MapKit JS permite incorporar os mapas da Apple em páginas da web

Imagem de destaque


De forma similar ao MusicKit JS, que permite que clientes do Apple Music reproduzam músicas inteiras de playlists incorporadas nos aplicativos por JavaScript, a Apple divulgou também o MapKit JS, um framework da Maçã que possibilita incorporar mapas interativos da Apple em páginas da web.

O MapKit JS traz o Mapas da Apple para a web. Essa nova biblioteca em JavaScript permite adicionar mapas interativos a páginas da web — completas com anotações, sobreposições e interfaces para serviços do Mapas, como pesquisa e direções — para possibilitar interações avançadas.

Ainda que esteja em fase beta, o MapKit JS é utilizado pela Maçã há vários anos em ferramentas como o Buscar Meu iPhone do iCloud.com e na busca por lojas no seu site oficial. Além disso, o recurso é utilizado também na página da WWDC — e isso desde 2016, conforme notamos aqui.

Basicamente, a única diferença do MapKit para o Mapas utilizado no iOS é o fato de ele não ser um aplicativo, e sim um API1 adaptada para navegadores. Os desenvolvedores podem escolher um ponto do mapa definido e identificar locais nas pesquisas do usuário, inclusive estabelecer a rota entre duas localidades.

O mapa é totalmente personalizável de acordo com as escolhas do desenvolvedor, sendo possível ativar ou desativar o deslocamento, o zoom e a rotação. Ademais, os mapas podem ser exibidos a partir da visualização de rua padrão ou imagens de satélite, da forma como já conhecemos.

Usuários que acessarem os mapas através de dispositivos com hardware mais recentes verão o mapa em WebGL2, que fornece uma transição mais suave quando o usuário der zoom ou interagir com anotações associadas a elementos do mapa. Em dispositivos com hardwares mais antigos, para que a performance não seja extremamente reduzida, o MapKit JS renderiza o mapa com a tecnologia mais compatível possível.

A Apple vinculou ao site de divulgação do MapKit JS códigos de amostra para que desenvolvedores testem a funcionalidade do Mapas em seus sites. No site foram colocados, ainda, um vídeo de apresentação, um tutorial sobre como obter uma chave/credencial, documentações como referências de API, artigos e códigos de amostra e um fórum de discussão.

As recentes liberações e aberturas de APIs de recursos e programas da Apple têm sido um movimento curioso. Não obstante, vamos torcer que tais ações garantam melhorias na qualidade dos serviços — principalmente do Mapas — e outros produtos da empresa.

via 9to5Mac

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: