e você foi avisado 3 VEZES disso..

  • Bruno Sousa

    Hahahaha Eu não fui “achando que podia definir o que postamos ou não”. Fiz uma crítica, nem isso, fiz um questionamento. E lá no Baboo, questionamento = banimento.

    E você falou tanto da arrogância do mundo Apple, mas deveria tomar esse site como exemplo para o seu.

    Pegue os últimos 50 posts desse site e verás dezenas de pessoas criticando a Apple. E alguns criticando o próprio site, seus editores e suas postagens.

    E o que o editor-chefe faz? Apaga comentários? Bloqueia usuários? Não. Ele rebate os comentários. Só.

    Aqui é totalmente livre criticar a Apple, o site, os editores, as postagens e somos livres até para citar qualquer site e postar link de qualquer site.

    E você, o que faz no seu site? Tudo o oposto. Enquanto chama o mundo Apple de arrogante.

  • MVP_Baboo

    Garanto que se eu insistisse que o editor daqui publicasse uma notícia qualquer só porque EU quero isso, e eu ignorasse 3 avisos dele, ele faria o mesmo – e com razão 😉

  • Bruno Sousa

    Não, ele não faria, Ele nunca faria. Acompanho esse site desde 2009 e posso dizer com propriedade, ele nunca fez e nunca faria isso.

    As únicas pessoas que vi ele bloqueando foram perfis fakes. Repito, ele nunca bloqueou ninguém por criticar a Apple, o site, ele mesmo ou suas postagens. Aliás, nesse exato post você pode ver algumas dessas críticas.

    Tome isso como lição para o seu site.

    “E com razão”. Só na sua cabeça.

    “Baboo não é fórum da Apple”. Baboo não é lugar para discussões contrária às opiniões do seu editor chefe. O mesmo que chama o mundo Apple de arrogante. Olha só.

  • MVP_Baboo

    Eu participo ativamente de dezenas de artigos como este com mais de 760 comentários aonde boa parte dos internautas foram contrários. Bem-vindo ao mundo real 🙂 THE END

  • MVP_Baboo
  • Bruno Sousa

    Até porque seria VERGONHOSO para você bloquear e apagar CENTENAS de comentários contrários em um único post (mas bem que era a tua vontade, não é mesmo).

    Apagar e bloquear comentários de uma única pessoa (ou algumas) é bem mais fácil.

    E algo me diz que isso é bem recorrente no seu site.

    THE END 🙂

  • MVP_Baboo

    Hahaha quanto desespero.. vir aqui choramingar embaixo da “saia da mamãe” só porque fez coisa errada na escola 😉 Sucesso!

  • Bruno Sousa

    Ótimo que você puxou esse link. :))

    Vamos aprender mais umas lições com eles? Porque parece que tá pouco pra você.

    Naquela época, a seção de comentários estava basicamente como está o Gizmodo hoje. Cheio de ataques pessoais, racismo, homofobia e coisa pior. A moderação para apagar esses comentários ofensivos estava tomando tanto tempo que eles decidiram retirar os comentários. O que foi uma decisão certeira porque ao voltar os comentários, depois de um ano, adivinha só?! As pessoas que estavam interessadas em apenas ofender, sumiram.

    A razão para ele tirar os comentários não foi a sua: “Porque não aguentava mais ver críticas à minha marca favorita, e quer saber? Eu não tenho que escutar críticas porque o site é MEEU!!”, que é basicamente o que você faz toda vez que bloqueia um usuário.

    Mais uma vez, aprenda com eles. Assim você melhora o seu site.

  • Bruno Sousa

    Na teoria é tudo muito bonito, mas na prática sabemos que não é nada disso. E eu sou a prova viva disso. Fiz um questionamento/crítica sobre UM ponto e isso foi motivo para banimento.

    Mais do que melhorar o seu discurso, melhore sua moderação.

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.

O MacMagazine faz parte do grupo iMasters, mantido pelas seguintes empresas: