Pesquisa: índice de adolescentes usando — ou interessados em — iPhones, Apple Watches e Apple Music continua a aumentar


Caneta Para notificar nossos editores de um erro no post, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.
Por
12/10/2017 às 13:04

Que o iPhone é um sucesso nos Estados Unidos e no mundo, nós já sabemos. E, ao que mostra uma nova pesquisa da firma de investimento Piper Jaffray, essa popularidade alcançou os adolescentes de maneira também grandiosa. Cerca de 78% dos adolescentes americanos entrevistados já possuem um iPhone, dois pontos percentuais a mais do que o resultado da mesma pesquisa realizada no início deste ano.

Mas a porcentagem consegue ser ainda maior quando se trata de adolescentes que pretendem comprar um iPhone: cerca de 82%. Os teens que me desculpem se não for o caso mas, olhando para esse número, eu só consigo imaginar o tanto de adolescentes implorando a seus pais para que lhes deem o celular da Maçã — de preferência o mais recente, para ficarem iguais (ou melhor?) do que os seus amigos. Ou talvez seja apenas um devaneio meu baseado nos filmes americanos, vai saber…

É claro que esse aumento pode ser atribuído à apresentação dos novos iPhones nesse fim de ano — principalmente o iPhone X, com as suas novidades na tela e o reconhecimento facial.

Em relação ao Apple Watch, os adolescentes também aumentaram o seu interesse médio: se o índice era de 13% no início do ano, agora — depois do lançamento do Series 3 — 17% dos jovens declaram-se interessados no gadget.

Os aspirantes a adultos também estão ligados em música, como mostra o gráfico abaixo, referente ao tempo gasto em cada plataforma. O Apple Music é o terceiro colocado, com 17%, atrás somente do Spotify (30%) e do YouTube (20%).

Adolescentes Apple Music

Como colocou a firma de análise, “os serviços de música sob demanda, como o Spotify, o YouTube e o Apple Music, continuam a ganhar espaço no mercado entre os adolescentes; já as plataformas mais tradicionais e o Pandora continuam perdendo espaço”.

Ao que parece, a pesquisa não diferenciou os serviços pagos dos gratuitos — como esta fez, por exemplo —, então faz bastante sentido que os únicos à frente do serviço de streaming musical da Apple sejam dois que apresentam opções totalmente livres de pagamento.

A pesquisa foi realizada com 6,1 mil pessoas em 44 estados nos EUA, com idade média de 15,9 anos. Olhando para os números, parece que todas as ondas chegam mais rápido e com maior proporção aos adolescentes. Concordam?

via MacRumors

Posts relacionados
Comentários
  • Filipe Abrão

    Alguem me ajuda pelamor de Deus!!!
    eu tenho um ipod, e nao consigo escutar musicas off-line no meu Apple Music.
    eu logo no serviço (compartilhamento pessoal em ajustes), depois entro no app, baixo as musicas, mas quando saio do Wifi, tchau musicas….
    alguem ja passou por isso e sabe resolver?


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: