Imagem de destaque

Apple vs. Samsung: juíza ordena e empresas voltarão aos tribunais — ou não! [atualizado: data marcada]


A briga judicial entre Apple e Samsung já se arrasta há mais de seis anos. Por conta desse longo imbróglio, muito provavelmente você já esqueceu dos detalhes dessa disputa. Mas de forma bem resumida, é o seguinte: o primeiro veredito saiu em meados de 2012 e, na época, a Samsung foi sentenciada a pagar mais de US$1 bilhão para a Apple. Aos poucos, esse valor foi caindo por conta das diversas revisões e apelações de ambas as empresas, chegando a um total de US$399 milhões.

Os juízes integrantes da Suprema Corte americana, contudo, decidiram no fim de 2016 que não existiam informações suficientes para dizer se os danos devem ser calculados com base na construção do dispositivo como um todo ou em componentes individuais. Sendo assim, o caso voltou para o Tribunal de Apelações dos EUA, que deveria reconsiderar/recalcular a pena.

Agora, conforme informou a CNET, a juíza Lucy Koh assinou uma ordem informando que as empresas precisam se encontrar novamente em um tribunal (a data para isso precisa ser decidida até esta quarta-feira, dia 25/10), para que seja determinado o quanto a Samsung deve à Apple por infringir suas patentes.

Florian Mueller, do FOSS Patents, acredita que há uma boa chance de isso tudo ser definitivamente resolvido antes dessa nova audiência, num acordo entre as empresas fora dos tribunais.

Do lado da Apple, estão mais de 100 designers de empresas como American Airlines, Calvin Klein, Citibank, Coca-Cola, Ford, General Electric, General Motors, Hewlett-Packard, Google, IBM, NASA, Nike e muito mais — todos entraram como “amigos da corte” (amicus curiae), em apoio à Maçã.

A situação da Samsung, contudo, melhorou bastante nos últimos episódios da disputa, ainda mais se levarmos em conta que, de acordo com o 9to5Mac, a Suprema Corte dos EUA anulou um precedente de 130 anos, quando uma decisão de uma disputa sobre design de tapetes determinou que, quando uma empresa infringe a concepção de outra, deve pagar multas em cima do lucro gerado pelos produtos frutos da cópia.

Seis anos depois, parece que finalmente estamos próximos de um desfecho dessa disputa! Será?

Atualização, por Rafael Fischmann 26/10/2017 às 11:47

Dito e feito: um novo julgamento do caso foi marcado para 14 de maio de 2018.

Até lá, ambas as partes poderão juntar novas provas já que muita coisa mudou nestes anos — assim como também podem chegar a um acordo fora dos tribunais e acabar de vez com essa novela, que seria o melhor dos mundos.

A própria juíza Lucy Koh declarou: “Eu prefiro não continuar fazendo isso até me aposentar. Quero que haja uma conclusão para todos nós.”

via CNET

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: