Review: Apple Watch Series 3


Caneta Para notificar nossos editores de um erro no post, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.
Por
21/10/2017 às 18:13

Quando comecei a pensar em como iniciar este review, me dei conta de que tive a oportunidade de testar e acompanhar *todas* as gerações do Apple Watch até aqui — coisa que não aconteceu nem com o Mac (meu primeiro foi um iMac G3 de 2000), nem o iPad (meu primeiro foi o iPad 2) e nem com o iPhone (meu primeiro foi o iPhone 3G).

Trata-se de uma linha de produtos ainda bem nova para a Apple, mas que já começou a trilhar a sua própria história. E eu consigo fazer várias analogias ao Series 3 quando olho para o mesmo estágio em que o iPhone estava quando chegou à sua terceira geração, a 3GS. Temos agora um produto bastante polido, com performance realmente satisfatória e um sistema operacional que já dá sinais de amadurecimento.

Apple Watch Series 3 entrelaçados

O Apple Watch Series 3 mudou muito em relação ao Series 2? Não, longe disso. Mas não necessariamente isso é algo ruim, tal como discorrerei nos parágrafos a seguir.

Vídeos

Para quem perdeu, publicamos dois vídeos sobre o Apple Watch Series 3 diretamente da nossa cobertura em Nova York. O primeiro, que não poderia faltar, é de unboxing; no segundo, já trazemos um hands-on destacando algumas das novidades dele.

Confira:

O que não mudou?

Na verdade, muita coisa continua igual no Series 3 não só relação ao 2, mas até em relação ao Apple Watch de primeira geração lançado lá em 2015.

O design não mudou absolutamente nada (com exceção de um vidro 0,2mm mais espesso na sua parte traseira), o sistema de pulseiras continua o mesmo (o que é ótimo, pois você pode usar no Series 3 pulseiras que adquiriu há mais de dois anos se quiser), a Digital Crown e o botão lateral marcam presença, há os mesmos dois tamanhos de tela (38mm e 42mm), nenhum material novo utilizado na carcaça (foi só no ano passado que a linha Edition deixou de ser de ouro e passou a ser de cerâmica), quase todos os sensores e componentes continuam os mesmos e até o watchOS 4 pode ser instalado em todo e qualquer Apple Watch (com raras exceções de recursos que só funcionam nos mais novos).

Basicamente, é uma tarefa para poucos distinguir várias gerações do Apple Watch colocadas lado a lado numa mesa — com exceção dos novos modelos GPS + Cellular, que contam com uma polêmica Digital Crown vermelha para identificá-los. Aproveitando a oportunidade, matemos logo este assunto então.

GPS + Cellular

É até bizarro pensar nisso, mas o fato é que a grande novidade do Apple Watch Series 3 muito provavelmente não chegará ao Brasil (embora haja uma longínqua possibilidade de isso mudar) e nem a vários outros países.

Tratam-se dos modelos que a Apple identifica como “GPS + Cellular”, isto é, que agora contam com conectividade celular embutida. Isso significa que, além de funcionar como todo e qualquer Apple Watch, esses modelos podem se conectar a redes de dados de operadoras quando o iPhone emparelhado não está ao seu alcance e nem uma rede Wi-Fi conhecida está disponível para conexão. Assim, você continua recebendo ligações, mensagens e notificações no relógio de qualquer lugar.

Apple Watch Series 3 com pulseira esportiva laranja

O motivo pelo qual isso não deverá rolar tão cedo aqui no Brasil é que nenhuma operadora nacional suporta a tecnologia eSIM, utilizada pela Apple. Explicando: o Apple Watch Series 3 (GPS + Cellular) não dispõe de uma bandejinha para você colocar o seu chip, tudo é feito via software.

Além disso, a Agência Nacional de Telecomunicações impede que dois chips diferentes — por mais que um deles seja eletrônico — compartilhem um mesmo número, que é como o Apple Watch funciona. Apesar disso, apuramos recentemente que na verdade o eSIM dos relógios tem, sim, um número próprio/único; ele só não é divulgado e usado publicamente. O encaminhamento de ligações, mensagens, etc. do número principal para o Apple Watch também deve ser feito via software, entendemos.

Ainda assim, quem optar por comprar um Apple Watch Series 3 (GPS + Cellular) não é obrigado a ativar a parte de celular dele, até porque isso custa. Nos Estados Unidos, a maioria das operadoras está cobrando em média US$10 a mais na conta mensal de seus clientes — o que para nós pode parecer pouco, mas para muitos consumidores americanos é cerca do dobro que acham justo pagar. E faz sentido, afinal, como já havia dito, o relógio só conecta-se mesmo à rede celular quando o iPhone não está por perto e nem há uma rede Wi-Fi disponível.

Um diferencial que a Apple não fez muita questão de destacar é que os modelos GPS + Cellular contam com uma memória interna de 16GB, enquanto os outros mantiveram-se com os tradicionais 8GB — provavelmente para armazenar um número maior de faixas do Apple Music em cache, após o streaming.

Novo app Música do watchOS 4 no Apple Watch Series 3 com AirPods do lado

Pessoalmente, eu acho que não optaria pelo modelo GPS + Cellular nem se ele funcionasse aqui no Brasil. É muito raro eu não estar com o iPhone por perto e, sinceramente, às vezes alguns momentinhos de desconexão total do mundo virtual são bem-vindos. A diferença de capacidade também não é algo que me enche os olhos; eu nem sequer tenho noção de quanto espaço ocupo no meu relógio atualmente.

Uma “mancada” da Apple com esta nova geração, se é que podemos caracterizar dessa forma, é que apenas os modelos de alumínio possuem versões somente com GPS — que custam em média US$70 a menos. As versões de aço inoxidável e de cerâmica todas são GPS + Cellular, talvez porque, como são mais caros, acabam “embutindo” o custo extra do chip celular no valor total do produto mesmo.

Apple Watch Series 3 (GPS + Cellular) com a Digital Crown vermelha destacada

Mas fica um pouco “chato”, digamos assim, porque dá uma sensação de que o consumidor está pagando a mais por algo que não irá usar. Além disso, há a tal Digital Crown vermelha que obviamente não agradou a todo mundo.

Performance

Você aí deve ter lido os parágrafos acima e perguntado por que diabos compraria um Apple Watch Series 3, então. Eu lhes respondo: performance.

A associação que fiz lá no começo entre esse relógio e o iPhone 3GS cabe bem aqui. O “S”, naquela época, referia-se a “speed” (velocidade). E quem teve um iPhone original ou um iPhone 3G deve lembrar bem como esses telefones eram lentos.

App carregando no Watch

Pois bem, em termos de performance o Apple Watch Series 2 — junto das otimizações que a Apple fez ano passado pro watchOS 3 — já tinha melhorado bastante, mas agora é que a coisa ficou realmente interessante e agradável. Toda a interface está bastante fluida e o sistema guarda todos os apps que você utiliza com frequência na memória sem problemas. São raros os apps que você tocará para abrir e terá que esperar alguns segundos até estar pronto para uso. Raros.

Tudo isso é graças ao novo chip S3 dual-core que a Apple desenvolveu especialmente para o Watch Series 3. A empresa promete uma performance 70% superior, e na minha experiência eu diria ser algo dentro dessa faixa mesmo.

A equipe de engenharia de processadores dela está fazendo milagres nessa área, e isso ninguém pode negar.

Bateria

Outro efeito colateral positivo do chip S3, e este foi uma grata surpresa para mim (até porque a Apple pouco falou disso na keynote de lançamento), é a autonomia da bateria do Apple Watch Series 3.

Eu não sei qual o motivo de a Apple só prometer 18 horas de bateria pro Watch Series 3, porque é fato — e todas as pessoas que eu conheço que já estão com esse novo modelo confirmam isso — que ele agora dura facilmente dois dias inteiros.

Em média, eu tenho chegado ao fim do dia aqui com pelo menos 55-60% de bateria, às vezes mais. E isso realizando cerca de uma hora de exercício durante o dia, o que faz consumir mais bateria até pelas verificações mais frequentes de batimentos cardíacos.

Claro, a minha análise foi toda baseada no modelo GPS. A própria Apple avisa que usar o Watch conectado à rede 4G/LTE consome muita bateria, a ponto de ele não durar nem meio dia se estiver o tempo todo funcionando assim. Se você entrar numa ligação, então, a bateria toda vai embora em cerca de uma hora apenas.

Em termos de recarga, nada mudou. O Apple Watch continua vindo com um carregador por indução idêntico ao dos modelos anteriores e o funcionamento é o mesmo.

Base de recarga AirPower com iPhone X, Apple Watch Series 3 e AirPods

Ao contrário do que muitos chegaram a imaginar, o Apple Watch Series 3 *não* adota o padrão de recarga Qi como os iPhones 8, 8 Plus e X. Ele poderá ser recarregado na futura base AirPower da Apple, mas só (salvo raras exceções que nem vale considerarmos aqui).

Siri

É até um contrassenso eu dedicar uma seção deste review à assistente da Apple, considerando quão limitada ela ainda é no nosso idioma, mas pelo menos agora a Siri se tornou minimamente usável no Apple Watch.

Antes eu já desistia só pensando na performance dela, que era sofrível. Isso foi resolvido no Series 3, e mais: agora a Siri dá respostas em áudio, como sempre fez no iPhone.

Consumidor usando o Apple Watch Series 3 em Apple Store

Não me perguntem por que a Apple restringiu isso somente a esta geração, já que os Watches anteriores já tinham alto-falante e, sinceramente, não senti nenhuma diferença no alto-falante do novo. Mas pode ser algo com relação aos componentes internos ou, obviamente, uma mera decisão estratégica/mercadológica dela.

Outros componentes

O Apple Watch Series 3 continua com GPS e GLONASS, sensor de batimentos cardíacos, acelerômetro e giroscópio, sensor de luz ambiente, Wi-Fi (802.11b/g/n 2.4GHz), Bluetooth 4.2 e uma carcaça à prova d’água para até 50m. Nos modelos de alumínio, o vidro frontal é de íons-X e a traseira composta (o GPS + Cellular já usa cerâmica); nos outros modelos, o vidro é de cristal safira e a traseira de cerâmica.

Além do chip S3 que já cobrimos, o Apple Watch Series 3 também incorpora um chip W2 para comunicação wireless. Então, embora não haja novidade nenhuma em termos de especificações dos componentes Wi-Fi e Bluetooth (nem o 5.0 veio, nesse…), esse chip W2 promete uma melhor experiência com conexões sem fio, maior estabilidade e alcance, e também contribui bastante para a autonomia de bateria do relógio.

Outra novidade citada por ela nesta geração é a chegada de um altímetro barométrico, que nada mais é do que um componente destinado a saber com precisão quando você está subindo ou descendo escadas. E posso dizer que a coisa funciona, sim, muito bem.

Lances de escada subidos pelo Apple Watch (Saúde)

watchOS 4

Não posso fazer um review do novo Apple Watch sem dar umas pinceladas no watchOS 4, até porque basicamente só usei ele com o novo relógio. E algumas mudanças que chegaram nesta versão me agradaram muito.

Dock do watchOS 4

O Dock — ativado ao pressionar o botão lateral do relógio — ficou bem mais legal e intuitivo no watchOS 4, com sua disposição vertical de apps. Isso faz todo o sentido, afinal, navegamos por eles girando a Digital Crown.

Lista de apps no watchOS 4

Falando em disposição vertical de elementos, outra coisa que dá para fazer agora na tela de ícones de apps é pressioná-la com o Force Touch e trocar a tradicional visão “colmeia” (que a Apple chama de grade) para uma em lista. Acabei trocando porque semanticamente ela faz mais sentido, visto que todos os seus apps ficam ordenados alfabeticamente, mas em termos estéticos a outra é mais bacana, é claro.

App Exercícios do watchOS 4

Um dos apps que eu mais utilizo, o Exercícios, também ganhou excelentes melhorias. A disposição de elementos na interface está agora melhor e os caras tiveram a excelente sacada de adicionar uma “tela” deslizando para a direita com um controlador multimídia dentro dele mesmo, o que é ótimo para quem ouve músicas enquanto está malhando, como eu.

Não pretendo me alongar muito mais aqui no watchOS 4 em si, mas preciso falar de um recurso que a Apple adicionou à sua Central de Controle que eu nunca imaginei que seria tão útil no Watch: a lanterna!

Central de Controle do watchOS 4

Sempre usei muito o flash do iPhone como lanterna, desde aquela época em que para isso era preciso baixar apps de terceiros. Mas, desde que peguei o Watch Series 3 rodando o watchOS 4, acho que só tenho usado o relógio mesmo para isso — especialmente quando ando pela casa tarde da noite, com a esposa e a filha já dormindo.

Para quem acha que a telinha do Watch não serviria bem para isso, vale lembrar que trata-se de um display OLED com 1.000 nits de brilho — e isso desde o Series 2. É, basicamente, a tela mais brilhante que a Apple já colocou em quaisquer dos seus produtos. Só como vias de comparação, a tela OLED do iPhone X chegará a no máximo 625 nits.

Num ambiente totalmente escuro, mesmo o nível mais fraco do flash do iPhone às vezes já emitia luz demais para o que eu preciso. E é aí que entra a perfeição do Apple Watch para esse propósito, sem falar que ele preso no pulso deixa a coisa mais prática ainda. Uso demais!

Outra correção (sim, considero uma) que fez muita diferença no meu dia-a-dia é o fato de o watchOS agora sempre listar todas as notificações separadamente, mesmo quando várias chegam em sequência. Até a versão anterior, se você recebia múltiplas mensagens no WhatsApp, por exemplo, o Watch mostrava que tinham chegado “x” mensagens, aí você precisava descartar essa notificação e puxar a Central de cima para conseguir ler o conteúdo delas (um saco).

Mostrador da Siri no watchOS 4

Nem queria citar aqui os novos mostradores de “Toy Story” e de caleidoscópios, porque são meros “gimmicks” bonitinhos e divertidos, mas inúteis. Já o mostrador da Siri, sim, virou o meu padrão; ainda não é perfeito, acho que há muita inteligência para explorar ali, mas gostei bastante da proposta trazida pela Apple.

Aliás, que sensacional que é o Watch automaticamente mostrar o controlador multimídia quando você manda tocar uma música no iPhone! Detalhes que fazem a diferença.

O que faltou?

Não acho que adicionar conectividade celular no Apple Watch Series 3 tenha sido “pouca coisa”, mas o fato de isso estar restrito a alguns poucos lugares por enquanto e ainda requerer um pagamento mensal extra a operadoras deixar um ar de “queria mais” em termos de novidades.

Um dos poucos rumores que circulou por aí nos últimos meses abria possibilidade de o relógio ganhar algum tipo de medidor de glicose revolucionário. Não duvido que a Apple esteja estudando algo assim, mas ainda não foi a hora.

Fora isso, listo como coisas que faltaram mas que podem perfeitamente vir nas próximas gerações:

E vocês, o que mais adicionariam aí?

Conclusão

A Apple certamente está tentando, aos poucos, tornar o Watch um dispositivo realmente indispensável na vida das pessoas.

Mulher usando o Apple Watch Series 3 em Apple Store

Sendo bem sincero, eu ainda não acho que ela chegou lá. Claro, há casos de pessoas que poderiam ter morrido não fosse o Apple Watch [1, 2] e estas certamente nunca mais cogitarão a possibilidade de não ter um. Mas falo de uma forma geral, me colocando no lugar de um consumidor que precisa decidir se vale a pena ou não esse investimento.

Vendi e entreguei o meu Apple Watch Series 2 uma semana antes da data em que o Series 3 chegou ao mercado, ou seja, pela primeira vez em muito tempo passei alguns dias sem o relógio no pulso. Fez *muita* falta e deu para perceber claramente o quanto ele me poupa de ter que tirar o iPhone do bolso para olhar certas coisas. É, eu sei, um típico First World Problem®, mas você realmente se acostuma muito com as funções que ele proporciona.

Ainda assim, é óbvio que bastariam mais alguns dias para eu me reacostumar a viver sem o Apple Watch. É bem mais legal e prático interagir com ele? Sim, é. Mas, numa análise nua e crua, não dá para chamá-lo ainda de “indispensável”. No dia em que o tal rumor de um medidor de glicose embutido se concretizar, aí sim já poderemos afirmar que o investimento dele será um “no-brainer” para milhões e milhões de diabéticos (ou pessoas com potencial de desenvolverem a diabetes) em todo o mundo.

Consumidor comprando Apple Watch Series 3 em Apple Store

Se você aí está com dinheiro sobrando e ainda não tem um Apple Watch, o momento não poderia ser melhor para adquirir um. O produto está muito polido, rápido, sua tela é sensacional, há hoje muito mais funções do que havia na época do seu lançamento, os recursos de atividade sem dúvida nenhuma nos estimulam a levar uma vida mais saudável, ele é totalmente à prova d’água e certamente atua como um complemento e tanto para o iPhone.

Mas se você já tem um Apple Watch, a recomendação de compra fica bem difícil — a menos que o seu seja um “Series 0” (modelo de primeira geração) ou Series 1, que nem à prova d’água são. As melhorias do Series 3 em relação ao 2 são perceptíveis, mas não justificam tirar o escorpião do bolso.

Caso você esteja decidido a comprar um, a escolha do modelo e da pulseira é muito, muito pessoal. Eu não cogito gastar mais por um relógio de aço inoxidável ou muito menos de cerâmica, por mais lindos que eles sejam. O modelo de alumínio também é bacana e traz exatamente as mesmas funções; a única desvantagem real que vejo é o seu vidro frontal, que arranha com bem mais facilidade que o cristal safira dos modelos mais caros.

Versão Hermès do Apple Watch Series 3

Obviamente, há também as versões especiais Nike+ e Hermès. A primeira traz pulseiras bonitinhas perfuradas e um mostrador exclusivo da marca, uma ótima pedida para quem é esportista; já a segunda, que nem é vendida no Brasil, mira um público mais interessado em joias e artigos de luxo (tal como o Apple Watch Edition). Aí, vai de cada um mesmo.

O Apple Watch Series 3 já foi devidamente homologado pela Anatel, mas por enquanto a Apple Brasil não iniciou as vendas dele por aqui.

·   •   ·

O MacMagazine realizou a cobertura de lançamento dos novos iPhones, Apple Watches e Apple TV 4K graças ao Rei do iPhone, assistência técnica especializada localizada na Rua Santa Ifigênia, 92, São Paulo. Garanta já que o seu iPhone fique novo pela segunda, terceira ou quarta vez. Faça um orçamento sem compromisso. Aproveite e tome um cafezinho por lá, de segunda-feira a sábado das 9h às 18h, e domingo das 9h às 16h.

Logo do Rei do iPhone

Prós

  • Produto bem sólido, polido;
  • Bateria já dura facilmente dois dias em uso normal;
  • Performance chegou a um nível extremamente satisfatório.

Contras

  • A nova geração não trouxe grandes novidades em relação à anterior;
  • Ainda continua sendo um investimento alto em um produto que não é indispensável;
  • A polêmica Digital Crown vermelha nos modelos GPS + Cellular.
NOTA
9,4
Posts relacionados
Comentários
  • Wilan

    Na minha opnião conexão celular ainda é pouco para um update como a serie 3, eu esperava pelo menos mais um novo sensor de peso.

  • Marcelo Pinheiro

    Uma coisa que eu não gostei no WatchOS4 é que, agora, ao clicar no Apple Music, não mostra suas playlists. Ele te obriga a baixar as músicas no relógio. Cara, que coisa ridícula. Antes, nem pra ouvir música eu tirava o iPhone do bolso, agora, só pra ouvir qq coisa, tenho que entrar pelo iPhone.

  • Carlos Luna

    Faltou dizer que o watchOS 4 retirou o controle das musicas e dos álbuns pelo relógio. Eu usava muito e agora só tenho o controle da música que está tocando.

  • Ajustes

    Rafael, as gerações anteriores não tinham poder de processamento para trabalhar com o áudio da Siri. A Apple mesmo fala em seu site, que agora o Apple Watch conta com “um processador mais poderoso que permite que a Siri fale”.

  • Ajustes

    Tá vendo só, eu sempre pedi uma lanterna no Watch e a Apple me ouviu! Eu queria um led na Digital Crown, mas eles foram mais inteligentes…

  • A Apple pode falar o que quiser. Há casos em que faz sentido; esse me soa mais como desculpinha comercial mesmo.

  • Jhon

    Tenho um Watch Series 1 e não vivo sem ele. Ok, se precisar eu vivo, mas já estou bastante acostumado com a praticidade dele, mesmo que eu use mais pra ver notificações, alarmes e a hora.

    Como não uso para monitorar exercícios não vejo motivo algum pra trocar por um Series 2 ou 3, a vantagem seria um Watch mais rápido, mas como não uso praticamente nenhum APP nele não me faria muita diferença.

    E sobre o Series 1 não ser à prova d’água, bem, eles não são oficialmente à prova d’água, mas na prática pode-se dizer que sim. Tive um Series 1 por um ano e sempre entrei em piscina com ele, já nadei, fiquei bons períodos com ele submerso e nunca tive nenhum problema.

  • Jhon

    Eu sempre que andava pela casa de noite, sem o iPhone, ficava pensando o quão prático seria um app de lanterna que deixasse a tela branca, mas a Apple foi lá e fez melhor, colocando isso de forma nativa e direto na central de controle!

  • Paulo Ens

    O que falta no Apple Watch é a Apple liberar que desenvolvedores de apps criem Watch faces.

    Ter a tela sempre ligada também seria excelente se pudéssemos escolher o que deixar fixo ligado.

  • Frederico Martins

    Esperando um app do Spotify. Pq Apple Music já testei duas vezes e sinceramente é em ruim (falo de interface). Mas devo confessar que ultimamente estou tentado a trocar iPhone e Watch pelo Galaxy e gear S3 unicamente por conta do Samsung Pay, que além de funcionar aqui já, ainda usa o MST, que serve em qualquer máquina. Mas são só pensamentos… rsrs.

  • Vítor Cardoso

    Isso seria muito bom.
    🙁

  • Vítor Cardoso

    Seria sensacional se o Apple Pay chegasse por aqui mas, até agora, só rumores.
    🙁

  • Wilan

    Na pratica ele é sim a prova d agua, o unico porem é que os altofalantes e microfone dele ficam meio ruins depois de um tempo, principamente pela sujeira acumulada depois que ele molha.

  • Wilan

    Confesso que até hoje não tinha percebido essa opção O.O

  • Gustavo Jaccottet

    Rafael, review excelente. Estou de pleno acordo e como tu passei pelo Apple Watch Original, Series 2 e agora o Series 3. Te digo que no monitoramento de atividades físicas contínuas, no meu caso corrida, que ficam entre 10 e 20km, o componente que mede a elevação durante o treino otimizou as planilhas e a sincronização com o iPhone, usando o App Nike+, que antes chegava a levar 5min ou mais, é instantânea. Outro ponto bem interessante é que ele realiza novas tarefas, mas as anteriores, presentes no Original e no Series 2 estão aprimoradas, maduras.

  • Guto Ferrari

    Rafael, parabéns pelo review. Detalhado e totalmente imparcial, com sempre.

    Me identifiquei quando você falou sobre Oximetro e VO2max. Levantei e debati bastante o assunto no post a respeito. Adoro o Macmagazine, minha leitura obrigatória e diária. Fico feliz por ter contribuído um pouquinho.

  • Igor Flores

    Eu tenho um S2 e gosto bastante. Se não o tivesse, seria 400 dólares mais rico. Não é algo que preciso, mas eu sentiria falta. No série 3 houveram downgrades pra quem optou pela versão aluminio. O meu S2 tem traseira de cerâmica e quem opta pela versão alumínio no S3 vai receber aquela plástica que é problemática. Não me parece muito apple-like sendo honesto. Uma outra coisa que me impressiona é como o pessoal gosta do 42mm. Eu quando vejo a versão maior e a pessoa (homem ou mulher) com seu pulso completamente preenchido pelo aparelho, fico perplexo. Relógios precisam também seguir proporções… acho que a galera quer levar uma tela no pulso, e esquece que relógio é principalmente um adereço e uma representação pessoal. Eu uso um 38mm e é perfeitamente proporcional. 46mm pra mim não faz sentido algum, a não ser para jogadores de basquete ou vôlei.

  • Marcelo Pinheiro

    O mesmo comigo. Odiei, isso.

  • Reginaldo

    Ótimo review, detalhado, testado, sincero, e muito útil . Obrigado!

  • Anderson Camões

    Cara, isso tem irritado mesmo. Não entendi a lógica da Apple ao fazer isso.

  • Jhon

    O Apple Pay é sensacional, principalmente pra usar com o Watch, uma pena não estar disponível no Brasil.

  • Jhon

    Ah sim, realmente eu notei que o speaker ficou pior depois de um tempo, mas ainda funcionava. Com esse meu novo Watch eu vou evitar deixar tanto na água.

  • Não acho que seja questão de proporcionalidade, e sim de gosto. E também não tem a ver com o tamanho da tela, tá cheio de relógio convencional/analógico por aí que é bem maior que o Apple Watch de 42mm.

  • É que eu nunca uso isso, prefiro escolher pelo iPhone mesmo e depois só controlo pelo Watch.

  • Igor Flores

    Com certeza! Mas coloco como gosto duvidoso alguns desses relógios de parede no pulso, hehe.

  • Bruno

    Review muito bom!
    Dúvida: essa watchface da foto é exclusiva do Series 3?

  • Eduardo Franco

    Para mim o 42 é pequeno, uma caixa 44 ou mesmo 46 seria interessante! Assim que comprei, quem nunca tinha visto sempre perguntava “esse é o maior??”

  • Wilan

    Sempre vai ter alguém querendo um maior, mas essa fatia é tão pequena que não compensa a produção, e maior chega a ficar tão estranho que quem vê pode achar o Apple Watch feio.

  • Guto Ferrari

    Como você disse, a questão é proporcionalidade. Proporcionalidade envolve comparação. E desta forma há, sim, espaço para mais um tamanho.

    Há gosto para tudo.
    Eu tenho punho fino. Meu primeiro AppleWatch foi um de 38mm justamente por isso.
    Achava o 42mm muito grande. Hoje tenho 42mm e quando olho, já o acho do tamanho do 38mm. Se não colocar ele lado a lado, realmente acho q estou usando o 38mm.
    Acredito que 44 ou 46 para punhos “normais” ficaria bem harmônico é proporcional.

  • Não, exclusiva do Series 3 (GPS + Cellular). O meu, por exemplo, não tem.

  • Claro, imagino… mancada.

  • Pepe Fraccini

    belo review! eu to pensando em comprar um Apple Watch no final do ano, só ainda não descobri qual…eu realmente queria o stainless steel, mas tem que pagar a mais por causa do cellular é um pouco pesado :X vamvê xD vai ser meu primeiro Apple Watch então preciso escolher bem xD

  • Lucas Henrique

    Galantis <3

  • Lucas Henrique

    ja chegou

  • Dil Ribeiro

    Estou usando o meu a dois dias sem carregar.

  • iRon

    Eu não sinto falta desse smart Watch por enquanto.
    Meu sport é o ciclismo e o Garmin edge 820 me satisfaz muito mais que um relógio pelo tamanho da tela enquanto me movimento e vários dados que recebo ao mesmo tempo!
    No meu trabalho, sou tão focado que viro o iPhone para baixo na mesa e um relógio desse iria me incomodar muito.
    Acho bonito, mas meus suissos também são!

  • Massa o review, Rafa!
    A melhor novidade do watchOS 4 na minha opinião foi controlador multimídia, que inclusive funciona com podcasts o/
    https://uploads.disquscdn.com/images/7cfa3b471ac6c077596e692307c2144f902dd2d7f2d609b8d1a6ba617d90f075.png

  • Marcos Aurélio

    Então, eu tenho cardiopatia grave e ano que vem irei fazer a cirurgia do coração. Pretendo voltar a fazer exercícios físicos após a cirurgia e continuar monitorando o coração. Já estou comprando um monitor peitoral e visando um Apple Watch 3. Será q ele me servirá dignamente no monitoramento cardíaco?

  • OverlordBR

    Ótimo review!

    GPS + Cellular

    A única novidade que me interessava não vai funcionar aqui. 🙁

    É como a decepção que tive com o Appley Pay até hoje não existir no Brasil. 🙁

  • Guilherme

    Comprei meu primeiro WATCH agora na versão 3. Estou adorando! Fazia anos que queria comprar e indico a todos, quem adora os produtos da Apple, pode comprar tranquilo que não vai se arrepender, vale o investimento pra quem comprar de fora!

  • iRon

    Quanto aos momentos de desconexão total do mundo virtual, é só deixar os dois em casa…
    Overlord, duvido que deixe rsrs.

  • Marcelo Pinheiro

    Ou seja, o app Music ficou sem serventia no Watch pra quem não tem a versão LTE.

  • Matheus Quintanilha

    Algo que deveria estar presente em uma futura versão do apple watch seria ele medir sua pressão, não sei se é algo complicado para apple mas ajudaria muita gente

  • Thiago Queiroz

    Também não cai nessa do processador não. Tá mais com cara de desculpa, para apresentar a Siri falante como uma feature.

  • Diogenes Anderson

    Amigo, feio é ter punho grosso e usar 38mm, coloquei o de 42mm e achei pequeno, meus relógios são 46 a 50mm e pra que fique aceitável em meu pulso, seria 44mm.

  • knewitz_doug

    Talvez o rumor de uma tela flexível seja pro Watch. Isso resolveria o problema de quem quer watches maiores sem aumentar expressivamente o tamanho. E faria mais sentido ainda cm a patente de pulseira auto ajustável.

  • knewitz_doug

    Nossa, não faz sentido isso de não poder controlar o álbum do Watch! De que adianta poder ouvir música por ele e não poder controlar né !

  • knewitz_doug

    A Apple tem o monitoramento mais próximo ao real do mercado até então. Não é fidedigno quanto deveria pra um monitoramento cardíaco tendo em mente o teu estado clínico, mas faz um bom trabalho! Quanto acessório peitoral, mantenha sempre calibrado se tiver como.

  • Carlos Luna

    É possível apenas controlar os álbuns das músicas que estão no Watch. Mas nesse caso você precisa de um fone de ouvidos para escutar direto do Watch. A outra opção são os controles simples da música que está em execução no iPhone.

  • Mariah Rafaela Silva

    Rafael, eu gostaria de fazer uma pergunta, me perdoe se soar demasiada ingênua. Eu estou na Inglaterra já faz um mês e ficarei por mais um mês antes de voltar para o Brasil. Aqui, eu adquiri um chip da Three que tem roaming internacional gratuito (eu posso usar até 9GB mensalmente em roaming sem qualquer custo adicional, além de fazer e receber chamadas, enviar sms, etc.) – o chip funciona no Brasil e em diversos outros países e eu pago 15 libras mensais pelo serviço (cerca de 63 reais) -, como viajo com certa frequência para o exterior, pretendo continuar com meu chip. Se eu comprar o Apple Watch (e estou muito inclinada a fazer isso por causa da academia e das atividades físicas) eu posso ativa-lo com meu número inglês e usar no Brasil ou nos Estados Unidos, além da Inglaterra, é claro?!

    Obrigada e parabéns pelo review.

  • Wesley Augusto

    3 prós, 3 Contras… não era pra notar ser 5 (no máximo 7) na escala de 0 a 10? kkk

  • Guilherme

    Cara o 42MM ta ótimo e eu tenho pulso fino! Só se voce for muuito pequeno mesmo senao da pra usar tranquilo.

  • Luciano d’Avila

    O que acho bom no Apple Watch são as vibrações (Taptic Engine) que dá quando há notificações no iPhone. Explico: sou deficiente auditivo e nem sempre estou com iPhone no bolso para perceber que ele está tocando ou que chegou uma mensagem nova, por exemplo. Aí é uma ajuda e tanto. Antes eu vivia perdendo mensagens e ligações ou recebia cutuques de outras pessoas me avisando que o celular estava tocando.

  • Frederico Martins

    Discordo um pouco. Tenho testado um pulseira NFC da Brasil pré-pagos e posso afirmar que só a Cielo tem máquinas liberadas pro NFC. Nas demais nunca dá certo, mesmo com símbolo. Andei pesquisando e aparentemente o lojista tem que pedir liberação, algo assim, não sei se é verdade.

    Mas o fato é que quando (e se) chegar aqui, o Apple Pay já estará ultrapassado. Essa tecnologia MST é muito superior. Ela emula a tarja magnética. Então passam em qualquer máquina.

    A maior ironia é que nasceu de uma empresa que fazia capas (com MST) pra iPhone somente. E a Samsung comprou a empresa. Kkk

  • iLeo

    Galera, meu Apple Watch 2 quebrou a tela e na Apple do Village Mall me combraram 1.300 reais para trocar o aparelho.
    Minha amiga vai essa mês para Orlando. Alguém sabe me dizer o valor do reparo lá nos EUA? Se eles trocam só a tela ou é como aqui que tem que trocar o relógio todo?

  • Fernando Alves

    Boa tarde, valeria a pena adquirir o series 2?
    Por que o 2 saiu de linha, deixaram o 1 e 3? Vou agora nos EUA, pegaria até o series 1 se fosse a prova d’agua. Na Bestbay ainda tem o series 2 por 299, já o mesmo modelo no series 3 (sem celular) está 359, ou seja o modelo simples de 42mm de aluminium. Me dê uma dica. Obrigado

  • Elton Fabricio ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

    Review excelente, como sempre. 🙂
    Uma dúvida: tenho o Apple Watch primeira geração de aço inoxidável. Queria vender pra pegar o Series 3. Alguém sabe quanto ele tá valendo?

  • Anderson Ribeiro

    Comprei o meu Apple Watch Series 3 GPS 42mm há 12 dias em Nova York, aproveitei que fui a trabalho e já adiquiri o meu rs. Como eu nunca tive um antes eu não tenho muito para comentar sobre comparações a modelos anteriores, mas o que eu digo é que o aparelho é muito rápido e eu me acostumei muito fácil com ele. Na mesma compra aproveitei e comprei também o AirPods e só tenho a dizer que essas duas belezinhas foram excelentes aquisições, pois um complementa o outro e pra mim que corro fez uma diferença absurda ainda mais agora com o Watch Os 4 que dá a opção de ouvir a rabio Bits e escutar qualquer estilo de música via Streaming sem precisar tocar no celular, tudo via Watch. Confesso que o modelo Gps+celullar não fazem falta pra mim e mesmo que funcionasse no Brasil eu não gastaria mais para ter um até pq nunca saio de casa sem o celular no bolso até mesmo quando vou correr. Resumindo é muito fácil se acostumar com o Apple Watch 😉

  • Fernando Alves

    Tem como baixar playlists do Spotify para ouvir sem o Iphone por perto ou somente do Music? Não queria trocar o Spotify pelo Music.

  • Marcos

    Excelente review, só fiquei com duas dúvidas:

    – Precisa acionar algo no relógio para tornar à prova d’água?
    – Compensa gastar 70 dólares só pra ter a traseira de cerâmica?

  • Murilo Callegari

    Series 3, por 60 dólares, o que é uma bufa pra quem já tá lá… rs não tem como comparar Serie 1 com 3, se você ver as comparações no youtube vai ficar besta rs!

  • Murilo Callegari

    A qualidade do S3 é inferior a do S2? Eu estou para pegar um Apple Watch, já estou com o dinheiro do S2 pronto, mas pensei em juntar mais um pouco para optar pelo o S3, mas agora depois que eu li o comentário de Igor Flores, ele diz da inferioridade material entre do S3 para com o S2, você acha que justifica ainda pagar a mais pelo S3 ou o S2 sendo mais barato entrega o mesmo conforto? Vale a diferença? Vlww

  • Murilo Callegari

    Oi Igor, velho, a qualidade do S3 é inferior a do S2? Eu estou para pegar um Apple Watch, já estou com o dinheiro do S2 pronto, mas pensei em juntar mais um pouco para optar pelo o S3, mas agora depois que eu li o seu comentário e você diz sobre uma inferioridade material entre do S3 para com o S2 eu estou com duvidas, você acha que justifica pagar a mais pelo S3? Qual é a diferença do fundo de cerâmica para o de “plastico” como você menciou? não entendo para que servem e no que interferem.. muda/influencia na captação/fidelidade de algum dado analitico ou é conforto/estético? :/

  • Igor Flores

    Oi Murilo, cara é exatamente o que eu disse. Se tu fores comprar a versão em alumínio do S3 pelo menos (que é única vendida no Brasil), o material onde ficam os sensores é plástico, material este que também acompanha o S1. O S2 quando lançaram, um dos diferenciais era essa traseira em cerâmica, que é mais duradoura e arranha bem menos. A plástica arranha com bastante facilidade e já vi relatos que após um desgaste maior, interfere na precisão e qualidade das medições. Esse foi um dos fatores que devolvi um S1 e troquei por um S2. Sinceramente, acho que é obrigatório a Apple melhorar os processadores ano após ano, mas acho que ainda levará um tempo até que a complexidade dos aplicativos do S2 comecem a exigir do processador. Eu guardaria a diferença do S3 pro S2 e usaria em outra coisa, sendo honesto…

  • Murilo Callegari

    Opa, oi Igor, rapaz ainda bem que você falou viu, eu estava todo entusiasmado já em pegar o S3, então a melhor opção seria eu pegar o de S3 alumínio + celular, né? A opção celular custa 70 dolares a mais, mas vem com 16gb (8GB a mais), Ceramic Back e LTE (celular), sei que no Brasil não funciona a opção celular, mas esses 70 dólares a mais valem o upgrade né? Eu olhei que custará entorno de uns 400 dólares, é isso ou eu pegar o S2 por 300 dólares, acho que 100 dólares a mais valem o upgrade de processador e espaço né…

  • Igor Flores

    A melhor opção se realmente quiser o S3 seria pegar a versão em inox, acredito que sejam todas cellular e tenham a traseira de cerâmica nessa versão. Com relação a revenda, vai perder dinheiro pois a maioria das pessoas quer o alumínio mesmo, é mais barato. Eu comprei o meu por impulso, nos EUA muita gente já tem, e você começa a acostumar com o negócio, hehe. Hoje eu gosto bastante, mas se não tivesse, não seria uma tragédia. O meu é o preto de alumínio, não tem nenhum detalhe mas reza a lenda que ele pode sofrer com uns problemas de pintura que também sofrem os iPhones.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: