No fim de 2015 a Apple levou o Flyover (navegação 3D no aplicativo Mapas) a 11 novos locais. Agora, no começo de 2016, a empresa expandiu o recurso para mais 20 conforme informou o MacRumors.

São eles:

  • Adelaide (Austrália)
  • Amiens (França)
  • Berna (Suíça)
  • Bremen (Alemanha)
  • Columbus (Ohio, Estados Unidos)
  • Dresden (Alemanha)
  • Eindhoven (Holanda)
  • Ilhas Virgens
  • Joanesburgo (África do Sul)
  • La Rochelle (França)
  • Louisville (Kentucky, Estados Unidos)
  • Middlesbrough (Reino Unido)
  • Nantes (França)
  • Salzburgo (Áustria)
  • South Bend (Indiana, Estados Unidos)
  • Springfield (Missouri, Estados Unidos)
  • Taormina (Itália)
  • Tucson (Arizona, Estados Unidos)
  • Toulouse (França)
  • Toyoma (Japão)

Já são agora 240 locais oficialmente suportados pelo Flyover1, mas o Brasil infelizmente continua de fora.

Notas de rodapé

  1. A página em português ainda precisa ser atualizada com a nova leva.

Se houver algum erro no post acima, selecione-o e pressione Shift + Enter ou clique aqui para nos notificar. Obrigado!

Sobre o Autor

Graduado em Comunicação Social pela ESPM-RJ, teve seu primeiro contato com um produto Apple (um iMac G5) em 2005, quando trabalhava em uma produtora de eventos. Logo após foi morar em Londres e voltou com um iMac G5 (iSight) na bagagem. Sempre que passa na frente de uma Apple Store é abduzido. Carioca, flamenguista e viciado em Coca-Cola Zero, tem um MacBook Pro Retina (meados de 2015), um iPhone 6s, um iPad Air 2 (Wi-Fi), um iPad mini (Wi-Fi), uma Apple TV (3ª geração) e um AirPort Time Capsule (5ª geração).

  • Guto Ferrari

    Eu jurava que a Apple não deixaria o Rio de Janeiro de fora por conta das olimpíadas… Ainda há tempo, mas quando mais próximo do evento, menores são as esperanças…

  • EdFerrao

    Com o crescimento desordenado que tem no Rio (e na maioria absoluta das cidades brasileiras)? Acho difícil. Deve ser um inferno ter de atualizar todo dia com um puxadinho, um barraco ou uma ocupação. Acho que se tem um lugar no Brasil que talvez possa entrar na lista seria Brasília, mas falta apelo.

  • Rodrigo Fogagnolo

    Se até o México tem Flyover, essa não é uma desculpa muito convincente para o Brasil não ter

  • thiago

    Brasilia poderia ter somente o plano piloto se fosse o caso

  • hecnpo

    “Até o México”? O México tá muito melhor das pernas que o Brasil, amigão.

  • Deon

    Só eu acho que isso é meio que pra bonito? Se desse pra enxergar alguma coisa com a visão de satélite já estaria de bom tamanho, aqui no Br

  • Gustavo Jaccottet

    Sempre “desprezei” o Flyover, até ele “me salvar” sobre como chegar à cidade extra-muros em Avignon.

  • Rodrigo Fogagnolo

    Estar “melhor das pernas” não significa que não sejam de terceiro mundo ou não tenham um crescimento desordenado também. Se o argumento é “Não tem Flyover aqui porque estamos com a economia em crise” tudo bem, eu não teria mencionado o México. Mas o argumento do colega acima foi sobre crescimento desordenado de cidades.

  • Kleber Antonio Mendonça

    À impressão q dá é q o Brasil não é um mercado atraente para a Apple trazer o Flyover.

  • Quindim

    Tem toda razão

  • EdFerrao

    Talvez as cidades mapeadas no México não sejam tão desordenadas, mas talvez também o México seja mais interessante para a Apple do que o Brasil a ponto de valer o esforço (no caso da desordem urbana). Certamente essa não seria a única desculpa, se é que é uma de fato.

    O Google Maps mostra, mesmo que de maneira mandrake, algumas favelas em relevo. Mas o Flyover da Apple parece buscar um maior refinamento. Junte isso ao fato de não ter um know-how e um interesse como o Google Maps tem e veja que o esforço seria muito grande para o pouco interesse que parecem ter.

    Claro que algum dia a coisa será feita, e estou curioso para ver como será.

  • Marcio Vianna

    Se há um serviço Apple bom, mas inútil esse se chama Mapas. No Brasil, os quatro serviços de Mapas estão em equivalência de dados, Here, Apple Mapas, Google Mapas e Microsoft Mapas. Uso todos eles semanalmente e os índices de reconhecimento são equivalentes. Então, no Brasil, o Google não é melhor do que nenhum outro quando tratamos de dados. Ocorre que o único que não possui navegação curva a curva é o Apple Mapas. Logo, de quê adianta ter esse serviço, se no ato de condução de veículos não é seguramente utilizável?

  • É a de Missouri, vamos atualizar o post. Valeu!

  • Luiz Rodrigo

    Verdade, aqui apenas 3% dos devices rodam IOS.

  • Kleber Antonio Mendonça

    Na verdade acredito assim,não pq seja q aqui tenha apenas 3% de devices,mas acredito q a Apple não vê no Brasil um mercado atrativo para iniciar o Flyover,o q também contribui é q utilizamos mais o mapa do Google do q da própria Apple,então isso torna o mapa da Apple não muito atrativo para nós.

  • Guto Ferrari

    Sei lá, cara… Acho que não faz muito sentido…
    O Google Maps conseguiu se estabelecer aqui com “facilidade” e eles precisam de deslocamento em terra para tal…
    O recurso do FlyOver, ao que me parecer é redenderização de #3D a partir de imagens de satélite por triangulação… Em tese, um processo muito mais “simples” dos que as zilhões de imagens captadas “in loco” do Google Maps…

  • EdFerrao

    As imagens aéreas em 3D dos mapas da Apple e Google são feitas mais ou menos da mesma forma; um avião cobre quadrantes e colhe os dados que serão depois processados. A Google ainda conta com objetos construídos em 3D, inclusive por usuários, além de também utilizar suas imagens de satélite cobrindo em mapping (como um lençol) formas e relevos, gerando um resultado satisfatório (principalmente se você não olhar de perto), mas longe do que a Apple me parece buscar com seu FlyOver.

    Sobre as imagens captadas “in loco” acho que você se refere ao Street View. Bem, é um esforço danado mesmo, mas há uma grande utilidade nisso que traz retorno à Google. O FlyOver é somente um cosmético.

    Particularmente acho que a Apple poderia usar todo esse recurso e esforço em outras áreas de seu mapa. Eu iria preferir mil vezes, por exemplo, ter um mapa confiável (até poucos meses atrás o Mapas da Apple indicava rota pelo viaduto da Perimetral aqui no Rio, que já foi abaixo há muito tempo) e indicação de transporte coletivo do que um FlyOver. E uma boa função offline também.

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.

O MacMagazine faz parte do grupo iMasters, mantido pelas seguintes empresas: