Apple decide proibir apps focados em mineração de criptomoedas


Há pouco comentamos as alterações nas diretrizes de revisão da App Store para o período de trial de apps, divulgada na semana passada. Em uma outra mudança nas mesmas diretrizes, a Apple proibiu que aplicativos para iOS e macOS, principalmente, executem mineração de criptomoedas ou qualquer tarefa em segundo plano que não esteja relacionada com a sua função principal.

A mineração de criptomoedas envolve o registro de uma série de transações com moedas virtuais, como a Bitcoin, para validar essas transações na “blockchain” (onde são armazenadas as informações). Normalmente são utilizados computadores com alta capacidade de processamento para rodar os softwares necessários para a mineração, e o usuário que realiza essa atividade é então pago com moedas virtuais.

Uma das principais motivações da Apple para banir a mineração de criptomoedas do seus sistemas operacionais é evitar que hackers tenham acesso a informações sensíveis dessas transações através de iPhones ou outros dispositivos. Além disso, os apps de criptomoedas estão proibidos de oferecer recursos como baixar outros aplicativos ou incentivar os usuários a fazer o download de determinado conteúdo fora da App Store.

Com a decisão, usuários que optarem por realizar minerações deverão fazê-las através de servidores online ou na nuvem. Não obstante, aplicativos de carteira de criptomoedas são permitidos por serem oferecidos por desenvolvedores inscritos em uma organização.

Ademais, aplicativos que executam atividades em segundo plano que não tenham relação com a função principal do programa estão proibidos, como descrito nas diretrizes de revisão da App Store para desenvolvedores.

Projete seu aplicativo para usar o poder de forma eficiente. Os aplicativos não devem drenar a bateria, gerar calor excessivo ou sobrecarregar desnecessariamente os recursos do dispositivo. Aplicativos, incluindo quaisquer anúncios de terceiros exibidos neles, não podem executar processos em segundo plano não relacionados com o app, como mineração de criptomoedas.

A preocupação fica por conta do macOS, já que além da Mac App Store, os usuários podem baixar programas de terceiros fora da loja de aplicativos e realizar mineração de criptomoedas. Tal vulnerabilidade permite que usuários mal-intencionados implantem malwares na web com o objetivo de roubar moedas virtuais — nós inclusive comentamos um caso similar que ocorreu em 2014 e fez diversas vítimas.

via AppleInsider

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: