Evento especial: Apple pretende revelar o caminho da tecnologia para a próxima década com o iPhone X!


Após a apresentação dos iPhones 8 e 8 Plus… Tim Cook, CEO da Apple, invocou as palavras “one more thing…” e, como sabemos, elas não são usadas à toa — ultimamente, nem tem sido usada. O que a Apple pretende é revelar o caminho da tecnologia para a próxima década. E, para isso, está lançando um terceiro modelo de smartphone, o iPhone X (ten, isto é, dez em inglês).

Câmeras traseiras verticalizadas, traseira de vidro e a tela ocupando toda a frente com o recorte no topo. É o que conhecemos pelos vazamentos. A tela vai até os quatro cantos da estrutura, com vidro na frente e atrás, e tão resistente quanto o iPhone 8. As laterais são de aço inoxidável com acabamento primoroso e contínuo com o vidro. O telefone também é resistente a água e poeira em nível microscópio, como seus irmãos.

iPhone X de frente

Há uma nova tela, a Super Retina display, com 5,8″ diagonais (2436×1125 pixels; 458 pontos por polegada de densidade, a maior num iPhone). O iPhone X é o primeiro telefone da Apple a usar a tecnologia OLED1 — de acordo com a Apple, tal demora é explicada pela qualidade da tela, que só atingiu as exigências da Maçã agora, em 2017. Phil Schiller, chefão de marketing da Apple, citou os benefícios de telas OLED até hoje, mas que elas tinham defeitos que a Apple não aceitava. A empresa, porém, resolveu tudo isso, incluindo brilho e precisão de cor.

Detalhe da tela e dos cantos curvos do iPhone X

A tela suporta HDR2 em Dolby Vision e HDR10; a taxa de contraste é de 1:1.000.000. Além disso, o iPhone X conta com 3D Touch e True Tone, obviamente.

iPhone X prateado de trás e cinza espacial de frente na diagonal

Sem o tradicional botão de Início, como você desperta o iPhone X? Você pode levantar para acordar ou só tocar uma vez na tela. A navegação, agora, é por gestos — para ir à tela inicial, você desliza de baixo para cima e pronto. E isso funciona em todo o sistema (há a barrinha na parte de baixo da tela que você desliza de baixo para cima). Para multitarefa, você desliza e segura um pouquinho para abrir a interface e trocar entre apps. Você pode chamar a Siri falando “E ai Siri?” ou pressionando e segurando o botão lateral, como esperado.

O desbloqueio do iPhone é um capítulo à parte. Tudo começou há dez anos com o “deslize para desbloquear”; depois, o Touch ID. A Apple queria algo melhor e, agora, você olha para ele e o aparelho lhe reconhece. Com vocês, o Face ID! Segundo a Apple, é o futuro de como iremos desbloquear nossos smartphones. Toda a tecnologia está no recorte do topo da tela, um sistema de câmera TrueDepth. Há uma câmera infravermelha, iluminação flood, câmera frontal, projetor de ponto e muito, muito mais tecnologia naquele recorte superior da tela do iPhone X.

Mulher usando o Face ID do iPhone X

O Face ID funciona mesmo no escuro graças a todos esses componentes que trabalham juntos para reconhecer o rosto da pessoa. Um modelo gerado matematicamente é comparado com a base do seu rosto que você armazenou no aparelho. Tudo invisível, automático e instantâneo. Segundo a Apple, foram utilizadas bilhões de imagens para criar redes neurais na criação do Face ID; há um motor neural no chip A11 Bionic, trata-se de um hardware especializado para algoritmos de aprendizado de máquina específicos para o reconhecimento facial. O motor neural é baseado em um design dual-core e realiza 600 bilhões de operações por segundo!

Você olha para a tela e gira a cabeça para configurar o rosto uma vez. Depois, ele vai aprendendo — mesmo se você mudar o estilo do cabelo, colocar óculos, chapéus/bonés… não importa. Ele aprende quem você é! Ele também se adapta com o tempo, à medida que a barba cresce por exemplo. Segundo a empresa, não é possível burlá-lo com fotos e nem com máscaras 3D criadas por profissionais de Hollywood. Todos os dados armazenados ficam na Secure Enclave, tal como ocorre com as impressões digitais do Touch ID. Todo o processamento é feito local, ou seja, nada seu é enviado para os servidores da Apple.

Comparativamente falando, enquanto o Touch ID tem uma taxa erros de 1 em 50.000 (de alguém conseguir desbloquear o seu aparelho com a digital dele), essa taxa pula para 1 em 1.000.000 no Face ID (se for uma pessoa geneticamente parecida com você, como um gêmeo, essa taxa reduz bastante é claro). O Face ID também funciona com o Apple Pay, basta dar um duplo-clique no botão lateral, olhar para o iPhone X e realizar o pagamento. Apps de terceiros também poderão se integrar ao Face ID, tal como fazem hoje com o Touch ID.

Conforme vazou recentemente, a Apple também está apostando alto nos Emojis animados, os Animojis: você os controla com o seu próprio rosto, movimentando-os em detalhes. A criação é feita pelo app Mensagens, já que o intuito é enviar mensagens para seus amigos/familiares. Há dúzias de Animojis para que usuários se expressem de formas criativas em mensagens.

Sobre a navegação pelo sistema em si, você agora desliza horizontalmente na parte inferior para alternar rapidamente entre apps. A Central de Controle agora vem deslizando de cima, uma mudança de paradigma já que antes era exatamente o contrário (deslizando de baixo).

Aos que curtem o Snapchat, a Apple trabalhou com eles para proporcionar experiências imersivas de realidade aumentada usando a tecnologia do Face ID. O reconhecimento facial torna máscaras e efeitos ainda mais realísticos no iPhone X.

Câmeras traseiras do iPhone X

As câmeras do iPhone X são parecidas com as do iPhone 8 Plus, com a teleobjetiva passando de f/2.8 para f/2.4 (melhor para ambientes com pouca luminosidade). Ambas as câmeras possuem estabilização óptica agora, o que é ótimo! Já o flash True Tone agora é Quad-LED, com 2x mais luz uniforme. Assim como o iPhone 8 Plus, ele suporta o novo modo Portrait Lighting, vídeos 4K a 60 quadros por segundo e otimização para aplicações de realidade aumentada. Já na câmera frontal há uma TrueDepth com suporte ao Modo Retrato e também ao modo Portrait Lighting, tornando possível tirar fotos incríveis.

A bateria do iPhone X também está melhor, agora com 2 horas a mais de uso que no iPhone 7. Tal como o iPhone 8, o X tem todas as tecnologias wireless que esperamos incluindo recarga sem fio com o padrão Qi. Para facilitar o carregamento sem fio não apenas do iPhone X, mas do Apple Watch Series 3 e do AirPods (provavelmente uma nova geração que será lançada mais a frente), a Apple lançará em algum momento do ano que vem uma base de recarga que acomodará todos esses três produtos ao mesmo tempo, chamada de AirPower. O legal é que, ao colocar múltiplos dispositivos na AirPower, todos eles são identificados e aparecem na tela do iPhone X.

iPhone X sobre uma base de recarga sem fio

O iPhone X será lançado em versões de 64GB e 256GB, tal como o iPhone 8, começando em US$1.000. A pré-venda se iniciará em 27 de outubro, chegando ao mercado só no dia 3 de novembro. Os iPhones SE, 6s e 7 continuam na linha com preços menores.

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: