Ainda pela China, Tim Cook fala confiante sobre a volta dos apps de VPN à App Store, suas fornecedoras no país e mais


Caneta Para notificar nossos editores de um erro no post, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.
Por
06/12/2017 às 15:15

Em sua recente visita à China, Tim Cook apareceu em uma entrevista falando sobre a censura no país, suas fornecedoras por lá e mais.

Em julho, uma grande polêmica surgiu pelo mundo depois que a Apple retirou aplicativos de VPN1 da App Store chinesa. A discussão ficou por conta de que os apps ajudavam a burlar a censura de sites e apps no país, sendo, portanto, tidos como uma ameaça para o governo. Então, o mundo apontou os dedos para a Maçã, afirmando que ela teria cooperado com as autoridades.

Tim Cook na China durante a Fortune Global Forum.

Tim Cook na China, durante o Fortune Global Forum | Imagem: Vivek Prakash (Fortune)

Na época, Cook explicou exatamente a razão de a empresa ter feito isso e, agora, durante o Fortune Global Forum, em Guangzhou, o CEO2 pareceu bastante confiante de que os apps voltarão para onde não deveriam ter saído, conforme noticiou a Reuters:

Minha esperança ao longo do tempo é que alguns apps que foram retirados, voltem. Eu tenho uma grande esperança e estou otimista em relação a isso.

Depois da aparição de Cook na World Internet Conference, o senador Patrick Leahy, que questionou a iniciativa da Apple anteriormente, falou agora à CNBC afirmando que “a Apple tem oportunidade e obrigação moral de promover a livre expressão e outros direitos humanos básicos em países que normalmente negam esses direitos”. Ele continuou: “A Apple é claramente uma força para o bem na China, mas também acredito que ela e outras empresas de tecnologia devem continuar a se posicionar contra a repressão chinesa sobre a livre expressão.”

Partindo para assuntos mais brandos, durante o Forum, Cook ainda falou sobre como a China tem se desenvolvido cada vez mais e está muito diferente do país em desenvolvimento que visitou há 25 anos.

Tratando especificamente sobre a mão de obra chinesa, que costumeiramente sabemos que é mais barata do que em outros locais, Cook reiterou algo dito anteriormente sobre o interesse da empresa ser mais nas “habilidades” dos trabalhadores do que no custo em si:

Há uma confusão em relação à China. A concepção popular é que as empresas vêm para a China por causa de baixos custos de trabalho. Não tenho certeza para qual parte da China eles vão, mas a verdade é que a China deixou ser um país com baixo custo trabalhista há uns anos. Do ponto de vista das fornecedoras, esse não é o motivo para vir para a China, mas sim por causa da habilidade.

Além das polêmicas — e mesmo a Apple tendo apenas 15% do mercado chinês de smartphones (o que, para ela, já representa bastante financeiramente) —, o CEO afirmou que “não poderia estar mais feliz” com as vendas do iPhone X no país.

Com essa visita, talvez a Maçã consiga aumentar ainda mais sua popularidade por lá, quem sabe?

via MacRumors, AppleInsider

Notas de rodapé

  1. Virtual private network, ou rede de comunicações privada.
  2. Chief executive officer, ou diretor executivo.
Posts relacionados
Comentários
  • Hades666

    “Esperança, otimista”???? Quem é que manda nessa joça?! Tradução: baixou as calças por causa de interesses financeiros e ponto.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: