Em janeiro, a Apple processou a Qualcomm por monopólio no mercado de chips wireless, requerendo US$1 bilhão. Na época, a fabricante de chips alegou que não existia “embasamento nenhum” nas acusações da Maçã e que a empresa teria “intencionalmente descaracterizado os acordos e as negociações”. Pois este imbróglio acaba de piorar, já que quem está processando agora é a Qualcomm.

Ontem, segunda-feira (10/4), a Qualcomm anunciou a abertura de um contra-processo em cima da Apple — todos os detalhes estão neste PDF.

Partindo da resposta que havia dado anteriormente em seu pronunciamento, a Qualcomm negou oficialmente as alegações da Apple e também a acusou de ter realizado acordos com “má fé” em relação aos seus chips 3G e 4G. Além disso, a Maçã também foi acusada de violar acordos de licenciamento, declarando que a empresa fez alegações falsas as quais incentivaram jurisdições ao redor do mundo a atacarem a fabricante de chips — provavelmente se referindo aos outros processos abertos na China e no Reino Unido.

Nos últimos dez anos, a Apple tem desempenhado um papel significativo em trazer os benefícios da tecnologia móvel para consumidores com seus produtos e serviços populares. Mas a Apple não poderia ter construído a incrível franquia do iPhone, que a tornou a empresa mais rentável do mundo, capturando mais de 90% dos lucros de smartphones, sem contar com as tecnologias celulares fundamentais da Qualcomm. Agora, após uma década de crescimento histórico, a Apple se recusa a reconhecer o valor bem estabelecido e contínuo dessas tecnologias. Ela lançou um ataque global contra a Qualcomm e está tentando usar o seu enorme poder de mercado para coagir termos de licença injustos e irracionais da Qualcomm. Pretendemos defender vigorosamente o nosso modelo de negócio e ir atrás do nosso direito de proteger e receber o valor justo pelas nossas contribuições tecnológicas para a indústria.

Don Rosenberg, vice-presidente executivo e conselheiro geral da Qualcomm.

A Qualcomm também apontou que a Apple “optou por não utilizar o desempenho completo” do seu modem LTE nos iPhones 7/7 Plus. Isso porque os iDevices são equipados ou com chips da Qualcomm, ou com da Intel. Na ocasião, alguns testes revelaram que o chip da Qualcomm apresentava performance melhor que o da Intel, mesmo a Apple afirmando que não havia “diferença discernível”. A Qualcomm, é claro, não ficou nada feliz com isso, mas ao que alegam, a Apple supostamente ameaçou a empresa para que não houvesse comparações de performances em iPhones com chips da Qualcomm.

Neste novo processo, a Qualcomm requer da Apple indenizações tanto compensatórias quanto punitivas, por “renegar suas promessas em vários acordos”, assim como pede que haja a proibição da Apple em interferir em acordos da Qualcomm com as empresas que fabricam iPhones e iPads. Além disso, a empresa busca ser liberada de qualquer obrigação de realizar mais pagamentos à Apple.

Respondendo a essas alegações, a Apple acusou a Qualcomm de utilizar a sua posição como fornecedora de um dos componentes mais importantes do iPhone para aumentar as taxas de licenciamento de patentes.

A briga é de cachorro grande e pode prejudicar bastante — e igualmente — as duas empresas. Continuaremos acompanhando o caso.

[via MacRumors]

  • Murilo Herrmann

    difícil opinar, mas a Apple era melhor trabalhando na surdina.
    **sim colegas, acompanho a Apple desde 2010, sei da “guerra Sammy x Apple” que o Jobs travou, mas ele não está mais aqui pra botar o dedo da cara dos outros.

    Apple está que nem cachorro, latindo muito e não mordendo ninguém.

  • Fernando

    Os descendentes do Thomas Edison também vão processar a apple por usar energia elétrica nos iPhones?

  • João Sem Braço

    Assim como uma certa empresa pode tentar processar o Bell por inventar o telefone…

  • Thiago Lopes

    Depende, só de considerar que o iPhone trabalha com corrente contínua internamente, se considerar que ele é carregado com corrente alternada, será processado pelos filhos da esposa pomba do Tesla.

  • Thiago Ribeiro

    É muita treta ! Nós reles mortais nunca saberemos os reais motivos dessas guerrinhas. Sempre tem uma segunda intenção!

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.