O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Apple ProRes 422: vídeo HD compacto e de qualidade

Apresentado em abril deste ano, o Final Cut Studio 2 é um pacote de programas para edição profissional de vídeo. Em relação à versão anterior, trouxe muitas melhorias, incluindo a integração de diversos aplicativos para que o trabalho sobre a mágica dos irmãos Lumière seja o mais perfeito possível.

Publicidade

Entretanto, para que se possa trabalhar com alta qualidade de vídeo de maneira rápida, pode ser necessário fazer uso dos chamados codecs. Um entre vários que existem no mundo atualmente, atende pelo nome de Apple ProRes 422, lançado também em abril para ser mais uma opção de formato de vídeo dentro do Final Cut Studio 2.

Tentando manter simples a linguagem, um codec é um tipo de programa que faz cálculos de codificação e decodificação de algum arquivo. Não vou me estender muito aqui, mas como exemplos temos o DivX, XviD, H.264, enfim, chega-se inclusive a um ponto em que codecs e formatos se misturam, conceitualmente falando. Quando o assunto é vídeo, geralmente servem para comprimir e descomprimir arquivos.

Publicidade

O trabalho de um codec pode ser demorado, e o resultado, nem sempre satisfatório, sendo que o objetivo é comum em qualquer caso: reduzir o tamanho de um arquivo, tentando mantê-lo o mais fiel possível ao que era antes. O ProRes 422 veio para tentar cumprir essa promessa frente aos editores de vídeo, ávidos por resultados rápidos e mais que satisfatórios, em alta definição e qualidade digital.

Por muito tempo, esses editores se respaldaram em formatos como DVCPRO-HD e HDV para edição em tempo real de vídeo, com várias fontes de vídeo em paralelo — o chamado multi-stream. Nem sempre esses formatos foram capazes de transferir toda a qualidade HD (vem de alta definição, high definition em inglês) ao resultado final, por motivos os mais variados: limitações de hardware, especificações de câmeras que não atendem às necessidades… Ter estrutura para suportar tanta quantidade de dados quanto se pode ter em um trabalho com vídeo de alta definição requer um investimento consideravelmente alto, incluindo placas de captura e exportação, sistemas RAID para armazenar todo o trabalho — inclusive em rede –, alta velocidade de transmissão de dados entre computadores e discos de trabalho, entre outras coisas. Não, trabalhar sério com vídeo não é só comprar uma câmera, um Mac Pro e um bom monitor.

O formato Apple ProRes 422 veio para tentar amenizar um pouco todos esses possíveis empecilhos pelos quais uma produtora ou mesmo um editor freelancer podem passar. Tudo bem que já existem diversos outros formatos, então quais seriam as características dele?

Publicidade
  • Resoluções de 1920×1080 e 1280×720.
  • Chroma formato 4:2:2, para cores mais precisas e arquivos menores.
  • Amostras especiais de profundidade de cor a 10 bits, que guardam partes dos quadros de vídeo que tenham degradê, como tons de céu, de água, cenas de pôr-do-sol.
  • Codificação VBR, de maneira que se atribua mais bits aos frames que tenham maior complexidade gráfica.
  • Taxas de bits de 220 Mbits e 145 Mbits, possibilitando, com menor taxa de transferência de dados, usar discos mais lentos e redes de armazenamento, como Xsan, que não tenham alta velocidade para transferir esses dados.
  • Captura em tempo real desde qualquer fonte HD-SDI, mas requer uma interface de captura nesse caso, como oferece por exemplo a Blackmagic.
  • Formato de alta qualidade especial para computadores com monitor de menor tamanho, como o MacBook Pro, em resolução completa porém com tamanho reduzido à metade.
  • Codificação e recodificação com perdas mínimas de dados.

Muitos podem dizer neste momento: “Ok, mas eu trabalho com um formato que faz quase tudo isso, não vale a pena mudar.” Bom, se os gráficos abaixo forem precisos, talvez essa opinião mude um pouco depois de uma rápida visualização do que o ProRes 422 consegue alcançar.

performance multi-stream

Acima, gráfico com quantidades de streams que os diferentes formatos conseguem trabalhar em uma configuração fixa de Mac Pro. O ProRes 422 conseguiu alcançar 14 fontes em tempo real, em formato 720p24.

Publicidade

Qualidade

Não se perde muita qualidade do arquivo de vídeo mesmo depois de varias compressões. Notem que o valor praticamente se estabiliza depois da quarta geração.

charts

Quadro de comparação entre formatos possíveis para arquivos codificados com Apple ProRes 422.

Com isso tudo e mais um pouco, a Apple tenta atender à demanda da produção em HD, combinando a alta performance de tempo real do Final Cut Studio 2, alta qualidade de vídeo e baixas taxas de transferência de dados, para garantir arquivos que ocupem menos espaço e que necessitem menos potência dos computadores de edição e pós-produção.

Alguém aí trabalha com o Apple ProRes 422? É realmente vantajoso partir para esse formato? Ninguém melhor que as pessoas que trabalham com vídeo para dar mais detalhes.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Trillian chega ao Mac OS X em versão alpha

Próximo Artigo

Minha situação com armazenamento

Posts Relacionados