Muito em breve, assistências terceirizadas poderão finalmente trocar telas de iPhones [atualizado]

Imagem de destaque


Caneta Para notificar nossos editores de um erro no post, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.
Por
07/06/2017 às 15:21

Quando pensamos em iPhone quebrado, invariavelmente vem às nossas cabeças aquela maravilhosa tela completamente rachada, estilhaçada. Ao menos é a primeira coisa que eu penso, afinal, ela continua sendo de vidro e as pessoas continuam deixando os seus telefones caírem. E é exatamente nesse ponto que a coisa fica polêmica — não pelo vidro quebrar, mas pelo fato de só a Apple poder fazer as trocas das telas.

Desde quando esse tipo de reparo começou, apenas as lojas físicas da Maçã possuem uma máquina “trambolhuda” que tem apenas dois propósitos: fazer a calibragem de uma nova tela que é colocada em um corpo antigo de iPhone e realizar a troca do componente do Touch ID (conectada a um Mac, a máquina automaticamente valida o novo sensor nos servidores internos da Apple).

Por essa razão, nenhum Centro de Serviço Autorizado Apple tem como trocar a tela de um iPhone. Nos Estados Unidos, onde existem centenas de lojas da Apple, isso não é lá um grande problema. Mas no Brasil, por exemplo, onde temos apenas duas lojas, a falta de uma máquina dessas em CSAAs é bastante prejudicial pois acaba forçando o cliente a resolver o problema diretamente com a Apple nas lojas físicas (o que aumenta, e muito, o número de atendimentos realizados) ou tendo que enviar o telefone para a Maçã pelos Correios para que o reparo seja feito. Isso, como eu disse, no Brasil; em países onde a Apple simplesmente não tem lojas, as coisas são ainda mais complicadas.

Mas esse cenário tem tudo para mudar em 2017, ao menos de acordo com a Reuters. Executivos da Apple disseram ao veículo que, até o fim de 2017 (mais conhecido como este ano), a Apple disponibilizará a célebre máquina em cerca de 400 CSAAs distribuídos em 25 diferentes países — o que representaria 8,5% dos cerca de 4.800 CSAAs existentes no planeta. Nós, é claro, estamos na torcida para que o Brasil esteja dentro desse bolo.

Confira algumas fotos da máquina que calibra iPhones 6s ou mais recentes em cerca de 15 minutos — e alguns equipamentos utilizados na desmontagem/montagem dos aparelhos:

O programa piloto da Apple já começou há cerca de um ano, com algumas máquinas em funcionamento em locais como Miami, Bay Area (região que engloba San Francisco e cidades vizinhas), Londres, Xangai e Singapura. Ainda segundo a Reuters, alguns países que não contam com lojas da Apple como Colômbia, Noruega e Coreia do Sul receberão primeiro essas máquinas — o que, como expliquei acima, faz bastante sentido.

A novidade vem para complementar outra recente, que cobrimos no MacMagazine em fevereiro: reparos das telas de iPhones feitos por terceiros não anulam mais a garantia dos aparelhos, mas obviamente o componente em si não era mais coberto pela garantia. Com essa troca oficial feita por CCSAs, isso não se aplica.

Em vários Estados americanos, há um movimento legislativo com a finalidade de forçar a Apple a dar o direito das pessoas de consertarem seus iGadgets; a empresa, porém, negou que esse novo plano tenha ligação com isso, afirmando que tudo foi pensado para simplesmente reduzir o tempo de espera de reparos nas suas lojas e facilitar reparos de alta qualidade em países onde a empresa não possui presença no varejo.

De fato, um ex-empregado da Apple Morumbi nos contou que essa é uma briga interna de longa data e que era ainda mais dificultada pelo fato de que as assistências precisariam utilizar a VPN1 da Apple para poder fazer a máquina funcionar.

Independentemente de ser ou não uma resposta ao movimento, quem sai ganhando somos nós.

Atualização, por Rafael Fischmann 08/06/2017 às 18:47

Confirmando as nossas suspeitas, o Brasil estará, sim, entre os 25 países da iniciativa — conforme divulgou o TechTudo. Todavia, não há previsão de quando a primeira Horizon Machine (tal como é chamada a máquina) chegará ao nosso país.

Notas de rodapé

  1. Virtual private network, ou rede privada virtual.
Posts relacionados
Comentários
  • Andre Vicente da Cunha

    No quesito manutenção da tela do Iphone acho que a Apple está espertinha demais. Comprei uma Iphone 7 Plus e com 2 meses de uso um impacto em cima da tela fez ela trincar, mandei para a Apple para reparo tendo 99,9% de certeza que me cobrariam apenas a troca da tela, não foi o que aconteceu, me cobraram o preço cheio (trocaram o aparelho todo). Fico pensando, o aparelho estava zerado, sem um risco ou marca qualquer (exceto a tela trincada), provavelmente a Apple montou um aparelho novo com a minha carcaça e ainda me cobrou preço cheio pra me enviar um aparelho novo, ou seja ganhou pra todo lado. No momento do envio pra Apple eles deixam claro que você não pode escolher o serviço que será feito (troca da tela ou aparelho), desse modo, não tenho nem como reclamar.

  • Espero que o preço também seja mais acessível. Pois trocar a tela do smartphone custa quase um novo.

  • César Krentzenstein Borman

    Não tenho certeza. Já troquei diversos aparelhos Apple (Pela empresa, não to rico não), e já tive casos de trocar a tela e casos de trocar todo o aparelho. Eles informam que, caso tenha componente visível, é aparelho todo, pois pode apresentar defeito depois. Se não tiver nada visível, a tela é trocada e o aparelho passa na máquina pra fazer um check em cada um dos componentes. A única diferença é que troco direto na Apple Morumbi, então posso te dar certeza que não é um aparelho montado com o seu, pois os meus sempre trouxeram o novo antes de levar o antigo.

  • Wilan

    Isso de tela trocada por terceiros não invalidar a troca do aparelho não se aplica ao Brasil.

  • João Gonçalves

    Eu tenho uma loja de reparação de equipamentos apple aqui em portugal, não autorizada mas faço trabalho de primeira linha, pois as minhas peças são sempre originais. E troco touchscreen/LCD dos iPhones em 30 min, so o lcd e o touch são trocados o touch id e os sensores são mantidos, com isso não é preciso calibrar nada.

  • Ciro

    Será um indício que o próximo iPhone será inteiro de vidro e a Apple já está se preparando para o aumento das quebras?

  • Bruno

    Vou dar um relato pessoal… semana passada aconteceu algo semelhante com meu iPhone 7, bateu de leve a lateral e tricou a tela. Consegui agendar um horário na Genius do Morumbi, o atendente olhou e disse… Ah por essa batida a tela trincou? Então vou consertar pela garantia…
    resultado, não paguei nada e obviamente eu fui responsável por ter derrubado o iPhone.
    Então o melhor dos mundos sempre seria a apple ter mais lojas pois o atendimento físico tende a ser mais “humano” e de qualidade mias satisfatória.

  • Wilan

    A parte de calibrar não é do touch id, mas sim da pressão do force touch e da resposta do touch. De acordo com a Apple é claro.

  • Diogo Amaral

    Pra quem é do Rio… Edifício Central! Hahaha

  • Diogo Amaral

    Não mesmo, trocar a tela custa 599.

  • João Gonçalves

    Mas ele ja vem calibrado. Funciona tudo

  • Murilo Herrmann

    Faz tempo que não ouvia esses tipo de relato “positivo” a cerca da garantia da Apple.

  • Luiz Claudio Eudes Corrêa

    Em niterói acho mais barato (-;

  • Paulo Elias Bento Val

    Se tiver a garantia da Apple tudo Bem.

  • JohnnyVista

    Peças originais? Numa loja não autorizada? LOL! O que garante que são originais? As únicas peças autorizadas/originais são colocadas unicamente por Centros de Assistência Apple Autorizados.

  • JohnnyVista

    Os LCDs podem ser OEM pois são retirados de vidros partidos e recondicionados (colocam outro vidro por cima). E sim, os serviços autorizados já trocam só o display, assim como a bateria. A troca por um iPhone novo acontece quando não há possibilidade de trocar o display, ou a avaria é num componente não reparável. Claro que há diferença entre calibrar um Display e simplesmente colocá-lo e migrar as peças de um para o outro. Mas isto sou eu a falar, que sou leigo no assunto, pelo que dizem.

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: