O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Devaneios técnicos: falando um pouco mais sobre processadores gráficos [atualizado]

Chips nVidia GeForce 8600GTSMuita gente está contente com os lançamentos que tivemos esta semana, de MacBooks e MacBooks Pro, apesar de que já se fala em uma nova revisão dos portáteis em breve, e até em mudanças na linha desktop da Apple. São novos processadores, mais memória principal, mais disco rígido… mas e os gráficos desses computadores?

Publicidade

Antes de mais nada, acho que o novo MacBook Pro poderia vir com um chip de vídeo melhor do que o que traz. Muitos ainda não vêem que diferenças poderia haver nesse quesito. Para quem estiver interessado em conhecer um pouco mais sobre as especificações e entender, de uma vez por todas, as características que rodeiam os chips de vídeo de um computador, basta continuar a leitura — longa, diga-se de passagem; ou seja, um texto MacPorteriano.

Uma placa de vídeo consiste de uma placa lógica, contendo vários componentes, mas os principais são o processador gráfico, a memória de vídeo e as conexões disso tudo, que acabam no encaixe que entra no slot VESA, ISA, PCI, AGP ou PCI Express da placa mãe de um computador.

Exemplo de conexão VESA

Exemplo de conexão VESA

A velocidade do processador se mede em MHz, ou GHz quando for o caso. A memória não tem uma velocidade, mas como tem que ser compatível com a freqüência de comunicação de dados do processador, também recebe uma especificação de velocidade, em MHz (GHz em um futuro próximo, já que existem memórias DDR com velocidades passando os 1033MHz).

Slots PCI e AGP

Slots PCI e AGP

O que importa na memória, realmente, é sua capacidade de armazenamento, e encontramos placas de vídeo com 64MB de Video RAM, 128MB (como a antiga 8600M GT do MacBook Pro), 256MB (a nova 8600M GT do MacBook Pro de 15″, por exemplo), 512MB (do MacBook Pro de 17″ atual), e se você pesquisar mais um pouco, verá que já existem placas de vídeo com 1 e até 2GB de VRAM!

Para PCs, claro, e custam uma fortuna.

Publicidade

Só que tudo que passa por um sistema computacional é, em miúdos, dados, e dados na informática são medidos em bytes. Cada byte tem 8 bits, e existem processadores que lêem um byte por vez, dois bytes (16 bits como os antigos Intel 386, e processadores de videogames como Mega Drive e Super Nintendo), 4 bytes (G3, G4, 486, Pentium… Pentium IV, enfim), 8 bytes (atuais processadores de 64 bits de algumas máquinas)… enfim, na história da informática já houve processadores que lessem de tudo, mas como já existiram também chips que liam 10 bits, 12 bits (que não dão 1 byte ou 2 bytes inteiros), a indústria de processadores resolveu manter a quantidade de bits lidos por vez em… bits.

Ou seja, em vez de dizer que um Pentium III é um processador de 4 bytes, dizemos que é de 32 bits, podendo trabalhar com até 4 “palavras” por vez — uma palavra é um byte em computação. Foi uma maneira de manter mais simples a compreensão do assunto, e assim é até hoje.

Vários modelos de placa de vídeo nVidia GeForce

Vários modelos de placa de vídeo nVidia GeForce

Em vídeo, com a quantidade de dados que a UCP (CPU em inglês) gráfica tem que trabalhar, essa “largura” de dados progrediu muito mais rápido que nos processadores normais. Como tudo em computação, quanto mais capacidade, mais caro fica o produto, e de acordo com as pesquisas que se fazem nesse campo de arquitetura de processadores (estive nisso por 3 anos na faculdade), ainda não vale a pena subir tanto a “largura” de um processador de computador. O preço sobe demais, o resultado não é o esperado, e dessa maneira, temos Intel Xeon a 64 bits, e Intel Core Duo a 32 bits ainda, em vez de mais bits.

Por outro lado, há tempos que os chips de vídeo alcançam 64 bits, 128 bits e 256 bits comunicando-se com a memória de vídeo. Em 2002 montei meu PC que está no Rio até hoje, com uma placa de vídeo GeForce 4 Ti 4200, que tinha 128 bits de largura de dados, ou seja, pode trabalhar com 16 bytes por vez. Na época, era a largura de dados mais alta à venda, apesar de já existirem placas com chips a 256 bits.

Publicidade

Pois bem, hoje as placas de vídeo que se sobressaem no mercado estão todas com 256 bits de largura da transmissão de dados entre VRAM (como antes mencionado, memória de vídeo) e processador. Sem contar algumas poucas que já são absurdas, a 512 bits. Então, quando entramos nas especificações das placas de vídeo, particularmente usadas nos computadores Apple, vemos que:

  • a ATI X1600 (do antigo iMac Intel branco) tem 128 bits;
  • a GeForce 7300GT (que vinha com o Mac Pro) tem 128 bits;
  • já a ATI X1900 XT (que se podia ampliar no Mac Pro) tem 256 bits;
  • a ATI HD 2600 (que vem nos atuais iMacs) é de 128 bits;
  • também a GeForce 8600M GT (dos MacBooks Pro) é de 128 bits;
  • e por fim, a GeForce 8800 GT (que se pode ampliar no Mac Pro atual) é de 256 bits.
iMac G5 por dentro, com placa de vídeo na área superior

iMac G5 por dentro, com placa de vídeo na área superior

E quer queiramos quer não, uma placa a 128 bits não rende a mesma coisa que uma a 256 bits. Na verdade, não é a placa per se, e sim, a largura máxima de dados com a qual o processador lida, além da comunicação com a memória de vídeo. Particularmente, prefiro uma placa de vídeo 256 bits com 256MB de VRAM, que uma 128 bits com 512MB. De quê adianta ter mais espaço para armazenar dados, se o processador só consegue trabalhar com metade do que poderia?

nVidia GeForce série 8600 - modelo similar equipa o MacBook Pro

nVidia GeForce série 8600 – modelo similar equipa o MacBook Pro

Por isso reclamo quando sai um novo notebook de Cupertino e o chip que vem é um 8600M: por mais GT que seja, e por mais que tenha 512MB de memória de vídeo, ainda é uma simples placa de 128 bits, que vai perder fácil para qualquer uma de 256 bits.

O que me pergunto é: será que ainda não é possível meter um processador melhorzinho em portáteis?! Que baixem o clock do processador e subam os bits, oras!

Atualização (28/02/2008, às 11:22): Cabral, apaguei o comentário como você pediu, e obrigado! Abaixo vocês podem ver mais de perto o módulo de vídeo GeForce 8600M, não dá pra chamar de “placa” pelo conceito de placa de vídeo, apesar de ser uma placa pequena realmente. A seguir, dois links dos fabricantes principais de placas de vídeo para Apple, na dica do Jayson: nVidia e ATI.

Módulo de vídeo nVidia GeForce 8600M

Módulo de vídeo nVidia GeForce 8600M

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Update de firmware mostra mais dois países prováveis para o iPhone [atualizado]

Próximo Artigo

Wormux, o clone de Worms para Mac

Posts Relacionados