Fontes sugerem que “iPhone 8” trará sensor de reconhecimento facial 3D no lugar do Touch ID


Caneta Para notificar nossos editores de um erro no post, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.
Por
03/07/2017 às 18:02

Segurem-se, porque aparentemente a carreta de rumores do “iPhone 8” (ou “iPhone X”, como queiram) está desgovernada.

Ainda hoje, mais cedo, falamos sobre as predições do célebre analista Ming Chi-Kuo, o qual apostou que a Apple não conseguirá colocar um sensor biométrico embutido na tela do seu próximo carro-chefe.

Agora, a Bloomberg vem engrossar esse caldo: de acordo com Mark Gurman — que possui muitas fontes confiáveis dentro da Apple —, é possível que o mais caro dos próximos iPhones venha sem nenhum tipo de leitor de impressões digitais! Em vez disso, o reconhecimento do usuário seria feito por sensores faciais 3D.

Mockup/render do "iPhone 8" branco

Mockup/render do “iPhone 8” branco

Citando as famigeradas fontes próximas ao assunto, Gurman afirmou que esse novo sensor substituiria o Touch ID em todas as aplicações do sistema, do desbloqueio do aparelho até a autenticação do usuário para compras e logins em aplicativos compatíveis. Aparentemente, tal tecnologia seria bem diferente — ou, em outras palavras, bem mais avançada — que outras similares aplicadas em aparelhos já lançados, como o Galaxy S8; de acordo com as fontes, o foco da Apple com o novo sensor estaria na velocidade e precisão de funcionamento.

Mais precisamente, os indivíduos consultados afirmaram que o sensor poderia desbloquear o iPhone em questão de “algumas centenas de milissegundos” e, por apresentar tecnologia 3D, funcionaria até mesmo caso o dispositivo estivesse deitado sobre uma mesa — não seria necessário, portanto, pegar o telefone e apontá-lo para o seu rosto para que ele lhe reconheça. Por fim, há a possibilidade de a Apple combinar o recurso com uma tecnologia de escaneamento de íris, para uma camada adicional de segurança — combinadas, essas tecnologias somariam um maior número de pontos de dados únicos que uma impressão digital, portanto superando o Touch ID em termos de intransponibilidade, afirmaram as fontes.

Além do novo sensor de reconhecimento facial, a Bloomberg falou ainda na possibilidade de a Apple incluir no próximo iPhone (ou nos próximos iPhones) telas com a tecnologia ProMotion de maior taxa de atualização (até 120Hz), já vistas nos novos iPads — o que, considerando o ritmo de atualização dos dispositivos iOS, não só seria provável como até mesmo esperado. A matéria ainda citou o chip dedicado ao processamento de tarefas relacionadas à inteligência artificial, batizado de Apple Neural Engine.

Voltando ao sensor: não é difícil imaginar que a Apple esteve trabalhando com as duas possibilidades ao longo dos últimos meses (ou até anos) — uma na qual ela conseguiria integrar a tempo o leitor de impressões digitais na tela e outra que esta tecnologia não ficaria pronta e seria necessário oferecer aos consumidores uma alternativa tão eficaz quanto. Ao que parece, essa segunda opção é que tornar-se-á verdadeira — muito embora ainda tenhamos que esperar alguns meses para descobrir a verdade.

Posts relacionados
Comentários

Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: