Fatia da Apple no mercado brasileiro de smartphones caiu pela metade ao longo do ano passado

Imagem de destaque


Caneta Para notificar nossos editores de um erro no post, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.
Por
17/03/2017 às 14:48

Esta bola já tinha sido cantada há algum tempo, mas agora temos a confirmação: ao menos no Brasil, 2016 foi um ano pavoroso para o iPhone — e, considerando que o aparelho é o carro-chefe absoluto de vendas da sua fabricante, para a Apple como um todo.

Dados da firma de consultoria Counterpoint, divulgados pela Folha de S.Paulo [matéria fechada para assinantes], mostram que o mercado de smartphones no Brasil decresceu significativamente no ano passado, com uma queda de 16% nas vendas em relação a 2015. Por outro lado, no último trimestre do ano as coisas já deram um sinal de melhora, com uma recuperação de 15% em relação ao trimestre anterior.

Neste contexto, analisando a fatia detida pelas principais fabricantes que atuam no país, a Apple foi de longe a que tomou o maior tombo. Se a Maçã já não podia se gabar de muita coisa ao fim de 2015, quando tinha 8,3% do market share nacional de smartphones, que dirá ao fim do ano seguinte, quando os dígitos se inverteram: agora sua fatia é de parcos 3,8%, caindo mais da metade na comparação anual.

Mercado brasileiro de smartphones em 2016

Com a derrocada, a Apple perdeu o quarto lugar entre as fabricantes de smartphones que atuam no Brasil: este posto agora é ocupado pela Alcatel, que, ao contrário da Maçã, quase dobrou sua participação no mercado nacional e agora detém 5,5% dele. Em terceiro vem a LG, que caiu ligeiramente para 12,4% e perdeu a segunda posição para a Motorola, que, por sua vez, manteve-se quase estável nos 12,9%.

A liderança folgada e tranquila no mercado brasileiro, como certamente todos vocês já previram desde o parágrafo anterior, é de uma velha conhecida nossa. A Samsung não só é líder disparada como conseguiu ampliar sua fatia no mercado brasileiro ao longo do último ano, subindo de 40% para 46,7%, o que no mínimo prova que os brasileiros têm coisas muito mais importantes a se preocupar do que telefones explosivos.

Mercado brasileiro de smartphones em 2016

No geral, a leitura é clara: as fabricantes que oferecem aparelhos mais baratos tiveram sucesso em 2016, enquanto a Apple, mesmo com um smartphone de menor custo — para os seus padrões ao menos —, sofreu com uma linha de preços considerados assustadores para boa parte da população. Por esta lógica, inclusive, poderia-se dizer que é absolutamente normal e esperado que a Maçã tenha uma fatia pequena do mercado nacional.

Em todo caso, o preocupante aqui não é o número, e sim a queda. Basta considerar que, numa perspectiva geral, as coisas estão melhorando — como mostra a própria pesquisa, 90% dos aparelhos celulares vendidos no Brasil em 2016 foram smartphones, e na comparação ano-a-ano o número de modelos equipados com suporte às redes 4G subiu 53%. A questão é que se a Apple continuar perdendo terreno por aqui mesmo com este cenário, aí sim o sinal de alerta soará com força na filial brasileira da empresa. Só não me pergunte que medidas poderiam ser tomadas para reverter isto.

[dica do @luizhfeliciano]

Posts relacionados
Comentários
  • Wellington Agudá

    Abaixar o preço ou fornecer produto condizente com o valor. Essa é uma medida.

  • Baixar o preço do aparelho e acessórios.

  • Gui Bracco

    No$$a, ma$ por que $erá?

    Arrisco dizer que com os computadores essa fatia seja ainda menor — a queda, provavelmente não, já que nunca foi grande. Também duvido que vá mudar num futuro próximo — exceto para pior.

  • Wellington Agudá

    Antigamente era um tanto comum ver uma pessoa usando Mac em diversas áreas, hj não tanto.

  • Isso! To vendo muita gente voltando pro Windows e comprando computadores mais parrudos e ao mesmo tempo mais baratos que MBP, por exemplo.

  • Luis Cesar

    Se ao menos, o 6, o 6s e o SE tivessem preços mais condizentes…mas não. A Apple BR quer cobrar neles preço de aparelho top de linha de 2018.

  • Apesar da Apple trabalhar com um lucro monstruoso no Brasil, mesmo assim a carga tributária de produtos importados é louca demais aqui no BR.
    Steve Jobs, lá em 2010 já dizia:

    “Não podemos nem exportar os nossos produtos com a política maluca de taxação superalta do Brasil.”
    Enfim, 7 anos depois o Brasil continua o mesmo, ou até pior! Infelizmente!!!!

    https://uploads.disquscdn.com/images/a63464241912c6710d3dacf6b9527b0b0e4c2496fac09e18e7597d0b5b37c0e2.jpg

  • 199X KID

    o iPhone SE deveria ser mais barato por ser um iphone de entrada e ser divulgado nas operadoras por um valor um pouco menor ainda mas com algum plano atrelado

  • Lucas Herrera

    Pagar no produto mais caro do mundo! E ainda por cima não ter toda as funções e complicado!

  • Geraldo Dal Berto Jr.

    Acho que tbm tem muito da maturidade dos aparelhos mid. Hoje se compra android por 1400 reais que entrega uma performance muito boa, câmera razoável e bateria que espanca o iphone. Aí fica difícil optar pela maçã, se botar tudo na ponta do lápis. Houve uma época que o iPhone era outra categoria. Só que os outros alcançaram.

  • Danilo

    o A5 2017 está lindo

  • Don Corleone

    Não abriu uma, mas 2 lojas…

  • Gui Bracco

    Na área criativa, de fotografia ou audiovisual, sim, mas nunca teve a mesma penetração que o iPhone com o consumidor comum.

    E não vai ser agora que vai ter, com o MacBook Air mais pobrinho custando R$7.499 e os preços de assistência autorizada praticamente inviabilizando qualquer reparo.

  • Vinícius

    “o que no mínimo prova que os brasileiros têm coisas muito mais importantes a se preocupar do que telefones explosivos.”

    Que frase infeliz, em?

    E sim, de fato, tem que se preocupar, por exemplo, em por comida na mesa da família, e não em gastar em um celular que custam 4,5 salários minimos, longe de poder aquisitivo de muita gente.

  • Exatamente!

  • Raul Pereira

    Bruno parecia um autor de textos tão legal até escrever “[…] o que no mínimo prova que os brasileiros têm coisas muito mais importantes a se preocupar do que telefones explosivos.” Parece até que ele não sabe que o problema foi com o note 7 e que este nunca chegou ao Brasil… mas tudo bem, nada é 100%

  • Ubirajara Batalha

    Sério isso?! Ninguém imaginava que isso iria acontecer com os preços praticados por todos os produtos Apple aqui no brasil né?! E pior, paga-se MUITO caro e nem se tem todos os serviços completos, por exemplo a Siri não é tão comoleta como nos EUA (não tem voz feminina e masculina, aliás ela nem fala o português direito porque engasga algumas palavras e nem reconhece mais de uma língua junto para pedir músicas internacionais por exemplo, além de não dar informações importantes, apenas mostra o que achou na internet abrindo o safari), o Apple Pay nada de chegar, a carteira na verdade não funciona, deveria estar inativo o app no Brasil, bem como o app News que não funciona aqui, o app TV que tb não funciona, o programa de recompra de iPhones e até de pagar uma taxa anual para troca anual de iPhone não existe aqui, não existe nem mesmo o Apple Care + que estende a garantia do iPhone, mapas que não funciona curva a curva, nem tem muitos pontos comerciais, nem temtanta coisa, assim como inúmeras coisas que podemos relatar, mas o preço dos produtos é altíssimo, totalmente fora da realidade do brasileiro!

  • Mazz

    Também!!! com o iphone mais caro do mundo, eles esperavam o que?

  • João Sem Braço

    já esperava alguma gracinha dele… nem me surpreendi.

  • João Sem Braço

    avisem a ele q iPhones 7 tem explodiram recentemente…

  • Diego Tietz

    Ou mesmo o J7 Prime, tá “topzera”, hehe.

  • Raul Pereira

    Vi ontem em uma loja da Samsung o A7 2017 e realmente tá lindo demais.

  • Rodolfo Oliveira

    Engraçado que no meu meio social a maioria das pessoas usa iPhone, e mesmo eles estando bastante caro as pessoas continuam atualizando com um certa regularidade, nem que pra isso precisem parcelar em 12x.

  • João Sem Braço

    vai esperando sentado kkkk

  • Bruno Santana

    Bom, sua crítica é justa, mas na verdade eu estava me referindo ao fato de que, globalmente, as vendas da Samsung caíram como um todo após o escândalo do Note 7 — ou seja, aparentemente a marca em si ficou manchada (e ficou mesmo, tanto que agora toda a publicidade deles tá dedicada em consertar isso e pedir desculpas). Enquanto isso, por aqui eles só cresceram mais ainda.

  • Bruno Santana

    Repetindo o que respondi acima:

    Eu estava me referindo ao fato de que, globalmente, as vendas da Samsung caíram como um todo após o escândalo do Note 7 — ou seja, aparentemente a marca em si ficou manchada (e ficou mesmo, tanto que agora toda a publicidade deles tá dedicada em consertar isso e pedir desculpas). Enquanto isso, por aqui eles só cresceram mais ainda.

    E, sobre o seu último parágrafo, eu concordo com cada letra. Minha frase foi justamente uma referência a este tipo de preocupação — e crítica, já que num mundo melhor isto não aconteceria.

  • Iuri Scotton Leal

    Mas a carga tributária não é alta pra todos? A apple abusa porque o brasileiro compra, nem que seja iPhone de R$4500 reais parcelado em 200x. Gosto muito do iOS mas confesso que mexendo em aparelhos de amigos com Android tem opção bem mais barata que entrega a mesma coisa ou mais do que o iPhone.

  • Marco Túlio da S Lima

    Não surpreende. Parte significativa dos brasileiros compram iPhone importado, seja indo pra fora ou via mercado paralelo.

  • Logico! Tim Cook pensou…
    “Joga o preço la em cima, que paga os nossos impostos e ainda lucramos no Brazil”.
    Simples, essa é a realidade que vivemos com a Apple BR.

  • Rodrigo Gomes da Silva

    Especularam que a marca ficaria manchada, mas nem abalou a reputação, pelo menos em relação a base de cliente… mesmo no trimestre depois do problema o S7 vendeu pacas e a samsung ainda terminou com maior lucro do Q4 dos ultimos 3 anos, isso contabilizando o prejuizo de ter perdido os notes….

    “Parece que o desastre que foi o lançamento do Galaxy Note 7 – que, após diversos casos de explosão e dois recalls, acabou tendo sua fabricação cancelada – não afetou tanto o bolso da Samsung quanto se imaginava.

    A coreana divulgou nesta semana seu relatório fiscal referente ao quarto trimestre de 2016. O resultado é empolgante para os acionistas: de outubro a dezembro, a Samsung arrecadou o equivalente a US$ 7,9 bilhões em lucros operacionais.

    O valor é 50% maior do que o registrado no mesmo período de 2015 e o mais alto dos últimos três anos. Estima-se que os dois recalls do Galaxy Note 7 custaram cerca de US$ 5 bilhões, o que parece não ter feito tanta falta assim para a Samsung.

    O lucro recorde também é maior do que o que a própria empresa esperava. A projeção da Samsung era a de registrar US$ 9,2 bilhões no quarto trimestre do ano, mas conseguiu cerca de US$ 200 mil a mais.

    A chave para o sucesso da coreana em 2016, segundo ela mesma, foram as vendas de processadores, TVs e painéis OLED, do Galaxy S7 e de suas linhas de celulares intermediários. A Samsung já avisou que não pretende desistir da marca “Galaxy Note” e que o Galaxy S8 deve chegar em meados de março deste ano.”

  • Zelemento

    “… o que no mínimo prova que os brasileiros têm coisas muito mais importantes a se preocupar do que telefones explosivos.”

    Até pq a Samsung só fabrica Galaxy Note 7, né?
    Chola.

  • hecnpo

    Eu mesmo estou esperando o lançamento do S8 pra sair do meu iPhone SE e ir para o Android. Vários fatores me motivaram a fazer isso, mas o fator decisivo foi o CarPlay que é lamentável. A Apple não libera o Mapas nem permite que usemos apps de terceiros como o Waze ou o Google Maps. Então adiós, muchacha.

  • cr

    Eu planejava trocar de celular quando lançasse os novos, mas vejo que mesmo com o lançamento do iPhone 7, nada baixou de preço, o meu celular atual – 5s 32gb – continua a mesma porcaria de preço anterior.. E isso que comprei ele em 2015!

    O problema é que o preço não baixa, nem dos mais defasados que estão a venda no mercado, e aí ninguém vai comprar com esse precinho aí..

    No máximo só em site que importa dos EUA..

  • hecnpo

    O menor preço que já vi pro S7 Edge Black (128gb) foi 2699,00.

  • sigma7777777

    Usei alguns apps similares ao “Android Car” (esqueci o nome agora kkk) e achei todos um pouco intrusivos e gerando aumento do consumo de bateria. Prefiro manter apenas o app que quero aberto e pronto, que geralmente é o de mapas ou música.

  • sigma7777777

    Isso mesmo, corrigi meu comentário.

  • Lucas Henrique

    E vende pra cacete, pq todas as lojas que eu vou, não tem Iphone 7 em estoque

  • hecnpo

    Acontece que eu quero ver na tela multimidia do meu carro algum app de mapas, seja Waze, Google Maps ou o Mapas da Apple. Com o CarPlay não consigo nenhum deles.

  • Thiago Ribeiro

    O que me preocupa é o fato de quanto mais quedas temos em vendas apple, pode e repido pode, prejudica mais ainda a questão de investir em novas funções e tecnologias no Brasil.

  • Wellington Agudá

    Foi meio patética essa parte.

  • Victor Hugo

    Kkkkkkk Cé doido. Fiquei sem iPhone durante 1 mês e mexendo no robozinho verde. Quase entrei em agonia depois dessa experiência. Android nem se ele flutuasse sozinho!

  • Victor Hugo

    2018 nada, 2022 pelo menos! Nos EUA o preço se mantém o mesmo há anos, por aqui é tipo 600 reais anuais

  • Victor Hugo

    Cara todos esses serviços que você citou também não estão disponíveis nos países latino-americanos. A Apple é lenta em relação à implementação de seus serviços no mundo, isso é fato inegável.

    Mas de todos os serviços que você citou, o Mapas, pelo menos, não funciona da mesma maneira que o Google Mapa nos Estados Unidos. Ainda está longe da qualidade da concorrente. Esse último parágrafo, minha opinião, é claro.

  • Victor Hugo

    Verdade, isso é fato! Falou em design, edição ou criação Mac é o que vem na cabeça

  • João Sem Braço

    Mas não custa mesmo… O meu de 16GB eu comprei por 2200… Hoje ele não passa de 1800

  • Victor Hugo

    Quanto é onde você pagou? Meu 5s de 16GB foi R$3200,00 SEM CHORO em 2014, hoje em 2017 o preço médio no varejo tá R$1600,00. Ainda sim de 8 à 9 smartphones intermediários no Brasil não chegam a esse valor

  • João Sem Braço

    Android Auto kkkkk

    E o melhor sistema de navegação se chama iPad… Colocar um sistema desse com o capado CarPlay não compensa, sendo que um iPad MIni pode fazer é muito melhor as funções que uma central de mídia faz.

  • Franco

    Estou até agora tentando entender a mágoa de vocês com essa frase do Bruno.
    O que você disse, foi exatamente o que eu entendi que ele quis dizer.
    Você achou que ele estava querendo passar panos quentes na Apple? Quem conhece os textos do Bruno, já percebeu que ele hoje é com certeza o mais crítico da Apple na equipe do MM.

  • Ubirajara Batalha

    Eu sei disso, mas duas perguntas: 1ª. Por que a Apple (ou quem quer que seja) não oferece um serviço ou produto na América Latina significa que não pode ou não deve oferecer no Brasil? Não sabia disso… 2ª. Nos outros países da América Latina tem Apple Store? Se não tem, acredito que o Brasil deva ter alguma importância perante os demais, portanto nada mais justo que implementar seus serviços também! Além disso não acho que uma coisa tenha haver com a outra (não ter os serviços nos outros países latinos) e pior ainda, ter o pensamento pequeno de se conformar que em outros locais também não tem, temos de cobrar, isso sim! Minha opinião.

  • Junior Souza

    No Brasil a Samsung sequer vendeu o Note 7 , porque Brasileiros deveriam se preocupar com isso ?

  • Ronaldo Silva

    iPhone 7 ta vendendo bagarai, esse numero com certeza crescerá quando for levantado em 2018

  • Luciano d’Avila

    A diretoria da Apple no Brasil é poderosa mesmo! As vendas despencando e ela continua lá com a sua política de preços suicida.

  • Vander Júnior

    Achei as conclusões um pouco quanto generalizadas… Coloco meu exemplo, que mudei de um iPhone 6 para um S7 edge ano passado e não foi pelo valor. Pelo contrário, paguei mais caro no lançamento do S7 edge do que o valor do iPhone 7. Simplesmente porque já não via mais inovação no iPhone e componentes como bateria, tela e câmera são piores. Conclusão, nem todo mundo deixou de comprar iPhone porque é caro e nem todo mundo comprou Samsung porque tem modelos mais baratos. Na verdade acho que foi uma junção entre a oferta de modelos mais acessíveis e modelos mais “modernos” que a concorrência. O fato é que a Apple cobra mais oferecendo menos, e a justificativa de que o iOS é melhor já não convence mais o consumidor, porque o Android evoluiu muito nos últimos anos. Exemplo disso é que a Apple vai oferecer um iPhone realmente de ponta esse ano, muito parecido com o S8, mas vai cobrar bem mais caro por isso.

  • Anderson Camões

    Com 3,8% apenas do mercado e sem disposição pra negociar com os grandes players é que o Apple Pay não chegará tão cedo por aqui.

  • Vander Júnior

    Concordo. Ainda porque, o Note 7 nem chegou a ser lançado no país. Foi um problema pontual, que não afeta outras linhas de produtos da Samsung. E, sinceramente, preocupo muito mais com a queda na qualidade dos produtos Apple do que com um celular que nem foi vendido aqui…

  • Luciano d’Avila

    O que ainda me mantém na Apple é o “ecossistema”, já que tenho iCloud, iPhone, MacBook, MacMini, Apple Watch e Apple TV.
    Mas, aos poucos, a Apple Brasil está conseguindo me convencer a abandonar a marca. Estão firmes e irredutíveis em manter seus preços nas nuvens e tentando nos convencer que é culpa exclusiva dos impostos brasileiros.

  • Vander Júnior

    Realmente o Bruno é o mais sensato da equipe da MM e, apesar da paixão pelos produtos Apple, não possui aquele fanatismo cego de algumas pessoas… Exatamente como eu penso. Desde o meu iPad original em 2010 que sou fã dos produtos da maçã, mas sou extremamente crítico com a empresa. Especialmente nos últimos anos, onde vários do produtos da Apple que adquiri apresentaram defeito e vi a concorrência evoluir, ofertando produtos melhores. Mas achei a piada um tanto quanto exagerada.

  • Marcvs Antonivs

    Culpa da Dilma!…Mas esperem…tiraram a Dilma!

  • Bruno Araujo de Oliveira

    O problema não é só o iPhone ser caro, mas para mantê-lo. Por exemplo os acessórios, um simples carregador custo R$380.00, cabo Lightning custa R$120.00. O valor percebidos destes acessórios é bem abaixo do que é praticado pela Apple. Eu fui ver estes dias as pulseiras para o Apple Watch, fiquei sem reação quando vi a qualidade das pulseiras e o preço cobrados por elas. A pulseira custando R$299.00 com qualidade de pulseira de camelô (R$25.00). Assim não dá!

  • Tiago Celestino

    A Apple não fará nada para mudar isso.

  • MFS

    Eu uso o Here WeGo (antigo Here Maps), a meu ver o melhor mapa offline, nunca me deixou na mão, é preciso e eficiente, rodando no meu Moto X Style.

  • hecnpo

    No Android Auto??

  • João Sem Braço

    iPad mini > Car Play

  • hecnpo

    Já tenho a multimidia com suporte a CarPlay, Android Auto e Mirrorlink. Não tem a menor chance de eu gastar mais dinheiro pra colocar um iPad mini.

  • daniel black

    Iphone mais caro do mundo e sem a entrada para fones de ouvido acho que não caiu no gosto do brasileiro, o aparelho é bom, mas ta longe do que já foi o iphone na época de Steve Jobs em relação aos concorrentes, hoje é só mais um aparelho no mercado.
    O mesmo pode se dizer dos novos Macbooks, na moral o Macbook pro 2012 sim era um laptop de respeito, hoje em dia só aparelhos capados de entradas e ruins de manutenção.

  • João Sem Braço

    Eu nem penso em comprar um sistema, a não ser que venha integrado de fábrica. Mas no meu caso, eu adaptaria o iPad para ser central de mídia.

  • hecnpo

    O meu é de fábrica. HB20 com Bluemedia.

  • Rodrigo Gomes da Silva

    Os outros tem mesma carga tributaria mas mudam as operações para pagar menos, como fazer a montagem aqui, cria uma logistica nacional, etc.. .a Apple simplesmente importa e provavelmente já com preço com a margem de lucro embutida q ela quer ter pra não precisar nem reenviar nada do q ganha aqui para fora.
    Um bom exemplo parecido foi o PS4 e o XONE, aonde o ps4 oficial chegou por R$4000 (q não tinhada nada feito aqui) e o XOne por uns R$2400, sendo q o xone la fora era $100 mais caro.

  • Rodrigo Gomes da Silva

    A apple não se importa em simplesmente vender, ela tem q vender mantendo a margem de lucro minima q eh apresentada para os acionistas… se nao for conseguir aquela margem eles preferem nem vender

  • Franco

    Isso é porque a Apple manda meia dúzia de iPhones pro Brasil, por isso nunca tem.

  • João Sem Braço

    Realmente vc não tem saída mesmo.

  • Luiz Rodrigo

    Parabéns pelo artigo esclarecedor, estava esperando mesmo notícias do market share das marcas de smartphones em terras tupiniquins. Aí fica a pergunta, até quando a apple fechará os olhos para o Brasil?

  • Louis

    Era exatamente o que eu iria citar. Como o Note 7 não chegou por aqui, de fato, não existe o menor motivo para preocupação.

  • Louis

    Se isso for verdade, vide que o CEO foi preso e vários acionistas estão sendo investigados pelo escândalo de corrupção na Coréia.

    Honestamente, não dá para confiar em dados divulgados pelas próprias empresas (por mais que passem por auditorias).

  • alex bruno evaristo

    comprei um edge s7 azul,esse mês pague 2.299,00, tinha iphone 5s e comprei o NOTE5 apos alguns meses da samsung lanca o note paguei na submarino 2.199,00 estava pesquisando entre o edge s7 ou iphone 7 plus o precooo. desisti.

  • Victor Zavecz

    Cara, independente do comentário – que também achei inadequado -, ou da perda de market share da Apple no Brasil, a mesma saiu com market share global de 80% dos lucros com venda de celulares ano passado.
    Quem tem que cholar são as Samsunguetes que se ardem por esse tipo de comentário, aka você.

  • Vinícius Marçall

    Pelo preço praticada pela Apple no Brasil, ainda tá vendendo até bem…

  • DN

    MEU DEUS! ELE QUIS DIZER QUE O PROBLEMA LA FORA NÃO AFETOU A REPUTAÇÃO DA SAMMY AQUI NO BRASIL! AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

  • Raul Pereira

    E por que afetaria? Se o problema foi com o note 7 que nunca sequer chegou ao Brasil!!

  • Ronaldo Silva

    Em 2015, o iPhone 6s veio a 4k. O iPhone 7 veio em 2016 a 3,5k. Seu argumento é invalido.
    E LG, ASUS, Samsung e Sony tem tops de linha na faixa de 3,5 ~ 4k em seus lançamentos. O iPhone é apenas mais um, ser caro não é mais algo somente da Apple.

  • Anderson Maciel

    Saí de um iPhone 5 para um Lenovo ZUK Z2 e por enquanto estou impressionado com o Android. Tem coisas do iOS que dão saudades, mas tem muito mais coisas melhores no Android. De fato uma coisa que a Apple deveria pensar era dar liberdado para o usuário configurar a sua home screen da maneira que quiser. O resto pode continuar como está. Isso é sensacional no Android.

  • Anderson Maciel

    Com esse preço abusivo não dá coragem de torrar a grana a toa não.

  • MFS

    É bom, mas não é offline!!!

  • eu estou super satisfeito com meu shamesunga! e olha que ainda é o J7… imagina se top como o S7 edge… Enquanto isso a Apple trazendo novidades em cores de aparelho. Vamos ver se agora ela mostra algo q preste!

  • Pra quem paga caríssimo para comer carne estragada com cabeça de porco e papelão e ver a nação inteira perder tempo criando memes para zoar na internet da própria desgraça, e lá no fim das contas nem pensar em boicotar os produtos das marcas que pintaram e bordaram com a cara do povo, eu se fosse o Tim colocava o iPhone 7 a 7.000 reais e ainda parcelava em 48 vezes pros trouxas comprarem.

  • Se tiver iPhone 10k, parcelado em Leasing, tem gente que compra!
    Tenho uma amiga que mudou para a Suíça em 2014, ela vai voltar ao Brasil para uma rápida visita este ano e sabe que vai embora (de volta pra Suíça) triste, pois a repercussão do nosso país la fora, é de um lugar totalmente sem lei e que cada um faz o que quer aqui sem medo de ser punido, pois a punição aqui é a mais branda que existe.

  • felippe

    A tá vlw, ele não falou sobre celulares que explodem com ironia não, vllllllllllllw minha avó e virgem, sabia não????

  • felippe

    E verdade

  • felippe

    Verdade tb

  • Victor Hugo

    Cara outros países eu não sei, eu sei do nosso País. Temos que falar por nós mesmos!

    Por aqui a Apple só tem 3,8% de fatia de mercado, talvez pra ela não seja interessante em investir em certos serviços por enquanto. Depende de uma série de fatores dela ter aberto Apple Store aqui e não em outros países latinos americanos. Isso é algo que só os chefões de Cupertino sabem, aqui a gente só pode especular. Mais nada

  • felippe

    Pô, meu caro, me desculpe, vou ter que discordar, sua opinião seria valida caso tivesse mencionado qual telefone usou, porem não disse, pois se eu te falar assim: -vai lá, usa um S7 que quero ver vc ficar puto, duvido, pode até no final das contas não ter a mesma fluidez do ios, mas a diferença é praticamente nenhuma, tô falando em comparação a um iPhone 6s pra frente, pq pegar um iPhone 5s e comparar com o s7 Edge é bizarro, o iPhone e cai ser espancado, meu amigo, já estive dos dois lados, tô com um iPhone 7 plus, minha esposa tem um s7 Edge, o aparelho e Flórida

  • Antonio

    Faltou pesquisas por faixa de preço, faturamento, lucro essa daria a melhor entendimento do que mudou no mercado e quem foi a mais afetada, e mesmo quem cresceu em vendas pode ter encolhido o seu faturamento já, que o consumidor optou por comprar aparelhos mais baratos, com a falta de dinheiro o que moveu a preferência do consumidor foi preço e não afinidade por marca!

  • Fernando

    O que não dá pra entender, apenas 10 dólares de diferença entre os preços lá fora, mas aqui no Brasil, estes 10 dólares se transformam em R$ 600,00:

    – AirPods: $159,00 (US) / R$ 1399,00 (BR)
    – BeatsX: $149,00 (US) / R$ 799,00 (BR)

  • Tarlan Brunet

    Mas isto é sobre as vendas oficiais né? Porque volta e meia vejo carinhas com um i7 ou i6. Sem falar que os canais de vendas não oficiais de iGadgets vão numa boa por aqui.

  • Ubirajara Batalha

    Sério?! rsrs Verdade que aqui ela só tem 3,8% de mercado, mas isso tem um motivo e ela sabe muito bem qual é, da mesma forma que sabe também o motivo de ter aberto suas lojas aqui e não em outros países da América Latina, aliás, bloco econômico que você mesmo citou… rsrs Enfim, não vou entrar na “discussão”(e há aspas!) porque não ganho nada com isso, você deu sua opinião e eu a minha. Ponto.

  • Luciano d’Avila

    Penso que o MacMagazine poderia fazer uma tabela com 2 modelos iguais de iPhone 7 e colocando os custos, preços finais e margens de lucro das operações brasileiras e americanas para comparação e análise.

  • Rodrigo Gomes da Silva

    Olha, eu creio o iphone daqui já vem com a margem de lucro americana embutida, logo pagando imposto em cima do preço de atacado de lá, até pq evita o trabalho de repatriar o lucro… ai em cima desse valor com lucro se coloca um extra daqui pra manter as operações brasileiras de modo independente.

  • Artur Vieira

    Simples, pagar mais de R$2.000,00 em um celular é burrice.

  • Kevin

    Concordo em partes, Victor. Apesar de ser um assunto batido, a Apple tem uma margem muito alta aqui que por vezes parece ser injustificável. É só comparar o preço do iPhone 7 com o do Galaxy S7 (que custam o mesmo nos EUA). Nesse caso ela própria pode estar se boicotando. Um exemplo seria o preço iPhone SE custando entre 900,00 a 1200,00, poderia representar uma virada pra Apple.

  • Pedro Mendes Júnior

    A Apple nunca se preocupou com Share e sim com o volume de vendas e a experiência do usuário….
    Não vai ser agora que ela irá de preocupar…

  • Franco

    Se sua avó é virgem eu não sei, mas que você tem problema de interpretação, isso ficou bem óbvio.

  • cr

    paguei no ponto frio uns 1600-1700

    eu procurei em alguns sites como fast shop e afins eles continuam na faixa de 2mil

  • cr

    de qualquer maneira, a baixa foi recente, eu tinha visto nesse mes (março caso vc veja posteriormente a resposta) ainda o meu celular por 2 mil reais

  • felippe

    Amigão, então me explica qual a necessidade dele citar o fato das explosões do note 7? Ou seja vc fala que tenho problemas com interpretação, vc no mínimo tem um problema de vários e de deixou bem explícito, o de auto afirmação, pois tenta se auto afirmar com sua ” forte opinião”, enfim, discutir com o dono da verdade fica difícil, já que vc ” falou virou verdade”, fica na paz e bom descanso senhor “FALOU VIROU VERDADE”

  • felippe

    Ue o cuzão do Franco não veio aqui tentar te responder tb não??? Pois ele disse acima que eu tô com problema de interpretação, vc no mínimo tem o mesmo problema que o meu, esse Franco e um cuzão

  • MFS

    Já usei, é bom, mas prefiro o Here WeGo, pois é offline, é preciso, prático e não consome meus dados móveis quando viajo. Se vc não conhece, sugiro que teste, acredito que vai gostar, muito bom mesmo.

  • Victor Hugo

    Na verdade foi um iPhone 5s mesmo. Uso ele desde 2014, ou seja, e o iOS 10 roda normalmente. Foi uma outra vez que deu crash em versões anteriores. Não gosto de Android por 3 motivos que apenas a Apple oferece: suporte telefônico incomparável (pessoalmente e telefônico), integração com sistema operacional e tempo de vida longo. Já tive um Galaxy Tab e, em menos de 1 ano, deu problema. Por ser comprado fora a Samsung não quis dar garantia na assistência, por sorte vi tutorial no Youtube e resolvi no mesmo dia. Mais um 4º motivo: a garantia internacional.

  • Victor Hugo

    Sou quase um applemaníaco, ainda não, mas quase!

  • Victor Hugo

    Mas eu não tentando ganhar discussão nenhuma não, relaxa. Aqui no MacMagazine não tem nenhum minion do Blog do iPhone kkkkkkkkk. A Apple não tem maior espaço por culpa dela mesma (margem de lucro), do governo (impostos) e da própria indústria brasileira (livre concorrência). Aqui isso é algo inegável, talvez tenha outros fatores.

  • Victor Hugo

    Claro, isso ninguém pode negar. Mas a cotação do dólar também encarece os preços de outros produtos por aqui, some isso aos impostos do governo e adicione mais a falta de concorrência na indústria brasileira. O resultado é MacBook custando o preço de um carro popular. Isso é uma coisa que os fãs ferrenhos da Apple e os amantes do Android precisam entender, margem de lucro e impostos não são os únicos responsáveis. Entra esse protecionismo também que prejudica não são os eletrônicos, mas vários setores.

  • Victor Hugo

    É complicado mesmo. Mas o incrível mesmo, como eu disse no comentário de cima, é que mesmo no Brasil de hoje a maioria não passa R$1600,00 num smartphone.

  • cr

    verdade
    e tinha epoca que a gente achava isso ai o fim da picada prum celular né :p


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: