Executivos da Apple se reuniram com fornecedores de componentes para óculos AR na CES


Caneta Para notificar nossos editores de um erro no post, selecione o texto e pressione Ctrl + Enter.
Por
13/01/2018 às 14:03

A essa altura, não deve ser mais novidade para ninguém que a Apple está trabalhando em um dispositivo de realidade aumentada nos porões secretos da sua nave espacial. Ninguém sabe exatamente que forma ele tomará quando (ou… se) for lançado, mas as fichas atualmente estão concentradas num aparelho vestível, como uns óculos, talvez parecido com o malfadado Google Glass. O fato é que o seu desenvolvimento é (basicamente) uma realidade.

Agora, a Bloomberg publicou uma reportagem sobre as perspectivas da realidade aumentada e da realidade virtual, falando sobre os dispositivos lançados na Consumer Electronics Show (CES) 2018 e refletindo sobre seus próximos passos. Dentre as maquinações de bastidores trazidas pela matéria, entretanto, uma chama a atenção — e ela tem a ver, claro, com uma certa empresa de Cupertino.

A Apple já há muitos anos não monta presenças oficiais em feiras de tecnologia, mas isso não significa que a empresa não mande executivos e engenheiros até elas — pelo contrário, é comum ver empregados da Maçã circulando discretamente pelos estandes das exposições, analisando novidades, procurando por tecnologias promissoras e novos fornecedores. Segundo a reportagem, foi exatamente isso que aconteceu na CES: representantes da Apple reuniram-se com uma série de fornecedores de peças para óculos de realidade aumentada, discutindo opções e perspectivas de parcerias.

Não há mais detalhes quanto ao conteúdo dessas reuniões, mas sabe-se que a Apple está longe de ser a única que as organizou. Empresas como Facebook, Google, Snap e Xiaomi também conversaram com fornecedores com a mesma intenção, enquanto a Samsung e a LG chegaram ainda mais longe e já fizeram pedidos de componentes para a montagem de protótipos, apurou a reportagem.

Tudo isso, claro, só mostra o quanto a realidade aumentada está mostrando-se animadora para as empresas. Se a Apple tem conseguido um bom resultado com o ARKit nos seus dispositivos móveis, um aparelho totalmente dedicado à tecnologia parece um passo natural a ser dado num futuro não muito distante — obviamente, desde que seja de uma forma bem pensada, integrada no seu atual ecossistema e especialmente fácil de usar.

Será que está chegando o dia em que usaremos famigerados “Apple Glasses”? Isso só o tempo dirá.

via AppleInsider

Posts relacionados
Comentários
  • sigma7777777

    Se custar caro como um Watch e as funções não forem essenciais no dia-a-dia será mais um produto que não vou adquirir, mas aposto que será mais relevante. O óculos poderia ter até mesmo um fone de ouvido integrado, zoom, algum alerta para utilizar no trânsito, e dispor até mesmo de algumas funções do Watch. Provavelmente dependerá muito do iPhone, ou quem sabe do Watch, a não ser que a Apple consiga integrar uma espécie de mini iPod Nano. E lá vamos nós para as armações e lançamentos de armações: armação Especial de Natal, Halloween, da Nike, etc, afff…

  • Frederico Martins

    Traduzindo: já quero um! Kkkkk

  • Ricardo Fialho Henriques

    Até agora a realidade aumentada não agregou nada à minha vida, nem Pokémon Go eu joguei. Quero ver ela ser usada para algo realmente útil, esse óculos é uma grande chance

  • Ricardo Fialho Henriques

    Já tive um Apple Watch e adorava, vendi pois precisei de dinheiro, logo compro outro. No Brasil, de fato é absurdamente caro, mas em boa parte do mundo não, em vários países não custa nem metade de um salário mínimo, aqui na Irlanda onde moro por exemplo, €409 no Series 3 GPS 42mm, não passa um dia sem que eu veja alguns Watches, eles não são artigo de luxo, mas obviamente atingem um nicho bem menor que o iPhone por não serem algo essencial como você mesmo disse, mas quem tem adora, penso que são dispensáveis mas valem o preço, €400 à cada dois ou três anos pela conveniência que trazem é justo

  • Douglas Knewitz

    Acho a realidade aumentada algo de nicho, como por exemplo, designers visualizaram suas criações em 3D em tempo real, médicos analisando um melhor diagnóstico via animação 3D, arquitetos, ives da vida! Agora para o grande público que quer consumir algo em VR ou AR a coisa é meio monótona, querem que usemos, mas ainda não encontraram um estopim para fazê-lo ser a grande criação da década. Os atuais óculos que temos não são óculos, são capacetes desengonçados! Conhecendo a Apple, imagino e torço que ela realmente lançe um óculos com tudo a tecnologia miniaturizada. A primeira geração será algo experimental e talvez não muito atrativa, como foi com o Watch por ser uma novidade no ecossistema Apple.

    Só mais uma observação, o iPad Pro e a Apple Pencil são maravilhosos, mas não significa que sejam pra todos os usuários, eu por exemplo nao sei tirar o proveito que o device merece. A mesma coisa vai ser com o dispositivo de realidade alternativa ( VR/AR …), nem todos vão encontrar um significado para ele em suas vidas. Diferente do iPhone, que todos precisam hj em dia!!

  • Jaime Camargos

    A Apple de Cook esta muito atrasada. Aposto todas as minhas fichas que o dispositivo do futuro será um óculos leve (nada parecido com estes trambolhos que vejo por aí) aonde se possa ler e enviar mensagens, ver filmes, ler livros e até utilizar jogos. Tomara que baixe o espírito oportunísta e visionário de Jobs no neófito Cook. Se não baixar pouco importa. Google, Xiaomi ou Samsung acabarão fazendo. Pela demora em aparecer um até a MS poderá entrar na brincadeira.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: