Apple está removendo centenas de milhares de apps após mudanças nas regras da App Store


Caneta Para notificar nossos editores de um erro no post, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.
Por
04/09/2017 às 08:55

Eventualmente, a Apple muda algumas diretrizes de revisões da App Store, resultando na remoção de apps os quais não seguem as novas recomendações, como aconteceu com mais de 47 mil deles em outubro do ano passado.

Logo após a Worldwide Developers Conference (WWDC) 2017, novas alterações ocorreram, entre elas um novo item relacionado ao design e à funcionalidade dos apps:

4.2.6 Apps created from a commercialized template or app generation service will be rejected.

Em tradução livre nossa:

4.2.6 Apps criados a partir de um modelo comprado ou de um serviço para criação de apps serão rejeitados.

Esses serviços (como o Tapjet e o AppSheet por exemplo) oferecem um modelo white label, que é basicamente um template pronto, no qual se adiciona o nome/logo e no máximo uma pequena personalização para o app do cliente, fazendo parecer que foram eles quem desenvolveram o app completo.

O resultado da alteração é a remoção de centenas de milhares de apps, principalmente clones (que nunca foram bem-vindos na loja, diga-se de passagem), além de afetar direta e profundamente os próprios serviços que oferecem os tais templates.

Se por um lado isso é negativo, por outro isso mantém a App Store mais “limpa”, algo que sempre foi um diferencial dela, ainda mais considerando o número absurdo de apps disponíveis por lá atualmente.

[obrigado aos leitores Rafael Ramos e Marco Martins, que nos avisaram destas mudanças]

Posts relacionados
Comentários
  • André Maia S. Costa

    Como ficam as empresas que mantem serviços para escolas por exemplo. Que você compra o sistema backend e os pais daquele estabelecimento baixam o app para receber as informações. São todos iguais, e mudam de escola para escola. Vão ser apagados?

  • Carlos Frederico

    Boa pergunta. Será que eles não fazem parte de um escopo diferente, como educacional?

  • Luiz Rodrigo Martins Barbosa

    Eu trabalhei numa empresa que oferece app free, e uma das formas que a empresa encontrou de monetizar foi oferecendo whitelabel do app para empresas ou governos. Acredito que se a Apple entender isso como “template” muitos negócios, especialmente pequenas fábricas de software, vão ter que achar outra forma de monetizar ou fechar. Triste.

  • Everton Faria

    Tem algumas empresas que desenvolvem apps para suas soluções, a empresa Camerite por exemplo, que tem um solução de CFTV na nuvem, e então elas vendem essas soluções para outras empresas de segurança revenderem para seus clientes. Nesse processo eles personalizam um app padrão com o logo e cores da empresa de segurança. Como fica esse pessoal, será que também serão removidos?

  • Everton Faria

    Empresas de EAD também, criam cópias personalizadas de seus apps para as empresas que adquirem seus serviços, como a Webaula por exemplo!

  • sgumz

    Corretíssimo… essas empresas que desenvolvam um único app que se conecte à várias escolas!

  • Igor Silva Barros

    ultimamente a App Store estava muito bagunçada, principalmente na parte de games, apareciam jogos completamente estranhos e sem sentido nenhum, provavelmente apareciam devido aqueles macetes no japão e/ou china..

  • Vinice WebDesig

    Sempre esquecem da parte prática das coisas… Acham que todos vão desenhar / redesenhar especificamente para cada aplicação. Por exemplo, o Splashtop, que desenvolve apps de acesso remoto, também oferecem as suas soluções para várias empresas. Será que eles vão remover também, por serem parecidos com o original? Deveriam era se preocupar em estabelecer diretrizes ANTES de tomarem quaisquer ações. Se for assim, grande parte dos apps sairá da loja… Deveriam mesmo é se preocupar com apps lotados de propaganda. Apps que te deixam jogar, operar e do nada, vem 1 propaganda por ação no app. Por exemplo, o jogo Balls, a cada mudança de fase, acesso ao menu e até mesmo subitens do menu, ele exibe uma propaganda. Outro dia apareceu uma que demorou 1 minuto. OK que cada um escolhe o que quiser ver no seu aparelho, paga pra remover as propagandas, mas tem coisas que tem limite. Até mesmo o Youtube dá 5 segundos de propaganda, as vezes que te travam, mas a maioria depois permite escolher o que fazer. Mas travar um app por 1 minuto, já é demais. Fora os que você clica para fechar a propaganda e eles colocam um link maroto ali que ja redireciona pra AppStore.

  • Pedro Paulo Amorim

    Apple sendo Apple, vida longa ao Android :0

  • Renan

    Sinceramente acho ótimo em muitos casos, a loja não fica tão puluida e tem apps melhores desenvolvidos, ao contrario do Android 😉

  • pra ver como apple só pensa nela mesma e em mais nada… negócios que poderiam ajudar outras empresas são descartados sem um pingo de remorso… triste

  • Marcelo R. Bernardo ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

    E evita (se não impede) aqueles malditos programas com worms e que abrem milhões de pop-ups na tela, algo muito comum nos joguinhos grátis do Google Play.

    Se antes eu já não gostava do Android, depois de viver usando o Malwarebytes nos telefones dos meus filhos pra tirar tanta “sujeira”, passei a detestar por completo.

  • Marcio Vianna

    A empáfia subiu no telhado.

  • Hades666

    Tem que limpar o lixo. Tem muito app inútil que precisaria ir na mesma leva.

  • Henrique

    Podiam remover aqueles milhares de aplicativos de caça-níqueis. Parece praga aquelas porcarias, como tem!

  • Henrique

    Os “slot machines” da vida…

  • Sapo

    Dois pontos aí. Primeiramente, normalmente o q Apple faz quando implementa uma nova diretriz não é sair tirando os apps, mas aplicar a regra no momento da publicação/atualização, assim, o q já estiver lá deverá continuar até q seja barrado em uma atualização. Segundo, sobre a questão dos apps clones, existem dois casos, aqueles apps sérios como os de escola, por exemplo, e aqueles desenvolvido por desenvolveres malucos q inundam a App Store com apps similares para nichos diferentes ou apenas para fazer número para colocar no currículo. Pelo o q eu fiquei sabendo, a recomendação q a própria Apple dá é a de que, para o primeiro caso, as empresas clientes do App façam um registro no programa de desenvolvimento e publiquem a sua versão do App na sua própria conta. Isso automaticamente mata o segundo caso. Desculpem o textão.

  • Alan Kobayashi

    A Apple como sempre destruindo modelos de negócio consolidados. Minha empresa constrói aplicativos para restaurantes e estamos sofrendo com essas novas diretrizes. Aplicativos para restaurantes são todos iguais, ela quer que cada loja gaste 3 ou 4 mil dólares para criar um simples app de pedido online? entendo perfeitamente a necessidade de apagar clones insensatos que tem apenas o objetivo de fisgar novos usuários para consumirem anúncios, mas não é o meu caso, nem de empresas que criam apps de escolas, emissoras de rádio, academias…

  • Antonio LB

    Chute meu. Vai ser um tiro no pé da Apple. Apps serão de um jeito ou de outro cada vez mais desejados e necessários (não estou falando de joguinho ching ling) Se desenvolver um App para iOS já era caro agora vai ficar caro x3. O que imagino é Apple dentro de sua bolha de cristal com Apps em realidade aumentada, 64 bits e afins para uma legião ficar babando, aparecer como “trendy”… , etc… Só que esses Apps custam caro x3 x10. O dia a dia de academias, rádios, escolas, pequenos comerciantes, etc… não será sem Aplicativo. E que opção elas terão? Android. Pronto. Do mesmmo jeito que A Apple tentou barrar a Adobe na entrada dos softwares de edição de vídeo e hoje Adobe atropelou e domina não só edição como quase todos os programas gráficos pode ser que Apple pague pela sua arrogância.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: