Apple investirá na preservação de manguezais na Colômbia


Ainda que não seja novidade o fato de a Apple se importar com o meio ambiente e sua preservação, estamos acompanhando uma nova fase da companhia relacionada à sustentabilidade. Em abril passado, a Maçã passou a operar ao redor do mundo totalmente a partir de fontes de energia limpas e sustentáveis e, nesta semana, fomos apresentados aos primeiros iPhones construídos com alguns materiais reciclados.

Os investimentos da Apple no meio ambiente não param por aí; ontem (13/9), durante a conferência Global Climate Action Summit (que acontece em San Francisco, na Califórnia), a vice-presidente de iniciativas ambientais, políticas e sociais da Apple, Lisa Jackson, revelou os planos da companhia na preservação de 27.000 acres (aproximadamente 11.000 hectares) de manguezais na costa da Colômbia, como divulgou a Fast Company.

O projeto, que está sendo realizado em parceria com a Conservation International, envolverá o plantio de árvores em áreas degradadas e a preservação daquelas que ainda existem. Além disso é esperado que, nos primeiros anos do programa, sejam capturados cerca de 1 milhão de toneladas de dióxido de carbono (CO2), de acordo com Jackson.

Essas florestas são críticas porque são uma das ferramentas mais importantes da natureza na batalha contra a mudança climática — elas podem absorver e armazenar até 10x mais carbono do que uma floresta terrestre.

Em seus dois primeiros anos, o projeto ajudará a reduzir as emissões de carbono em até 17.000 toneladas — aproximadamente a mesma quantidade que será emitida pelos carros da Maçã que irão rodar o mundo para atualizar o Apple Maps.

Ademais, a Conservation International calculou, pela primeira vez, o que eles chamam de “carbono azul” (que as árvores sequestram debaixo d’água), fazendo deste o primeiro projeto do tipo, conforme contou o cientista e diretor executivo da CI, M. Sanjaya.

Ao investir, a Apple abriu a porta para que outros também pensem sobre o carbono azul como uma maneira viável de sequestrar carbono e reduzir as emissões globalmente.

A chefe de projetos ambientais da Apple não divulgou por quanto tempo o projeto irá durar e nem quanto será investido. Apesar disso, a importância de um projeto como esse é imensurável para a preservação desse tipo de floresta no mundo. Em 2015, a Maçã investiu no fundo da Conversation Internacional para adquirir mais de 36.000 hectares para reflorestamento nos Estados Unidos.

Além desse programa, a Maçã também anunciou um fundo de US$300 milhões em energia limpa na China e uma parceria com empresas dos EUA para produzir energia renovável no leste do país.

Apple doa US$1 milhão para a Cruz Vermelha

Na manhã de hoje, o CEO da Apple, Tim Cook, tweetou que a companhia doará US$1 milhão à Cruz Vermelha para apoiar os esforços de socorro por conta do furacão Florence, que atingiu a costa leste dos EUA nesta semana.

As Carolinas estão em nossos corações. Para os nossos funcionários de lá, socorristas e todos no caminho do furacão Florence, por favor, fiquem seguros. Para ajudar as pessoas afetadas, a Apple está doando US$1 milhão para a Cruz Vermelha.

Além do valor em dinheiro, a Maçã geralmente aceita doações dos seus clientes por meio da App Store e do iTunes, mas a companhia ainda não adicionou essa opção nas suas lojas ou no seu site. No ano passado, ela doou US$5 milhões para ajudar na recuperação dos estragos causados pelos furacões Harvey e Irma.

Neste ano, a gigante de Cupertino também já contribuiu com cerca de R$4 milhões para as vítimas de inundações na Índia.

via AppleInsider, MacRumors

Posts recomendados
Comentários

O Modo Escuro foi ativado ou desativado.
Atualize esta página para ver os comentários.


Carregar mais posts recentes

Relatório de erro de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: