Fábrica da Foxconn nos Estados Unidos possivelmente produzirá telas LCD para iPhones


Caneta Para notificar nossos editores de um erro no post, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.
Por
11/08/2017 às 11:53

No mês passado, o presidente da Foxconn, Terry Gou, afirmou que a empresa abriria uma fábrica nos Estados Unidos para a criação de telas LCD1. Acreditava-se que as telas produzidas seriam para TVs e monitores, porém agora o Wall Street Journal sugeriu que a unidade irá fabricar telas LCD para iPhones.

Há cerca de duas semanas, a empresa taiwanesa anunciou que investiria US$10 bilhões na construção de uma fábrica em Wisconsin, o que geraria cerca de 13 mil vagas de trabalho em um período de seis anos. Entretanto, essa notícia gerou um incômodo na população local, já que o Estado teria investido US$3 bilhões somente para a empresa se instalar por lá. O governador Scott Walker, então, veio a público para afirmar que a fábrica tornaria o local um “centro tecnológico”, atraindo investimentos — além de gerar bastante emprego.

Foxconn nos Estados Unidos

No meio do discurso político, o WSJ afirmou que esta seria “a primeira instalação deste tipo na América do Norte” e que ela fabricará telas LCD, aquelas utilizadas em iPhones. Não se sabe, porém, se isso foi dito apenas como uma aposta ou se há reais informações de que realmente a produção por lá será focada nisso.

Algo para reforçar essa ideia, temos o discurso feito em outubro pelo presidente da Sharp (o segundo executivo mais “poderoso” na Foxconn), Tai Jeng-Wu:

Nós estamos construindo novas instalações de fabricação de telas OLED no Japão. Podemos fabricá-los nos Estados Unidos, também; se nosso principal cliente nos exigir que fabriquemos nos EUA, como podemos não fazê-lo?

Isto é, se já há um possível vislumbre de que a tecnologia OLED tenha também instalações nos EUA, faz bastante sentido que essa primeira unidade também fabrique telas para iPhones. Como sabemos, mesmo que o novo iPhone receba uma tela OLED, certamente as LCDs ainda continuarão sendo utilizadas em outros modelos — até mesmo em dois lançamentos de 2017, como os supostos “iPhones 7s/7s Plus”.

via 9to5Mac

Notas de rodapé

  1. Liquid-crystal display, ou tela de cristal líquido.
Posts relacionados
Comentários
  • Tiago Albuquerque

    Isso significa que o 7S não será o último modelo de iPhone com LCD? Eu achava que OLED chegaria ao iPhone 8 esse ano e depois seria para toda linha…

  • 199X KID

    estava pensando na mesma coisa

  • Wrecked Machines

    provavelmente algumas unidades ainda pra o Iphone 6s 7 e SE, até pq cogitaram uma nova versão do novo SE

  •  lover

    Não sei se as fabricantes parceiras da Apple teriam volume suficiente de oled pra 3 iPhones antes de 2019. Afinal o único motivo pelo qual está sendo cogitado 3 iPhones è a falta de oled e o preço das novas tecnologias desse iPhone.

  • Tiago Albuquerque

    O investimento me parece muito alto para fabricar apenas modelos antigos em vendas decrescentes…

  •  lover

    Tbm acho, talvez o principal seja o oled, e LCD dos macs.

  • Wrecked Machines

    Vendas decrescentes ?destes aparelhos?

  • Tiago Albuquerque

    Supondo que seja para suprir os iPhones SE, 7, Plus… uma fábrica que vai começar a ser erguida agora… as novas gerações tendem a vender mais que as antigas…

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaço acima é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido). Em caso de insistência, o usuário poderá ser banido.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: