10 anos de iPhone: que tal relembrar algumas reações de quando o aparelho foi anunciado?


Caneta Para notificar nossos editores de um erro no post, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.
Por
10/01/2017 às 18:24

Ontem, nós comemoramos junto da Apple o aniversário de dez anos do queridinho da empresa, o iPhone. Todos estão cansados de ler e escrever sobre o quão revolucionário foi este aparelho. Hoje em dia, sabemos muito bem disso e reconhecemos, é claro; mas você se lembra de como as pessoas reagiram à chegada de um dispositivo inovador, com tela multi-touch, iPod “embutido”, telefone, internet… tudo junto?

Como é sempre bom rir lembrar, o Telegraph fez um compilado de reações e “predições” que, com toda certeza, podemos dizer que erraram (e feio).

Steve Ballmer: “Não há chance de participação significativa no mercado”

Para começar já rachando o bico, o CEO da Microsoft (naquela época), Steve Ballmer, deu belas risadas da Apple ao ser perguntado sobre o novo aparelho da Maçã. Segundo ele, o iPhone seria um produto de “nicho” e que a Microsoft dominaria o mercado de smartphones.

Não há nenhuma chance de o iPhone conquistar uma parcela significativa do mercado. Nenhuma chance. É um item subsidiado de US$500. Eles podem ganhar muito dinheiro. Mas se você realmente dar uma olhada no 1,3 bilhão de telefones que são vendidos, eu prefiro ter o nosso software em 60%, 70% ou 80% deles do que ter 2% ou 3%, que é o que a Apple pode ter.

É sempre bom lembrar que no terceiro trimestre de 2016, o iPhone abocanhou 11,5% do mercado; já o Windows Phone ficou com 0,4%… 😜

TechCrunch: “Nós prevemos que o iPhone vai ser um fracasso”

Escrevendo sobre o “futuro” da tecnologia, Seth Porges falou que o aparelho da Apple havia sido anunciado sem que estivesse pronto, afirmando que a tela sensível ao toque seria inútil.

Esse teclado virtual será tão útil para escrever emails e mensagens de texto quanto um telefone de disco. Não se surpreenda se uma parcela considerável de compradores de iPhone expressarem algum remorso por terem trocado seus BlackBerries quando eles gastarem uma hora a mais ao dia para enviar emails.

Em inglês, a frase utilizada por Porges foi “[…] the iPhone Will Bomb”. Talvez, se tivessem dito isso sobre o Galaxy Note7, a predição estaria correta. Desculpe, desculpe… eu não resisti!

É hilário ler isso, mas ele não estava errado sobre tudo — ao menos as partes que fala sobre a pouca bateria e a fragilidade das telas realmente fazem sentido.

Nokia: “Isso não muda nosso modo de pensar”

Nokia E65, modelo da mesma época do lançamento do iPhone

Nokia E65, modelo da mesma época do lançamento do iPhone

Antes da chegada do iPhone, todo mundo tinha um Nokia (eu já tive um e você, a menos que seja novinho[a], provavelmente já teve). Na época, dirigida por Olli-Pekka Kallasvuo, a Nokia era a maior empresa de smartphones do mundo e não pareceu se abalar pela chegada do novo “companheiro”.

Eu não acho que o que vimos até agora (da Apple) é algo que, de qualquer forma, nos exigiria mudar o nosso pensamento em se tratando de abertura, nosso software e abordagem de negócios.

Mas o fato de que a Apple está entrando no mercado, em geral, acho que vai estimulá-lo, está muito claro. Acho que vai ser bom para a indústria e eu recebo isso de bom grado.

Em 2010, Kallasvuo foi substituído por Stephen Elop que, um ano depois, escreveu uma nota a seus empregados dizendo que a empresa não conseguiu se adaptar.

John Dvorak: “A Apple deveria ter desistido do iPhone”

Um mercado pode mudar drasticamente do dia para a noite e, em tecnologia, isso parece acontecer muito mais recorrentemente do que as empresas gostariam. Mas parece que John Dvorak não levou isso em conta quando afirmou que não haveria mais lugar no mercado mobile por conta do duopólio Nokia e Motorola.

O problema aqui é que, enquanto a Apple pode se sair bem no quesito moda tão bem quanto qualquer outra empresa, não há nenhuma evidência de que ela possa ser rápida o suficiente. Estes telefones entram e saem de moda tão rapidamente que, a menos que a Apple tenha meia dúzia de variantes, seu telefone, mesmo se imediatamente bem sucedido, será esquecido dentro de três meses.

Não há nenhuma probabilidade de que a Apple possa ser bem sucedida em um ramo tão competitivo. Mesmo no ramo em que é claramente pioneira, o de computador pessoal, ela teve que competir com a Microsoft e só consegue sustentar uma fatia de mercado de 5%.

A parte mais hilária da publicação é quando ele diz que a Apple está arriscando a sua reputação e que, se ela fosse inteligente, passaria o iPhone para algum “otário” fabricar com a renda de outros. A melhor parte? “Ela deveria fazer isso imediatamente antes que seja tarde. A Samsung poderia ser uma candidata.”

BlackBerry: “É só mais um competidor”

iPhone (Apple) vs. BlackBerry (RIM)

É apenas mais um participante em um espaço já muito cheio, com muitas escolhas para os consumidores. Mas em relação a isso mudar algo para o BlackBerry, eu acho exagero.

Adiante dez anos e… a empresa anunciou no ano passado que não vai mais produzir celulares.

The Telegraph: “Impressionantemente simples”

É claro, por ser o veículo que reuniu essas pérolas, o Telegraph não ficaria fora dessa. Mas, diferentemente dos citados acima, eles puderam testar primeiro o novo aparelho para, então, dar o veredito.

Eu não me desculpo nem um pouco por meu entusiasmo por este dispositivo. É simplesmente um dos mais belos gadgets que eu já testei. É, ao mesmo tempo, incrivelmente simples e surpreendentemente inteligente, a interface à prova de idiotas faz um ótimo trabalho de distraí-lo para evitar pensar que, na verdade, o iPhone é — para todos os efeitos — um computador de mão; ele executa uma versão despojada do aclamado sistema operacional de computador da Apple, o OS X, e essa é uma das razões pelas quais os hackers têm investigado o iPhone com tanto entusiasmo: quase cheiram o poder da computação latente escondido dentro dele.

Para não dizer que tudo são flores, eles não esqueceram de citar a falta de 3G e o fato de que estava disponível em apenas uma operadora lá no Reino Unido (assim como nos EUA).

·   ·   ·

Isso, é claro, apenas para citar alguns!

Os comentários acabaram sendo muito divertidos pelo fato de que a história foi um pouco (muito?) diferente do que a maioria previu. Mas, de qualquer maneira, é bem interessante perceber como as coisas mudam sem que a gente perceba.

Aliás, se você já está nessa onda nostálgica, que tal dar uma olhada nos nossos próprios reviews das gerações do iPhone? Não temos desde o primeiríssimo, mas se você se diverte lendo e comparando, assim como eu, aqui estão todas as que já fizemos: iPhone 3GS, iPhone 4, iPhone 4s, iPhone 5, iPhone 5s, iPhone 6s, iPhone SE e iPhone 7 Plus.

[via Daring Fireball]

Posts relacionados
Comentários
  • O Nokia E65 foi justamente o meu último celular antes da era dos smartphones. Era bem legal, diga-se.

  • Uma enquete interessante: E se Tim Cook tivesse lançado o iPhone? será que seria tão brilhante assim?

  • Erich Batista

    Muito bacana a matéria, a reação dos concorrentes é hilário kkkkkkkk

  • Salun Marvin

    Ah, a mente fechada cria armadilhas demais.

  • helmygalindo

    A mídia geral gostou muito do iPhone… Ele foi capa de praticamente todas as revistas semanais do mundo. De tecnologia ou não. Foi tratado no Jornal nacional até a versão 4.

  • Jaime Camargos

    É memo. Como é que um cara tão obtuso como o Ballmer caiu na presidência da MS? Afundou a empresa e ela só se levantou depois da saída dele. Tio Bill é muito inteligente mas já fez cada burrice?

  • Vitor Freire

    Provavelmente viria em outras cores. Inclusive Ouro Rosa kkkkkk

  • Erich Batista

    Mas a cabeça dele pra época era suficiente pra empresa e para o mercado, os caras da Apple que mudaram o “mundo” digamos assim, o pior é q os caras não acompanharam e queriam queimar a Apple ainda kkkkkk isso foi o fim pra ele com certeza!

  • Jaime Camargos

    O Cozinheiro não teria capacidade para isto. Não saberia nem usar. Aposto tudo que se Steve tivesse à frente do projeto e lançamento deste reloginho do Cook a estória não seria este fiasco, este verdadeiro fracasso do caro brinquedinho. Cook não sonha com os produtos, não entra nas entranhas do que fabrica. É muito bom em logística mas… só isto.

  • Jaime Camargos

    O sucesso também!

  • Eu gostaria de ver uma linha do tempo com reações desde o iPhone 1 até os outros lançamentos, pelo menos até o 4. Alguém tem algum link que possa me satisfazer pelo menos um pouco? Não precisa ser em português, mas se tiver já ajuda! Obrigado!

  • Danilo

    Steve Jobs nasceu com a grandeza,já o Tim Cook teve a grandeza imposta a ele,eis a diferença.

  • Eduardo Pires

    Quase nada! Como dizer que os computadores dos anos 80 “são os mesmos” já que não houve revolução. O iPhone esta sim muito mais refinado. Naturalmente a concorrência seguiu atrás e até fez inovações que o próprio iPhone absorveu pra si, mas ainda continua sendo seguido pelas cias concorrentes.

  • palavras sábias!

  • Franco

    Não perca tempo com esse menino, é conhecido como troll por essas bandas.

  • frederico

    o apple watch não é o iphone, mas vai bem. Estive na florida é só conseguir pegar o série 2 em Springfield. Lá só conseguir pegar o último disponível. Nos EUA está bombando.

  • Vinícius

    Ballmer era o cara do financeiro, é a versão menos refinada e mais bárbara do Cook. Ambos só pensam em lucros.

    A Microsoft se sustentava nos serviços que ela fornecia, basicamente Windows e Office, sem querer mudar a empresa e a própria filosofia, além de menosprezar os concorrentes, quase caiu no ostracismo, se Cook continuar da mesma forma, pode ir pelo mesmo caminho. Cook só sustenta a Apple por conta da fama do iPhone e da própria Apple, que conseguiu com base no esforço de Jobs.

  • Alexander

    Enquanto tiver gente tirando foto da caixa, o iphone continua bem

  • Virjão Geek

    Só li verdades!

  • Ed Mort

    John Dvorak é uma comédia, ele falou na época do lançamento do Macintosh que não via sentido para o acessório chamado…mouse! Depois dessa eu teria vergonha de trabalhar no ramo.

  • Rafael Gil

    O E65 já era smartphone 😉

  • Dian de Paula

    A BlackBerry não vai mais produzir celulares para o público ‘consumidor’, mas sim para empresas e governos… Ou seja, produtos com foco em segurança. (:P)
    Vale lembrar que apesar da declaração, a BlackBerry anunciou um novo Smartphone na semana passada.

  • Denys Volpe

    Li em algum lugar que jobs deixou muita coisa pronta. Uma delas seria o relógio e até o iPhone 9.

  • Erich Batista

    Concordo Vinícius.

  • Henrry Lacsko

    Eu tinha um N95, foi antes ou depois?

  • Pedro Canelas

    Sim, nada mais mudou, nem pela Apple e mt menos pela concorrência. Continua um retângulo com tela touchscreen. O que poderia ser diferente? Ser tipo uma bola?

  • Leonardo Negrisoli

    Não sei se “pronto”…. Mas eu imagino que ele tenha deixado diretrizes de lançamento para as futuras versões a medida que a tecnologia foi amadurecendo.
    Só estou com saudades do “one more thing”, pois nem tenho ficado mais impressionado nas keynotes.
    Na do iPhone 7, o que me fez fazer “ohhhh”, foi a vinda do Mario pro iPhone hahaha

  • 1 ano antes: 2006. Esse também era show!

  • Gustavo Zanandrea

    Minha maior curiosidade o que diriam esses imbecís, que falaram mal do iPhone, hoje ???

  • Henrry Lacsko

    Eu amava, tanto que quando meu tio apareceu com um iPhone, falava “meu N95 é melhor, minha câmera tem até flash!” Hah bons tempos… mas fico feliz hoje com o 7 plus

  • Priscila Klopper

    Puxa, como pude me esquecer? Hahaha
    Valeu ;P

  • Pedro Canelas

    Entendo. Alguns pontos que você falou, acredito que seja mais por opção deles do que por capacidade de inovar, como por exemplo rodar iOS nos iPads invés de MacOS. É decisão da Apple.

    Sobre Windows continuum, eu sinceramente nunca tinha ouvido falar, talvez uma vez através de algum outro post seu. Acho que devemos sempre considerar os diferentes perfis de usuário, não acho inteligente a empresa disparar para todos os lados lançando óculos VR e outras coisas só porque os concorrentes estão fazendo.

    Sobre o tal Surface, ouço falar dele aqui, mas nunca vi um na vida, e olha que moro na Europa há quase 3 anos e mesmo assim nunca vi sequer 1. Eu sinto falta de novidades no iOS e MacOS, esses sim eu concordo que pararam no tempo.

    Não estou animado com a evolução dos iPhones, não só isso, estou cansado da mesmice. Ano que vem vou comparar o último Pixel com o último iPhone lançado e fazer minha escolha.

  • Mateos Kruchelski Tschá

    Pelo mesmo motivo que 90% das pessoas sempre acham o próximo iPhone uma bost* sempre que começam os vazamentos. O que é novo e diferente não atrai. Assusta. As pessoas se apegam ao que tem e ficam presas.

  • Bruno Marçal

    Lembro que na época todos que comentaram negativamente sobre o iPhone foram com um ar de arrogância, lembro muito bem disso. É fantástico poder rever isso e ver o quanto eles erraram e erraram feio. Falaram que “… o iPhone não muda o modo deles de pensar” por isso algumas empresas quebraram… por não mudar o modo de pensar… hehehe

  • MagicCarpetDriver

    eu lembro da apresentacao do iPhone e fiquei apaixonado pelo celular! eu tinha q ter. infelizmente a 1a geracao nao chegou oficialmente ao Brasil, mas comprei o 3G assim q desembarcou na minha cidade… nunca me arrependi, mesmo sendo tao caro

  • Vitor Freire

    Com certeza o primeiro iPhone seria esse que conhecemos. É muito mais provável que ele viria com Click Wheel do iPod e/ou o Acorn OS. Ou então um simples celular flip. Tim Cook não sabe fazer produtos bons.

  • Denys Volpe

    Mario idem!!! E o botão home sensacional tb!! de resto tudo do mesmo!! Proxima keynote mario kart!!! pode escrever ai!

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: