Apple terá que pagar quase R$600 milhões em impostos no Reino Unido após auditoria do governo


Os problemas fiscais da Apple não se resumem à Irlanda. Nesta semana, a empresa foi forçada a pagar quase R$600 milhões (mais precisamente, £136 milhões) em impostos retroativos no Reino Unido.

O imposto está sendo cobrado após uma extensa auditoria feita pela HM Revenue and Customs (departamento do governo responsável pela cobrança de impostos). Segundo eles, o pagamento dos quase R$600 milhões reflete o aumento da atividade da empresa e mira especificamente a Apple Europa, a qual oferece serviços de suporte, marketing, financeiro e administrativo para outras empresas do grupo.

Essa subsidiária da Apple emprega cerca de 791 pessoas e, de acordo com o Financial Times1, a empresa teve um EBIT2 de £297 milhões nos 18 meses anteriores a abril de 2017 e a conta de imposto total da empresa era de £192 milhões.

De forma resumida, a HRMC considerou que a Apple não pagou o valor justo pelos serviços oferecidos a outras subsidiárias da Apple, criando assim uma renda tributável artificialmente menor. Esse pagamento adicional de agora cobre diversos anos, até 2015.

Eis a declaração da Apple sobre o assunto:

Sabemos o papel importante que os pagamentos de impostos desempenham na sociedade. A Apple paga tudo o que deve de acordo com as leis tributárias e os costumes locais nos países onde operamos.

Como uma empresa multinacional e a maior contribuinte do mundo, a Apple é regularmente auditada pelas autoridades fiscais de todo o mundo. A HMRC concluiu recentemente uma auditoria extensiva das nossas contas no Reino Unido e o acordo que fizemos com a HMRC está refletido nas nossas contas recentemente arquivadas.

Pelo tom, a empresa não contestou e pagou a multa de bom grado…

via 9to5Mac

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: