Review: dobre o espaço de armazenamento do seu Mac e crie um drive único para os seus arquivos com o TarDisk


Caneta Para notificar nossos editores de um erro no post, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.
Por
19/07/2017 às 10:02

O meu primeiro computador da Apple foi um iMac G5. Eu simplesmente adorava aquela máquina por todas as qualidades que um desktop tem, como maior capacidade de processamento (tanto computacional quanto gráfica), mais espaço para armazenamento, uma bela e grande tela embutida (no caso dos tudo-em-um, como iMac), etc. Mas o mundo mudou e, com ele, eu precisei me adaptar.

Por mais que eu goste bastante da ideia de ter um iMac de 27″ em casa1 para o meu trabalho diário aqui no MacMagazine, isso, hoje, não faz muito sentido por conta das viagens que precisamos fazer periodicamente (MM Tours, coberturas internacionais de eventos da Apple)… Um notebook2 acaba fazendo muito mais sentido para mim pelo simples fato de um poder trabalhar de *qualquer* lugar, precisando apenas do meu computador na mochila e uma conexão com a internet3.

Mas tem uma coisa que eu sinto muita falta: espaço para armazenamento. Enquanto qualquer iMac vem minimamente com 1TB de espaço, o MacBook Pro vem com capacidades entre 128GB e 512GB. É claro que você pode personalizar o seu e colocar até 2TB nele, mas eu não preciso nem falar que, para fazer isso, você terá que desembolsar uma bela grana a mais!

E outra: em 2015, quando eu comprei o meu MacBook Pro atual, 512GB eram mais do que suficientes para mim; hoje, em 2017, não. E a ideia de ter que trocar de máquina por “não ser possível”4 fazer upgrade no SSD5 dele — ou ter que andar com um HDD6 externo/pendrive por aí — não é nada legal. É exatamente aqui, nesta lacuna, que entra o TarDisk.

A verdade é que existem diversas soluções como essa no mercado. Estamos falando de um “simples” cartão SD que se encaixa nos MacBooks Air/Pro (obviamente nas máquinas “antigas”, já que as novas não contam com tal slot) e aumenta a capacidade de armazenamento num estalar de dedos. Mas arrisco a dizer que nenhuma dessas soluções das que já comentamos aqui no site é tão bacana e integrada ao macOS como o TarDisk!

Isso porque ele conta com um software chamado Pear. O que ele faz é algo simplesmente incrível: ao rodá-lo, ele funde o espaço disponível no cartão com o do SSD/HDD. Isso quer dizer que, diferentemente dos outros cartões, você não fica com uma nova unidade de disco (um ícone na Mesa ou no Finder) aberta do seu Mac, arrastando arquivos e documentos de um lado para o outro. Quer um exemplo prático?

TarDisk

Como vocês podem ver na imagem acima, depois da instalação, o meu MacBook Pro que tinha 512GB, passou a ter 768GB! E a indicação “Fusion Drive” ali não é à toa, não: você fica com uma única unidade de armazenamento, mesclando as capacidades originais do Mac com as do TarDisk.

E a performance dessa combinação é muito satisfatória. O TarDisk transfere dados através do protocolo UHS-1 SDXC, com velocidade de classe 3 ou superior. De acordo com a fabricante, a velocidade de transferência de dados é de 95MB/s, o que representa cerca de 1/5 da encontrada em um SSD de alto desempenho. Ruim? Não necessariamente. O pulo do gato do Pear mais do que compensa essa diferença na performance. Isso porque o que temos é o mesmo conceito do Fusion Drive da Apple: uma armazenamento complementar ao original, do Mac: o SSD interno do computador sempre é utilizado antes do TarDisk e os seus arquivos mais utilizados sempre ficam — de forma automática — no SSD, mantendo a velocidade/performance com que você já está acostumado.

TarDisk

Outra boa noticia é que o TarDisk consome muito pouca bateria. Ainda segundo a fabricante, ele consome sempre uma média de 70 miliwatts para se manter funcionando. Colocando isso em perspectiva, para um MacBook Air com uma bateria de 50W/h e uma duração de bateria de 7 horas, o consumo será de menos de 5 minutos do total — uma troca mais do que válida, na minha opinião.

Para completar, o TarDisk é à prova d’água, de choque e de impacto, de temperaturas (elevadas e muito baixas), de raio-X, de magnetismo e pode ser utilizado com o recurso FileVault (para criptografar os arquivos do seu Mac) ativado7.

TarDisk

Um ponto negativo do produto é que, uma vez feita a fusão do cartão SD com o SSD/HDD do seu Mac, você simplesmente não poderá mais tirar o TarDisk do slot para nada — afinal, ele agora faz parte do armazenamento do seu computador e, se você retirá-lo, coisas não muito agradáveis poderão começar a acontecer. Isso quer dizer, por exemplo, que se você usa muito uma câmera e transfere fotos para o seu Mac utilizando o slot para cartões SD, terá que adquirir um adaptador e usar uma das portas USB para isso. Nada impossível ou que lhe dará muitas dores de cabeça, mas é sempre bom saber em que você está se metendo.

Sobre a utilização do TarDisk em si, no meu caso específico, eu acabei passando por dois problemas chatos na hora rodar o Pear — afinal, problemas acontecem. Ao tentar fundir os espaços, surgiu um alerta informando que eu tinha duas ou mais partições no meu SSD, coisa que não era verdade. Eu então criei uma nova partição e logo em seguida a apaguei. A instalação foi concluída e, na teoria, os espaços fundidos.

O segundo problema é que, mesmo com todos os passos da instalação devidamente realizados, o meu SSD não mostrava que havia sido ampliado em 256GB e continuava iniciando com 512GB. O jeito, então, foi apagar o sistema e começar tudo do zero. Depois da nova tentativa, aí sim tudo ficou como deveria ficar!

É claro que isso tudo não necessariamente acontecerá com você, mas é importante saber que, como eu disse, problemas acontecem. A parte boa é que todos esses possíveis problemas e soluções estão devidamente documentados no site do produto. Então é só seguir o passo-a-passo informado por eles que, de uma forma ou de outra, as coisas funcionarão.

Obviamente, você pode simplesmente espetar o TarDisk no seu MacBook Air/Pro e utilizá-lo como uma unidade de armazenamento externa, como outra qualquer — o que é ideal e ótimo, por exemplo, se você quer apenas fazer um backup dos seus arquivos (seja manualmente ou utilizando o Time Machine) ou armazenar uma biblioteca de fotos, de música, de vídeos, etc.

O grande diferencial dessa forma de uso é poder tirar/colocar o TarDisk do slot sempre que lhe for conveniente — essa parte, aliás, merece atenção: você deve remover o TarDisk utilizando o cartão de metal que vem na caixa do produto. Por outro lado, você não tem a integração mágica (Fusion Drive) que é o que diferencia o TarDisk de tudo que eu já vi por aí.

Abaixo, você confere um vídeo explicativo do produto:

O produto é muito legal e eu recomendo! Desses cartões SD para expandir as capacidades de armazenamento de Macs que já vimos por aí, foi o que mais me surpreendeu! Você pode adquirir o seu numa boa pois eles enviam — inclusive para o Brasil — sem custo de frete! Os preços variam de US$130 a US$400, dependendo do modelo (128GB ou 256GB) e da sua máquina (MacBook Air ou MacBook Pro).

Notas de rodapé

  1. Sim, aqui no MacMagazine todos trabalham em casa, o famoso home office.
  2. Eu — ainda? — não tenho o espírito tão elevado assim para largar um notebook e migrar todo o meu modus operandi para um iPad.
  3. O recurso Acesso Pessoal (Personal Hotspot) do iPhone caiu como uma luva, aqui!
  4. Possível, é, mas não é uma tarefa simples, que qualquer pessoa consegue fazer.
  5. Solid-state drive, ou unidade de estado sólido.
  6. Hard disk drive, ou disco rígido.
  7. Você só precisará desativar o FileVault para rodar o Pear e fundir os espaços; depois disso, poderá ativar o recurso novamente sem nenhum problema.

Prós

  • Aumenta o SSD/HDD de MacBooks [Air/Pro];
  • Cria um único espaço (Fusion Drive);
  • Não precisa abrir o Mac e trocar peças para aumentar o espaço.

Contras

  • Inutiliza o slot para cartões SD;
  • (Ainda?) não tem opção de 512GB;
  • Preço (mais especialmente o modelo de 256GB).
NOTA
9,0
Posts relacionados
Comentários
  • Henrique Cunha

    Bacana! Uso a alguns anos, desde meu MacBook Air uma solução como essa (básicamente um Adaptador Nifty Drive com microSD). Comecei com 64Gb extras. Hoje no meu MacBook Pro 13, uso um microSD de 128Gb.
    Seria ótimo se pudessemos usar o App Pear não apenas com Tar Disk. Será que dá?

  • Lucas Mossato

    Eu tenho um Nifty Driver (que é igualzinho, só não tem o software) no meu MBA de 128gb e o único problema é que as vezes o slot desconecta e eu preciso tirar e colocar de novo.

  • Murilo Herrmann

    interessou muito, agora vou aguardar mais comentários do pessoal 🙂

  • Rodrigo Fogagnolo

    Tenho um amigo que trabalha na TarDisk, em Boston! show de bola

  • josuedias

    Nifty não é ruim, mas é só um Cartão SD cortado no meio pra servir no MacBook, não tem nada de especial =/
    Tenta usar o app “Jettison” que ele te ajuda a não ficar desconectando o tempo todo.

  • josuedias

    Uso o TarDisk há quase 2 anos e to muito satisfeito! Inclusive eu lembro que pedi pra não declararem o valor total da mercadoria no pacote pra eu não pagar imposto e deu certo, mandaram como U$10 e eu recebi tranquilo depois de 3 semanas. Os caras são muito prestativos e oferecem suporte em português, é só conversar com eles.

  • Djevangelista Ricardo

    !!!Dúvida / Ajuda!!! Eu tenho um SSD de 128GB e um HD de 1 TB no meu Macbook White Late 2009. Gostaria de saber se há algum recurso para esta minha máquina faça com que os dois drivers se tornem 1? Eu já configurei como drive padrão do Macbook a HD, mas ás vezes preciso instalar algo e ele barra na permissão. Já dei comando via terminal para deixar de barrar permissões mas ainda não funciona. Não sei exatamente como funciona o Fusion Drive mas sei que na minha máquina não funciona. Alguém pode me ajudar?

  • Alvaro

    Existe um comando específico feito no terminal no ato da instalação limpa que cria o fusion Drive, faz uma pesquisa no Google “how create my own fusion Drive”. Que vc acha o passo a passo

  • gnc03

    Podiam ter feito essa materia antes shushss acabei de comprar um ssd externo, mas ótima dica (mas meio carinho)

  • Rafa Camargo

    Porque diz que não funciona na sua maquina? Você removeu o drive de dvd para colocar o ssd correto? Se vc tem os 2 drives conectados via sata é pra funcionar sim, é um processo não muito dificil de se fazer. O fusion junta os 2 drives como se fosse o precesso de “raid” se tornando 1 drive, e o sistema automaticamente separa os arquivos do sistema e arquivos mais acessados e aloca na parte do SSD, e outros arquivos na parte de HDD.

  • Senhor Bean

    Só vale a pena se você precisa de todos esses dados full time, o que não representa a maior parte das pessoas. Tenho um NAS caseiro (RPi + HD de 3TB) que atinge 60MBps na rede WiFi pra filmes e seriados, além de ser acessível fora de casa com o Plex (tenho uma conexão em casa com 50Mbps de upload).

    Claro, a praticidade de um cartão desses é incomparável, porém o preço por GB é altíssimo e você ainda vai precisar fazer backup, então um NAS ou HD externo ainda vai se fazer necessário.

  • Wellington

    Muito bom. Só que quando você está offline, nada disso ajuda…

  • Alex Favilla

    Quando cara sabe escreve um review ele sabe! Parabéns. ♥

  • Fernando

    Eu tenho um iMac antigo aqui em casa com 250 GB de HD.. Eu consigo comprar esse TarDisk e fazer dele minha única partição (ou seja, nem usar mais o HD que veio)? To pensando em alternativas pra aumentar a velocidade dele..

  • Murilo Herrmann

    e você usa o tardisk como Fusiondrive ou apenas como HD externo?
    Me pareec excelente isso, mas me preocupa o fato de nunca poder tirá-lo do slot

  • Eduardo Gac

    Já tinha, há algum tempo atrás considerado comprar mas desisti!

    Motivo: se vc fizer o fusion drive do TarDisk dê adeus ao BootCamp. A fusão criada entre o seu SSD e o TarDisk não deixa que vc usa o BootCamp para criar partição para o Windows. Confirmei isso em varios lugares. Infelizmente, a empresa do TarDisk tenta esconder isso ao máximo!

    Eis um ponto contra!

  • Wellington

    Acredito que um leitor de cartões SD pela USB port resolve o problema.

  • Filipe Rigolon

    Há alguns meses eu estava de olho no Tardisk, porém cheguei a conclusão que o preço é MUITO CARO. E eu não queria apenas 128GB, que é mais barato. Então fui atrás de outras opções.

    Acabei comprando um adaptador (com entrada para qualquer microSD) que encaixasse certinho na entrada de slot do MacBook. Ele também não fica visível e é em alumínio, igual o Tardisk. Então comprei um microSD de 200GB da Sandisk e anexei nesse slot.

    Desvantagem ? Velocidade de gravar dados no microSD é lenta :/ Velocidade de leitura chega aos 90MB/s.

    Como espaço extra sempre é bom, também adquiri um pen drive minúsculo da Sandisk (USB 3.0) de 128GB, o qual o mantenho 100% do tempo conectado (igual o microSD). Acabo perdendo uma entrada USB sim, mas tenho a outra 🙂

    Meu MacBook é o Retina com 2 entradas USB.
    256GB (SSD) + 200GB (microSD) + 128GB (PenDrive) = 584GB que posso levar para qualquer canto sem ter que ficar carregando HD externa.

  • Senhor Bean

    Por isso eu disse que só vale a pena pra quem precisa dessa quantidade toda de dados full time.

    Consigo imaginar designers, fotógrafos e profissionais de vídeo precisando de tantos dados, quem trabalha com texto e planilha não precisa ter off-line toda a sua biblioteca de fotos pessoais ou todas as musicas que já foram gravadas.

  • Djevangelista Ricardo

    Entendi! Eu disse que não funciona, porque já ouvi dizer que é necessário uma SSD homologada pela Apple. Mesmo sim eu tentarei. Obrigado pela dica. Você sabe dizer se eu preciso formatar o Mac para poder ativar esta função?

  • josuedias

    Eu uso como FusionDrive mesmo. Eu não esquento a cabeça com a porta SD pq eu honestamente nunca usei ela antes, e provavelmente nunca devo usar. Acho que se você pedir eles até te mandam um adaptador pra usar na porta USB.

  • josuedias

    Esconder ao máximo? Ta no FAQ da empresa de todo tamanho… O.o

  • josuedias

    Eu imagino que sim, mas dá uma googlada que com certeza tem tutorial por ai.

  • Renato Molinaro

    quem vai comprar um de 128 pra depois comprar um desses, é melhor já colocar uma grana a mais e pegar o de 256, ele é útil mesmo pra quem tem 512 e precisa de mais espaço, ou pra quem já comprou de 128.

  • Ayrton Brancalhoni

    Poderia, por gentileza, compartilhar o link deste adaptador?
    Me interessou!!
    Valeu.

  • Bruno Lopes

    Só da pra comprar pelo site deles? É seguro?

  • Interessante essa solução. Me fez lembrar o “RAID-0”

  • Pedro Souza

    Também desisti dele por achar muito caro. Na Apple você faz upgrade de SSD do MacBook Pro de 512 para 1 TB pelos mesmos 400 dólares.

  • Pedro Souza

    Aqui eu adicionei um SSD no lugar do drive de CD num iMac 2010 e configurei como fusion drive. “Automaticamente” fiquei com 1 TB e todos arquivos e app continuaram lá.

  • josuedias

    Eles vendem na Amazon, no eBay e no Mercado Livre também. É seguro sim!

  • Rafa Camargo

    Não precisa ser homologado não, sim vc terá q formatar os 2 no processo

  • Djevangelista Ricardo

    Muito obrigado Refa. Vou fazer um backup, formatar e ativar assim que reinstalar tudo.

  • Eduardo Lourenço Crel

    Eduardo, hoje me pairou uma dúvida. Nos dias de hoje, com todas as atualizações que saíram, tanto pra Mac quanto pra PC, qual a melhor forma de rodar o Windows no Mac? Boot Camp ou Vitual? Seria legal um artigo detalhado nos dias de hoje referente a esse assunto. Levando em consideração as novas atualizações do Windows.

    Valeu, abraço.

  • Ayrton Brancalhoni

    Obrigado!!

  • Filipe Rigolon

    Concordo. Também gostaria de um review com essa comparação!

  • Durval Tenaglia Barwick Leite

    Alguém sabe dizer se funciona em iMac ou no mac mini? Obrigado.

  • Raonny C. Costa

    Usa o Parallels Desktop e seja feliz, meu amigo 😉

  • Raonny C. Costa

    Parallels Desktop, dependendo so seu uso, não tem nada melhor. Eu uso apenas para o processo eletrônico, que é uma porcaria e só roda no windows. Super prático e rápido. Depois que descobri ele nunca mais usei o Boot Camp.

  • Eduardo Lourenço Crel

    Creio que vc não entendeu a minha lógica. Eu sei bem quais os clientes Virtuais disponíveis no Mercado. O que quero saber, são nos dias de hoje, pois até um tempo atrás, em desempenho o Parallels Desktop perdia para o VMware Fusion. Será que nos dias de hoje isso mudou? Qual a melhor opção, entende? Qual tem o melhor desempenho nos dias de hoje. Uma comparação com gráficos, não apenas esses, como outros clientes do Mercado.

  • Renato Rattes

    Importante frisar que o recurso aumenta consideravelmente o consumo de bateria. Já testei! Achei que minha bateria durou bem menos. Mesmo assim pra mim está valendo!

  • Renato Rattes

    Se estiver disposto a reinstalar o sistema da pra fazer por linha de comando com o USB de instalação.

  • Renato Rattes

    É basicamente isso, RAID-0 simplificado pra usuário final.

  • Victor Hugo

    Aonde consta a especificação UHS-I do fabricante?

  • Samuel Nolasco

    Boa noite
    Onde vc comprou jovem??

  • Victor Hugo

    Alguém sabe onde consta as especificações do produto na página do fabricante?

  • Lim 

    Eu particularmente prefiro o Boot Camp mesmo apenas pelo fato de poder dispor do desempenho máximo do meu MacBook Pro no Windows da mesma forma que tenho pro macOS. Ainda mais eu que costumo jogar um pouco nele. Haha

  • Fred Peres

    Por que não? A entrada é a mesma.

  • Bruno Amorim

    Vi um desses a venda essa semana em minha cidade, porém achei muito caro para o “beneficio” oferecido

  • Sim, o princípio é o mesmo.

  • Sim. Se você tomar essa decisão no momento da compra, ótimo. Mas e depois que já comprou e não fez o upgrade? E se, como eu falei no texto, 512GB eram suficientes “ontem” e “hoje” não são mais? Aí você não tem muita opção, não.

  • Samuel Nolasco

    Boa tarde
    Eduardo Marques, quero colocar uma SSD no meu Mac Book Air 2015, pois o meu é de 128 SSD, sabe me dizer se vou ter algum problema quando eu expandir para uma SSD de 500 GB, se puder me indica uma SSD de 500 mais em conta.

    Obrigado

    Vlw

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: