Apple explica o motivo de o Face ID ter falhado com Craig Federighi na keynote de terça


O local era totalmente novo. Havia transmissão ao vivo para todo o mundo. Múltiplos executivos e convidados subiram ao palco para demonstrar coisas diferentes. Foram vários grandes anúncios de novos produtos feitos em sequência.

Ainda assim, a primeira keynote da Apple no Steve Jobs Theater foi praticamente impecável. Não fosse por um pequeno deslize de segundos, que para o azar dela aconteceu justamente na primeira demo do que talvez seja a maior mudança de paradigma do iPhone X.

O vice-presidente sênior de engenharia de software da Apple, Craig Federighi, foi quem apresentou o Face ID ao mundo e falou quão melhor, mais prático e mais seguro ele será em comparação ao Touch ID. Pouco antes da falha, ouvíamos que a taxa de falsos positivos do Touch ID é de 1 em 50.000, enquanto a do Face ID saltará para 1 em 1.000.000.

Pois é, e aí veio a falha. Federighi pegou o iPhone X em mãos para demonstrar o Face ID, tentou duas vezes e se deparou com aquela famosa tela de digitar a senha (alfa)numérica que estamos acostumados quanto o Touch ID também falha. Naquele momento, ele desistiu e passou para um aparelho de backup que, felizmente, funcionou de primeira. E, daí até o fim da keynote, o Face ID foi utilizado múltiplas vezes sem problema nenhum.

Craig Federighi demonstrando o Face ID

Em análises após a keynote, já havia-se levantado a suspeita de que o que aconteceu na verdade foi uma falha de planejamento da Apple e não uma falha do recurso em si. Se vocês notarem bem no telão, o iPhone diz “Your passcode is required to enable Face ID” (em português, seria “É preciso digitar o seu código para ativar o Face ID”). E isso é exatamente o que aparece quando o iPhone é reiniciado, uma atualização de software é aplicada ou quando uma pessoa tenta usar múltiplas vezes um dedo não-cadastrado no Touch ID.

No nosso podcast #247, que gravamos ontem à noite e transmitimos ao vivo para todos vocês (a versão editada, em áudio, deverá sair até o fim do dia), nós discutimos bastante sobre essa falha e caminhamos nessa mesma direção.

Eis que David Pogue, do Yahoo, conseguiu obter uma declaração da Apple sobre o ocorrido:

Pessoas estavam manuseando o dispositivo no palco para a demonstração antes da keynote e não perceberam que o Face ID estava tentando autenticar seus rostos. Após um número de tentativas falhas, porque elas não eram o Craig, o iPhone fez o que deveria, que foi requerer a senha. O Face ID funcionou tal como foi desenhado.

Eu não tenho motivo nenhum para não acreditar na Apple, mas infelizmente o “estrago” está feito. Não é nada descomunal (após a keynote alguns sites inclusive noticiaram, hilária e vergonhosamente, que as ações da Apple caíram só por causa disso — me poupem!) e a grande maioria das pessoas nem saberá que isso aconteceu na keynote, mas ficará marcado e será motivo de chacota entre os que acompanham o mundo da tecnologia de perto (especialmente entre os haters, obviamente) por algum tempinho.

Afinal de contas, pode não ter sido uma falha no funcionamento do Face ID em si (até porque ele exige a senha após apenas duas tentativas falhas de reconhecimento, enquanto no Touch ID eram após cinco), mas foi sim uma falha inaceitável de planejamento da equipe da Apple para uma keynote desse porte. Assim como os vazamentos recentes de firmwares do HomePod e da versão Golden Master (GM) do iOS 11, que isso sirva de lição para os próximos anos.

Enquanto isso, divirtam-se um pouquinho com Conan O’Brien:

Posto o acontecido, agora só resta mesmo esperarmos o iPhone X chegar ao mercado para que se prove a sua praticidade, rapidez e segurança frente ao Touch ID. Haja coragem para substituir algo tão difundido e funcional assim, da noite pro dia. 😬

via MacRumors, TechCrunch

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: