Jimmy Iovine afirma que Apple Music teria 400 milhões de usuários caso oferecesse uma versão gratuita


Por
18/05/2017 às 08:30

É um fato: o Apple Music ainda precisa encarar uma ladeira deveras íngreme para chegar ao nível de popularidade do seu principal concorrente, o Spotify. De acordo com um dos seus chefões, entretanto, o cenário não é tão desfavorável assim para a plataforma da Maçã, não: Jimmy Iovine afirmou que a razão da dianteira do serviço sueco se dá principalmente por conta de ele oferecer uma versão gratuita, coisa que a Apple nunca cogitou fazer — embora ele opine que, se existisse, tal opção atrairia centenas de milhões de usuários ao serviço de Tim Cook e sua turma.

Esta e outras declarações intrigantes fazem parte de uma longa entrevista com o executivo e produtor musical publicada pela Music Business Worldwide — da qual reproduzimos os trechos mais importantes logo abaixo.

Jimmy Iovine

Jimmy Iovine, chefão do Apple Music

A entrevista começa com uma passagem lembrando o contexto no qual Iovine se insere: originalmente, ele era um engenheiro de som em Nova York que começou trabalhando, aos 21 anos, com ninguém menos que John Lennon. Ao longo dos primeiros anos de carreira, Iovine colaborou com artistas como Harry Nilsson, Bruce Springsteen, Stevie Nicks e o U2. Assim foi até que, em 1989, Iovine criou o selo Interscope Records, que revelou grandes nomes como Dr. Dre, Eminem e Lady Gaga.

Em suma: Iovine tem a música na veia, e talvez isso possa explicar a sua paixão ao falar sobre artistas e as dinâmicas financeiras da indústria musical. O executivo afirmou que é totalmente contrário à ideia de “música grátis” e quer que as pessoas voltem a pagar por conteúdo musical após anos de combate à pirataria e aos serviços de compartilhamento gratuitos.

Segundo ele, serviços como o Spotify ou o YouTube, que oferecem acesso a milhões de músicas de graça operando apenas com anúncios, são prejudiciais aos artistas e não os pagam como deveriam. Iovine opinou que, se o Apple Music oferecesse uma versão gratuita, como seu principal concorrente, chegaria facilmente a 400 milhões de usuários no mundo todo e tornaria o trabalho dele muito fácil — entretanto, esta não é a visão que ele, Cook ou Steve Jobs têm (ou tinha, no caso do último) de um serviço de streaming.

Nós acreditamos que os artistas devem ser pagos. É por isso que eu fui para a Apple. Os artistas estão sendo lesados. Ponto. Eu não vejo como alguém poderia apoiar isso. É a nossa responsabilidade mudar este cenário.

Iovine afirmou ainda que “as pessoas que pagam por assinaturas devem ter vantagens”, e, em outro trecho, elogiou o CEO do Spotify Daniel Ek, dizendo que “ele está fazendo um trabalho fabuloso”, explicando que vários dos seus concorrentes na área musical também são seus amigos e que a indústria musical, se quiser sobreviver neste mundo pós-Napster, precisa da colaboração dos artistas e das pessoas que possuem os direitos das músicas.

A entrevista completa pode ser lida no site da Music Business Worldwide.

via MacRumors

Posts relacionados
Comentários
  • Tarlan Brunet

    Calma gafanhoto, calma… Lembre-se que o Spotify funciona até por Web Player, enquanto que o MUSIC está restrito unicamente aos devices, aquela bomba do iTunes for Windows eeee um appzinho pra Android. Isso sem falar nas coisinhas a mais e a qualidade do App do Verdinho, que ainda é superior.
    Sim, uso MUSIC, que tem coisas muito bacanas, atualmente funciona bem, o catalogo tem quase tudo que curto, mas principalmente uso pelo recurso iCloud Library, tendo em vista que eu usava o iTunes Match desde antes do MUSIC chegar, então me acostumei e é uma função que me faz MUITA falta no Spotify, e por essa razão não o uso pra valer.
    Mas que ainda há um bom lote a ser capinado pela Apple para literalmente pisar no Spotify, isso com certeza tem.

  • Marlon Fuhlendorf

    Acho que você falou o ponto principal que vejo como vantagem do spotify, estar presente em vários lugares. Uso o Apple Music, não tenho problemas com o iTunes, ou com o app do android, ambos funcionam mto bem. Mas faltam mais integrações realmente. Em relação a serviços e playlists, não vejo mais diferenças entre os dois. As do Apple Music me atendem muito bem. A apple devia investir num jeito das pessoas passarem suas playlists do spotify direto pro apple music, assim seria mais fácil seguir playlists de amigos que usam o outro serviço.

  • hecnpo

    Puts, a Apple fez esse modelo de negócios “para defender os artistas”? Alguém acredita nisso!?

  • Ubirajara Batalha

    Não duvido, afinal ninguém (ou quase ninguém – pra não generalizar) assinou o Spotify sem antes testar o serviço gratuitamente (principalmente se pensarmos ao tempo em que surgiu e que atualmente retirar um cliente fiel é difícil), seria hipocrisia pensar diferente sabendo que o dinheiro é importante pra todos, portanto acho que sim, se a Apple oferecesse um plano gratuito isso popularizaria MUITO! Não sei quantificar isso, se chegaria a 400 milhões, mais, ou menos, mas com certeza encostaria no Spotify.

  • Marlon Fuhlendorf

    Ué, mas qualquer novo usuário tem 3 meses gratuitos pra experimentar o apple music, em 3 meses da pra você ver se gosta ou não. É o suficiente pra decidir. O que eles não concordam, é deixar a pessoa ouvir musica “de graça” só com publicidade.

  • Marlon Fuhlendorf

    Os próprios artistas, que estão do lado da apple, inclusive retirando seus catálogos de outros serviços, que oferecem musica em troca de publicidade apenas.

  • meduza

    Se ela fez pra defender ou não eu não sei, mas o repasse de royalties dela é maior que do Spotify. Antes de assinar o Apple Music, eu usava o Deezer, que até então era quem repassava os royalties mais justamente.

  • hecnpo

    Eu não disse que não é melhor para os artistas. Disse que do jeito que o Iovine se expressou ele deu a entender que ela fez isso “pelos” artistas, o que só pode ser lido como uma piada no mundo dos negócios.

  • hecnpo

    Com certeza a intenção não foi “defender os artistas”. Ela considerou um modelo de negócios mais alinhado às suas estratégias.

  • Wesley

    Eu uso o Apple Music desde que ele foi lançado, e no geral sempre me atendeu bem. Até que esses dias um amigo compartilhou comigo a assinatura familiar do Spotify. Comecei a usar olha, tem coisas maravilhosas naquele serviço. O Apple Music tem muito o que melhorar ainda, no quesito design, por exemplo, entre outras coisas. Mas minha biblioteca toda está no Music então não pretendo migrar definitivamente.

  • Boa parte da Apple funciona assim. Ela é uma empresa e tem o seu capital aberto, o principal sempre será lucrar. Se for pela sua ótica, ela também não cria recursos de acessibilidade nos produtos pensando em quem precisa — é só para “ter argumento de venda”.

  • hecnpo

    Mas para mim é óbvio que é para atrair os consumidores que se precisam dos recursos de acessibilidade.

  • Ubirajara Batalha

    Não é a mesma coisa! Ter 3 meses gratuitos já implica em você pagar ao final dos 3 meses, a não ser que não goste e/ou não queira. Gratuito significa poder ficar a vida toda ouvindo sem pagar nada nunca. Isso muda totalmente, pois há muita gente no Spotify que não quer pagar NUNCA e são exatamente esses que eu imaginei e acredito que Iovine também. São propostas bem diferentes com públicos bem diferentes também!

  • João W.

    “ficar a vida toda ouvindo sem pagar nada nunca” aí que tá. Tem gente que paga R$3,5 mil num iPhone, mas não quer pagar US$5 por mês para ouvir música.

  • Rodolfo Oliveira

    Eu sou um ser raro: uso Apple Music mesmo não tendo nenhum hardware da Apple atualmente. O principal motivo deu usar o serviço é que tenho um catalogo absurdo de músicas compradas no iTunes e que não abro mao por nada. No Appl Music mesmo o que não esta disponível no servico mas que você tem comprado jo itunes aparece no aplicativo do Android, e pra mil isso eh uma facilidade muito grande.

  • Rodolfo Oliveira

    Isso e muito Brasil. As pessoas pagam fortunas em hardware mas não querem pagar pelo software. O que tem de TV full HD que roda filme DVD pirata de quinta

  • Rodolfo Oliveira

    Eu achava que era o tidal.

  • Ubirajara Batalha

    Também acho, mas sabemos que isso é o que acontece e muito!

  • Ubirajara Batalha

    Tem gente que ainda compra DVD pirata ou baixa CD da internet, imagine pagar um stream ou qq outra coisa…

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.


Carregar mais posts recentes