Quatro anos depois, Apple ainda estaria melhorando respostas da Siri relacionadas a clínicas de aborto


Quem acompanha o mundo Apple sabe que, de tempos em tempos, surge uma nova polêmica envolvendo o nome da empresa — até porque isso dá muita audiência para sites/blogs. No finzinho de 2011, a bola da vez foi o “Sirigate”.

Na época, a assistente virtual de iPhones ainda estava em fase beta e o problema era focado principalmente em pessoas buscando clínicas de aborto — o que é legal em vários Estados americanos. Por uma falha de interpretação ou ausência de dados precisos, a Siri estava direcionando usuários a justamente “o oposto”: centros de adoção de crianças.

A Apple respondeu à polêmica pedindo desculpas pelo ocorrido e afirmando que tudo melhoraria até a Siri sair da fase beta, mas parece que isso só está acontecendo agora (mais de quatro anos depois). Segundo a Fast Company, boa parte das requisições relacionadas feitas à Siri agora trazem respostas corretas.

No Brasil, a Siri nem sequer tem respostas automáticas para esse tipo de pergunta. O aborto aqui é considerado crime, só podendo ser realizado por profissionais em três casos excepcionais: caso a mãe esteja correndo risco de vida, caso a mulher tenha sido estuprada/violentada ou caso o feto seja anencefálico.

[via TechCrunch]

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: