Falamos pela primeira vez do Dash aqui no site há mais de dois anos, com a promessa de que poderiam “revolucionar o mercado”. Com a iminente chegada dos AirPods, é hora de eu dizer aqui o que achei da minha experiência de algumas semanas com um par dessas belezuras.

Fabricado por uma empresa alemã chamada Bragi, o Dash é um fone de ouvido totalmente sem fio que faz muito mais do que simplesmente tocar músicas via Bluetooth.

Até eu pegar o Dash, o fone que eu usava na academia era o Powerbeats2 Wireless, da Beats/Apple, e em casa também gosto muito de usar o Muma, da ROCK, que comercializamos na MM Store.

Posto isso, vamos conhecer o Dash? 😉

O que vem na caixa?

A caixa do Dash é bem legal, uma espécie de “livro” que vai lhe ensinando como ele funciona até você chegar ao produto em si.

Lá dentro você encontra, além do par de fones em si, um estojo de recarga (com uma capa deslizante própria), um cabo Micro-USB para USB e várias borrachinhas de tamanhos variados (XS, S, M e L) para você experimentar com qual se adapta melhor.

Eu não fiz um vídeo de unboxing, mas aqui está um deles mesmos:

As peças

As duas peças do Dash são simetricamente opostas, ou seja, são iguais mas adaptadas para cada orelha. Há realmente um Dash para cada lado (L e R) — você não pode posicioná-los aleatoriamente.

The Dash (Bragi)

Eles são bem leves e apenas ligeiramente maiores do que a ponta de um fone intra-auricular convencional. Não há, obviamente, a “perninha” para baixo que a Apple colocou nos seus AirPods; o design é de muito bom gosto.

Mesmo superpequenas, essas peças são recheadas de tecnologia: há microfones, conectividade sem fio, sensores (acelerômetros, giroscópicos, magnetômetro…), memória flash interna de 4GB, controles via toque, LEDs, processador de sinal digital e, é claro, baterias independentes.

Para mim, a ausência total de fios me levou a um novo mundo. Os Powerbeats já são considerados fones “wireless”, mas há aquele fiozinho ligando uma peça à outra. Não é algo que chega a incomodar toda hora, mas quando estou usando malhando, muitas vezes o fio se “prende” ao suor da nuca e — ok, eu reconheço: First World Problems® — isto é chato para caramba.

Configuração e uso

Em teoria, começar a usar o Dash é bem simples. Você tira as peças do estojo, coloca-as nas orelhas (ele liga automaticamente; não há um botão liga/desliga nos fones), toca e segura por alguns segundos no lado direito para iniciar o processo de emparelhamento via Bluetooth. Talvez por falta de prática, tive que repetir isso algumas vezes até conseguir.

Inicialmente eu emparelhei o Dash ao meu iPhone 7 Plus, mas ele funciona com iPhones desde o 4s, iPads desde o modelo de terceira geração, iPods touch desde o modelo de quinta geração, Apple Watches, dispositivos Android com Bluetooth LE rodando pelo menos a versão 4.3 “Jelly Bean”, dispositivos com Windows 10 Mobile (suporte limitado), bem como Macs e PCs equipados com conectividade Bluetooth 4.0.

Com o Dash emparelhado ao iPhone, se você quiser já dá para mandar o telefone tocar música e começar a curtir os fones. Mas, obviamente, você vai querer saber como controlá-los usando suas superfícies sensíveis ao toque.

Aqui, eu entro num misto de elogio com crítica: por um lado, é fenomenal a quantidade de coisas que você pode fazer só tocando nas peças do Dash. Por outro, são tantas opções que, mesmo após dias/semanas de uso, eu ainda me confundo ou esqueço de algumas. Além disso, cada lado faz coisas diferentes, o que complica ainda mais.

Veja só este “resumo”:

Controles do Dash

Os caras até fizeram um vídeo demonstrando como funciona:

Quando você sabe o que quer fazer e acerta o comando de primeira, é bem legal e prático.

O app

Para quem for usar o Dash com smartphones (provavelmente o cenário mais comum de todos), a Bragi desenvolveu apps mobile para iOS, Android e Windows Phone.


icon

Bragi

de BRAGI GmbH

Compatível com MacsCompatível com iPadsCompatível com iPhonesCompatível com Apple WatchesCompatível com Apple TV
Versão 2.2.1 (41.4 MB)
Requer o iOS 9.0 ou superior

Grátis

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

Screenshot do app BragiScreenshot do app BragiScreenshot do app BragiScreenshot do app BragiScreenshot do app Bragi

Você não precisa ter o aplicativo instalado no seu smartphone para os fones funcionarem, mas por ele é possível ajustar algumas configurações e tirar algumas dúvidas acerca do funcionamento do seu Dash.

Você pode ainda, pelo app, personalizar os controles de toque e os gestos com a cabeça, acompanhar suas atividades, criar o seu perfil na Bragi e configurar o Dash com nome próprio, e outros detalhes da sua preferência.

Bragi OS 2.2

Com tanta tecnologia e possibilidades embutidas, o Dash roda um sistema operacional próprio: o Bragi OS, que chegou recentemente à sua versão 2.2. Tive a sorte de receber os meus com a versão 2.1 instalada, então tive a experiência de fazer um update deles.

O processo é bem simples, só demora um pouquinho: você coloca o Dash no estojo, conecta ele ao Mac/PC via USB e roda o instalador do Bragi OS. A partir daí, o processo é quase todo automatizado: ele verifica se há mesmo uma atualização para ser aplicada e vai executando tudo sozinho. Você só precisa, de vez em quando, usar um clipe para apertar e segurar um botãozinho de “reset” que fica na lateral do estojo.

O legal é que esses updates periódicos do Bragi OS trazem novidades realmente bacanas. O destaque da versão 2.2 se chama “MyTAP”, que ainda está em beta: com esse novo método de interação, você dá um duplo-toque na sua bochecha(!) para ativar a Siri ou a assistente do Google.

The Dash (Bragi)

Obviamente testei essa funcionalidade por aqui e assino embaixo a sua classificação “beta”. Funciona, mas não é nada confiável por enquanto.

Som

Um recurso fantástico que eu nem esperaria num fone tão pequeno quanto o Dash é o de cancelamento de ruídos, que no caso dele é “bilateral passivo”.

The Dash (Bragi)

Por padrão, o isolamento já vem ativado. Ou seja, colocou o Dash, você praticamente não consegue ouvir mais nada à sua volta. Em alguns momentos, é claro, isso pode não ser bom; deslizando o dedo pelo Dash esquerdo você ativa o modo “Transparência”, que lhe permite ouvir as coisas à sua volta com relativa clareza.

Ainda falando do Bragi OS 2.2, ele veio com um novo modo chamado “Windshield” ativado com mais um deslizamento de dedo no Dash esquerdo. Com isso ativado você mantém a “Transparência” ligada, mas reduz ruídos de vento comuns quando você está usando o Dash andando de bicicleta, por exemplo.

Falando da qualidade de som em si, o Dash passa o teste com louvor. Temos um som totalmente limpo e espaçoso, sem nenhuma distorção. Há ausência de graves, sim, mas algo totalmente esperado num fone dessa natureza.

Se eu tiver que reclamar de algo em relação ao som, é que ele poderia ser ligeiramente mais alto. Mas isso é algo bem pessoal; me acostumei — e não deveria — a ouvir música em volumes bastante altos.

Ligações

Como qualquer fone Bluetooth que se preze, o Dash também pode ser usado para ligações quando emparelhado com um iPhone ou smartphone com Android.

Se você receber uma ligação enquanto estiver ouvindo música, pode atendê-la com um simples toque no Dash direito. Se quiser rejeitá-la, é só tocar e segurar por alguns segundos.

A qualidade, aqui, também é satisfatória. Quando eu liguei para algumas pessoas e pedia para avaliarem a chamada, todas diziam que estava okay; mas aí eu trocava para o iPhone e todas sentiam uma perceptível melhora. Ou seja, é meio que uma questão de referência.

Memória interna

Quando a Bragi diz que o Dash não tem fios, ela não está mentindo. Mas ele nem sequer depende de estar conectado a um dispositivo externo via Bluetooth para funcionar, porque possui 4GB de memória flash embutida.

Para “alimentar” seu Dash, basta posicioná-los no estojo e conectá-lo ao Mac/PC via USB. No macOS, o Dash aparece como um drive externo na Mesa (Desktop) e aí é só arrastar arquivos MP3 ou AAC para a sua pasta de música. Se quiser, pode organizá-las também dentro de quatro playlists independentes.

The Dash conectado ao Mac via USB

Tudo isso é bem simples e direto, mas há dois grandes poréns:

  1. A transferência de músicas é bem lenta, então não deixe para fazer isso bem na hora em que estiver saindo de casa.
  2. O Dash não suporta arquivos MP3 e AAC com proteções de direitos autorais (digital rights management, ou DRM), ou seja, nem pense em transferir para ele faixas que você obteve via Apple Music, Spotify e afins.

Só para deixar bem claro: o Dash suporta reprodução do Apple Music e do Spotify, sim, mas somente quando conectado via Bluetooth ao iPhone.

Ele é à prova d’água

Ele. É. À. Prova. D’água.

Deixei mais pro fim do artigo uma das coisas mais sensacionais sobre o Dash. Até um tempo atrás, eu nadava semanalmente somente com uma touca e meus óculos. Agora, de uma hora para outra, tenho o Apple Watch Series 2 me monitorando no pulso e posso, também… ouvir músicas!

A academia onde malho possui alto-falantes decentes na área da piscina, mas no momento em que você começa a nadar e põe a cabeça dentro da água, não dá para ouvir mais nada. E, por mais bom gosto que a minha professora tenha, não sou eu quem controlo a playlist de lá.

Devo dizer-lhes que nadar ouvindo suas próprias músicas é uma experiência muito, muito bacana. E o Dash brilha nesse sentido, funcionando maravilhosamente bem — inclusive na sensibilidade dos toques sobre as suas peças, mesmo com os dedos molhados.

The Dash nadando (na água)

O grande porém dessa história é que dá para cogitar, nesse caso, ouvir músicas via Bluetooth. E não é nem pela distância do iPhone para você; eu deixei o meu na beira da piscina e, mesmo lá do outro lado dela (cerca de 25m de distância), ele ainda conseguia captar um pouco do sinal. O problema é quando você põe a cabeça na água; você pode estar ao lado do iPhone, mas o sinal é cortado imediatamente. Não rola.

E aí, é claro, entra não só o “perrengue” de você ter que ficar alimentando a memória interna do Dash com músicas (você pode até encher os 4GB, mas periodicamente vai querer dar uma variada no repertório), como fica restrito à grande e chata limitação de não poder usar arquivos com DRM nesse caso. Não dá para ter tudo, né?…

Ah, antes que perguntem: a comunicação entre o Dash da direita e o da esquerda também ocorre, obviamente, via Bluetooth. E essa conexão também é afetada quando você está debaixo d’água. Mas costuma ser algo eventual e bem rápido, então você só vai se incomodar se estiver de fato prestando atenção nisso a todo momento — até porque o Dash da direita não para de tocar em momento nenhum (é ele que “envia” a música pro outro).

Monitoramento de atividades

Como se não bastasse tudo isso, o Dash também é um monitor de atividades excelente para quem corre, pedala ou nada.

Ele acompanha os seus batimentos cardíacos, duração de exercícios, passos, respirações, calorias e por aí vai, proporcionando feedbacks via voz ao usuário em tempo real.

Sobre este aspecto do Dash, eu tenho pouco a falar porque já faço todo esse monitoramento pelo Apple Watch. Mas, para quem não tem um smartwatch ou qualquer uma dessas pulseiras fitness modernas, o Dash também cobre essa lacuna.

Bateria

Eis o ponto de sofrimento para todos nós com dispositivos eletrônicos modernos. Como o Dash se sai, nesse quesito? Eu diria que poderia se sair melhor.

Cada peça do Dash tem uma bateria de íons de lítio de 100mAh, e com ela a Bragi promete uma autonomia de até 4h de reprodução “dependendo do uso do sistema”. E digo logo que estas aspas realmente fazem diferença: na minha experiência, consegui bem menos que as tais 4h.

A boa notícia é que o estojo de recarga também tem uma bateria interna, esta de 2.200mAh. Na prática, significa que você pode recarregar ambas peças do Dash por até cinco vezes.

The Dash (Bragi)

Colocar as peças do Dash no estojo é bem simples e ele tem até ímãs para posicioná-los corretamente. Mesmo assim, acho que o “berço” de encaixe poderia ser mais justo a fim de evitar que a peça saia do lugar e perca o contato magnético que provê a recarga. Digo isto porque aconteceu comigo mais de uma vez e fiquei com apenas uma das peças devidamente recarregada.

Uma coisa que me chateou é que o Dash não informa o nível de bateria ao iOS, ou seja, quando conectado ao iPhone apenas temos a indicação de um dispositivo/fone Bluetooth conectado. Já há diversos fones e até alto-falantes sem fio no mercado que permitem que se verifique seu nível de bateria pelo próprio iPhone.

De acordo com a Bragi, o Dash é recarregado na íntegra em duas horas.

Conclusão

Nenhum produto é perfeito, mas o Dash sem dúvida nenhuma está do lado positivo da balança. Gostei muito do produto e já estou triste por ter que devolver a minha unidade de review.

Ao mesmo tempo, estou superansioso para pôr as mãos nos AirPods e poder avaliá-los inclusive agora que tenho a base desta minha experiência com o Dash. Ainda assim, já faço essa “migração” ciente de que não terei, com a solução da Apple, alguns fortes diferenciais do Dash. O maior deles, sem dúvida nenhuma, é a possibilidade de usá-los na água.

A Bragi não tem representação oficial no Brasil, então você não encontrará um Dash facilmente à venda por aqui. Nos Estados Unidos, ele custa salgados US$300 (sim, quase o dobro dos AirPods) e está disponível tanto na versão clássica preta quanto numa branca.

Review: The Dash, os fones de ouvido totalmente sem fio da Bragi
Design9
Tecnologias10
Usabilidade7.5
Recursos8.5
Som8.5
Bateria8
Prós
  • Fones totalmente sem fio;
  • Som de qualidade;
  • À prova d'água.
Contras
  • Controles um pouco confusos;
  • Volume poderia ser mais alto;
  • Bateria limitada, recarga pode melhorar.
8.6Geral
  • Rafael Oliveira

    Bem que podia ser vendido na MMStore né? hahah

  • Algo a se pensar, mas dá até preguiça de imaginar o pessoal reclamando do preço e ignorando totalmente câmbio, impostos, frete, seguro, custo da nossa operação e por aí vai. Tem gente por aí que acha que a gente viaja e traz esses produtos escondidos na mala. Creia.

  • Rafael Oliveira

    é complicado mesmo porque a galera não entende o lance dos impostos aqui. Mas seria legal ter uns produtos que são de difícil acesso no Brasil tipo o timeporter pro Apple Watch e esse fone.

  • Fabio

    Tinha lido sobre esse fone e tinha achado ele bem bacana, principalmente por ser wireless mesmo. Também não sou fã daquele fiozinho….O preço é salgado mesmo, é quase o preço de um ps4 Pro que eu também estou muito afim…Ou seja, é muita coisa bacana e muito pouco dinheiro rs. Ótimo review!

  • Gabriel Sória

    Ótimo review.
    Eu não gosto de fones de ouvido Bluetooth, já tive alguns e não me agradam pois uso fones o tempo inteiro e o fato de ter que carregá-los me incomoda e atrapalha.

  • Caio Perez

    Poxa, fizeram a maior propaganda e não falaram onde pode ser comprado? (no site da Brag, não vendem para os BR) kkkk pior que me interessei bastante

  • Muito interessante. Uma pena não podermos transferir músicas do iTunes para ele…

  • hecnpo

    Vc já tem o nome do produto e tudo mais, o Google está aí para ser usado.

  • paulobr

    Se a Apple não tivesse abandonado totalmente a linha de iPods, talvez este poderia ser um novo iPod.
    Do jeito que está, já é bem parecido com um produto da Apple.

    Uma pena a Apple ter olhos apenas para o iPhone. =

  • Ajustes

    Compra na loja oficial dos EUA e usa o My VIP Box.

  • Diogo Amaral

    Só optei pelos AirPods ao invés desses porque eles são intra auriculares, não gosto desses negócios entrando na orelha, me incomada. Prefiro as perninhas pra fora da Apple, que sempre existiram e nunca me incomodaram.

  • Marlley Figueredo de Almeida
  • Fabio Hirayama

    Super dica Andre! Gostei muito do Air e quando tava quase fechando a compra, só fiquei com uma dúvida: e quanto ao imposto de importação? Você sabe como funciona? Creio que deva ser cobrado, certo?

  • Ajustes

    Não é por questão de ser fã boy, mas acho o design dos AirPods muito melhor!

  • Schneider

    Eu cheguei a testar eles na loja da O2 aqui em Londres. Só que eu achei a qualidade de som decepcionante na verdade. Sem falar que pra conectar essa encerenca no meu iPod foi um sacrifício, já que vc tem que parear um deles com o telefone, e o outro você pareia com o app ou com o outro fone, não lembro direito. Desisti de comprar pq me decepcionou. Não sei como ele está depois de vários updates no firmware, mas todas as reviews q eu vejo ainda dizem que ele tem que melhorar…

  • j o ã o g u r g e l

    Eu tb acho um pouco complicado esse lance enfiado no ouvido. Os da Apple agradam na anatomia e não estupram seu ouvido, incomodando pouco.

  • Anderson Camões

    Achei bem legal!!!!
    Lembra bem o icon X da Samsung! Alguém já testou ele com o iPhone? Vale a pena?

  • Diogo Amaral

    Pois é, pelo que li de reviews na época que apresentaram, a sensação é a mesma que os com fio, para mim ótimo, pois os earspods foram o fones da época que gostei, aquele antigo nunca usei, achava uma porcaria.

  • Andre De Lacerda Cordoval

    Então pode ser que sim e pode ser q nao, mas msm assim acho q valha a pena…

  • Tales Carvalho

    Tenho um The Das a mais de 2 meses, e são sim MUITO BONS!
    Com a atualização 2.2 ficaram bem melhores.
    Algo que o Rafael não falou foi sobre o movimento de cabeça para passar musicas, atender o telefone e outros…
    Mas também acho que o Rafa errou ao dizer que a conexão entre os dois fones é feita via Bluetooth, no site da Bragi eles falam sobre uma conexão de proximidade… não entendi direito… mas não é bluetooth.
    Os graves do fone aparecem quando vc acerta o tamanho da luva ou tenta usa uma borrachinha adaptando a pressão no ouvido (Dá pra achar dicas sobre isso no youtube), ai o som é de impressionar.. e o volume, vc adapta no app.
    Na água é realmente uma experiência muito legal, nadar ouvindo musicas/podcast.. ou o que vc quiser…
    Não é barato… verdade…. mas se vc já comprou um telefone (iPhone) que não é barato.. não vai reclamar disse né!?
    A bateria é bem boa… e se vc para de usar um pouquinho e coloca os fones na caixinha… rapidinho pegam carga para continuar usando…
    Estava esperando o review do Rafa para ter uma segunda opinião sobre eles… Valeu!

  • Marcus Paulo

    Parece que só funciona com alguns (poucos modelos) da própria Samsung. Vi um review do Dudu Tech no YouTube.

  • Ismael Silveira

    Gostei muito da review @rfischmann:disqus, meus parabéns. 🙂
    Estou seriamente inclinado a comprar um par dessas bebezinhas. Nado com uma certa frequência e a idéia de ouvir musicas enquanto nado me agradou bastante.
    Agora uma dúvida: você chegou a testar os controles com os dedos molhados (Ou até mesmo embaixo d’agua)? Eles chegam a funcionar?

  • Luiz Felipe

    Pra mim o que vai causar um grande diferencial, desses dois fones também, é que os AirPods são muito mais propícios a perda do que o Dash, ja que o Dash fica literalmente enfiado no ouvido kkkk.

    Mas eu esperei muito por esse review, agora fiquei na duvida de quanto tempo demora pra case dar uma carga no fone, pego condução todos os dias para o trabalho e demoro mais ou menos 1:30~2h dentro do mesmo, se a bateria não aguenta esse tempo fica complicado, agora se a carga da case for de minutos é relevante.

  • Matheus

    Durante algum tempo utilizei uns fones da Earin, que comprei pelo Kickstarter. Posso lhes dizer que a experiência não foi das melhores, nem para atender o telefone ele funcionava, o que me deixou decepcionado. Fora que a entrega demorou mais de um ano para ser feita em relação ao previsto.

    Outro ponto, e esse gostaria que o Rafa me esclarecesse foi em relação ao delay que havia no Earin, era impossível assistir a algum filme/série utilizando ele, pois o áudio ficava fora de sincronia com o vídeo, segundo a empresa era porque ele fazia um buffer no lado esquerdo que então se comunicava com o lado direito. Como esse parece funcionar de forma semelhante, fica aqui minha dúvida: Rafa, você já assistiu algum vídeo com ele? Existe esse delay a ponto de incomodar? Valeuu…

  • Matheus

    Fala André, beleza? Quando chegar dá um toque pra gente? A minha primeira experi~encia com crowdfunding não foi das melhores, comprei um fone parecido, o Earin, e eles demoraram mais de um ano para entregar, em relação ao prazo prometido e o que eu recebi veio cheio de problemas. Depois dessa me prometi só comprar o produto já pronto…

  • Laylson Alves

    Ainda na procura de um fone de ouvido que me dê pelo menos 5 horas de bateria, ainda que seja com aquele fio chato conectando as partes. Como pretendo migrar para correr maratona, não dá pra acabar a bateria no meio da prova. No momento a solução que tenho pensado é ter um iPod só pra usar com fone de fio, pra não acabar na prova. Mas não comprei um relógio da TomTom com memória interna e conexão Bluetooth pra usar assim, então fica a esperança

  • Não, não existe.

  • Sim, funcionam com os dedos molhados. Eu citei isso no review.

  • Leonardo Negrisoli

    Nossa que incrível… quando vi esses fones pensei “ok… só mais um…”, mas não. Eu certamente adoraria testar um desse e ver se perco a minha aflição de achar que eles vão cair a qualquer momento da minha orelha e perderei salgados 500 mil reais.
    De qualquer forma… acho que não estou disposto a pagar US$300 neles mesmo me parecendo uma incrível tecnologia. To bem com meus Earpods ahaha

  • Ubirajara Batalha

    Se eu não estiver enganado, os novos fones wireles Beats Solo 3 duram 5 horas ou mais e recarregam super rápido além de chamar a siri sem aprrtar botão nenhum, mas no seu caso já vale pela bateria!

  • MagicCarpetDriver

    certeza q se chegasse aqui, chegaria mais barato q os Airpods e parecem ser BEEEEEEM melhores

  • Thiago Ribeiro

    Tales eu não tenho, o Dash.Mas quando o site fala conexão por proximidade, com certeza é como é feita a conexão. Mas a comunicação deve ser feita ou por Bluetooth ou Wi-fi(algum tipo de conexão Wireles).

  • Thiago Ribeiro

    Mano já soou contrário. Não consigo usar esse fones comuns, machucam meus ouvido. Prefiro os intra auriculares.

  • Exato. E é via Bluetooth, sim.

  • Laylson Alves

    O ruim Ubirajara é o tamanho, né… pra correr acho inviável, apesar de ver gente correndo com fones assim. Queria um mais voltado para atividade física… talvez os AirPods façam isto, já que anuncia a Apple suportarem até 5 horas. Só que este “até” que mata a gente, porque tenho um aqui que falava até 4 horas… aguenta 70 minutos. Agora é aguardar testes reais com os AirPods e esperar que realmente aguentem as 5 horas.

  • Isso que é gadget! Os AirPods são fones simples.. não chegam perto dessa tecnologia. Ótima review!

  • Giovane

    Eu já tenho certeza que perderia um desses fones isolados andando, imagina nadando. Como que ele segura?

  • Miguel Martins

    eu tb acho que a Apple tá vacilando nesse quesito. vendi meu iPod e não assinei o Apple Music porque não tinha suporte. o que com uma simples atualização resolveria. vai entender…

  • Ubirajara Batalha

    Verdade, apesar que estou pensando em comprar um Beats Solo 3 pra malhar por imaginar que ele abafe mais o som dentro da orelha e cancele mais ruídos que os Airpods (imagino) pra malhar, estudar e tudo oq for… rs

  • Tales Carvalho

    Já tentou os da Jaybird? Tenho o Bluebuds X e são ótimos para exercício, conectividade muito boa e o som é também muito bom, sem contar que a bateria dura muito. Acho que passaria a sua necessidade de 5 horas.

  • Laylson Alves

    Não testei, Tales… é uma boa opção. O problema são estas possibilidades, né? Porque não falamos de fones de R$150,00… muitos custam R$1000,00, então não dá pra testar. Vou ler a respeito. Minha necessidade é não sair durante a corrida, durar uma 4/5 horas e estaria muito bom já, além de parear com o relógio, claro.

    O problema de ficar muito caro porque aí fica mais fácil comprar um iPod Shuffle, continuar usando meu fone com fios da Philips, espetacular, diga-se de passagem. Agradeço e vou ler sobre ele

  • Aprenda aí, Apple 😉

  • cristthian

    Qual app que mede velocidade da rede ali do lado tweetbot?

  • Thiago Ribeiro

    Foi o que conclui, pois mesmo não sendo bluetooth, algum tipo de wireles seria. Proximidade não seria mágica rsrsrsrsr

  • André Lopez Peixoto

    Rafael, eu compraria um certo!

  • Tiago Celestino

    Agora quero ver a desculpa de quem achou que a Apple não fez bobagem em lançar um fone capado. Pode ser o dobro do valor, mas o Dash vale muito mais apenas.

    Que chegue na MM Store. 😀

    PS.: não enviam para o Brasil :/

  • Guilherme Oliveira

    Laylsin, sou usuário do Bluebuds X da Jaybird a 3 anos e a bateria atende fácil a sua necessidade, hoje a autonomia do meu esta entre 7 a 7½ horas, o fabricante informa que são 8 horas após a carga completa.

    Existem algumas lojas aqui no Brasil que comercializaram por R$ 600 este modelo (já fora de linha).

    Hoje a Jaybird possui em seu catálogo o Bluebuds X2 e o mais novo chamado Freedom (que venho namorando a algum tempo, mas o câmbio não me permite).

    Os únicos pontos fracos que destaco – na minha humilde opinião – são: A falta de um som grave mais profundo (coisa difícil se se obter nesse tipo de dispositivo); e o tamanho dele no ouvido acho que fica muito evidente, gostaria de algo mais discreto.

  • Laylson Alves

    Bacana saber, Guilherme! Pelo visto os Bluebuds são uma ótima opção.

  • iStat Menu

  • Marcelo A R Dias

    O monitoramento de atividades do Dash é totalmente compatível com o App Saúde (Health) da Apple?
    Aceita todas as funções do Dash no app normalmente?

  • Daniel

    Também existe o Bose Soundsport Wireless, concorrente direto dos Jaybirds. Comparei ambos recentemente num freeshop e acabei ficando com o Bose, achei o som muito melhor e o preço é o mesmo. Quanto a qualidade de acabamento e todo o resto se equivalem, mas a diferença no som, principalmente nos graves é gigante. A bateria tem durado de 6 a 7 horas tranquilamente.

  • Ayrton Brancalhoni

    Tales, tudo bom ??
    tinha um Jaybird x2 para correr porém o mesmo veio a queimar pelo excesso de suor.
    Você achar que o The Dash vale mesmo a pena ?
    estou cogitando a compra dele para as corridas que faço, mas fiquei na dúvida porque li alguns relatos na internet dizendo que, as vezes, as unidades não ficam em harmonia, havendo um ligeiro retardo de um dos lados. Aconteceu com você ?
    Outra coisa, ele chega a incomodar na orelha por ser grande ? atrapalha ?
    Valeu.

  • Tales Carvalho

    Ayrton, tenho achado o Dash muito bom. Por ele ser a prova d’água não acho que ele possa queimar por estar molhado.
    Não tenho tido problemas em questão de sincronização.
    O que foi melhorado muito com a versão 2 do sistema operacional, era a baixa conectividade dos fones com o telefone. Se vc colocasse o telefone na linha da cintura a conexão com os fones ficavam intermitente. Mas isso foi resolvido nesta versão.
    Sobre o tamanho da orelha, não sei… mas como vem junto 4 “luvas” de tamanhos variados vc acaba achando um tamanho para você!
    Também tenho um Jaybird X, gosto muito da conectividade dele, mas as funções do Dash são muito boas!
    Compre e aproveite!
    Falou!

  • Ayrton Brancalhoni

    Muito obrigado pelo feedback, Tales !!
    Já os comprei. Espero que dure bastante.
    Abraços.

  • andre

    Ayrton, boa tarde.
    Os seu The Dash já chegou? O que está achando?

    Abraços

  • Ayrton Brancalhoni

    Andre, boa noite.
    Eu comprei e mandei entregar em um hotel que irei ficar em Orlando na semana que vem.
    Ele ainda não foi colocado na ups, mas acredito que até amanhã já esteja com eles.
    Assim que eu usá-los por um período, posso lhe dar um feedback, okay ?
    Abraços.

  • andre

    Boa noite,
    Ok, vlw

    Abs

  • Marcelo A R Dias

    Uma pena 🙁

  • Felipe Righetti

    tem no ML

  • Rafael Russo

    Gostaria de fazer essa pergunta pra quem tem o The Dash e o IconX:

    No IconX consigo realizar atividades fisicas, sem ter o celular por perto. Quando acabo, faço a sincronização do IconX com o celular e todas as informações da minha atividade fisica vão para o celular.
    No The Dash, não consegui fazer.
    MInha pergunta é: existe essa função no The Dash?

  • Jonas

    Boa tarde
    Quanto tempo ele dura com a conexão Bluetooth? E sem a conexão Bluetooth?
    Desde já, obg.

  • frederico

    Uso apple watch para isso realmente não sei dizer

  • frederico

    Acho que você pode habilitar o Dash no aplicativo saúde se for iphone, em ajustes.

  • Leandro Baptista

    Pessoal, peguei um The Dash anteontem e comecei a utilizá-lo tanto no trabalho quanto para correr na rua, seguem minhas considerações:
    – Ele está apresentando muita falha no áudio (fica cortando) quando o utilizo conectado ao meu macbook pro aqui no trabalho, me dá a impressão de “conflito” entre os dispositivos bluetooth que utilizo (mouse e teclado). Além disso, o alcance é muito baixo, me afasto por 3 metros e o sinal já começa a sumir.
    – Para correr na rua acho que só utilizando o celular com aquelas “armbands”, pois quando o coloquei no bolso o sinal foi cortado automaticamente.

    Já estou começando a me arrepender do “investimento”.

    Alguém aqui que possui o The Dash tb está sofrendo com esses problemas? Ah, o meu já está atualizado para a 2.2

  • Jonas

    Quanto tempo ele dura no bluetooth? Com volume na metada + ou -.
    Quanto tempo demora pra carregar no estojo?
    Desde já obg.

  • Jonas

    A Bragi tb lançou o fone The Headphone, que sao muito similares os The Dash. Eles têm duração de 6 horas no bluetooth.

  • Tales Carvalho

    Oi jonas,
    Ouvindo alguma coisa, dura em média 3 horas…
    O tempo de recarga, eu não sei direito, mas é por volta de uma hora pra ele voltar a carga total.
    Não sei direito por um detalhe. O uso desse fone comigo é o seguinte, fico ouvindo no trabalho, e quando preciso tirar já coloco no cadê de recarga… então vira-e-mexe ele tá no case carregando.
    Mas já rolou de acabar total, mas com alguns minutos no cadê já segurou carga para mais uma hora. Eu considero que ele carrega rápido.
    Ah! Ele não aparece no controle de bateria do iPhone, como os outros fones Bluetooth, ele só aparece conectado, não tem a informação desperceberiam de carga, a informação que temos de estado de carga é cor que pisca nos próprios fones.
    Falou!

  • Jonas

    Quais são os aspectos negativos dele , na sua opinião?

  • Tales Carvalho

    Na minha opinião o defeito é o alcance do Bluetooth.
    Quando vou correr uso uma pochete para o iPhone, que fica colada ao corpo na altura da cintura….
    Então o telefone está na cintura e nas costas, essa distância faz com que a conexão falhe.
    Já foi pior… mas a atualização do software melhorou muito. E, a minha esperança é que em alguma nova atualização este campo seja aumentado.

  • Jonas

    Obrigado pela atenção.
    Estava analisando a respeito de vender o meu AirPods pra comprar mas já desisti. Pq o meu tem alcance do bluetooth de + de 40 metros e bateria de 5hs no fone +24hs na case o que soma 29 horas. Sem contar q em 7 minutos no estojo tenho carga pra 1:40h. de reprodução em bluetooth.

  • Tales Carvalho

    Verdade!
    Vou comprar um AirPods para minha esposa, em maio, e vou poder avaliar e comparar.
    O que acho que os AirPods perdem de longe do Dash são as outras coisas…
    Ser a prova d’água, podendo nadar ouvindo música, isso tem sido muito bom pra mim; os gestos no fone, aumentar o volume, abaixar o volume, passar as musicas, pra frente e pra traz, usar a Siri, ativar e desativar a transparência, atender ligações somente com o movimento da cabeça e ter embutido nele um frequencímetro, um marcador de cadência e cronometro durante os exercícios.
    Sobre a conexão que eu reclamo é só durante a corrida… e não sei mesmo por que é assim, se vc estiver com ele no bolso da calça não falha… mas coloca atras pra correr falha. E o estojo recarrega também, como o AirPods… e sem recarregar o estojo ele vai uma semana inteira de uso…
    Em maio vou poder avaliar os dois!
    Valeu!

  • Jonas

    Em questão de mudar música eu acho simples no AirPods. É so da 2 toques e falar: próxima. E ele pula a música
    2 toques e alumentar volume.
    2 toques e falar o que quer.
    Mas na pratica eu quase não uso, pq tenho minhas play lista onde gosto de todas as musicas. Então quando saio , só deixo rolar.
    O único toque que eu uso mais é os 2 toque para pausar a música, quando alguém vem falar comigo.
    O ponto forte dele na minha opinião , é que posso usar ele quase o dia todo sem me preocupar com carregamento pq é super rápido.
    8 min. na case da 60% de carga no meu.

  • Beto Militani

    Mas não precisa do telefone junto pra correr, não dá pra armazenar 4G de musicas nele? Fora os medidores que ele tem. Ele sozinho resolve tudo, não? To querendo saber pq quero comprar um.. To na duvida entre eles ou um airpod com Apple watch.. Quero correr sem carregar nada, ou quase nada..

  • Leandro Baptista

    Beto, fui correr somente com os fones e o Apple Watch, deixei meu iPhone em casa. Enviei algumas músicas pro The Dash via computador e utilizei o Strava no Apple Watch, tudo funcionou perfeitamente, sem a necessidade de utilizar o telefone, fiquei muito satisfeito com o resultado. O problema do áudio no Macbook praticamente sumiu depois que atualizei meu macOS, do El Captain pro Sierra. Agora afirmo com certeza de que valeu o investimento, os fones são muito bons!

  • Tales Carvalho

    Segundo especificações técnicas do fones a conexão entre os dois é feita por NFMI, e não Bluetooth.
    ” The left and right Dash use Near Field Magnetic Induction (NFMI) to communicate with each other. This technology is immune from breakups that Bluetooth suffers but other situations can cause the audio to drop out. The Left and Right Dash are constantly exchanging messages with each other over the NFMI link during normal operation.”

  • Marcelo Fernandes

    Bom dia. Observei que conhece bem este aparelho. Gostaria de saber se há algum dia a possibilidade de ter menu em português e qual avaliação que faz em relação ao GEAR INOX? Adquiri um recentemente e parece não ter esse problema com a conexão Bluetooth. E compatível com Galaxy note edge?

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.