Review: testamos o monitor da UltraSharp de 27″ InfinityEdge U2717DA, da Dell

Imagem de destaque


Por
17/08/2016 às 11:02

Por 15 dias, eu testei um monitor UltraSharp da Dell — mais especificamente o modelo InfinityEdge U2717DA — para fazer este review. Procurei analisar diversos quesitos que, de certo, não englobarão tudo o que o monitor tem, porém as principais características estão listadas e comentadas aqui.

Antes de entrarmos na resenha em si, é preciso avisar de antemão que não sou uma profissional de imagem, nem designer ou algo do gênero. Portanto, faço a minha avaliação de acordo com um uso leve/moderado, focado na maior parte do tempo em leituras e vídeos. Para o teste, também executei alguns jogos e programas de edição de vídeo/imagens. O computador utilizado foi um Mac mini (fim de 2012).

Conteúdo da caixa

Como de praxe, encontramos na caixa o cabo de alimentação, alguns manuais de configuração rápida, informações de segurança e também calibração de fábrica. Diferentemente de muitos monitores, os cabos de conexão inclusos são um DisplayPort para Mini DisplayPort e um USB 3.0 para upstream.

Junto, também vem uma mídia com os drivers e documentação, além — é claro — do próprio monitor e do suporte articulado (braço) que o sustenta. Uma pequena chave Allen para apertar o parafuso do braço completa o kit.

Design

Este modelo U2717DA é equivalente ao U2717D e a diferença — além da última letra e de quase R$300 a mais — é que o primeiro possui um braço como suporte, enquanto o segundo vem com uma base (assim como na maioria dos monitores do mercado).

Monitor Dell U2717DA

O painel em si já tem um peso considerável (4,5kg) e, junto ao peso do suporte (5kg), acaba exigindo uma mesa que o aguente e que dê para encaixá-lo. Minha mesa de computador, por exemplo, é fechada atrás, então precisei procurar um outro lugar firme para colocá-lo. Apesar desse contratempo, a sensação de não ter uma base tradicional é definitivamente um ponto positivo, pois parece que a imagem está “flutuando”.

A mobilidade proporcionada é maravilhosa, podendo ser nivelado para o alto, para baixo e para os lados, além de também ser possível colocar a larga tela tanto em modo paisagem (horizontal) quanto em modo retrato (vertical).

O monitor é todo revestido de preto fosco e prata (quase um “prata espacial”) e possui cinco botões localizados na parte inferior, a qual é levemente inclinada; ficam bem discretos. Outro ponto positivo é um compartimento dentro do braço que permite passar os cabos para que eles não fiquem bagunçados atrás do monitor.

As bordas superfinas em todos os quatro lados medem menos de 1cm e proporcionam uma experiência imersiva ótima. Essa característica pode ser muito aproveitada caso você queira montar um esquema com diversos monitores, um ao lado do outro, com a imagem contínua.

Monitor Dell U2717D

Conexões

O U2717DA possui duas DisplayPorts, sendo uma de entrada e outra de saída, uma Mini DisplayPort e apenas uma HDMI. Junto dessas, na parte de trás, ainda há uma saída de áudio para fones e — o que eu achei muito bom — uma porta USB 3.0 upstream, duas portas USB 3.0 downstream e mais duas destas localizadas no lado esquerdo para servirem como um hub para o computador.

Montagem

Como já disse, o braço foi um pouco difícil apenas de encontrar um lugar para encaixá-lo da melhor maneira. Apesar disso, a montagem em si foi bastante tranquila.

O suporte veio separado em duas partes e, para juntá-las, bastou encaixar uma na outra e apertar um parafuso com a chave Allen. Então, encaixei o braço a uma superfície e apertei o parafuso borboleta até que ficasse firme. Por fim, encaixei o painel ao braço muito facilmente, passei os cabos pelo compartimento e fechei com a tampa. Tudo certo!

Tela

Com grandes 27 polegadas, o painel de LCD1 tem uma taxa de proporção de 16:9 (widescreen) e uma resolução de 2560×1440 pixels a 60Hz (QHD) que permite ter uma visão muito mais ampla da imagem. Essa resolução e o tamanho da tela trazem uma experiência imersiva muito boa, seja em vídeos, jogos e, principalmente, na produtividade.

Com todo o espaço que proporciona, você consegue ver diversas janelas lado a lado e todas com um tamanho satisfatório. Também é uma beleza para editar vídeos, pois é possível visualizar uma parte muito maior da linha do tempo, bem como trabalhar com imagens. Sem falar que no modo retrato podemos ter a noção exata do tamanho da folha quando precisarmos imprimir.

A iluminação traseira é por LED2 — como a maioria no mercado —, o que na linguagem para leigos quer dizer que, se você ligar no Netflix para ver aquele filme bacana e ele estiver em widescreen, as faixas pretas no topo e abaixo da imagem ficarão com uma singela luz acinzentada que pode incomodar um pouco no escuro. Mesmo assim, não é algo tão agressivo e é difícil encontrar um monitor que fuja muito desse padrão.

Uma combinação que gosto muito nele é a junção da tela anti-reflexo com o IPS3. Este último significa que, diferente de telas TN4, você consegue ver todas as cores normalmente por qualquer ângulo. Se você já teve contato com monitores antigos de TN, vai lembrar que quando a galera se juntava na frente da tela para ver algo, os que ficavam nos cantos viam as cores distorcidas, quase como um negativo; no IPS, isso não acontece.

Sua taxa de contraste é 1.000:1, que é considerado um ótimo padrão no mercado e o esquema de cores 99% sRGB também é muito bom. Quem trabalha com uma configuração mais precisa — como designers, por exemplo — pode calibrá-lo para deixar da maneira que preferir. Mas para aqueles que não entendem muito, existe uma função de “modos predefinidos”, nomeados de acordo com a situação adequada: filme (com tons mais realistas e com o brilho maior), jogo (retirando um pouco os tons de azul), sRGB, multimídia, temperatura de cor, cor personalizada, padrão e — o que eu mais utilizei — papel, com o brilho bem baixo e tons que não agridem os olhos de quem ficar lendo por muito tempo no monitor. Também é possível alterar tanto a nitidez quanto a gama — PC (mais escuro) ou Mac (mais claro).

Para os gamers, o monitor não é exatamente o que se diga “ideal” pois seu tempo de resposta é de 8ms no modo normal e 6ms no modo rápido. Para o jogo se sair melhor, é aconselhado monitores próprios para isso, com no máximo 3ms. Isto não quer dizer, é claro, que você não vai poder jogar com ele; apenas significa que a performance vai ser um pouco inferior.

Funções

Além da ótima função de modos predefinidos, a Dell também disponibiliza a opção de habilitar o DDC/CI, que permite alterar configurações de cores por software, não somente no menu do monitor. Outra função muito legal é poder ver no topo do menu quanto de energia o monitor está utilizando.

Por fim, uma opção maravilhosa é a possibilidade de personalizar os dois botões do menu a fim de funcionarem como atalhos para as funções que você mais usa (brilho/contraste, modos predefinidos e mais).

Preço

Este modelo U2717DA (com suporte articulado) é mais focado em ambientes empresariais, mas pode ser adequado a qualquer um pois a experiência é única. O preço dele no site da Dell é R$2.865.

Já se você prefere uma base tradicional e gostaria de ter exatamente o mesmo monitor, pode adquirir o modelo U2717D também no site da Dell por R$2.576.

Vale a pena?

Monitores widescreen sempre são uma ótima pedida para ajudar na produtividade. Uma das coisas que mais me encantou é realmente a mobilidade dele, tanto com quanto sem o suporte articulado, pois ainda assim é possível inclinar a tela ou girá-la para o modo retrato. Neste modo, a experiência de leitura é ótima pois consegui ver a página inteira, sem precisar ficar rolando.

Também achei o U2717DA muito bonito e com uma qualidade de imagem ótima. O preço é um pouco salgado, mas com 27 polegadas, resolução 1440p e essa qualidade, a faixa de preço acaba condizendo com os demais do mercado.

Para quem gosta de boa qualidade — tanto de imagem quanto nos componentes externos — e pode investir esse valor, é super-recomendado. 😉

Notas de rodapé

  1. Liquid Crystal Display, algo como “tela de cristal líquido”.
  2. Light Emitting Diode, ou “diodo emissor de luz”.
  3. In-Panel Switching.
  4. Twisted Nematic Film.

Prós

  • Bordas finas;
  • Mobilidade da tela;
  • Qualidade de imagem.

Contras

  • Preço elevado;
  • Vazamento de luz traseira (backlight).
NOTA
8,8
Posts relacionados
Comentários
  • paulobr

    Esse suporte é a grande diferença desse monitor, para mim.

    Continuo esperando a Apple lançar um iMac com a tela suspensa igual o iMac G4.
    Não tinha nada mais ergonômico que ele!

    https://www.youtube.com/watch?v=f_BEeHm4YV0

  • Ravagnani

    Off-Topic

    Acho muito legal este Review animado que utilizam, é algum plugin WP?

    Se puderem ajudar agradeço.

  • Guilherme

    Gostei, mas pq isso agora no mac magazine, vão mudar o foco do site?

  • Como assim, mudar o foco? É o review de um monitor que pode ser usado conectado a qualquer Mac. Tem tudo a ver com o MacMagazine.

  • Não, faz parte do nosso tema do WordPress.

  • paulobr

    Ainda mais agora que a Apple parou de vender o único monitor que tinha.

  • Henrique Cunha

    Monitor bacana. Mas sem USB-C. Investir mais de R$2500 num monitor sem USB-C mesmo que essa conexão não seja tão comum agora me parece ruim. Afinal, você provavelmente ficará com esse monitor por mais de 5 anos e até lá USB-C será sim padrão. A não ser que você tenha real necessidade de ter algo assim agora.

  • mafhper

    Ano passado adquiri um UltraSharp U2515H para aposentar meu velho HP. Estou muito satisfeito e provavelmente continuarei comprando os monitores da marca.

    O que tenho agora tem uma tela de 25 polegadas, mas a mesma resolução do apresentado no review. Ficou muito bom visualmente, além de confortável para o trabalho. Vai quebrando o galho quando tiver grana para investir num 5k.

  • Mudar de foco? Viajou legal jeje

  • E com os preços *atrativos* que a Apple pratica….

  • Rodrigo Junqueira

    Tenho 2 e quero colocar mais 1….. Muito bom! Vale cada centavo, ainda mais se for comprar com o monitor da Apple. rodo eles no meu macbook 15 retina 2015. Nem uso 4K no total.

  • Marcelo R. Bernardo ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

    Muito interessantes os “reviews” do MacMagazine! Em razão da proporção em que essas análises vêm tomando nos últimos tempos, seria muito legal se vocês criassem um canal para trazê-las em vídeo para os leitores.

  • Anderson

    Review muito bom!

    Senti falta de fotos da utilização pelo autor.

  • Marcelo R. Bernardo ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

    Um vídeo também seria muito interessante. =D

  • Marshal

    Esse monitor é maravilhoso! Peguei uma mas acabei devolvendo :/
    Meu MBP 2010 quase saiu voando para dar conta dele, e nas transições de área de trabalho dava umas engasgadas que incomodavam demais

  • Gustavo Bergamo

    se você ligar no Netflix para ver aquele filme bacana e ele estiver em widescreen, as faixas pretas no topo e abaixo da imagem ficarão com uma singela luz acinzentada

    Se o monitor já é wide por que iria ficar com faixas pretas?
    Na verdade existem alguns filmes/séries/etc que estão em super widescreen (21 x 9) – ultra widescreen dependendo da marca – e por isso, mesmo TVs/Monitores wide as faixas pretas aparecem.

  • Alexander

    Além de não ser 144hz. Mexer a seta e as janelas num monitor 60hz vs um monitor 144hz é uma diferença absurda em fluidez (além dos jogos ficarem obviamente melhores em 144hz, isso pra quem tem hardware pra fornecer os 144 frames por segundo)

  • mafhper

    Não cheguei a usá-lo num laptop, mas aqui ele é movido a uma GPU um pouco mais parruda. 😀

    Ainda estendo a área de trabalho com um outro monitor LG comum na vertical. Ficou muito confortável pra trabalhar.

  • Priscila Klopper

    Obrigada pela explicação! 😉

  • Erick Willians

    Muito bom.
    Fico em dúvida de pegar um ultrawide ou um 4K… Bate aquela incerteza.

  • Marcos Tulio

    Esperando o que vai falar dos videos…. brincadeira! Mas todo conteúdo novo é sempre bem vindo e se tratando do mundo Apple, melhor ainda. Sem contar que este monitor também pode ser usado em Windows. Parabéns pelo review

  • Guilherme

    Entendi, o monitor da Apple não foi mais atualizado e estão mostrando este.

  • Edwardz Daniel

    eu tenho um desse, a tela suspensa dele e ótimo

  • Bacana, esse aí… Cheguei a dar uma olhada nele e outros similares quando estava pesquisando um monitor pra complementar meu MacBook Pro (que tá mais pra iMac do que MacBook, ultimamente 😛 ) mas esse preço me fez desistir na época.
    Hoje eu tenho um HP ZR2240w, modelo já é antigo de mercado mas tem DisplayPort, Hub USB, ergonomia satisfatória, resolução 1080p e um contraste/nível de cor fenomenais – depois que peguei um perfil ICC calibrado do TFTCentral, fica gritante a diferença da cor dele com o amarelão do LCD do MacBook 😛

    Pras minhas necessidades, hoje ele me supre e não sinto necessidade de 4K ou telas “Retina”, num futuro eu faço upgrade pro 1440p e daí fecho meu setup em definitivo – no quesito “vídeo”.

  • Vitor Antunes

    Esse é 4k?

  • Luciano Paranhos

    O review esta gostoso de ler. Parabéns. Review de periféricos que podemos ligar em nossos mac sempre serão bem vindos. Novamente, parabéns!

  • Ed Mort

    Também acho muito bonito mas com o design dos iMacs atuais seria muito dificil, pra sustentar a tela do iMac atual a base teria que ser muito grande ou bem pesada pois os iMacs atuais tem todos os componentes atrás da tela enquanto esse modelo tem os componentes na base.

  • Luciano Tallada Sato

    Sou designer (moro no Japão) e a muito tempo atrás comprei um Dell U2711, na é poca ele custava metade do valor de um Cinema Display.

    Muito bom nas funções so que depois de 3 anos ele perdeu muito brilho no geral mas principalmente nas bordas, e perdeu fidelidade em algumas cores, esta aqui parado com um risco branco bem na borda esquerda que some de vez em quando, já meu iMac 27 com 3 anos a tela não perdeu quase nada no brilho nem nas cores.

    Dependendo da finalidade a Dell não é a melhor escolha. Equipamento que uso para testar e calibrar as telas é o Xrite i1.

  • Luciano Tallada Sato

    Amigo acho que vc esta confundindo as coisas, o monitor acima apresentado é 1440p, se vc quer um 4k então vc quer um 2160p.

  • Mas eu não quero 4K 😛

  • Alisson Rocha

    Comercial sensacional mesmo! kkkkkk

  • Rodrigo Moraes

    Que demais!!!

  • Helder

    Esse monitor é para uso profissional, não para jogos. Se quer algo desse nível mas para jogos, tem um modelo da Acer, Predator XB1, IPS 27pol QHD com 144hz e Gsync, mas custa 5~6 mil reais.

  • Helder

    Seu relato diz absolutamente nada, sua amostragem é insignificante para tirar essa conclusão.

  • Helder

    Senti falta de fotos originais do produto. Fotos da própria Dell é fácil encontrar, mas fotos originais do produto nem tanto.

  • Luciano Tallada Sato

    Como não diz absolutamente nada? O LCD da Dell perdeu qualidade e fidelidade de algumas cores em 3 anos de uso, e comparando com o monitor nativo do iMac que não teve quase nenhuma alteração em 3 anos constantes de uso.

  • Priscila Klopper

    Não é, Victor. 😉

  • Priscila Klopper

    Que bom que gostou! Obrigada! 😉

  • Priscila Klopper

    Dessa vez não deu, realmente. Mas obrigada pela dica! 😉

  • Helder

    Não diz nada porque, como eu disse, sua amostragem é muito pequena, de apenas 1 monitor. Absolutamente todo produto pode dar defeito, os produtos domésticos mais confiáveis costumam ter taxa de defeito entre 1~2%, isso quer dizer que um produto que vende 10 mil unidades, entre 100 e 200 irão apresentar defeito. O seu em específico ter dado defeito não quer dizer nada, justamente devido a sua amostragem ser pequena. Ela seria significante se você tivesse comprado, por exemplo, 1000 monitores Dell e 1000 monitores Apple, e falasse quantos de cada deu defeito.

  • Flavio Toledo

    Foi exatamente por esse motivo nao gastei demais com meu ultimo monitor tenho um Samsung S27e510C com MacMini para navegar na internet e assitir conteudo FULL HD caiu como uma luva para Intel Graphic 4000.

  • Luciano Tallada Sato

    Para um produto baratinho de U$50,00 eu até entenderia sua lógica, agora para um monitor top de linha que custava 3x mais que o mais simples da marca, e voltado para o público profissional, já não seria um pouco estranho?!

    E não estou falando de defeito e sim de qualidade dos componentes, como disse o monitor funciona perfeitamente tirando o risco branco que aparece de vez em quando, lado a lado com meu iMac a única diferença que eu noto é no brilho que ficou bem fraco.

  • Helder

    Estranho porque? Todo produto dá defeito, desde um produto de 1 real, até produtos de milhões ou bilhões de reais, como aviões. E defeito não é apenas o produto parar de funcionar, praticamente qualquer probleminha pode ser um defeito, inclusive envelhecimento precoce. Monitores da Dell linha Ultrasharp aqui no Brasil tem 3~5 anos de garantia, eles trocariam sem problemas o monitor devido a perda de cor, caracterizando como um defeito.

    Eu tenho dois monitores da Dell, um com mais de 5 anos, modelo u2311h, e outro com quase 3 anos, u2913wm, ambos perfeitamente normais e funcionais. Sabe o que isso significa? Nada.

  • Luciano Tallada Sato

    Ta bom cara, desculpa ai se eu ofendi sua marca preferia. Na verdade eu nem critiquei e sim apresentei a minha experiência no uso profissional, se eu for comprar um monitor para minha secretária com certeza vou comprar um Dell sem sombra de dúvidas, agora não posso ficar esperando a “sorte” para achar um monitor Dell perfeito sem defeito de fábrica, então vou sempre optar pelo garantido.

  • Helder

    Mas não é garantido, não existe nada garantido. Você pode comprar qualquer produto Apple e ele dar defeito logo de cara, daqui 1 ano, daqui 3 ou 10 anos, não tem como você saber quando ele irá dar defeito no momento da compra. Se você acha que um produto da Apple nunca irá dar defeito porque um que você comprou está durando vários anos, sinto muito mais você está pensando estar vivendo em um conto de fadas.

  • Luciano Tallada Sato

    Agora so um detalhe, pega seu calibrador e faz os testes de qualidade e uniformidade e me mostra como está o seus monitores.

  • Helder

    Eu não trabalho com design, não preciso calibrar ele de acordo com a realidade, eu calibro de acordo com o meu próprio gosto, que é algo levemente mais saturado. No caso do u2311h, ele inclusive nem tem esse foco, por ser um monitor 6bit+FRC.

  • Helder

    Apenas para ilustrar
    www. macobserver. com/tmo/article/apple-faces-lawsuit-over-defective-imac-screens
    www. tomshardware. com/news/Apple-iPhone-Foxconn-return-defects,22195.html

    Já adianto, não mude sua opinião sobre a Apple, ou qualquer outra marca, apenas porque um produto seu deu defeito, é preciso de mais do que isso para saber da qualidade e durabilidade de um produto num contexto geral.

  • Luciano Tallada Sato

    Vixi cara quem está viajando aqui é você, estou dando relatos da minha experiência com a marca, se isso é válido ou não para você não estou nem aí. Fantasia é você vir aqui no meu post falar besteiras nada produtivas, então se a porra do freio do meu carro falhar e eu me estourar no poste, seguindo a sua linha de pensamento, primeiro eu tenho que pegar uma calculadora, fazer a média de quantos carros foram produzidos, quantos o freio falhou, para depois chegar no número, se esse número for alto então sim eu poderei reclamar, falar mau da marca nas redes sociais e processar, mas se o número for insignificante então eu tenho que me calar, afinal tudo pode falhar, isso é normal como você mesmo disse nada é garantido.

  • Helder

    Num conto de fadas, talvez seja assim, na vida real não. Se o freio falhar e estiver na garantia, a fabricante irá arcar com os custos. Se for após a garantia, você é que irá arcar com os custos, e dependendo pode ser sua culpa por falta de manutenção. Agora, se você provar que isso é um problema crônico, e ai sim, você irá precisar provar com números, por exemplo, um alto número de reclamações no PROCON, então você poderá processar a empresa, mas você terá que provar a falha e o vício.
    Já apareceu na imprensa diversos casos de smartphones Apple, Samsung, e derivados explodindo e causando queimaduras aos donos, isso fez você parar de comprar o produto deles?

    Se você não quer receber opiniões de outras pessoas, é muito simples, é só não postar, a partir do momento que você posta, você abre espaço para que outras pessoas se manifestem, tanto a favor quanto contrárias as suas opiniões. Eu opinei justamente para que outras pessoas, ao lerem, não tirem conclusões precipitadas baseadas em um único caso isolado, algo que é muito comum hoje em dia na internet.

  • Helder

    Seria interessante se ela voltasse com os modelos ergonômicos. Hoje o que dá para fazer é comprar o adaptador para suporte VESA e comprar um desses suportes articulados que suporte o iMac..

  • paulobr

    Ué, seria só colocar os componentes na base como no G4.

    Ficaria algo com um Mac mini com uma LCD em cima! 😛

  • Alexander

    Ciente – e os rog swift estão mais baratos, além dos freesync que são ainda mais baratos e casam bem com as rx top. Independente dos jogos, é muito melhor usar um monitor 144hz, é um dinheiro bem gasto (o problemas são essas telas de 27 polegadas, já foi o tempo que isso era considerado grande)

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.


Carregar mais posts recentes