Tim Cook afirma que o Apple Music tem agora 50 milhões de usuários e critica tarifas de Trump para a China


O CEO favorito de todo mundo (ou não) está na mídia de novo. Tim Cook sentou-se com o jornalista David Rubenstein, da Bloomberg, para uma entrevista que será exibida na íntegra no seu programa mês que vem, mas já teve alguns dos seus principais pontos cobertos em texto pela própria emissora. Vejamos a seguir alguns dos destaques tratados pelo executivo.

Cook começou — como tem feito em todas as suas entrevistas — tratando de alguns assuntos de interesse nacional (e da própria Apple, claro). O CEO afirmou que, numa reunião recente na Casa Branca, expressou ao presidente americano Donald Trump a sua insatisfação com as novas políticas de impostos aplicadas a importações da China.

É verdade, inquestionavelmente, que nem todo mundo se beneficiou disso — nos dois países — e nós temos que trabalhar nisso. Mas eu sinto que as tarifas não foram a abordagem correta aqui, e mostrei a ele algumas coisas mais analíticas para demonstrar o porquê.

Cook disse também que aproveitou o último encontro com Trump para reforçar a sua posição de defesa aos chamados Dreamers, os filhos de imigrantes ilegais que chegaram muito jovens aos Estados Unidos e, com o fim de um programa estabelecido no governo Obama, correm risco de deportação.

Por outro lado, o executivo elogiou a reforma fiscal implementada pelo presidente, lembrando dos investimentos grandiosos que a Apple fará nos EUA e que, por conta disso, a Maçã comprará de volta uma porção das suas ações: “É bom para a economia, também, porque se as pessoas vendem ações elas pagam impostos com base nos seus ganhos.”

Mudando de assunto, o CEO também falou do segmento de serviços da Apple — a área que mais cresce na empresa e que, se as coisas continuarem no mesmo ritmo atual, será a mais lucrativa dentro de cinco anos. Comentando sobre o Apple Music, Cook atualizou o número de usuários da plataforma: são agora 50 milhões, entre assinantes pagos ou pessoas ainda experimentando o serviço no período de testes (gratuito, de três meses).

Perguntado sobre as iniciativas da Maçã na área de conteúdo original, Cook preferiu desviar do assunto:

Nós executaremos isso de uma forma que seja consistente com a nossa marca. Ainda não estamos prontos para dar mais detalhes em relação a isso, mas é claramente uma área de interesse.

Então tá, Tim. Quando a entrevista completa estiver disponível, avisaremos a todos.

via 9to5Mac

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: