O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Parallels Desktop 3.0 traz melhorias, mas ainda não é perfeito

Instalei hoje o build 4124 do Parallels Desktop 3.0 aqui no meu MacBook Pro. Com mais de 50 novos recursos, de acordo com a fabricante, a ansiedade para testá-lo foi maior do que esperar sequer um cobaia me dizer que tá tudo beleza e estável. O resultado foi este:

Publicidade

Parallels 3.0 e kernel panic

Pela segunda vez na vida do meu MacBook Pro, tenho um kernel panic por causa do Parallels. Abri o programa, dei uma olhada nas preferências, reconfigurei minha máquina virtual (e ele já converteu ela para a nova versão — processo bem rapidinho, devo dizer) e quando fui iniciar o Windows XP, pumba!

Achei que seria um bug generalizado da nova versão, mas felizmente depois de reiniciar o Mac, ele abriu direitinho. E, devo dizer, está rápido! Gostei, também, da possibilidade de definir a memória máxima usada pelo programa via suas preferências, e não apenas a memória RAM virtual alocada por sistema. Ele te pergunta, também, se quer dar preferência em performance para a máquina virtual ou para o Mac OS X.

Drive C montado no DesktopA primeira coisa que notei após instalar o Parallels Tools atualizado e reiniciar o Windows foi o aparecimento do drive C da máquina virtual montado no Desktop do Mac OS X. Integração maior, impossível. Agora, além da pasta compartilhada do Mac OS X que posso acessar via Windows Explorer, também posso navegar pelo drive do Windows via Finder. Sem falar nas funcionalidades drag&drop entre um sistema e outro, claro, que continuam presentes e funcionam muito bem.

Publicidade

Barra de ferramentas do Parallels 3.0A barra de ferramentas do Parallels ganhou um novo visual e novas funcionalidades. Na ordem: Stop Virtual Machine, Pause Virtual Machine, Start Virtual Machine, Full Screen Mode (agora muito mais suave e rápido), Coherence (ainda melhor), Create a Snapshot (“fotografa” o sistema no seu estado atual, caso queira recuperá-lo posteriormente — funciona como um backup generalizado), Revert To a Snapshot e Run Snapshot Manager (para quem ainda não estiver familiarizado com o recurso).

Uma das coisas que sempre me irritaram no Parallels e que ainda persiste na nova versão é o fato de que a tecla Command (Maçã) funciona como a tecla Windows de PCs. Até aí tudo bem, vocês podem pensar, seria, de fato, a equivalente; o chato é quando isso se torna um transtorno na medida que a tecla Command é usada para a grande maioria de atalhos no mundo Mac.

Publicidade

Quando quero alternar entre aplicativos, por exemplo, muitas vezes gosto de usar a combinação Command+Tab, que acaba por abrir o menu Iniciar do Windows. O mesmo ocorre quando quero tirar uma foto da tela, com Command+Shift+3 ou Command+Shift+4. Ele podia ser um pouco mais inteligente com relação à isso.

Aplicativos do Mac OS X via Windows

Publicidade

A integração dos sistemas está ainda maior, e agora a lista de aplicativos de ambos é compartilhada. Isso permite que façamos coisas como isso:

Abrir Com integrado entre Mac OS X e Windows

É possível, por exemplo, definir que todos os links de páginas da web sejam abertos no Firefox do Mac, ou que emails sejam direcionados sempre para o Mail.app. Se quiser, apresentações podem sempre abrir no PowerPoint dentro do Windows. Um “chama” o outro sempre que necessário.

Aproveitei a oportunidade pra me atualizar também, hehehe:

Software Update no Windows XP

Só não tive chance, ainda, de testar a nova aceleração 3D do Parallels Desktop 3.0 com nenhum jogo que rode nativo no Windows via DirectX. Depois eu vejo isso. No geral, eu gostei.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Hora da WWDC 2007 na segunda-feira e cobertura do evento

Próximo Artigo

A Microsoft buscando novos ares?

Posts Relacionados