Plágios de um futuro esquecido? Arte da WWDC 2017 tem semelhanças suspeitas com pôster de anos atrás, mas não é tão simples assim…

Estamos todos felizes que a Apple anunciou as datas para a sua próxima WWDC — e naturalmente muito tristes de não termos R$4.898,16 para participar em carne e osso deste célebre evento.

Entretanto, um aspecto particularmente inóspito ganhou os holofotes da imprensa tecnológica e do design hoje após a liberação da arte conceitual da próxima conferência de desenvolvedores da Apple. Dêem uma olhada:

À esquerda, temos o pôster da edição de 2010 do Festival de Málaga, evento anual de cinema realizado na cidade espanhola. À direita, a arte conceitual da WWDC 2017 que vocês certamente já devem ter analisado a fundo procurando por pistas. A semelhança é notável — para não dizer suspeita.

Obviamente, uma vez apontada a “afinidade” entre as duas artes, a internet não perdeu tempo em acusar a Apple de plágio e evidentemente começar mais uma longa discussão sobre como Cupertino não é mais capaz nem mesmo de fazer uma arte pra um evento com um grau de originalidade. Mas a história foi se desenrolando e, aparentemente, não é nada disso: a razão real para a semelhança entre os convites poderia ter saído de um filme de Christopher Nolan.

Só para acabar com o meme, o artista desta peça de 2010, Geoff McFetridge, trabalhou na campanha da WWDC 2017, da Apple.

Para entender a situação, é necessário conhecer Geoff McFetridge, artista baseado em Los Angeles, Califórnia. Ambas as artes, do Festival de Málaga e da WWDC, remetem ao seu estilo, como é possível notar nestas obras postadas em seu site oficial.

Logo após a comparação dos designs na internet, chegou a informação de que McFetridge de fato trabalhou com a Apple no desenvolvimento do convite para a conferência. Em seguida, chegou-se a dizer que ele tinha também trabalhado para o Festival de Málaga em 2010, o que explicaria toda a situação e teria feito todo mundo voltar ao trabalho. Mas… plot twist!

Não, McFetridge não teve nada a ver com o projeto espanhol; a responsável por aquele pôster foi a agência de design espanhola Barfutura, liderada pela designer Rocío Ballesteros — que nada tem a ver com o convite da Apple.

@josejacas @finnocentepro Isso é interessante — eu vi que Barfutura trabalhou nisso, mas [a arte da] WWDC é [do] Geoff com certeza.

@panzer @finnocentepro Estou conversando com alguém que conhece a artista responsável pela peça de 2010. Parece que eles foram inspirados pelo trabalho de Geoff.

¿Qué pasa, entonces? O designer da Blizzard, Jose Jacas, falou com uma pessoa próxima dos criadores da peça de 2010, que confirmou que a Barfutura se inspirou, de fato, no trabalho de McFetridge para a criação do pôster do Festival de Málaga. Ou seja, a obra de 2010 “é inspirada” na obra de 2017. Louco, né?

A Apple não comentou o caso — e provavelmente não comentará —, mas nós podemos fazê-lo à vontade logo abaixo.

  • Filipe

    A recente falta de criatividade e inovação da Apple chegou até nos convites dos seus eventos. Triste fim.

  • Victor Messias

    Putz cara, você leu o texto e percebeu que eles disseram que iam ter chatos como você, viu essa dica pra ficar calado e ainda assim não perdeu a oportunidade de ser chato? Quadro de funcionário do mês pra você na MiMiMi LTDA. em!

  • Christian Tavares

    Chupada, simples assim. Que feio…

  • Douglas Cauê

    O convite simplesmente submete a ideia de conectividade novamente, devemos nos preparar!

  • Filipe

    A única diferença é que tenho embasamento teórico, prático e profissional para o meu argumento. Infelizmente, você não parece ter o mesmo. Em termos publicitários, isso nada mais foi que uma simples “chupada”. 😉

  • Franco

    Você realmente leu o texto? Porque está bem claro lá, que a arte do pôster do Festival de Málaga de 2010, foi inspirada no estilo do artista Geoff McFetridge, que fez a arte da WWDC 2017.
    “Falta amor no mundo, mas faz também compreensão de texto”.

  • Filipe

    Elementar meu caro Watson. Na publicidade, o termo se “inspirar” é a mesma coisa que “copiar”. Uma rápida pesquisa no Google você consegue perceber que o trabalho do Geoff McFetridge consiste em “gráficos com visão aérea” de pessoas. Logo, a afirmativa que eu dei ainda se mantem em pé! Abraços!

  • Jefferson Santiago

  • Takuma Tanaka

    Não leu.

  • Victor Moreno

    É a mesma coisa que pedir Romero pra fazer uma caneca personalizada pra uma empresa e depois fazer uma arte conceitual em um muro. Vai ficar a mesma coisa. Cada artista tem sua marca.
    Além do próprio texto do convite falar sobre como a tecnologia deve estar envolvida com as artes liberais e o publico, pois somente assim ela consegue empurrar ruma sociedade para a evolução.

  • Lucas Henrique

    Quando a apple fazer o Iphone EDGE, vai ser o mesmo cara que fez o da Samsung tb ?

  • Jayme Ricardo

    Não leu de novo… o artista fez o convite pra Apple, deixa de ser louco… a empresa contratou o artista responsável pelo conceito para fazer o convite, pq ela pode fazer isso com um simples convite de evento, contratar alguém conceituado pra fazer, ela não copiou de ninguém, é o mesmo que ela faz com o Ive, paga a ele pra usar o seu conceito estético e seu “design” nos produtos dela, simples!!!

  • Gustavo Jaccottet

    Pelo menos não plagiaram o Romero Brito, a Apple ainda tem bom gosto.

    E não há plágio feito pela Apple no Banner da WWDC.

  • João Ninguém

    O que ocorreu neste caso não foi plágio nem inspiração, mas sim uma prova viva de que o filme “De volta para o Futuro” deve ter sido baseado em casos reais.

  • João Ninguém

    Não sabia que o Romero Brito havia perdido o caso na justiça. Se perdeu, só nos resta lamentar pela justiça americana, pois até cego percebia que naquele caso houve plágio. Se não houve indenização, virou roubo, tipo bullying.

  • sigma7777777
  • Cloud_edge

    simplificando… os convites são iguais por que a Apple contratou a mesma pessoa que fez o convite do festival de MALAGA, que tem esse estilo de arte.
    resumi em um tweet.

  • Renato Martins

    VOCÊ LEU E NÃO ENTENDEU. hahahaha
    que louco.
    imagine como vai ser com o “novo ensino médio”..

  • Douglas Cauê

    Lamentar acho que nao é o caso, pois parece que a justiça americana nao tem tanto mimimi quanto a brasileira, ao meu ver a arte usada na epoca pode ate ter sido inspirada no conceito do Brito porem plagio acredito que não houve pois nao teve apropriação da obra intelectual, pois foi somente paineis decorativos feitos pela propria empresa sem fins comerciais.
    Mas enfim esse negocio de obra intelectual e meio complicado…

  • Está me lembrando a época das artes da campanha do suposto plágio de Romero Brito. No qual Romero se acha o inventor da arte moderna.

  • Victor Messias

    Me perdoe meu caro, foi erro meu não conseguir identificar todo esse embalsamento teórico, pratico e profissional que você empregou em seu primeiro comentário. Como ele tem infinitas duas linhas e dezoito palavras não tenho capacidade cognitiva para decifrar todas as entrelinhas, nuances e profundidades implícitas nele.

  • Concordo que a Apple não inova a uns 10 anos, mas nada de outro mundo, o resto das empresa não inovam a 50 anos, e sou inclinado a achar que está chegando um novo momento que a Apple vai trazer uma nova inovação, tem sido assim nos últimos 40 anos.

    Mas isso é fascinante ! Se tratando de Apple tudo é polêmica, um cartaz faz as pessoas pesquisarem, discutirem e tomarem de base pra dizer que a empresa não inova, que é o fim da empresa. Algo que não envolve área de inovação, P&D, nada… 😀

    Apple é polêmica em tudo ! Ao extremo !

    Mas entenda o caso:

    1) O artista (A) da figura em anexo, faz esse tipo de arte, é o estilo dele
    2) O artista (B) em 2010 se inspira no (A) e faz aquele cartaz espanhol
    3) O artista (A) em 2017 faz um cartaz para APPLE seguindo o estilo dele
    4) Todo mundo diz que (A) imitou (B) e que a APPLE está acabada !!!

    kkkkkkkkkkkkkkk

    https://uploads.disquscdn.com/images/34fa9ee12ab04bbd3fb0524de42d23cd715de2f358a3eccead56a5497b4c314b.png

  • Entenda o caso:

    1) O artista (A) faz esse tipo de arte, é o estilo dele, só procurar o trabalho dele no Google
    2) O artista (B) em 2010 se inspira no (A) e faz aquele cartaz espanhol
    3) O artista (A) em 2017 faz um cartaz para APPLE seguindo o estilo dele
    4) Todo mundo diz que (A) imitou (B) e que a APPLE está acabada !!!

  • Eu acho que é muito falta do que fazer perder tempo em procurar algo e falar que alguém copiou ou deixou de copiar! fala sério… vão trabalhar! O que importa é o conteúdo q vai ser apresentado na WWDC e nao o convitezinho!

  • embasamento teórico, prático e profissional para ser chato!
    fala sério, vamos focar em algo mais produtivo do que perder tempo com mimimi…

  • cúmulo da ignorancia dos mimizentos

  • Normal, tem que espremer pra achar um defeito pra reclamar

  • Filipe

    Sem polêmica galera, vamos apenas discutir de forma saudável! A vida é bela por isso! 🙂

  • Maurício

    Fizer

  • Maurício

    Eu acho que as pessoas leem metade do título da matéria e já saem falando asneira.

  • Maurício

    Eu não consigo parar de rir desse cara KKKKK

  • Você está sendo otimista. Muitos só olham pras imagens.

  • Mubarak Nunes Machado

    Verdade.

  • Eliézer Madeira De Campos

    Contemporaneamente, “simples assim” parece ser uma confissão de limitada capacidade de argumentar logicamente. Não me surpreenderia se também indicasse uma limitada capacidade de compreensão de textos. Então é bem provavel que a tua argumentação lógica seja uma pérola atirada aos porcos. Ou, no melhor dos casos, aos trolls.

  • Kkkkkk boa!

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.