O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

E as drogas anti-sono vêm aí

Olhos + remédiosÉ o que diz Silvio Meira em seu post “vivendo em tempo integral [?]” publicado hoje em seu blog Silvio Meira, dia a dia, hit a hit. O que eu acho disso tudo? Simplesmente MARAVILHOSO. O outro lado da moeda? Eu não seria cobaia de drogas desse tipo mas nem fu*****o até que pessoas normais já as tivessem usando, constantemente, durante pelo menos uns 5 ou 10 anos.

Publicidade

Eu adoro dormir, não nego. É uma atividade das que requerem mais preparação na minha lista de tarefas diárias — tenho que tirar todas as 6 almofadas de cima da cama, a colcha, depois guardo tudo isso no armário, pego o edredon e o travesseiro, dobro o cobertor, coloco o edredon e depois o travesseiro; aí ligo o ar-condicionado, checo de o despertador está setado para a hora certa, desligo as luzes e daí pra eu entrar no mundo dos sonhos é tiro-e-queda.

Um detalhe no descritivo acima é o que me faz desejar dormir menos, ou até mesmo não dormir. Ou melhor: dormir quando eu quiser, não por necessidade, mas por vontade própria. Este detalhe se chama despertador.

Publicidade

Eu entrei recentemente para o grupo dos que pedem todos os anos para o Papai Noel mais horas disponíveis diariamente, e por isso procuro sempre otimizar meu sono ao máximo. Quando posso, durmo 8 horas; raramente mais do que isso. Normalmente, fico nas 7 horas, quando estou muito atolado de coisas para fazer o número já cai para 6 ou 5, mas aí já me sinto desconfortável e planejo uma compensação na noite seguinte — se possível, claro.

Todos já estão cansados dessas contas, mas não custa lembrar aqui: um ano tem 365 dias que multiplicados às 24 horas diárias temos um total de 8.760 horas anuais. Considerando a média e a recomendação médica de 8 horas de sono diárias, temos um total de 2.920 horas dormindo todos os anos. Subtraindo das horas totais, nos restam 5.840 horas “úteis” anuais. Passamos, portanto, um terço do ano dormindo.

Isso é muita coisa, pelo menos pra mim. Eu adoraria cortar meu sono pela metade inicialmente, continuar fazendo o que gosto, mas sem perder tanto tempo diariamente. Seria maravilhoso ir dormir às 2h da matina e acordar às 6h com mais disposição do que quando durmo às 23h e acordo às 6h, atualmente. Ao menos a conta de luz ia diminuir. 😉

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Quem ganha a guerra dos consoles?

Próximo Artigo

Ó dúvida cruel! [atualizada]

Posts Relacionados