Evento especial: iPhones Xs e Xs Max são apresentados com Dual SIM e chip A12 Bionic


Depois de apresentar o novo Apple Watch Series 4, Tim Cook chamou ao palco o vice-presidente sênior de marketing mundial da Apple, Phil Schiller, para apresentar os novos iPhones Xs e Xs Max — e, como era de se esperar, eles são exatamente iguais aos aparelhos mostrados nas imagens vazadas na última semana.

iPhone Xs e Xs Max em dourado num fundo preto

Com moldura em aço inoxidável, os novos aparelhos trazem “o vidro mais durável já posto em um smartphone” — essa afirmativa, entretanto, teremos que comprovar na prática. Disponíveis em três cores (dourada, prateada e cinza espacial), os iPhones são os primeiros a trazer certificado IP68 — isso é, oficialmente à prova d’água (30 minutos até 2 metros de profundidade), como a Samsung já tem feito com seus aparelhos há um tempo. A Apple, inclusive, testou inúmeros tipos de líquidos, de água salgada a chá e cerveja. Ele resiste a tudo — aparentemente.

As telas dos aparelhos, como esperado, são de OLED1 de 5,8″ (2436×1125 pixels, 458ppp) e 6,5″ (2688×1242 pixels, também 458ppp). O tamanho do iPhone Xs Max é similar ao do iPhone 8 Plus, com uma tela com uma polegada inteira a mais na diagonal, o que é impressionante. As telas contam ainda com um alcance dinâmico 60% maior para fotos, trazendo cores mais precisas. Temos ainda tecnologias HDR10 e Dolby Vision, com contraste 1.000.000:1, 3D Touch, True Tone e sensibilidade ao toque de 120Hz.

Pessoa brincando com AR no iPhone Xs

O Face ID também está, claro, presente, mas a Apple não chegou a anunciar uma nova geração da tecnologia — a empresa se limitou a falar em algoritmos mais rápidos e uma Secure Enclave também mais veloz, mas sem destacar avanços maiores. Ainda assim, é o sistema de autenticação facial mais seguro num smartphone, segundo a Apple. E, como era de se esperar, nada de Touch ID aqui também.

Pessoa na chuva usando um iPhone Xs

O chip que equipa os novos iPhones, chamado de A12 Bionic, é o primeiro da indústria fabricado em arquitetura de 7 nanômetros, com 6,9 bilhões de transistores. Ele é um SoC (system-on-a-chip) completo, com tudo a que temos direito: processamento de sinal de imagens, codecs/decoders de vídeo, Secure Enclave, controlador de armazenamento (vamos a até 512GB de espaço) e por aí vai.

Temos aqui 6 núcleos de CPU2 (2 de performance e 4 de eficiência), todos mais rápidos e mais eficientes; a GPU3, por sua vez, tem 4 núcleos e é até 50% mais rápida que antes — com compressão lossless de memória. O Neural Engine também foi atualizado e conta agora com 8 núcleos dedicados a aprendizado de máquina, capazes de realizar 5 trilhões(!) de operações por segundo — contra 600 bilhões da geração anterior.

Podemos esperar grandes avanços com essas novidades e a Apple já mostrou algumas em tarefas como tirar e buscar fotos, multitarefa em apps, obter direções de mapas, gerar aprendizado de máquina ao vivo (permitindo, por exemplo, a aplicação de Animojis ao vivo em chamadas do FaceTime) e muito mais.

Por conta do A12 Bionic, os Atalhos da Siri (recurso destacado do iOS 12) também ganharão possibilidades extras, como múltiplos passos encadeados; o Core ML, por sua vez, será 9 vezes mais rápido e gastará 10x menos energia. O ARKit 2 também está mais avançado, com renderizações em tempo real mais rápidas, performance em pouca luz melhorada e suporte a 60 quadros por segundo.

iPhone Xs com jogo de AR

Para demonstrar o poder do novo chip, a Apple chamou ao palco representantes de três desenvolvedoras exibindo novos e impressionantes jogos. Todd Howard, da Bethesda, apresentou The Elder Scrolls: Blades, novo jogo de fantasia com gráficos impressionantes que tiram proveito do processador superpoderoso e dos alto-falantes estéreo; David Lee, da Nex Team, e o ex-jogador de basquete Steve Nash apresentaram Homecourt, jogo de basquete que filma você jogando e analista suas jogadas com ajudinha do Core ML. Por fim, Atli Mar, da Directive Games, mostrou o app Galaga AR, para experiências de jogos coletivas em realidade aumentada no mundo real — impressionante!

Câmera traseira do iPhone Xs

Em relação às câmeras, continuamos com duas lentes traseiras de 12MP; agora com flash True Tone aprimorado. Temos um sensor maior e com pixels mais profundos, além de abertura f/1.8, na grande angular. A teleobjetiva continua com abertura f/2.4. Na frente, o sensor também foi atualizado, e traz captura de 7MP.

O grande pulo dos iPhones Xs está na sua inteligência: os aparelhos usam o Neural Engine para melhorar fotos, detectando cenas e rostos em tempo real e ajustando seus sensores de acordo num recurso chamado Smart HDR — se o objeto da foto se move, por exemplo, o iPhone Xs captura múltiplos quadros de fotos ao bater, incluindo versões com exposições diferentes de forma a combiná-las numa só imagem “perfeita”. Os aparelhos detectam e corrigem olhos vermelhos automaticamente, também.

O Modo Retrato e o Modo Iluminação de Retrato também estão aprimorados por conta da inteligência artificial dos aparelhos. Agora é possível ajustar a profundidade de campo de uma foto em qualquer momento após tirá-la; um slider no app Fotos permite que você deslize o dedo, controlando a intensidade do desfoque do fundo — podemos ir de f/1.4 a f/16, tudo pelo software. A captura de vídeos em 4K também está bem melhor com os sensores aprimorados e os quatro microfones do aparelho são utilizados para captura de sons.

Em termos de bateria, o iPhone Xs dura 30 minutos a mais que o X, enquanto o Xs Max tem a maior bateria já colocada num iPhone, durando 1h30 a mais que o iPhone X.

Além disso, temos também suporte a redes mais rápidas, novas bandas/roaming e — adivinhem — Dual SIM. Um deles é um chip tradicional e o outro é um eSIM, então é necessário que a sua operadora suporte o recurso — apenas na China, um modelo especial trará suporte a dois chips físicos, já que aquele país não permite o uso de SIMs embutidos. Uma nova tecnologia chamada DSDS (Dual Sim Dual Standby) permite que o recurso seja utilizado com gasto mínimo de bateria.

Para finalizar, Lisa Jackson foi ao palco para lembrar que todas as operações da Apple agora rodam em energia limpa e, agora, parte em busca de novos desafios.

Os novos iPhones têm sua placa lógica feita em partes com estanho reciclado, o que faz com que mais de 10 mil toneladas de estanho deixem de ser mineradas por ano; os aparelhos também usam menos plástico e boa parte dos ainda empregados são reciclados — o alto-falante, por exemplo, é feito com 35% de plástico reciclado; a moldura que protege o vidro frontal é feita com 32% do mesmo material. O programa Apple GiveBack de recompra ou troca vai reciclar seus dispositivos de graça, mesmo que eles não sejam mais utilizáveis. O robô Daisy, que recicla iPhones, agora pode trabalhar com nove modelos deles.

iPhone Xs e Xs Max de frente

Os iPhones Xs entrarão em pré-venda no dia 14 de setembro, chegando ao mercado no dia 21 de setembro. Os preços começam em US$999 (Xs) e US$1.099 (Xs Max), em capacidades de 64GB, 256GB e 512GB e nas cores cinza espacial, prateada e dourada.

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: