O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Google Spreadsheets é atualizado e começa a tomar forma

A equipe de desenvolvimento do Google não pára. O Google Spreadsheets foi atualizado recentemente pela segunda vez e, como não abordei as novidades da primeira, vamos dar um apanhado geral no que mudou no serviço desde que ele foi lançado. Com os recentes aprimoramentos, a solução de planilhas online começa a tomar forma e já para muitos oferece até mesmo mais recursos do que precisariam mesmo em uma versão desktop offline. E o melhor: é de graça.

Publicidade

Menu contextual (botão-direito do mouse)

Google SpreadsheetsA novidade nº 1 é com relação às funcionalidades de acesso ao menu contextual das planilhas, o equivalente ao botão-direito do mouse — ou o clique com Ctrl para quem usa mouses de apenas um botão.

O Google customizou esta função no serviço e, ao invés de abrir um menu tradicional do seu navegador, uma série de funções relacionadas com o que está selecionado em sua planilha aparece: é possível copiar e colar dados, inserir novas linhas e colunas, deletar ou limpar células e classificá-las sem qualquer problema. Selecionando duas ou mais linhas ou colunas, por exemplo, permite que você adicione, de uma vez só, duas ou mais linhas ou colunas — quantas estiverem selecionadas.

Publicidade

Movendo planilhas

Para quem costuma usar o recurso de criação de várias planilhas em um só documento, agora no Spreadsheets é possível reorganizá-las da forma que quiser, como no Excel. O único porém é que é preciso clicar em cada uma delas e ir movendo, ou para a esquerda ou para a direita. Não entendo por quê eles ainda não implementaram um recurso de drag&drop por aqui.

Publicidade

Bordas

Google SpreadsheetsComo no Excel, agora é possível adicionar bordas (sem qualquer opção de customização de cor, espessura, que dirá estilo — pelo menos por enquanto) à células ou grupo de células. As opções são de onde você deseja que elas apareçam: em volta, em todas as divisões, apenas nas internas ou individualmente na parte superior, esquerda, direita ou inferior.

Qualquer um pode ver

Publicidade

Através do menu de compartilhamento de planilhas salvas é possível, agora, permitir que pessoas convidadas apenas vejam a sua planilha. Eles não só não precisam necessariamente participar da criação da mesma, como nem sequer precisam ter uma conta no Google. Além disso, as URLs de acesso à planilhas na última versão do serviço ficaram bem mais curtas, facilitando bastante o compartilhamento dessas informações.

Até 50 pessoas podem ver ou editar uma só planilha ao mesmo tempo.

Adicionando links

Google SpreadsheetsLinks escritos literalmente em planilhas são automaticamente detectados e quando selecionados mostram um pequeno ícone com uma seta apontando para fora, indicando que se o usuário clicar ali ele será levado para a página em questão. O mais legal é que é possível também montar uma fórmula para links, na qual você escolhe o nome que quer que apareça na célula, independente da URL que ela irá apontar. Para isso, use o seguinte modelo de código:

=hyperlink("www.macmagazine.com.br","BLOG.MACMAGAZINE")

Onde “www.macmagazine.com.br” será o endereço de destino e “BLOG.MACMAGAZINE” o texto que aparecerá na célula. Da mesma maneira, quando esta estiver selecionada, o ícone aparecerá ao lado, indicando que é um link externo.

Exportando planilhas

Google SpreadsheetsO Google Spreadsheets agora exporta planilhas para dois novos formatos: o primeiro, o mais interessante e difundido de todos, é o famoso PDF. Suas planilhas agora podem ser enviadas para qualquer pessoa que tenha o Adobe Reader instalado, sem qualquer perda de formatação.

Ele agora suporta também o Open Document Format (ODS) para os saudosistas de softwares de código-aberto que já aderiram à solução gratuita OpenOffice no lugar da suíte Office da Microsoft.

Integração com contatos do Gmail

Demorou, mas chegou. Ao digitar emails de seus contatos para compartilhar suas planilhas, o Spreadsheets agora automaticamente se conecta à sua base de contatos do Gmail e mostra os resultados a medida que for digitando em uma mini-janelinha abaixo da caixa de entrada de texto, como quando escreve um email. Esta novidade já havia sido implementada há mais tempo, também, no Google Calendar. É o pacote do Google se integrando e, aos poucos, se transformando em um pacote completo para competir com as soluções da Microsoft. (e por que também não da Apple?)

Múltiplas linhas em uma mesma célula

Google SpreadsheetsRecurso perfeito para diferenciar blocos de dados independentes — como endereços, agora é possível adicionar novas quebras de linha de texto dentro de uma mesma célula. Para isso, use a combinação de teclas Alt (Option)+Enter nos Macs e Ctrl+Enter nos PCs. Para editar células navegando pelo teclado também é bem fácil: com ela selecionada, é possível apertar Enter (não Return), F2 ou, se preferir, pode dar um duplo-clique em cima dela.

Suporte a arquivos maiores

Apesar de ainda limitar o número de linhas (10.000), colunas (256), células (50.000) e planilhas (20) em documentos, o Google agora oferece um limite maior para arquivos importados, tanto no formato XLS quanto no formato aberto ODF: aproximadamente 1MB. Ainda é pouco, mas aos poucos vamos avançando… como o Spreadsheets ainda não oferece recurso de gráficos, os arquivos trabalhados nele só conterão texto, tornando-os bem leves.

Mais opções de formatação de números

Google SpreadsheetsPor fim, pelo menos por agora, o Spreadsheets ganhou maior flexibilidade na formatação de números em seu menu “Format”.

Diversas novas opções estão disponíveis, mas o que mais me chamou a atenção — e que eu tinha notado como ponto negativo até a versão anterior do serviço — foi o submenu More currencies, no qual você pode setar manualmente o símbolo da moeda do seu país. Como o Real não está presente na lista, basta digitar “R$” no campo “Another currency” e está feito.

É possível inclusive escolher se quer que ele apareça antes ou depois do número. O que faltou foi a opção de definir se o decimal é separado por ponto ou vírgula. O padrão norte-americano é ponto, ao contrário do nosso, vírgula. A moeda fica, então, com números do tipo R$ 500.00, e não o correto, que seria R$ 500,00. Detalhes que ainda precisam ser arrumados.

O Google Spreadsheets é um dos aplicativos online que mais podem mostrar o potencial dessas novas tecnologias que se englobam na chamada “Web 2.0” podem oferecer. Ele é rápido, flexível, interativo e fácil de se usar. Como disse no começo do artigo, para muitos o que ele oferece já hoje substitui com sobra softwares pagos (e caros) como o Excel. Eu ainda continuo alternando entre lá e cá, principalmente pela ausência do recurso de gráficos, que uso bastante.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

O precursor do Mac OS X

Próximo Artigo

Atari de bolso

Posts Relacionados