Em entrevistas, Tim Cook fala sobre realidade aumentada, opina que é preferível aprender linguagem de programação a inglês e muito mais


Caneta Para notificar nossos editores de um erro no post, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.
Por
11/10/2017 às 16:00

Tim Cook esteve na França nesta semana. Lá, se encontrou com o presidente do país, visitou vários desenvolvedores e, agora, deu uma entrevista rápida para a Konbini, criando um pouco de polêmica.

Em um compilado de respostas rápidas, Cook lembrou como a Apple sempre teve a criatividade como parte do seu DNA e que, já no primeiro Mac, existia uma equipe de músicos e artistas trabalhando junto dos engenheiros e cientistas da computação. Além disso, ele também descreveu o impacto que os aplicativos tiveram na vida dos usuários, citando o CoachGuitar (de uma das empresas que visitou no país), o qual possibilita que qualquer pessoa aprenda violão de forma acessível financeiramente — o que era muito mais difícil em outros tempos.

O CEO da Maçã também expressou a sua opinião ao afirmar que seria mais importante para um jovem francês aprender programação do que a falar inglês; isso porque a linguagem de programação pode atingir 7 bilhões de pessoas ao redor do mundo. Ele também frisou que a linguagem Swift é “tão fácil de aprender quanto os produtos da Apple são de usar”.

Depois, talvez por ter notado uma reação de quem o ouvia, ele esclareceu que não é que não devem aprender inglês, mas ele acha que a programação deve ser aprendida em escolas de todo o mundo. O que talvez o CEO possa ter esquecido é que muitos termos da própria linguagem exigem um conhecimento do inglês, caso se queira entender realmente o seu funcionamento. Como professora de inglês, penso que o estudo dos dois possa até acontecer simultaneamente, não é mesmo?

Confira abaixo a entrevista:

Londres

Agora, o CEO da Apple está em Londres e já concedeu uma entrevista para o veículo The Independent, abordando diversos assuntos como os novos iPhones, realidade aumentada e mais. Como era de se esperar, Cook não entregou os detalhes sobre o que a Apple está desenvolvendo atualmente; quando foi questionado sobre a criação de óculos para realidade aumentada, porém, ele falou algo peculiar:

Mas hoje posso lhe dizer que a tecnologia em si não existe para fazer com qualidade. A tecnologia de tela necessária, bem como colocar coisas suficientes em seu rosto — há grandes desafios nesses aspectos.

O campo de visão, a qualidade da tela em si, ainda não existe. E, como em todos os seus produtos, a Apple apenas lançará algo se achar que pode fazê-lo de uma maneira a ter qualidade.

Essa afirmação pode ser encarada de duas formas: se você é o mais pessimista dos seres, a fala pode significar que não veremos nada nesse sentido tão cedo; entretanto, se você for otimista como o brilho da manhã, pode pensar que a fala do CEO quer dizer que eles estão, sim, trabalhando em algo nesse sentido, mas ainda não acharam a solução ideal. Para deixar tudo melhor, Cook também invocou o velho discurso da Maçã de que não se trata de ser o primeiro, mas de fazer bem feito.

iPad Pro com realidade aumentada

Focando-se no ARKit, o Cozinheiro explicou que o que faz do framework algo incrível é a capacidade do sistema de trabalhar com sensores para que, então, os desenvolvedores sejam capazes de soltar a imaginação. Ele disse que a Apple “trabalha pesado” para que os desenvolvedores possam “concentrar as suas energias em suas paixões”.

Sobre isso, o vice-presidente responsável pelo iOS na Apple, Greg Joswiak, afirmou que os competidores estão tentando imitá-los, mas eles não têm a mesma escala. Cook contribuiu, dizendo que a vantagem da Maçã é que ela controla tanto o hardware quanto o software, algo que não acontece com a concorrência.

Fechando a entrevista com chave de ouro, o CEO da Apple relembrou que tudo na vida seria melhor se todos se tratassem com dignidade e respeito — falou e disse, Cozinheiro!

Realidade aumentada

Ainda nesse assunto, a Vogue publicou uma entrevista na qual o CEO falou sobre a esperança de que a tecnologia impacte diversas áreas, incluindo o mundo da moda.

Se você pensa em um show na passarela no mundo da moda, essa é uma ótima aplicação de AR porque em alguns casos, você quer ver o vestido completo, você não quer apenas ver a frente dele.

Além disso, Cook afirmou que a realidade aumentada também seria muito bem utilizada em lojas, com usos do tipo “aponte e compre”, em que seria possível visualizar o produto que deseja comprar. Ele está tão confiante de que a tecnologia irá deslanchar que acredita que ela se tornará “tão essencial quanto ter um site”.

Esse tipo de aplicação, é claro, já estamos vendo em diversos apps que estão usando o ARKit — e certamente veremos mais por aí!

Mais Londres…

Aproveitando ainda a estadia em território inglês, o Financial Times contou que o CEO estaria indo até a Universidade de Oxford para inaugurar um espaço para startups chamado “The Oxford Foundry”. E assim aconteceu!

Sendo descrito como um “espaço de inovação” e “centro empresarial”, ele será aberto a todos os 23 mil estudantes da universidade. O site da Foundry afirma que planeja criar um ambiente diversificado e criativo, oferecer workshops para capacitação, conscientização e criação de equipes, além de oferecer incubação inicial e suporte no espaço do Acelerador da Fundação Amersi.

Ao que parece, Cook apareceu por lá mesmo para inaugurar o espaço, sem que este tenha nenhuma ligação com a Apple. Ainda assim, caso você queira ver a participação do CEO, pode assistir à live nesta página.

via 9to5Mac: 1, 2; MacRumors: 1, 2, 3

Posts relacionados
Comentários
  • Patrick Dill

    No parágrafo sobre ARKit seria “trabalha pesado”, e não “trabalho pesado”. E no parágrafo que diz que você poderia apontar e visualizar um produto numa loja não ficou claro, se a pessoa está numa loja pra que usar o ARKit pra visualizar algo, se você está numa loja seria mais facil ir até o produto fisico…

  • Bruno Santana

    Corrigido o “trabalha pesado”, obrigado 🙂

    Quanto à sua segunda questão, o texto se refere ao recurso aponte-e-compre — ou seja, numa loja física, você poderia apontar para o produto, a tecnologia AR o reconheceria e você o compraria imediatamente, pelo celular.

  • Patrick Dill

    Ainda não faz sentido, se a pessoa está na loja física olhando para o produto por que ela iria querer comprar pelo celular? Não seria mais fácil simplesmente pegar o produto e ir ao caixa?

  • ASil

    Em grande parte, a culpa das pessoas não aprenderem programação hoje em dia é de empresas como a própria Apple, que idiotizaram os computadores. Um Apple II era ligado e já entrava no prompt do BASIC residente, o usuário era estimulado a pegar o manual, usar o cérebro e aprender. Agora temos máquinas poderosas rebaixadas a meros brinquedos para consumo de conteúdo de qualidade duvidosa.

  • Jayme Ricardo

    Aprendi assim !!! Kkk

  • Jayme Ricardo

    Sua mente está pensando pequeno amado, na Suíça já existem supermercados em que não se precisa ir até o caixa apenas registrar tudo através do smartphone, pagar e ir embora… detalhe… sem roubar nada , seria o mesmo processo e não precisaria da intervenção de vendedores pra me explicar o produto pq o AR mostraria tudo e ao apontar vc confirma o desejo de compra, inclui no carrinho virtual é paga com o Apple Pay através do Face ID, simples, inclusive lojas da Apple já permitem pagar através do aplicativo como Apple Pay e sair da loja levando o produto sem falar com ninguém, tá cheio de vídeo assim no YouTube !!!

  • Wilan

    Hoje a realidade aumentada é algo para inglês ver, e me diga como aprender a programar de verdade sem saber inglês? Esse Tim Cook…

  • paulobr

    A diferença é que a linguagem de programação amanhã muda, e você precisa aprender tudo de novo.

    Já o inglês uma vez aprendido te abre um mundo de conhecimento (que existe apenas em inglês). Inclusive cursos de programação. 😉

  • Patrick Dill

    Caramba, as pessoas estão cada dia mais preguiçosas mesmo eim.

  • Patrick Dill

    Caramba, que besteira eles fizeram né? Inclusive os carros não deveriam ser tão simples assim, todos deveriam aprender a fazer ligação direta, as calculadoras também não deveriam existir, fazer cálculos na mão é bem mais interessante…

  •  knewitz_doug

    É que pro Cook que é nativo é fácil dizer que aprender programação traz mais benefícios. Só esqueceu que nem todos são americanos e precisam aprender inglês pra entender o que está fazendo e até mesmo pra programar o inglês faz falta, afinal muitas web aulas e livros são na maior parte em inglês!!

  •  knewitz_doug

    Simples, vc vai em uma loja, gostou-apontou, levou pra casa. E fez tudo isso sem falar cm ninguém (em segundos)! Em países desenvolvidos mercados, postos de gasolina, lojas de conveniência não há pessoas nos caixas, americano é adepto do DIY (Do it yourself).

  • Jayme Ricardo

    Praticidade… nova ordem mundial !!!

  • Nepomucc

    Mesmo depois de toda essa explicação tu ainda pensa assim? MDS que mente pequena e limitada, espero que nem todos os Brasil pensem assim…

  • Patrick Dill

    Sim, continuo pensando que as pessoas estão cada dia mais preguiçosas. E só há um Brasil.

  • ASil

    Para quê uma resposta tão extremista, Patrick? Só estou falando que as empresas também são responsáveis pelo desinteresse no aprendizado de programação, ao retirar dos computadores atuais qualquer vestígio dos antigos ambientes de desenvolvimento que antes eram parte integral dos produtos. Mas vamos lá, pode jogar pedras. Não vai mudar nada.

  • Nepomucc

    Não é preguiça cara, como alguem citou ali em cima, é DIY.

    Preguiça é o nosso sistema aonde tudo que fazemos deixamos para os outros.

    Lá fora é nos mesmo que fazemos as coisas, vide posto de combustivel dos EUA, aonde tu que abastece seu proprio carro.

  • Dentista

    Bem, a Priscila mesmo já deixou claro que ele enfatizou que precisa sim aprender inglês sim, então nem vou entrar nesse mérito. Acontece que linguagem de programação é extremamente necessária já, e já tá ficando defasado quem não sabe. Pra inserir videos, imagens aqui mesmo no Disqus, noções de HTML é uma grande ajuda. Imagina então daqui uns anos quando tablets estarão ainda mais difundidos em escolas como ferramentas de estudo… Se tivesse filhos, já estaria caçando uma escola que ensinasse linguagem de programação desde o fundamental…

  • Dentista

    Acho incrível quando as pessoas dizem: aprendi inglês jogando. Só que daí a gente vai no cinema, e a maioria das sessões dos filmes americanos estão com cópias dubladas…
    ¯_(ツ)_/¯

  • Dentista

    Sem contar que as vezes o produto está na caixa e não tem mostruário disponível… aí usa-se o AR.

  • Dentista

    E a galera aqui te dando um toque que vc está cada vez mais resistente. Quanta teimosia em abraçar um conceito/proposta diferente…

  • Dentista

    Linux tá aí pra quem tem saudade…

  • Maicon Bruisma

    Ele tá é vendendo seu peixe, não há muita semelhança entre aprender uma língua nova e a programar, até pq se você viajar você vai falar em Java? Vai pedir ajuda em C+? Vai solicitar almoço em Swift? Não
    É tipo dizer que é melhor aprender a andar de bicicleta do que a escrever

  • Jayme Ricardo

    Estou a 15h tentando entender seu raciocínio, pq uma coisa não tem absolutamente nada haver com a outra!!! Porque aí você supõe que: 1 – Todo Brasileiro sabe inglês, 2 – Que todo mundo aprendeu jogando e de maneira fácil, 3 – Que todas as pessoas, sabendo inglês não deveriam ter o direito de quer assistir a um filme em sua língua pátria, 4 – Que vivemos num mundo ideal de uma língua universal … enfim … realmente não entendi !!!

  • Dentista

    Se você precisa de 15h pra entender uma comentário óbvio, imagine o aprendizado de inglês via games?! Elocubrando aqui pra calcular quantas horas de jogos foram necessárias…

    E vamos botar um empenho aí pra aprender o português pelo menos? -> “Estou há 15h tentando entender seu raciocínio.”

  • Dentista

    É forçado mesmo… mas que linguagem de programação é algo que precisa ser ensinado nas escolas como um novo requerimento, isso é. Já tá dançando aí no mercado de trabalho um monte de gente que não tem nem noção básica…

  • Jayme Ricardo

    Se pautou em me atacar, porque não teve argumento pra defender o que falou…típico!!!

  • Dentista

    Haha! Quem atacou puxando agora a carta do fui atacado. Típico!

  • ASil

    Linux? Saudade? O que isso tem a ver com estimular o aprendizado de linguagens de programação? Ah, deixa pra lá.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: