Review: iPad Pro de 9,7 polegadas


Por
07/10/2016 às 21:05

Em março passado, seis meses após lançar o iPad Pro de 12,9 polegadas, a Apple apresentou o seu novo modelo de tablet com tela de 9,7 polegadas. Contando com todos os recursos (na verdade oferecendo até mais diferenciais) do seu irmão mais velho, a Apple não teve outra opção que não chamá-lo também de iPad Pro — a diferenciação ficou mesmo por conta do tamanho da tela: enquanto um é o iPad Pro de 12,9 polegadas, o outro ganhou o óbvio nome de iPad Pro de 9,7 polegadas.

iPads Pro

As vendas do novo tablet iniciaram-se aqui no Brasil dois meses após o lançamento; recentemente, porém, a Fast Shop (parceira de longa data do MacMagazine) nos enviou um modelo Wi-Fi + Cellular de 128GB para nós avaliarmos e levarmos a nossa opinião sobre o tablet a você.

Eu confesso: quando parei para escrever este texto, percebi como é difícil falar do iPad Pro de 9,7 polegadas. Por um lado, estamos diante do iPad mais rápido e mais completo já lançado pela Apple (mais sobre os recursos dele abaixo, é claro); por outro, o seu antecessor (iPad Air 2) é um ótimo tablet. Não é fácil criar recursos e implementar mudanças tão disruptivas a ponto de fazer você querer trocar de iPad a cada lançamento. Este, aliás, é um dos problemas que a Apple vive na linha iPad.

Sem mais delongas, vamos à nossa avaliação!

Design

O design do iPad Pro de 9,7 polegadas é basicamente igual ao do de 12,9″. A diferença fica por conta — obviamente — do tamanho da tela, da adição da cor ouro rosa (além da cinza espacial, da prateada e da dourada) e da câmera traseira.

Família do iPad Pro de 9,7 polegadas com as quatro cores voando

No modelo menor, a câmera é bastante protuberante e ainda conta com um flash (True Tone) embaixo, coisa que o modelo maior não tem. De resto, tudo segue a mesma linha: botão de Início (Home), quatro alto-falantes (estéreo), Smart Connector, botões de ligar/desligar e aumentar/diminuir o volume, bandeja do cartão SIM, microfones e o bendito conector de fones de ouvido de 3,5mm.

Botões e conectores do iPad Pro de 9,7 polegadas

Falando da câmera, ela consegue ser ainda mais saltada que as dos iPhones 6/6s/7. Entretanto, de forma bastante surpreendente, se você colocar o iPad Pro de 9,7 polegadas apoiado em uma mesa (com a tela virada para cima) e pressionar com um dedo os cantos do tablet, vai perceber que a câmera não forma uma espécie de alavanca deixando o iPad “bambo”. E, levando em conta que muita gente utiliza o aparelho dessa forma em uma mesa, essa é uma ótima notícia.

Dimensões dos iPads Pro

No quesito dimensões/peso, estamos falando de um iPad exatamente igual ao iPad Air 2 — e bem menor que o iPad Pro de 12,9″, é claro. São 24cm de altura, 16,9cm de largura, 0,6cm de espessura e 437 gramas no modelo Wi-Fi — no Wi-Fi + Cellular, mesmas dimensões e 444 gramas. As capacidades de armazenamento, porém, são as mesmas do iPad Pro de 12,9″ (e do iPhone 7): 32GB1, 128GB e 256GB.

Tela

A tela do iPad Pro de 9,7 polegadas tem a mesma resolução (2048×1536 pixels) e densidade de pixels (264) do seu antecessor, o iPad Air 2, assim como também tem revestimento resistente a impressão digital e oleosidade, é totalmente laminada e conta com um revestimento antirreflexo. O grande diferencial dela — comparando até mesmo com a tela do modelo de 12,9″ — são a ampla tonalidade de cores (P3) e o True Tone.

Tela do iPad Pro de 9,7 polegadas

De acordo com a DisplayMate, estamos falando da melhor tela já colocada num tablet — tanto em termos de brilho quanto em reflexo. A precisão de cores da tela desse iPad fica muito próxima de perfeita, cobrindo não apenas o padrão sRGB mas também o DCI-P3 (utilizado por TVs 4K). Trata-se do mesmo espectro de cores usado pela indústria de cinema digital. Essa gama de cores mais ampla dá até 25% mais saturação de cor — ou seja, cores mais vibrantes e realistas.

Apesar das melhorias em brilho e cores, eu ainda não acho confortável utilizar o iPad debaixo de um sol daqueles. Dá para usar, claro, mas não é uma experiência ótima e, ao menos eu, acabo desistindo depois de algum tempo pois forço um pouco a vista. Nesse quesito, principalmente no consumo de livros, o Kindle é imbatível. Mas isso se estiver aquele sol de rachar; se estiver apenas ensolarado, a experiência é outra.

Se você gosta do recurso Night Shift, vai adorar a tela True Tone. É uma ótima adição ao iPad Pro de 9,7 polegadas. Tanto o Night Shift quanto a tela True Tone servem para proporcionar a usuários um maior conforto visual no uso dos seus dispositivos, fazendo um balanço de tonalidade.

Tela True Tone no iPad Pro de 9,7 polegadas

No Night Shift, você define essa intensidade (temperatura da cor; menos ou mais quente) de forma manual e pode agendar um período de tempo específico para que ele seja ativado ou utilizar a opção “Do Pôr ao Nascer do Sol”). Já o True Tone você não tem como fazer nenhum tipo de ajuste, apenas ativar/desativar a opção. Com ela ativada, sensores de luz ambiente adaptam automaticamente a cor e a intensidade da tela de acordo com a iluminação do local onde você está. A ideia é que você tenha uma experiência tão confortável e natural quanto tem ao olhar para uma folha de papel.

Eu curti a tela True Tone e sinto uma diferença enorme quanto estou utilizando o iPad e troco para o iPhone — realmente não entendi por que a Apple deixou ela de fora dos iPhones 7/7 Plus, ainda mais levando em consideração que passamos boa parte do dia olhando para a tela dos nossos smartphones.

Alguns reclamaram do fato de a Apple não oferecer a possibilidade de ajustar a intensidade do True Tone, deixando mais ou menos próximo aos reflexos de luz em papel branco. Eu, particularmente, não senti falta disso.

Eu utilizo muito o iPad no quarto, à noite (seja para ler textos ou assistir a séries/filmes/vídeos). Nesse ponto, a tela LCD2 ainda me incomoda um pouco por conta dos “pretos que não são pretos”. Nada que me faça desistir de assistir o que eu quero, é claro, mas gostaria muito de ver um iPad com tela AMOLED3 — nesse quesito, essa tecnologia é imbatível. Obviamente a Apple sempre coloca muitos pontos na balança na hora de lançar um novo gadget e, ao menos por enquanto, os prós da tecnologia LCD ainda estão ganhando dos da AMOLED (ao menos para a empresa).

Por fim, vale dizer que eu sinto falta do 3D Touch. Não é uma coisa que eu uso demasiadamente no meu iPhone, mas eu uso, principalmente as Ações Rápidas (atalhos no ícone do app). Seria legal ter esse recurso também nos iPads, mas parece que o tamanho da tela deles — ao menos por enquanto — é o impeditivo para a adoção da tecnologia.

Alto-falantes

Aqui temos uma área de grande destaque nos iPads Pro. Assim como o seu irmão maior, o iPad Pro de 9,7 polegadas conta com alto-falantes estéreo de alta fidelidade (quatro, um em cada ponta). Independentemente da forma que você está segurando o iPad (retrato ou paisagem), Ele ajusta automaticamente a orientação das altas frequências para os alto-falantes superiores.

E eu tenho que falar uma coisa: esses alto-falantes são bons, viu! Não estou dizendo que você pode dar uma festa na sua casa usando o iPad como som, mas eu posso garantir que temos um som melhor e mais potente do que o do MacBook Pro de 15″ com tela Retina, por exemplo (um notebook com muito mais espaço interno do que um iPad de 9,7 polegadas para comportar bons alto-falantes). Não vou nem comparar com os iPads mais antigos, pois é algo injusto; a diferença é gritante.

Se você está insatisfeito com o alto-falante do seu iPad, pode apostar que o do iPad Pro vai lhe satisfazer. Recomendo passar em uma loja da Fast Shop — afinal, são mais de 90 espalhadas pelo Brasil — para você mesmo fazer um teste!

Câmeras

Outro ponto que o iPad Pro de 9,7 polegadas se destaca com louvor de seus antecessores — não apenas dele, mas do modelo de 12,9″, também. Enquanto os outros têm uma iSight (câmera traseira) de 8 megapixels com abertura ƒ/2.4, este iPad tem uma de 12 megapixels e abertura ƒ/2.2 (a mesma câmera do iPhone 6s). Além disso, ela é capaz de fazer Live Photos, capturar ampla tonalidade de cores, conta com um flash True Tone, faz fotos com HDR4 automático e panorâmicas com até 63 megapixels em vez de até 43 megapixels, e foco automático/toque para focar com Focus Pixel.

De resto, temos todas os recursos presentes nas câmeras de outros iPads: retroiluminação, lente de cinco elementos, filtro IV híbrido, controle de exposição, detecção de rostos, modo contínuo, timer e fotos com localização geográfica.

Câmera do iPad Pro de 9,7 polegadas

É uma câmera muito boa para se ter em um iPad — que definitivamente não é o melhor/mais confortável dispositivo para você sair por aí tirando fotos. Apesar disso, é bom saber que, caso você precise, tem no tablet uma câmera desse nível. Em casa e até mesmo nas minhas férias, que levei o iPad comigo, me deparei com uma situação interessante. Quando eu estava usando o tablet, em vez de deixar ele de lado e pegar o meu iPhone para tirar uma determinada foto, aproveitei que estava com ele na mão e fui de iPad mesmo. Como disse, não é o gadget ideal para colocar debaixo do braço e sair andando por aí tirando fotos. Mas em um momento que você já está com ele na mão e quer capturar algo, não precisa mais duvidar da qualidade da câmera e optar pelo iPhone.

Essa qualidade na câmera também se reflete na gravação de vídeos já que, com ela, podemos filmar com qualidade 4K HD (3840×2160 pixels) — nos outros iPads, a qualidade máxima é Full HD 1080p. Os vídeos em câmera lenta (um recurso bem legal), que antes eram limitados a HD 720p com 120 quadros por segundo, agora ganharam a opção de 1080p com 120qps ou 720p com 240qps. Além disso, temos também uma melhor estabilização de vídeo foco automático contínuo.

Vídeo em time-lapse com estabilização, detecção de rostos, zoom 3x, retroiluminação e vídeos com localização geográfica também fazem parte do pacote da câmera — assim como nos outros iPads.

A câmera FaceTime HD (frontal) também foi melhorada e se equiparou à do iPhone 6s, com 5 megapixels e flash Retina (a tela em si pisca para ajudar a iluminar o ambiente). Eu, porém, confesso que só uso a câmera frontal para FaceTime, Skype e apps do gênero — não me lembro de uma selfie feita com o iPad. 😝

Desempenho (processador)

De acordo com a Apple, o A9X (processador que equipa os iPads Pro) permite que os tablets executem tarefas que antes só eram possíveis em computadores. Falando da CPU5, ela é 1,8 vez mais rápida que a do iPad Air 2; já a GPU6 oferece até o dobro do desempenho gráfico do iPad Air 2, sendo capaz de renderizar imagens cheias de detalhes, animações fluidas e efeitos realistas.

Interior do iPad Pro de 9,7 polegadas

Eu não tenho do que reclamar do iPad Pro nesse quesito, mesmo! Contudo, eu não sou uma pessoa que força a CPU e a GPU ao extremo no tablet pois realizo todo o meu trabalho pesado no meu MacBook Pro de 15 polegadas com tela Retina. No fim das contas, o iPad para mim é um aparelho destinado a momentos de descontração, diversão (basicamente consumo de conteúdo). Ao menos aqui, definitivamente ele não substitui um computador como a Apple fala — ainda que tenha um lugar cativo no meu dia-a-dia, assim como o notebook.

Por isso, para o meu nível/intensidade de uso, é muito difícil dizer que ele é realmente 1,8x mais rápido que o iPad Air 2 ou que tem uma desempenho gráfico 2x melhor. Nesse ponto, o iPad Air 2 me satisfazia completamente. Agora, se você é uma pessoa que de fato deixou de fazer muitas tarefas pesadas no Mac/PC e passou a realizá-las no iPad (como edição de imagens e vídeos, escrever textos enormes rodando dois apps lado a lado no Split View, entre outras tarefas), essa diferença toda pode e deve ser muito mais perceptível.

O chip desses gadgets está diretamente relacionado à eficiência energética. E, como sempre vem fazendo desde o lançamento do primeiro iPad, em 2010, a Apple promete as mesmas 10 horas de uso — ainda que entregue um poder de processamento infinitamente superior.

Conectividade

Nesta parte, muito pouca coisa mudou. Temos suporte a Wi-Fi 802.11a/b/g/n/ac (2,4GHz e 5GHz), MIMO, Bluetooth 4.2, suporte a tecnologias GSM/EDGE, CDMA EV-DO e MTS/HSPA/​HSPA+/DC‑HSDPA. Os grandes destaques vão para três coisas: o suporte a 23 bandas LTE em vez de 20, a inclusão do Smart Connector (que atualmente serve basicamente para utilizar o Smart Keyboard e a case CREATE, da Logitech) e o Apple SIM integrado.

O Apple SIM, aliás, merece uma explicação. Já falamos dele aqui no site, mas a tecnologia evoluiu bastante a ponto de, agora, o iPad ter esse “cartão” embutido — possibilitando utilizar um plano de dados por ele ou por um cartão físico normal, de qualquer operadora, que pode ser colocado na bandeja para cartão SIM padrão (obviamente, nos modelos Wi-Fi + Cellular).

Apple SIM no iPad Pro de 9,7 polegadas

A ideia do Apple SIM é permitir que você escolha um plano de dados das operadoras parceiras diretamente do seu dispositivo, sem precisar ir a uma loja física para comprar um chip e escolher o plano. A coisa é muito, mas muito prática! Basta ir em Ajustes » Dados Celulares e tocar no botão “Configurar Dados Celulares” para ver as opções de operadoras e planos.

No Brasil, as duas operadoras internacionais compatíveis são AlwaysOnline e GigSky (as quais são focadas em oferecer planos de dados para estrangeiros que estão visitando o país — os planos são bem salgados). Eu torço bastante para que mais e mais operadoras passem a suportar o Apple SIM, pois a ideia é muito boa.

Voltando ao Smart Connector, uma pena que atualmente apenas a Logitech esteja explorando ele. Torço para que a Apple incentive outras parceiras a criarem produtos compatíveis com essa tecnologia (a possibilidade de começar a usar algum acessório apenas encostando o tablet ele é muito legal).

Sensores

Como em todos os modelos mais recentes de iPads, temos o Touch ID, o giroscópio de três eixos, o acelerômetro, o sensor de luz ambiente e o barômetro. Aqui eu sinto falta de duas coisas, sendo a primeira um sensor de leitura de impressão digital de segunda geração, como temos no iPhone 6s em diante. Não entendi até agora por que a Apple não deixou a linha uniforme, colocando este Touch ID que é bem mais rápido que o de primeira geração.

iPads Pro

A segunda, que tem a ver com o iOS 10 já que é algo implementado no software, mas que também tem uma dependência direta do acelerômetro, foi a falta do recurso “Levante para ativar”. Com o novo sistema operacional da Apple instalado, ao pegar o seu iPhone (6s/6s Plus ou 7/7 Plus) a tela automaticamente desperta para você já ver as informações e começar a usar o aparelho. Por que não implementar isso nos iPads, também? Bateria não é problema, obviamente. Então não vejo motivos para o tablet não ter esse recuso que facilita bastante as coisas.

Acessórios “Pro” (Smart Keyboard e Apple Pencil)

Eu brinquei muito pouco tempo com o Apple Pencil e com o Smart Keyboard, então não tenho muito o que compartilhar com vocês. O que posso dizer sobre o lápis é que é ótimo ter o suporte a ele no iPad Pro de 9,7 polegadas. Seria muito ruim para a Apple deixar apenas o modelo maior compatível com o acessório, forçando as pessoas a adquirir um tablet bem grande para poder aproveitar os benefícios de se trabalhar com o Apple Pencil.

Apple Pencil e iPad Pro de 9,7 polegadas

É claro que é mais agradável desenhar/utilizar o lápis numa tela gigante de 12,9″, contudo existem aquelas pessoas que pensam mais em mobilidade (que preferem ter um iPad menor para se deslocar facilmente) e ainda assim precisam do Apple Pencil para realizar o trabalho da melhor maneira possível. Pensem na vida real: é ótimo desenhar numa folha A3, mas também há momentos que um caderninho pequeno dá conta do recado.

Sobre o Smart Keyboard, a minha opinião muda um pouco. Não a ponto de falar que a Apple não deveria ter lançado a capa/teclado para o iPad Pro de 9,7″, mas que a experiência de digitar no acessório maior, destinado ao iPad Pro de 12,9″, é muito melhor, não tenha dúvidas.

Smart Keyboard para iPads Pro

Para alguns eu posso estar soando hipócrita ao falar que a Apple acertou em oferecer suporte ao Apple Pencil numa tela menor, mas que “errou” ao criar um teclado menor para o tablet. A diferença, aqui, é que na tela tudo é digital e você tem como “aumentar” o espaço do seu ambiente de trabalho com o lápis a depender do app que estiver usando. Ao desenhar, por exemplo, você pode dar zoom na tela e as 9,7″ podem ser até mais do que suficiente; já no teclado, não há o que fazer: você ficará confinado a digitar em um espaço muito reduzido, que a meu ver chega a ser um incômodo. Algumas pessoas, porém, não se incomodam em digitar num teclado tão pequeno assim e faz todo sentido ter esse acessório disponível.

iOS 10

Lembro de ver Tim Cook, em um evento da Apple, falando sobre como os aplicativos para Android criados para tablets eram basicamente um “estica e puxa” da versão para smartphones — e, consequentemente, se gabando de que nos iPads a experiência era muito melhor. Sem dúvida é melhor e alguns desenvolvedores estão de parabéns por saberem tirar proveito não apenas da tela como também do poder de processamento computacional/gráfico dos iPads.

Entretanto, eu acredito que a Apple pode fazer melhor em relação ao iOS em si. Eu poderia dizer que muitos aplicativos da Apple podem ser enquadrados nesse “estica e puxa” (no iPad Pro de 12,9″ então, nem se fala) e esperava uma melhoria nesse sentido no iOS 10.

Apesar de não serem novidades do iOS 10, não posso deixar de comentar o Slide Over, o Split View e o PiP (Picture-in-Picture) — se você não sabe do que eu estou falando, assista a esse rápido vídeo.

Eu realmente adoro o Slide Over e o PiP — apesar de achar que a Apple poderia colocar um buscador do Slide Over para facilitar a nossa vida na hora de achar o app que queremos. Já o Split View, apesar de utilizar bastante, não me agrada tanto por um problema bastante específico: espaço ocupado pelo teclado virtual.

Aqui no MacMagazine nós nos comunicamos internamente pelo Slack e utilizamos o Wunderlist para gerenciar pautas e outras coisas relacionadas ao dia-a-dia. Colocar um desses apps no Split View e requisitar o teclado e pedir para ter um experiência não tão satisfatória pois o teclado simplesmente ocupa uma parte enorme da tela.

Split View no iPad Pro de 9,7 polegadas

Isso, é claro, não se limita a esses apps já que boa parte dos aplicativos em algum momento precisam do teclado ativado. Se isso for por um curto período de tempo, tudo bem; mas se você estiver usando algum app (um mensageiro por exemplo) no modo Split View, a experiência não será tão boa na tela de 9,7″ — nesse quesito, o espaço do iPadão é bem-vindo.

De novidade, mesmo, temos a possibilidade de utilizar o iPad — caso você não tenha uma Apple TV de quarta geração – como uma central doméstica para o app nativo Casa (Home). Desta forma, temos como habilitar o controle automático e remoto dos acessórios HomeKit a partir de dispositivos iOS. Para isso funcionar, é claro, o iPad configurado como central deverá permanecer na sua casa, conectado à rede Wi-Fi local e ligado.

iPad e Apple TV como central da casa (HomeKit)

O app Casa, aliás, é uma boa novidade do iOS 10 mas que infelizmente ainda precisa de tempo para mostrar a que veio. Não é fácil adquirir acessórios para criar uma casa inteligente, então este é um mercado que vai se desenvolver aos poucos.

O app Mensagens (Messages) ganhou uma boa sobrevida do iPad com o iOS 10, por conta das muitas novidades apresentadas pela Apple. Sem dúvida isso fará com que mais e mais pessoas utilizem o mensageiro da Apple nos tablets.

Conclusão

Estamos falando do melhor iPad já criado pela Apple. Se você gosta do tamanho do iPad de 9,7 polegadas, trabalha com desenho ou algo do gênero e precisa de uma stylus um lápis, não pense duas vezes em adquirir um. Se você tem um iPad velho de guerra que não está mais dando conta do recado, vai simplesmente adorar este iPad Pro!

Se você tem um iPad Air 2, porém, deve avaliar bem os diferenciais mencionados neste post e ver se algum deles é realmente imprescindível para você. Como disse, antecessor do iPad Pro de 9,7 polegadas ainda é um ótimo tablet e que é suficientemente bom para muita, mas muita gente. Cabe a você avaliar se um ou outro diferencial do Pro (como por exemplo a tela True Tone, para quem utiliza o tablet na rua por muito tempo, ou quanto alto-falantes estéreo, que são ótimos) são de fato essenciais.

Ainda que você tenha o iPad Air 2, obviamente tem todo o direito de querer o iPad Pro de 9,7 polegadas apenas para ter o mais novo e o melhor tablet já criado pela Apple – não há problema nenhum nisso, se você quer e pode. 😊

Onde comprar

Gostou do iPad Pro de 9,7 polegadas e planeja comprar um? Então não deixe de apoiar o MacMagazine e visite uma loja da Fast Shop (nossa parceira) para adquirir o seu — ou compre online, na comodidade da sua casa.


Logo da Fast Shop

Fundada em 1986, a Fast Shop possui hoje mais de 90 lojas espalhadas por todo o Brasil. Tem como principal foco encantar o cliente e, por isso, suas lojas têm um design arrojado, ambiente acolhedor e layout especialmente desenvolvido para oferecer aos consumidores o que há de melhor em: exposição do produto, experimentação, entretenimento, pós-venda e serviços diferenciados. Em março de 2008, a Fast Shop lançou a primeira Apple Premium Reseller do Brasil, batizada de a2YOU, demonstrando o seu comprometimento com o mercado Apple em nosso país.

Notas de rodapé

  1. Com o detalhe de que o iPad Pro de 12,9″ não conta com uma versão de 32GB no modelo Wi-Fi + Cellular.
  2. Liquid crystal display, ou display de cristal líquido.
  3. Active-matrix organic light-emitting diode, ou matriz-ativa de emissão de luz orgânica por diodos.
  4. High dynamic range, ou grande alcance dinâmico.
  5. Central processing unit, ou unidade central de processamento.
  6. Graphics processing unit, ou unidade de processamento gráfico.

Prós

  • Ótimos alto-falantes;
  • Tela True Tone;
  • Excelente performance.

Contras

  • Faltou o 3D Touch;
  • Faltou o Touch ID de 2ª geração;
  • Câmera protuberante.
NOTA
9,1
Posts relacionados
Comentários
  • sigma7777777

    Espero que a Apple realmente deixe para lançar um novo iPad no próximo ano e traga ótimos motivos para adquiri-lo. Não seria nada mal revolucionar com um iPad com tela flexível ou apenas com tela de ponta-a-ponta.

  • Luis Evangelista

    Estou num impasse terrível!! Quero comprar um pro para trabalhar com Desenho, mas não sei se pego o de 12 ou o de 9… Alguma ajuda?!

  • Luiz Felipe

    Tomara que o iPad mini que será (possivelmente) lançado ano que vem, tenha essas características “Pro”!

  • É uma tristeza o potencial desperdiçado do iPad. Eu acredito que os erros iniciais de uma integração de macOS ao iOS compensariam MUITO mais que a resistência por adotar o método. Pensa no iOS que evoluiu do primeiro ao que é hoje. Se chegasse com muitas arestas a serem aparadas, a Apple simplesmente trabalharia com mais afinco em deixar perfeito. O iPad como é hoje só é bom pra quem tá com dinheiro sobrando (e algumas exceções…). 🙁

  • Alexander

    É simples. Se o ipad pro vai ficar a maior parte do tempo na sua casa, pegue o de 12. A única vantagem, em termos de desenho, da versão menor é a portabilidade. Independente disso, uso o de 12 justamente para desenho, ele te dá mais espaço para desenhar com a apple pencil (e para usar o astropad se é essa a sua intenção)

    Se você vai usar o medibang paint aí seria melhor ir direto para o de 12 mesmo porque a interface do medibang é meio espaçosa. Se vai usar o procreate até dá pra usar bem num de 9 pois a interface do programa é mínima. Mesmo assim, recomendo o de 12, o espaço extra é muito bom

  • Molinaro

    Contras: PREÇO

  • Emmanuel Kalispera

    O maior problema, ao meu ver, é que ele deveria rodar o macOS e não o iOS. Veja como o Surface ficou legal, híbrido de tablet e computador.

  • Maurício

    12.9, com certeza. Eu uso para Design e é incrível.

  • hecnpo

    Para esse uso o tamanho da tela faz diferença, vc vai acabar achando o de 9.7″ pequeno.

  • Alexandra

    Que lindo ficou esse novo layout! AMEI! 🙂

  • Caio Ferreira

    eu acho que deveria ter boot camp para ipad assim como no MacOs #apple

  • Luis Evangelista

    Valeu Alexandre!! Fico mais tranquilo em partir para o de 12″.

  • Franco

    O macOS não foi desenvolvido para uma experiência touch.
    Porém, algumas apis do iOS deveriam trazer funcionalidades mais avançadas apenas para iPad.

  • Pois é. Deveriam trabalhar na transformação já. Se pá mudasse quando acoplasse a case com o teclado, mas não vejo como algo impossível…

  • Vem para Foz e passe no py, além de passear nas cataratas o preço do ipad pro é de notebook comum e promete bem mais.

  • Filipe

    Melhor review já publicado aqui no MM. Parabéns! Por enquanto, fico com meu iPad 2, 16Gb.

  • MacMagazine, os reviews de vocês são sempre muito bons! Acho que seria legal vocês subirem um review, nessa qualidade, em video também! Bem detalhado, com boas imagens e etc… Tem bastante gente interessada em assistir esse tipo de coisa e tem poucos fazendo isso no Brasil.

  • hecnpo

    É tranquilo ficar em Foz, atravessar pro py, fazer compras e voltar? Sou marinheiro de primeira viagem nisso.

  • hecnpo

    Concordo, faria sucesso no YT.

  • hecnpo

    Esperar isso dos devs é utopia… o mercado de iPhone é muito maior que de iPad.

  • hecnpo

    Eu tinha um Air 2 e vendi. Não fez falta.

  • Franco

    Na verdade eu me referia as APIs nativas do iOS, não de terceiros.
    O Split View é um exemplo de funcionalidade avançada que só existe no iPad.
    A tendência é que a Apple implemente mais desses recursos avançados direcionados para o iPad, ela só precisa não ser tão lenta quanto ela tem sido.

  • Vinicius Cidreira

    Pulei do Air para o Pro 9,7… e digo que o que mais gostei foi de fato os novos alto-falantes. Ficou muito bom mesmo!
    Performance também melhora de forma notável comparando com o Air.

  • hecnpo

    Saquei… os apps/sistema da … mas tem faltado criatividade pra ela ultimamente :/

  • Lucas Henrique

    ótimo review

  • Eduardo Pires

    É….pegue uma van no hotel que te leva e busca.
    Hoje em dia há shoppings organizados e seguros no Paraguai. Inclusive com garantia. Sugiro lojas como a Compubras (tem site).

  • hecnpo

    Obrigado… e em relação a PF, costuma dar xabu ou é tranquilo?

  • João Ninguém

    Em relação à Aduana, quem toma conta no caso é a Receita Federal. Para bem da verdade, se o valor do iPad estiver acima do limite de compras no exterior (U$ 500) poderá sofrer tributação, porém o smartphone é ISENTO, desde que seja para uso pessoal e só estiver com ele por ocasião do retorno ao país. Mas informações de pessoas que vão ao Paraguai fazer compras, dizem que a fiscalização não é tão rigorosa assim, desde que seja produto de caráter pessoal, não para comércio. Além do mais, os comerciantes locais já conhecem todos os “truques” para se passar com o produto sem problemas, sem contar os famosos “entrego no hotel”, que além de poupar trabalho, lhe poupa o risco de perder o produto. No final de tudo, ainda dá para curtir o passeio até as cataratas e itaipú, que vale à pena, mesmo sem comprar nada.

  • hecnpo

    Valeu, obrigado pelo relato!

  • Ericfym

    Também tive essa impressão! Foi o review postado aqui que mais gostei até agora.
    Bastante realista, com situações e exemplos do cotidiano; sem alfinetadas e puxação de sardinha.

    Parabéns MM!

    ps: iPad 2 é um excelente tablet. Me atendeu muito bem por vários anos. ;]

  • Leonardo Negrisoli

    Eu tenho um iPad Pro de 9,7″ e gosto bastante dele.
    Indo contra o que o Eduardo postou, não vejo problemas em digitar no teclado do Smart Keyboard… foi só questão de acostumar. No meu trabalho, trocaram meu notebook de 13″ por um de 15″ com teclado numérico… levou um tempo, mas me acostumei com ele.

    Claro que a transição de digitação de um Macbook pro iPadão é muito mais sutil do que pro modelo de 9,7″, mas não acho que isso seja um problema.

    Eu praticamente não uso o teclado virtual do iPad quando estou com ele em modo paisagem devido a facilidade que ele me proporciona, inclusive para usar 2 apps ao mesmo tempo com o PiP sem precisar comprometer a minha visualização com o teclado virtual comendo a tela.

    De forma geral eu recomendo o iPad Pro + o Keyboard que é excelente. É muito bom ter uma case que se “transforma” em um teclado… eu nem sinto que estou carregando um acessório extra 🙂

  • Giancarlo Silva

    Nossa, como a leitura ficou melhor e menos poluída visualmente sem aquele tanto de coisa na lateral.
    Show de bola essa nova visualização, galera!

  • Elvis Fernandes

    Ah como eu gostarias de ver um review sem essas fotos tiradas pela apple, e sem com fotos tirada por vocês mesmo!
    fora isso o review é uns dos melhores! Parabéns!

  • Luiz Felipe

    E posso voltar com a caixinha dele que não vai ter problemas ou melhor jogar fora?

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.


Carregar mais posts recentes