O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Resenha: Wireless IntelliMouse Explorer 2.0

Por bastante tempo insisti no “Apple-style” e na beleza de ter meu iMac G5 combinando perfeitamente com o teclado e mouse que vieram com ele, mas a usabilidade me forçou recentemente a dar um basta nisso e procurar uma solução mais dinâmica para o trabalho diário. Para alguém que fica em média 12 horas por dia na frente do computador, faz-se mais do que necessário um mouse que ofereça recursos que possam facilitar a vida do usuário.

Publicidade

A quantidade de opções de mouse, atualmente, é grande, desde os mais simples, com apenas a rodinha de rolagem, até os mais avançados, sem fio, com Bluetooth, passando pelos novíssimos de tecnologia laser, que podem ser usados sem problemas até em superfícies reflexivas, como mesas de vidro. Antes de decidir analisar as linhas da Microsoft e Logitech, ainda fiquei um pouco preso no famoso “campo de distorção da realidade” da Apple e estava certo que ia comprar um Mighty Mouse. Nada melhor, não é? Mais um produto da Apple, branquinho como o meu, mas que oferecia também um botão extra para uso com o Exposé e uma “rodinha de rolagem revolucionária”. Mas li muitas análises negativas sobre o mouse, as mais graves sobre a limpeza dessa revolucionária rodinha e acabei desistindo. Quem sabe na versão 2.0…

Wireless IntelliMouse Explorer 2.0A diferença de preços entre mouses sem fio ainda é gritante, mas as possibilidades que eles oferecem tem um custo/benefício interessante. Optei pelo Microsoft Wireless IntelliMouse Explorer 2.0. Ele não é Bluetooth, usa infra-vermelho (tem um receptor, um pouco grandinho mas com um design bacana). O alcance do receptor, segundo o manual é de até 1,83 metros — bem menos do que os 10 metros que aparelhos Bluetooth, mas para usar na mesa, dá e sobra. Ele possui um único botão, que deve ser pressionado caso haja algum problema de comunicação entre o mouse e ele. A freqüência é alterada, e para parear novamente o mouse com a base, é preciso apertar o botão Connect localizado na parte inferior do mouse com uma caneta ou clip.

Apenas para destros

Publicidade

O Wireless IntelliMouse Explorer 2.0 traz um design único, superergonômico e bonito. O porém disso tudo é que ele é feito apenas para destros. Até onde vi a Microsoft não fabrica uma versão invertida para canhotos. Politicamente incorreto, se me permitem dizer.

Se é moda promover produtos como revolucionários ou pioneiros em seus mercados, a rodinha deste mouse não faz diferente. Seu formato é o tradicional — ao contrário da rodinha do Mighty Mouse, que é uma esfera pequenininha —, mas ela é feita de um material emborrachado muito mais chique do que qualquer outra rodinha de rolagem no mercado.

Publicidade

Apesar de ter o formato vertical tradicional de rodas de rolagem, a Microsoft conseguiu desenvolver uma tecnologia (que ela chama de Tilt Wheel Technology) que possibilita, também, rolagem horizontal. Não há mistério: rodando-a verticalmente, você rola o documento verticalmente. Inclinando-a para os lados, você rola o documento para a direita ou para a esquerda, como quiser. A rodinha também funciona como um botão extra, quando clicada, mas é bastante sensível. Demora um pouco para se acostumar.

Mais dois botões

Além do botão da roda de rolagem, o Wireless IntelliMouse Explorer 2.0 oferece dois botões extras, localizados logo acima do lugar onde normalmente descansamos o polegar. Esse ponto é controverso, já para alguns é fácil de se adaptar, mas alguns usuários podem achar mais difícil. Se for possível, teste antes para ver se não vai sentir alguma dificuldade.

Publicidade

O painel Microsoft Mouse é instalado na categoria “Other” do Preferências do Sistema (System Preferences), mas você também pode rodá-lo diretamente na pasta Aplicativos (Applications). Na primeira aba, “Pointer Options”, a única opção é a de velocidade do ponteiro, na qual você pode optar por manter a velocidade setada pelo painel Keyboard & Mouse do Mac OS X, ou redefinir a velocidade manualmente, entre 20 estágios diferentes.

Handled by Mac OS

Em “Buttons” é que vem a coisa. Para os tradicionais botões esquerdo e direito não inventei moda e mantive o padrão. Para os outros dois, quis justamente configurá-los para uso com o Exposé e o Dashboard. Porém, eles não estão no menu de opções. A solução é escolher a segunda opção do menu, “Handled by Mac OS”. Isso significa que o mouse deve ignorar a configuração do software e fazer o botão funcionar de acordo com o que o sistema lhe diz. E, para os esquecidos, o próprio painel de preferências Dashboard & Exposé oferece também a possibilidade de você configurar seu mouse para acionar qualquer uma das opções. Outra vantagem desta solução é que o sistema, ao contrário do aplicativo Microsoft Mouse, possibilita que você configure mais de uma ação para um mesmo botão do mouse, através da combinação com teclas especiais, como Control, Command ou Option.

Painel Dashboard & Exposé

Bateria

Como que eu poderia falar de um mouse sem fio sem falar sobre suas baterias? A Microsoft optou por usar 2 pilhas AA comuns no mouse, ao contrário das tradicionais baterias recarregáveis embutidas. A Microsoft afirma que a autonomia delas é de seis meses, mas isso realmente vai depender do seu uso diário. Não confie nessas estatísticas do vendedor. Tenha pilhas sempre na gaveta da mesa e não haverá qualquer problema de ser pego desprevenido (para verificar o nível das baterias, use a aba Wireless do programa da Microsoft.

Autonomia da Bateria

Falando em autonomia, o Wireless IntelliMouse Explorer 2.0 possui três estados de funcionamento: ativo, em espera e um modo hibernado reservado para períodos de inatividade de 10 minutos ou mais. Enquanto ele está em modo ativo, não há qualquer delay na resposta dos movimentos. No modo espera, no qual ele já reduz ligeiramente o consumo das baterias, a volta pode levar uma fração de segundos que pode incomodar gamers. Mesmo o tempo de retorno do modo de hibernação, para usuários comuns, não é facilmente perceptível.

Conclusão

Não tenho dúvidas de que foi uma boa compra. A qualidade do produto é excelente, e a Microsoft é muito competente nessa área de periféricos. Minha produtividade aumentou bastante com o novo mouse, e realmente foi-se o tempo onde bastava apenas 1 botão no mouse. Um segundo botão (Control + clique) e roda de rolagem são hoje indispensáveis, e alguns botões extras para melhorar o dia-a-dia são também muito bem-vindos.

Artigo publicado na edição 03 da revista Mac+, nas bancas!

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Wallpaper do Vale de Lauterbrunnen

Próximo Artigo

Top 14 extensões do Firefox

Posts Relacionados