Review: com o MX Master 2S, a Logitech continua provando que tem o melhor mouse do planeta


Já deve fazer, pelas minhas contas, quase uma década que eu só uso mice da Logitech. Passei por todos os últimos modelos topos-de-linha dela, e recentemente substituí o MX Master (do qual acabei não escrevendo um review, sorry) pelo seu sucessor imediato, o MX Master 2S.

Geração após geração, a Logi mantém o seu posto como a fabricante do melhor mouse do planeta. Sempre há espaço para aprimoramentos, mas temos aqui um produto que, ao menos para mim, não tem hoje concorrente equivalente no mercado. Em outras palavras, minha única opção é ele.

Logitech MX Master 2S

O 2S não é muito diferente do MX Master original. O design quase não mudou, mas seu sensor Darkfield agora é de 4.000 DPIs (contra 1.000 DPIs de antes) e ele conta com recarga rápida de bateria — a Logi promete um dia inteiro de autonomia com apenas três minutos de recarga —, que agora dura cerca de 70 dias (contra 40 dias, antes).

Sinceramente, não senti diferença nenhuma com esse upgrade do sensor em si. O MX Master anterior já funcionava bem mesmo em superfícies complicadas como mesas de vidro, e eu já achava preciso o suficiente para o meu tipo de uso. Mas confio na promessa da empresa.

A bateria, sim, deu um salto perceptível — agora com 500mAh de capacidade. Embora eu não atinja nem de perto essa média de autonomia anunciada pela Logi, até porque faço um uso avançado do mouse e acima das oito horas diárias em que o número baseia-se, ainda assim recarregá-lo é algo que eu faço bem esporadicamente e, quando preciso fazer, é mesmo bem rápido. Como a sua portinha Micro-USB fica na frente (aprende, Apple!), dá para continuar usando o mouse conectado via cabo ao Mac sem problemas enquanto ele é alimentado.

O MX Master 2S é um mouse bastante robusto, com vários botões e possibilidades de personalização aplicadas pelo app Logitech Options — que fica dentro das Preferências do Sistema do macOS. Olhando de cima, temos os dois botões tradicionais, uma rodinha com SmartShift que também é um botão (uso para o App Exposé) e mais um botãozinho abaixo dela (uso para o Mission Control). Na lateral, uma rodinha horizontal, mais dois botões de navegação (uso para alternar entre abas) e um último botão grande onde você apoia o polegar (uso para mostrar a Mesa).

Nesta nova geração, o mouse é vendido em três cores: Graphite (um preto acizentado), Light Grey (cinza clarinho) e Midnight Teal (uma espécie de azul marinho).

Todas as cores do Logitech MX Master 2S

A tecnologia SmartShift, que já existia antes, é sensacional. Por padrão, a rodinha dá umas pequenas “travadinhas” enquanto você gira, como se fossem vários “passos” de rolagem; mas, se você a gira mais rápido/forte, ela entra em modo livre e aí gira suavemente. Se você quiser, pode ainda desativar o SmartShift e usá-la somente no modo que preferir. Neste caso, o ideal é usar o botãozinho abaixo da rodinha para fazer essa troca de modos (é a configuração padrão dele).

A rodinha lateral não tem esses dois modos, ela só funciona de forma livre. E, ao menos para mim, não é algo que uso diariamente. Mas é incrível como ela é útil quando você se depara com uma situação de rolagem horizontal. Acho ótimo que ela esteja ali, à minha disposição.

Os periféricos mais recentes da Logi agora também contam com um recurso chamado Flow, excelente para quem usa um mesmo mouse com dois computadores alternadamente (seja Mac ou PC). Assim, você pode passar de um para o outro simplesmente levando o cursor para o canto da tela e até copiar textos, imagens e arquivos entre eles. Isso não é algo que eu tive oportunidade de testar, porém.

Embora seja altamente ergonômico, o MX Master 2S é, sem dúvida nenhuma, um mouse desenhado para destros. Você até pode, nos ajustes, inverter os dois botões superiores se quiser, mas como não há simetria em seu design, usá-lo com a mão esquerda deve ser um tanto quanto estranho.

Algo que me preocupa com relação ao MX Master 2S é a sua durabilidade, e como não tem tanto tempo assim que estou com ele, não posso avaliar ainda. Espero que a Logi tenha trabalhado nisso, porque eu tive nada mais nada menos que três(!) MX Masters originais devido a problemas principalmente no seu botão lateral maior (do polegar), que simplesmente “emperrava” com o tempo. Felizmente, o suporte da empresa é bem atencioso e rápido nesse sentido.

Na caixa do MX Master 2S você recebe o tradicional receptor RF (Unifying Receiver) para conectar à porta USB, mas isso não é necessário pois o mouse funciona perfeitamente via Bluetooth. Aliás, graças a Deus os problemas de conectividade sem fio que eu enfrentei há meses com mice da Logi são agora passado — não sei se graças a updates feitos pela própria fabricante ou quem sabe correções aplicadas pela Apple no macOS High Sierra. Tudo está funcionando às mil maravilhas e nem mesmo os AirPods interferem com ele, mais.

O preço oficial do MX Master 2S lá fora é de US$100, mas ele já pode ser encontrado em desconto por US$80. Aqui no Brasil, ele está à venda na Logitech Store por R$426,55 à vista ou em 10x de R$49,90.

Prós

  • Bonito, robusto e ergonômico;
  • Vários botões e funções configuráveis;
  • Bateria duradoura, mesmo via Bluetooth.

Contras

  • Não é bom para canhotos;
  • Existem opções mais compactas e acessíveis no mercado;
  • Ainda precisa provar sua durabilidade.
NOTA
9,4
Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: