A cada dia diminui a quantidade de usuários que necessitam instalar uma máquina virtual no seu Mac — seja uma instalação do Windows, do Linux ou mesmo a beta de uma futura versão do macOS. Entretanto, é inegável que ainda um número considerável de donos de Macs precisam de alguma solução do tipo; na maioria das vezes, para rodar programas ou jogos da seara do sistema operacional da Microsoft.

Eu sou um deles: como estudante de arquitetura e urbanismo, preciso ter acesso a alguns softwares disponíveis apenas no Windows (aliás, o mais notável deles, o Revit, já virou uma piada no mundo dos arquitetos por causa das contínuas promessas de uma versão para Mac que nunca vê a luz do dia); também tenho o costume, apesar de não ser um gamer de carteirinha, de jogar alguns títulos exclusivos para o SO da Microsoft.

Parallels Desktop 12 para MacAté recentemente, minha ferramenta escolhida para realizar tais tarefas era o indefectível Boot Camp, recurso nativo dos Macs. Entretanto, com a necessidade de reiniciar o computador todas as vezes que precisava trocar de sistema, além da relativa dificuldade em transferir arquivos de um para o outro, era claro para mim que aquela não era a solução ideal.

Foi assim que, quando vislumbrei no horizonte a oportunidade de testar o Parallels Desktop 12, a nova versão de um dos softwares de virtualização de máquina mais populares do mundo Mac, agarrei-a imediatamente. O início do teste coincidiu com a liberação do Sierra, então uni o útil ao agradável: fiz um backup dos arquivos de ambos os sistemas no meu MacBook, apaguei completamente o SSD e realizei uma instalação limpa do novo macOS, instalando o Parallels logo então e configurando uma máquina virtual com o Windows 10 — o mesmo que rodava anteriormente na partição em separado.

Minha única preocupação em relação à mudança tinha a ver com a performance: como se sabe, ao contrário do Boot Camp (que é uma partição separada do disco e, portanto, acessa os recursos da máquina irrestritamente), uma máquina virtual mora “dentro” de outro sistema e, portanto, não tem como tirar proveito de todo o poder de fogo do seu processador/RAM/gráficos e tudo mais. Como eu, em algumas ocasiões, mexo com projetos razoavelmente complexos no Revit e em outros programas de modelagem, tive receio de o Parallels comprometer a fluidez/velocidade do trabalho.

A metodologia do meu teste, considerando isto, foi a mais simples possível: como um usuário comum, simplesmente avaliei a experiência de uso da máquina virtual do Parallels, comparando com a que tinha anteriormente com o Boot Camp — sem medições de performance e sem números complicados, apenas a mais pura experiência. Para que vocês tenham uma medida de comparação com o computador de vocês, o Mac utilizado no teste foi um MacBook Pro de 13 polegadas, de meados de 2012, equipado com um SSD, chip Intel Core i7 de 2,9GHz, gráficos Intel HD Graphics 4000 de 1.536MB e 16GB de RAM.

Vejamos a seguir as minhas impressões.

Configuração inicial

Parallels Desktop 12 para Mac

A configuração do Parallels Desktop 12 não poderia ser mais intuitiva. Ele está totalmente traduzido para o português, mas mesmo que não estivesse, uma pessoa com pouca familiaridade com o inglês poderia seguir os passos para instalar a sua máquina virtual sem muita dificuldade.

Ao iniciar a ferramenta pela primeira vez, ela dispõe todas as opções necessárias, com as três mais comuns (“Obter o Windows 10 da Microsoft”, “Instalar Windows de um dispositivo externo” ou “Transferir o Windows de um PC já existente”) em destaque e outras (como instalar máquinas virtuais do Linux/Android/Chromium OS e outros) na parte inferior. Escolhendo qualquer uma das opções, o Parallels guia o usuário com passos absolutamente simples de seguir até o momento em que a máquina virtual está lá, pronta para uso. Ponto extremamente positivo aqui!

Uso

Minha primeira impressão ao começar a usar a máquina virtual do Parallels foi de total e deliciosa liberdade tecnológica: não mais preso às amarras do Boot Camp, eu posso simplesmente desfrutar do programa que eu quiser, a hora que eu quiser, sendo ele criado para macOS ou para Windows. Posso, também, pegar um arquivo de um dos sistemas e passar imediatamente para o outro, sem precisar espetar um pendrive no computador e reiniciá-lo. Não mais estou limitado, também, à minha divisão inicial do disco — se precisar instalar um software novo e pesado no Windows, posso fazer isso sem problemas. Um novo mundo descortinava-se à minha frente.

Parallels Desktop 12 para Mac

Melhor ainda, eu não preciso nem ao menos lembrar que estou usando o Windows: no modo Coerência, os aplicativos do sistema abrem em janelas independentes, na área de trabalho do próprio Mac. Este é, para mim, o recurso matador do Parallels — você pode simplesmente esquecer das vantagens e desvantagens de usar o Mac ou o Windows e simplesmente ter as duas coisas no mesmo lugar, sem uma distinção clara. É o melhor dos dois mundos!

Claro que, como toda relação, após o encantamento inicial os problemas começam a surgir. No caso do Parallels, foi exatamente o que eu esperava, porém talvez numa escala menor do que eu temia: de fato, as coisas sofrem uma pequena perda de desempenho; na minha experiência, entretanto, esta desvantagem é facilmente contrabalançada pela comodidade de usar os dois sistemas no mesmo lugar. Apenas para ilustrar, um projeto em 3D no Revit que era manipulado com total fluidez no Boot Camp apresentou uma pequena quantidade de lag na máquina virtual — mas nada que impeça o trabalho ou incomode muito.

Nas configurações de cada máquina virtual, o Parallels permite ao usuário controlar finamente quanto dos recursos do computador pode ser extraído pela virtualização — o recurso, entretanto, é limitado de acordo com a edição do software. Na edição que eu testei, a tradicional (e mais barata), o máximo de RAM suportado pelas instalações secundárias é de 8GB, metade do que disponho no meu Mac; edições mais caras (falaremos delas em breve) permitem a utilização de até 64GB!

Recursos

Eu sou um cara simples que gosta de manter as coisas simples — digo isto porque não usufruo de quase nenhum dos recursos especiais do Parallels, o que não significa, entretanto, que eles não existam. Muito pelo contrário, aliás: a ferramenta traz uma série de opções relacionadas a segurança, proteção de dados e backups que satisfará qualquer usuário preocupado e mais zeloso que eu com suas máquinas virtuais.

O virtualizador traz, por exemplo, o recurso de backup SmartGuard, que grava uma imagem da máquina virtual a um intervalo escolhido pelo usuário e pode salvar tudo na Time Machine do Mac. Também é possível criptografar com senha a inicialização das suas máquinas virtuais, bem como configurar o programa de forma que a senha do Mac seja exigida quando qualquer mudança nas máquinas for efetuada.

Um recurso muito interessante (este, eu usei!) é o de compartilhamento de pastas. Com ele, uma determinada pasta no Mac tem seu conteúdo automaticamente refletido em qualquer máquina virtual; por exemplo, ao instalar o Windows 10, o Parallels automaticamente configurou a Mesa (Desktop) do meu Mac como pasta compartilhada — a partir daí, todos os arquivos presentes nela também apareciam (e sumiam, se fossem movidos/deletados) na Área de Trabalho do Windows. Facilita bastante o trabalho em alguns cenários.

Preço

O Parallels Desktop 12 tem três edições: a padrão custa R$265 por uma licença vitalícia ou o mesmo preço por uma assinatura anual que dá direito a atualizações gratuitas para as futuras versões do software. As edições mais avançadas só estão disponíveis no esquema de assinatura: a Pro Edition custa R$310/ano, mesmo valor da Business Edition; ambas incluem também as atualizações gratuitas para futuras versões. As diferenças entre as edições incluem suporte a mais recursos do computador, suporte dos desenvolvedores por email/telefone, ferramentas de rede avançadas e mais; tudo pode ser conferido nesta página.

Caso você já tenha o Parallels 10 ou 11 (licença única, padrão ou Pro), pode atualizar para a nova versão por R$150. Também há valores especiais para estudantes através do OnTheHub, bem como uma versão de testes que funciona por 14 dias. No geral, não são valores baixos, mas certamente valem a pena caso você esteja precisando de uma solução de virtualização para o seu Mac.

Parallels Desktop 12 para Mac

Um encontro épico!

No Brasil, o Parallels é distribuído pela Boxware.

Veredito

No fim das contas, estou feliz em ter trocado o Boot Camp pelo Parallels. Estaria mentindo se dissesse que não sinto, às vezes, saudade da fluidez total do Windows na partição separada; por outro lado, as vantagens da máquina virtual tiveram, ao menos na experiência, um peso muito maior no momento da decisão. E veja bem: talvez não fosse o caso se fosse de outra forma, mas o Parallels é um software tão polido e bem construído que, como dizem popularmente, dá gosto de usar.

Review: um velho usuário do Boot Camp testa e dá a sua opinião sobre o Parallels Desktop 12
Design/interface do usuário10
Facilidade de uso10
Recursos9
Performance8
Custo/benefício8
Prós
  • Muito fácil de configurar e usar;
  • Compatível com uma grande quantidade de sistemas;
  • A incomparável liberdade de usar apps do Windows no Mac!
Contras
  • Performance não aproveita todos os recursos da máquina;
  • Versão mais barata tem limitações importantes;
  • Preço pode ser um pouco salgado.
9Geral
  • Hades666

    Paliativo isso que são esses programas. Realidade é que precisamos do Windows ainda para muita coisa, infelizmente…..culpa de quem?!?

  • Raniere Dantas Valença

    Era tudo justamente como eu pensava e vc descreveu aqui. Muito bom e real o artigo! Nesses dias dentro do Natal, foi oferecido um desconto de 30% e comprei na hora. Já valia cada real investido, com desconto, então! Como todo BR gosta… Recomendo fortemente o programa.

  • Melhor setup é instalar o Windows no bootcamp e carregar ele via Parallels, ai fica a a opção de iniciar o windows tanto no parallels quanto por bootcamp. Já a via bootCamp o desempenho é melhor se precisar.

  • Raniere Dantas Valença

    Essa pergunta é complexa. A lista é grande. Por outro lado, a MS não tem um programa/suporte semelhante ao boot camp, o que diminuiria gigantemente os hackintoches…

  • Cristiano Viana Alves

    Se gaba para todo mundo sobre como é perfeito o OSX, diz todo orgulhoso que pagou 20 mil reais em um notebook. Mas para ganhar os 20 mil reais, o unibody fodastico não dá conta. Precisa do Positivo de 1000 reais para trabalhar. Que ironia!

  • César Krentzenstein Borman

    Não vi ironia nenhuma, um SO, por mais perfeito que seja (não é o caso do macOS, embora seja muito bom) não é nada sozinho. As desenvolvedoras de software querem mercado ou venda, e isso é obtido em Windows. Por isso grandes softwares ficam de fora. Eu precisei do Parallels (Agora uso o Fusion, que consegui de graça) só para rodar o Visio pq na faculdade o professor queria o trabalho em .vsd, ou seja, nem as alternativas serviriam. O macOS tem N pontos positivos, mas compatibilidade com o mercado e interesse dos desenvolveres estão entre os defeitos mesmo.

  • Guilherme Oliveira

    Belo artigo Bruno.
    Minha esposa convive com uma realidade similar a sua, uso do Revit num singelo MBAir mid 2011 (i7 4Gb RAM 256Gr SSD).
    Minhas dúvidas são:
    – Com a versão 12 do Parallels e W10, quanto foi o espaço consumido na sua SDD?
    – Qual o tamanho ideal/confortável para utilizar o Sierra e W10 num Mac?
    Vlw!!

  • Antonio Fonseca

    “Minha única preocupação em relação à mudança tinha a ver com a performance: como se sabe, ao contrário do Boot Camp (que é uma partição separada do disco e, portanto, acessa os recursos da máquina irrestritamente), uma máquina virtual mora “dentro” de outro sistema e, portanto, não tem como tirar proveito de todo o poder de fogo do seu processador/RAM/gráficos e tudo mais.”

    Uma pequena retificação. As ferramentas de virtualização atuais, tais como Parallels Desktop e VMware Fusion não fazem uso de emulação como no passado porque os processadores Intel atuais possuem extensões para Virtualização o que permite que esses software permitam que o sistemas virtualizados por eles acessem direto a CPU da máquina. Drivers especiais também são instalados nos sistemas hospedados para permitir o uso eficiente de outros componentes de hardware do Mac hospedeiros, como barramento USB, GPU, câmeras, etc.

    Na prática a penalização maior de performance ocorre na proporção da capacidade de CPU/GPU/RAM/Disco disponíveis no Mac e compartilhados com 2 ou mais sistemas operacionais em uso concorrente.

    Ou seja, quando mais parrudo for o seu Mac, melhor a performance. Mas não existe tanto desperdício por causa de emulação como no passado.

  • Ewertton Oliveira

    Você pode ter o bootcamp e o Parallels, e alternar o uso entre eles. Por exemplo: quando quero abrir uma aplicação leve e preciso continuar outras tarefas no macOS, opto pelo Parallels. Quando preciso de todo poder da máquina, reinicio e vou de BootCamp, você pode ter o melhor dos 2, sem precisar abrir mão.

  • Luis Cesar

    Se fosse só o Revit até dava pra encarar. O problema é que praticamente todos os programas de engenharia (no meu caso civil), não são a mesma coisa no parallels. Programas da AltoQI, por exemplo só em PC mesmo.

  • Novamente culpa de quem? A apple que não libera seu sistema para todos.

  • Marcio Vianna

    É verdade…
    Antes de adotar o macOS como único sistema profissional fiz extensa avaliação de compatibilidade dos arquivos e programas necessários e só fiz a mudança após certificar-me.

  • Marcio Vianna

    O macOS não possui participação de mercado suficiente a manter equipes de programadores dedicados nas produtoras de softwares.
    O mesmo ocorre com a versão universal do Windows.
    Cabe às gigantes encontrarem a solução. “Cada um com seus problemas.”

  • Rodrigo

    Vocês ainda estão nessa de Bootcamp, Parallels, computador tradicional? Eu substitui tudo pelo iPad Pro, que a Dona Apple me vendeu como o substituto do computador… Enquanto vocês ficam preocupados com instalação de Autocad, Revit, Sketchup, Illustrator, eu estou super tranquilo, pois eu posso instalar Mario Run no meu Computador do Terceiro Milênio enquanto vocês, ficam aí, com estes computadores tradicionais.

  • Marco Túlio da S Lima

    Linux é liberado para todos e nem por isso tem suporte das desenvolvedores.

  • João Ninguém

    Pelo menos alguém levou a sério aquilo que o Tio Cook falou … Parabéns.

  • Leo Lemos

    Bruno Santana, uso o Parallels aqui acho que sei lá, desde antigamente 😀 (sabe com é né, na empresa que trabalho o sistema que é usado aqui foi desenvolvido em VisualBasic a trocentos anos atrás) e digo uma coisa, de uns anos pra melhorou e muito o sistema deles (Parallels Desktop).
    porém essas melhorias vão do seu hardware e como vc usa um MBP 13″ (de 2013 ainda) que querendo ou não usa um proc. mais antigo (apesar de ser um i7) você não tira proveito de uma coisa que mudaria a sua experiência de uso de forma totalmente diferente, a placa de vídeo (sua GPU é uma HD4000) essa sua GPU usa os recursos do próprio processador e a memória dela é compartilhada com a do sistema.
    ou seja, ela até que “aguenta” algumas coisas mais pesadas, mas não tem “força” suficiente para ser usada em virtualização.
    se vc tivesse um MBP de 15″ com GPU dedicada (mesmo que com apenas 1GB de VRAM) esses lags que falaste aqui não existiria, pois nas configurações de video da sua máquina virtual, você habilitaria o suporte a aceleração 3D (directx 9 ou 10) e um mundo novo se abriria para vc, vai por mim, já fiz um teste em um MBP de um amigo (15″, i7, 16GB de RAM e 1GB de VRAM dedicado, e claro SSD) e sim, foi possível rodar jogos que exige muito da máquina com conf. media/alta a ponto de em certos momentos nem parecer que era um win virtual (ajudou tb o fato de a máquina usar uma partição física, ou seja o windows que estava no bootcamp, que o parallels importou de forma quase mágica :D).

    como minha conf. é de “pobre” não posso me dar á esse luxo, mas um dia chegarei lá 😀

    no mais, parabéns pelo artigo. eu que já sou “macaco velho” nessa área li o seu artigo e digo uma coisa, não deixa em nada a desejar para artigos profissionais e tal (li o texto como se eu fosse um leigo e foi bacana).

    uma dica, se puder particionar o hd (bootcamp) faça isso, instale o windows normalmente no mac e depois importe ele para o parallels, verás que a máquina terá um ganho de performance bacana, pelo fato de usar o SSD nativamente (e não um arquivo de imagem, que “simula” um HD, outra dica é, como vc tem 16GB de RAM aumente a RAM da máquina virtual para 8GB e diminua o tamanho do arquivo de paginação do windows para uns (sei lá 2GB) isso pode ajudar bastante. https://uploads.disquscdn.com/images/7eb714fecd33d9c761f2824a8d9f9aa428bb6904becd05721a0703e984463c0c.png

  • Leo Lemos

    como está sendo a sua experiência como Fusion??? uma vez que vc já usou o Parallels??

  • Bruno Araujo de Oliveira

    kkkkkkkkkk

  • Rodrigo

    hahahahahah

  • sigma7777777

    Sugestão: pesquisem sobre o Veertu. É gratuito e utiliza recursos do próprio macOS.

  • Jaime Camargos

    Belo artigo Bruno. Contudo, para aplicações pesadas de Arquitetura, Vídeo e Games… me desculpa mas o Parallels não segura não. Fica no Boot Camp que os problemas serão bem menores. Não sei se é o Windows ou o Parallels mas a cada versão e lentidão aumenta.

  • Alex Godoy

    Ótima matéria. Só não sei se pactuo com a frase “…A cada dia diminui a quantidade de usuários que necessitam instalar uma máquina virtual no seu Mac…”. Isso baseado em quais números? Qual fonte?

    Acho (e aí é opinião pessoal mesmo) que cada vez mais pessoas precisam/desejam utilizar virtualização. Quanto mais o Windows evolui (Windows 10 está realmente bom), mais pessoas terão prazer em utilizar, mesmo aquelas que possuem MacBooks.

    Sem esquecer dos profissionais de diversas áreas onde os softwares só existem para Windows.

    Vamos lembrar também da propaganda da Apple que diz que o MacBook é a melhor máquina para se rodar Windows.

    Finalizando, pensem em todos que estão decepcionados com os últimos lançamentos da Apple, quantos não estão familiarizando com o Windows desde agora via virtualização para quem sabe na próxima compra abandonar de vez a maçã?

    Eu uso Parallels desde o 7 ou 8, não lembro bem. Sei que jamais abandonei o Windows, por necessidade ou curiosidade. Mesmo quando o MacOs estava anos luz à frente. Quem dirá agora.

    Abs.

  • Ygor Nascimento

    Também faço uso do Parallels. É realmente uma boa alternativa. Agora com o Visual Studio para Mac, só devo usar o Parallels para o Visio mesmo. Acho que o fato de um Mac no Brasil custar absurdos reais (por isso compro de importadoras) não vai te garantir compatibilidade com todos os softwares do mercado corporativo e/ou mercados de nicho. O Mac custa o que custa mas nunca te enganou dizendo que você iria encontrar todos os softwares para a plataforma dele. Acho que tem muito mais do que dinheiro envolvido quando se trata de comprar um Mac, não que isso justifique ser estorquido pela Apple Brasil….Kkk Acho que o problema pode ser o seguinte: por qual motivo você comprou um Mac? Eu particularmente trabalho com tudo o que é relacionado a Windows e Android, teoricamente, não precisaria de um Mac, já que o Windows pode me dar tudo o que preciso pra trabalhar/estudar, porém, com todos os problemas de compatibilidade de software, eu queria algo novo. Uns dirão isso e aquilo… Eu quis e pronto, questão de gosto pessoal. Assim que não me atender mais, volto pro Windows.

  • Jaime Camargos

    É isto aí mesmo meu amigo. Para rodar programas institucionais, de contabilidade e mesmo de arquitetura profissa só em PC Windows mesmo. Vai tentar certificar um contrato ou documento na Secretaria da Fazenda de MG. Nem com o Parallels passou. Teve que ser no Boot Camp mesmo.

  • Jaime Camargos

    Nos últimos anos a Apple tem perdido muito a dianteira que tinha em relação as maquinas PC Windows. Ainda é um bom conjunto hardware e software mas se continuar como está, estará com os dias contados. Não vejo muitos atrativos em utilizar Mac’s hoje. A Apple deixou a MS se nivelar a ela. Botem o Cozinheiro na rua.

  • Ajustes

    Mantenho o Windows por Boot Camp no meu Mac apenas por causa do Corel Draw, que uso bem eventualmente. Por que será que não lançam uma versão para macOS?

  • Jaime Camargos

    Para Mac existe uma versão bem antiga do Corel. A Corel não tinha por que continuar fazendo versões para Mac pois o Ilustrator da Adobe (tão bom e até melhor) domina a plataforma. Boa alternativa para Mac se não que ficar na Adobe é o Affinity Designer.

  • ABM1980

    E vou te falar: o Windows 10 está tão bom ou quiçá melhor que o Osx. Que venham as pedradas, rsrsrs.

  • Wesley Daniel

    Também utilizo o Parallels a algum tempo. De fato o fato de utilizar de alguns programas do windows sem reiniciar o seu mac é ótimo, sem falar na facilidade de compartilhamento de pastas (já mencionado no artigo) Com o passar do tempo, no meu caso, comecei a usar o macOS e windows sem distinção, ou seja, mesmo programas que já existiam no macOS eu estava usando no windows via parallels (e vice e versa). Com isso eu percebi uma coisa muito importante, caso você abra e faça a edição de um arquivo ou mesmo delete esse arquivo no windows, e ao mesmo tempo esse arquivo estiver aberto no macOS, o arquivo usado vai dar problema, ou será excluído ou não salvará a última edição do arquivo. Aparentemente isso é algo que não foi pensado pela aplicação.

  • Ajustes

    Nunca consegui me adaptar ao Illustrator. Acho que já testei o Affinity, mas não lembro como foi a experiência…

  • Jaime Camargos

    Muito bom! Kkkkkk

  • Lee

    Já usei muito o Parallels e a GPU é bastante afetada. Um exemplo é o suporte a anti aliasing, que simplesmente não existe. A não ser que tenham implementado nessa nova versão.

  • Lee

    O Affinity atende o meu perfil de uso perfeitamente. Recomendo.

  • Raniere Dantas Valença

    Não precisa particionar. Ele compartilha o mesmo SSD, então “não tem tamanho ideal”, o que é espetacular, diferentemente do Bootcamp, além de compartilhar o mesmo Arquivo/Pasta nos dois SOs. Teste, é perfeito.

  • Lee

    Já usei muito Parallels e Fusion para emular Linux, mas hoje faço isso em servidores remotos usando vm’s ou containers lxc. Rodo dois aplicativos em Wine e alguns poucos jogos no BootCamp. O que incomoda no Parallels depois do primeiro ano é que você é praticamente obrigado a atualizar porque eles deixam a versão anterior incompatível com o macOS mais novo. Nesse ponto o Fusion é bem melhor. Outra coisa que me irritou bastante foi receber propagandas do Acronis True Image dentro do Parallels.

  • Lee

    Mas que parte do BootCamp você não entendeu? Um Mac roda o Windows perfeitamente e segundo pesquisas é o hardware mais estável pra isso. Nunca tive um Positivo, mas tenho um Dell Alienware pro caso do Mac dar problema. Não existe sistema operacional perfeito.

  • Felipe Beckert Canto

    Depois que migrei de Mac para Windows 10 eu não vejo mais vantagens no Mac. O sistema da Microsoft esta muito bom, e as máquinas para Windows são muito melhores. Pela evolução dos MacBooks vai demorar muito para a Apple lançar algum notebook de 13 polegadas com o poder grafico de uma 1060 que tenho hoje no Razer.

  • Felipe Beckert Canto

    Há uns 2 anos atrás concordaria que o Mac é muito melhor, mas hoje não vejo o porque alguém iria querer instalar Mac em seu PC.

  • Ronaldo Rodrigues

    Morro de preguiça só de pensar nas atualizações intermináveis do Windows e já paro por aí!

  • Ygor Nascimento

    Realmente, tenho mais meu Mac e não sei sinceramente, se daqui a uns 3 anos, vou continuar nele. Só vai depender dá Apple.

  • Ygor Nascimento

    Olha, pra mim já é o contrário, principalmente agora com o Windows 10, que a cada atualização, é uma melhora ou uma adição de recursos bons ao sistema.

  • Flávio Vitor

    Mas está tudo automático atualmente… e é só escolher o horário da instalação. As atualizações são realizadas em segundo plano e você sequer nem sabe que elas já estão disponíveis na sua máquina.

  • Marcos Daniel Vozer Felisberto

    e o VirtualBox que faz a mesma coisa que o Parallels e é totalmente grátis? há alguns anos atrás usava ele e funcionava perfeitamente. agora não sei como está nas versões mais novas. abraço

  • Flávio Vitor

    Mas em vários testes técnicos e dependendo para quais funções, o Mac é bem vencedor ainda. Óbvio que para certas funções ele vence e para outras perde, mas está bem nivelado atualmente. Não vejo um vencedor claro não. Atualmente é questão de conveniência… curte touchscreen e não quer levar um tablet na bolsa? Curte uma super sincronização entre os devices? Enfim, escolha o que é melhor, aprecie a escolha e claro, ao ver o concorrente, olhe-o com respeito, afinal, hoje está tudo páreo a páreo.

    Abraço!

  • Fabiano

    Sera que um iMac 2011 com i5, 8gb de ram e HD de 512 da conta do recador?

  • Ronaldo Rodrigues

    Sim, dá pra escolher o horário porque enquanto você está trabalhando atrapalha a produtividade, por melhor que seja o PC. Mas é isso que eu acho um saco, as atualizações que ocorrem praticamente todo dia, acho que é porque eu estou acostumado com o macOS!

  • Ronaldo Rodrigues

    Deve ser porque eu estou acostumado com o macOS, que também é um bom sistema e não precisa de tantas atualizações!

  • César Krentzenstein Borman

    Eu prefiro o Fusion. Também possui um modo que roda os apps com uma aparencia nativa, que pra mim era importante, e particularmente acho o desempenho superior ao Parallels (que é muito bom também). Mas não recomendo a “troca” se vc pagou o Parallels e vai pagar o Fusion, não vale o investimento. Se pegar o Fusion de graça (normalmente perto de lançarem uma versão nova, embora ele atualiza de graça depois) ou for renovar a licença do Parallels, aí diria pra testar o Fusion antes de tomar a decisão.

  • Ale

    Só uso windows 10 no trabalho. Não faço questão de usar windows em casa. Como é bom ter um macbookPro que não trava, que não preciso passar antivirus, defrag, ficar instalando um monte de aplicativos para ter segurança, como Spybot, etc. Tenho só o CCleaner e o Malwrebytes. Pronto.

  • Kaleb Palácio

    Apesar de não usar Mac (Uso Ubuntu), compartilho de sua visão. #TranquilidadeD++

  • Jaime Camargos

    O Parallels é muito bom, sou fã. Contudo só por curiosidade testei o desempenho do Windows 7 no meu Mac Pro G5 (que já tem mais de 10) anos rodando o Boot Camp e comparei com o desempenho de um iMac 27 i7 rodando o W7 no Parallels 12. Resultado? O G5 com Boot Camp, com muito menos memória, apresentou melhor desempenho que o Parallels 12. É mole esta Apple?

  • Doug Gironde

    Eu queria instalar o MacOS no meu notebook. Investi 4k em notebook da Dell, mas pelo que vi em fóruns, minha placa de rede não funciona no hackintosh. Queria instalar mesmo só pra ter o prazer de usufruir dos dois sistemas, e quem sabe em um futuro comprar um MBP, se até lá ainda estiver valendo a pena, claro.

  • André Luiz Gaspar

    Fico de VirtualBox mesmo, é grátis, é Oracle, tem atualizações constantes, posso utilizar minha imagem .vhd em qualquer S.O, porque o VirtualBox é compatível com os 3 S.O / macOS/ Linux e Windows.

    Baixo desempenho? Sim claro, nada se compara ao rodar um S.O nativo.

  • Renan Cabral

    como faço isso? tenho Bootcamp aqui e o Parallels que usava há uns meses atrás

  • Renan Cabral

    não sabe o que está perdendo…

  • Jaime Camargos

    Uma coisa que vale cada centavo investido nestes emuladores é a capacidade de rodar softwares antigos em ambiente nativo (um velho hobby para mim que vive isto tudo desde o comecinho). Nada mais agradável que rodar os programas de meu primeiro computador, um Apple II, no emulador (outro, não este). É uma verdadeira viagem no tempo, passa um filme. Emular um antigo Mac também é uma viagem sensácional.

  • Rodolfo Oliveira

    Windows 10 evoluo muito. Esse cenário de ter que usar vários programas e mandar fazer vários processos é coisa do Windows XP pra trás. O Windows 10 desfragmenta o disco sozinho e o Windows Defender é mais que o suficiente. Eu uso meu windows 10 só com Ccleaner e não pego vírus nem nada.

  • kkkkkk, como zuar a materia em alto estilo! ahsushauhsauhasu

  • Resumo essa materia aí… X-Plane 10 no Bootcamp = 45fps, no Parallels 12 = 13fps… então me desculpe mas nao serve, ainda mais para o que eles enchem o saco dizendo da perfomance em jogos!

  • Paul N.

    Culpa da dominância geral do Windows.As desenvolvedoras só estão atendendo a demanda do mercado…

  • Paul N.

    Instala isso tudo pq quer.Defrag?SSD é o caminho…
    Olha que curioso: Eu uso o W10 Pro e só tenho instalado justamente o Malwarebytes e CCleaner tbm, já que desde o W8,o sistema já vem com o Windows Defender integrado.

  • Paul N.

    Melhor comentário! Kkkkkkk

  • Paul N.

    Se macOS na sua área é “inútil”,pq vc tem Mac então? Não seria melhor investir numa máquina parruda Windows?Pq realmente, pra engenharia em geral, só Windows msm.

  • Paul N.

    Deve ser por conta da forte concorrência com a Adobe msm. Pra Corel não vale a pena investir no macOS pelo market share e tbm pela dominância dos softwares da Adobe na plataforma.O Windows acaba sendo a única opção viável pra empresa msm.

  • Paul N.

    Bruno é melhor esperar sentado se vc pensa que algum dia vai ter o Revit pra macOS. Já foi um milagre a Autodesk trazer o AutoCAD e msm assim parece um port da versão do Windows.Piada a versão pra macOS.
    Pq vc não tenta o Vectorworks ou Archicad(ambos com versões pra macOS)?

  • Marcio Vianna

    Se seu desejo é de o iPad executar o macOS… esqueça!

    Desde de 2013 a Apple trabalha na unificação do ambiente de programação, mas na especialização dos sistemas.

    A reestruturação da programação em Swift pratica o integral compartilhamento de núcleos e código de funcionalidades, entretanto incentiva a adoção de códigos gráficos especializados ao seus correspondentes sistemas.

    Espera-se a liberação da biblioteca UXKit – ainda privativa da Apple – para que a iOS Store “desembarque” na macOS Store.

  • Eduardo Pires

    Windows = Android.
    Especificações mais parrudas por um desempenho similar à pior. MacOS e iOS precisam de menos hardware e rodam mais liso. Sempre que tenho que usar o Windows 10 me sinto no Windows XP. Alias, o que mudou realmente entre eles?? Ainda o Kernell é o mesmo e a bagunça da biblioteca de DLL’s não mudou. Mas graças ao BootCamp e Parallels, caso precisamos de Windows, ele ta ali na mão (o inverso não é verdadeiro).

  • Flávio Vitor

    Uso diariamente o XPS 13 Kaby Lake. Fuço no Samsung Style S50 também.

  • passense20

    Pra mim nem boot camp nem máquina virtual. Desencanei dessa ideia de rodar Windows no Mac faz tempo, ou seja, cada macaco no seu galho.

    Fiz o seguinte, comprei um notebook i5, tela de 15.6 instalei 16mb de memória é um ssd de 240.

    Depois disso passei a rodar meu Revit 2016 liso, sem engasgo.

    Maquininha voando.

  • cpu cell

    200 r só para uma maquina virtual ? o virtual box é de graça

  • Felipe Beckert Canto

    Qual atrativo te chama atenção no mac hoje em dia?

  • Doug Gironde

    Ah cara, eu acho um sistema bonito e otimizado. Eu gosto do Win10, acho ele bonito também, só que passa o tempo, você enjoa da cara dele sabe. E seria só por isso mesmo, porque todos os programas que eu uso pra faculdade, que são os mesmos do Bruno, porque eu também faço Arquitetura, não tem pra Mac.

  • Paul N.

    Claramente vc não sabe o q está dizendo…
    iOS até vai,mas macOS precisar de menos hardware pra rodar fluído? HahaHahahaha
    Vai nessa…deve ser por isso q a Apple usa Atom e HD mecânico na linha né?
    Eu me lembro quando lançaram aquele Macbook de 12 com processadores M3 com OSX El Cap…
    Tinha lags horrendos nas animações DO SISTEMA.Vi lá no Loop infinito.

  • Ale

    SSD no meu particular… Fica outra máquina mesmo…

  • Cristian Aymay

    Rodrigo, concordo com tudo na matéria acima. Eu tenho um MacBook Air mid 2014 core i7 8g memória com 512gb ssd, e preciso rodar alguns programas de corretoras de valores que só rodam no Windows. Não existe versões para Mac, muito menos para iPads. Essa matéria é especialmente para essas pessoas que não tem opção como eu de rodar programas em outras plataformas, a não ser no Windows, mas que também não abrem mão de seu MacBook. E o parallels 12, no meu caso o 11 é perfeito. Vc tem o Windows e Mac na mesma máquina, como se fossem um aplicativo do Mac. Sem a necessidade de boot. Ótima matéria.

    Parabéns

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.