Em entrevista, Tim Cook fala sobre Steve Jobs, Apple Watch, privacidade e mais


O CEO da Apple, Tim Cook, participou de um programa de David Rubenstein gravado em maio passado, que acaba de ser divulgado pela Bloomberg. Durante a entrevista, Cook comentou o período no qual parou de trabalhar na Compaq para entrar na Apple após conhecer Steve Jobs, o sucesso e a importância do Apple Watch na saúde de inúmeros usuários e a compra de mais de 75 milhões de ações da Apple por Warren Buffett.

Antes de trabalhar para a Apple, Cook foi um executivo da Compaq, uma empresa de computadores pessoais. Quando perguntado sobre a sua decisão de trabalhar na Apple, Cook respondeu que foram necessários apenas alguns minutos de conversa com Jobs para que ele se sentisse mais do que disposto em trabalhar na companhia.

Steve tinha voltado para a empresa e estava substituindo a equipe executiva na época. Eu pensei, “você sabe, esta é uma oportunidade de falar com o cara que começou toda a indústria”. Steve me conheceu no sábado. Foram apenas alguns minutos conversando com ele e logo pensei “Eu quero fazer isso.” Fiquei totalmente chocado. Havia um brilho em seus olhos que eu nunca vi em um CEO antes. Ele estava meio que virando à esquerda quando todos estavam virando à direita.

Ainda com relação ao ex-CEO da Apple, Cook contou que a visão de Jobs sobre colaboração e ambiente de trabalho influenciaram o projeto e a construção do Apple Park, a nova sede da empresa em Cupertino. Segundo Jobs, o local de trabalho deveria facilitar que as pessoas trabalhassem juntas, com áreas em comum que possibilitassem essa interação e colaboração.

Steve tinha a visão de que o local de trabalho deveria facilitar as pessoas que trabalham juntas; a construção de áreas comuns nas quais as pessoas poderiam colaborar umas com as outras e se encontrar sem planejar. Com isso, o nível de ideias, criatividade e inovação seriam fenomenais. E nós estamos vendo isso.

Outro tópico abordado durante a entrevista foi o sucesso do Apple Watch e a fama de “salva-vidas” do relógio — em referência aos relatos de usuários que buscaram ajuda médica após serem alertados pelo smartwatch. Cook disse que recebe vários emails diariamente de usuários que contam como o relógio contribuiu para que muitos problemas cardíacos fossem diagnosticados com antecedência.

De acordo com o jornal @scmp_news, o honconguês Gaston D'Aquino, de 76 anos, estava numa igreja quando o seu relógio começou a disparar alertas (frequência cardíaca muito elevada). Ele estava se sentindo perfeitamente bem mas, como já havia lido histórias sobre o relógio da Maçã salvando vidas, resolveu ir ao hospital. Resultado: duas das três principais artérias coronárias dele estavam completamente bloqueadas (a terceira estava 90% bloqueada) — era questão de tempo até ele sofrer um ataque cardíaco. Mais uma vida na conta do #AppleWatch! [via Cult of Mac] ⌚️💪🏼

Uma publicação compartilhada por MacMagazine.com.br (@macmagazine) em

Eu recebo tantos emails por semana de pessoas que descobriram que elas têm um problema cardíaco através do Apple Watch. De verdade, David, muitas pessoas escreveram: “O relógio me alertou para o problema, entrei em ação e fui ao cardiologista, e ele me disse que, se eu não tivesse ido lá, não estaria vivo.”

No que tange à compra de mais de 75 milhões de ações da Apple pelo investidor Warren Buffett, Cook afirma que é um prazer ter a Berkshire Hathaway como uma das grandes acionistas da companhia. Segundo o CEO, a Maçã e Buffett estão em sincronia, pois a visão do investidor a longo prazo é similar à maneira como a Apple é administrada.

A entrevista também abordou a filosofia da Apple em relação à privacidade. Cook enfatizou que privacidade é vista pela companhia como “um direito humano fundamental” e que o pouco de dados capturados pela Apple estão de acordo com a consciência do usuário.

Nós vemos privacidade como um direito humano fundamental. Então, para nós, ela está lá em cima com algumas das outras liberdades civis que fazem os americanos o que são. A nossa diferença é que tiramos uma quantidade mínima de dados dos clientes, apenas aquilo de que precisamos para prestar um excelente serviço. Então, nós trabalhamos muito para protegê-lo com criptografia e assim por diante.

Outros trechos da entrevista, bem como o programa completo, estão disponíveis na página da Bloomberg.

via MacRumors

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: